OFERTA FORMATIVA

Não existem ações.

Não existem ações.

Ref. 1516ACD Em avaliação

Registo de acreditação: ACD 6

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 08-02-2023

Fim: 08-02-2023

Regime: Presencial

Local: IPViseu Auditório da Escola Superior de Tecnologia e Gestão

Formador

Ana Mafalda Melo e Silva de Almeida Ribeiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Comunidade Intermunicipal de Viseu Dão Lafões/ CFAE Planalto Beirão

Enquadramento

O seminário “Valorizar e des(a)fiar a escola” tem como objetivo ouvir diferentes especialistas sobre algumas temáticas que são hoje essenciais para a inovação e melhoria da educação em Portugal, tal como, a importância da felicidade e de lideranças inspiradoras nas escolas, projetos centrados nos alunos e nas suas necessidades. No seminário haverá ainda oportunidade para se partilharem diferentes práticas pedagógicas nacionais e do território de Viseu Dão Lafões.

Objetivos

Refletir sobre as temáticas mais prementes na educação atual Conhecer novas práticas, estratégias e recursos pedagógicos Sensibilizar para a importância de melhorar, mudar e inovar as escolas

Conteúdos

1. Temáticas cruciais na educação: Felicidade nas escolas; Lideranças empáticas e inspiradoras; STEAM; Prevenção e diagnóstico de dificuldades; Inclusão; Escola centrada nos alunos e Criatividade e tecnologia na educação. 2. Sucesso educativo em Viseu Dão Lafões

Metodologias

Métodos expositivos e interrogativos

Avaliação

Frequência

Modelo

Avaliação da satisfação através do preenchimento do questionário.

Bibliografia

N/A



Ref. 171ACD12 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD12 23/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 03-07-2024

Fim: 03-07-2024

Regime: e-learning

Local: Via Zoom

Formador

António Manuel Pereira Marques

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAE Planalto Beirão

Enquadramento

A plataforma Inovar alunos e Inovar , são plataformas usadas em alguns AE associados do CFAE Planalto Beirão. Sendo plataformas importantes na organização e gestão, quer ao nível pedagógico como organizacional, é pertinente que as lideranças desses AE tenham conhecimento de alguns recursos inerentes a estas plataformas, que facilitam a tomada de decisão e, assim, implementar estratégias de gestão de forma mais agilizada. Perceber que estas ferramentas possibilitam uma visão integral pois harmoniza a recolha, o tratamento e a disponibilização de informação das actividades letivas e de tudo quanto daí decorre: caracterização da turma, planificações, sumários, faltas, registo de ocorrências, critérios de avaliação, notas, sínteses descritivas, pautas, análise estatística, sinalizações no âmbito do DL 54/2018, entre outros.

Objetivos

- Apresentar das funcionalidades, demonstrar o seu funcionamento e esclarecer de dúvidas; - Capacitar para a utilização da Plataforma Inovar alunos e Inovar paa.

Conteúdos

Inovar alunos: -Turmas; Sumários; Faltas; Registos de ocorrências; DL 54/2018; pautas; Análise estatísticas… Inovar paa: - Apresentação de propostas; Aprovação de propostas; Elaboração PAA; Avaliação das actividades; Balanço do PAA.

Metodologias

A ação formativa decorrerá online por videoconferência, utilizando a exposição de conteúdos e a realização de atividades práticas.

Avaliação

Frequência obrigatória de 3 horas de formação

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e formadora e análise do tratamento estatístico em reunião da secção de formação e monitorização e conselho de diretores deste CFAE.

Bibliografia

Manuais de apoio aos docentes e supervisores


Observações

DIREÇÕES DOS AE ASSOCIADOS E DOCENTES INDICADOS

DIREÇÕES DOS AE ASSOCIADOS E DOCENTES INDICADOS

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 03-07-2024 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Online síncrona

Ref. 178Ação3T3PND23/24 Concluída

Registo de acreditação: Ação 3 PND 23/24

Modalidade: Outro

Duração: 3.0 horas

Início: 02-07-2024

Fim: 02-07-2024

Regime: Presencial

Local: ES Santa Comba Dão

Formador

Cátia Andreia Costa Frias Carvalho Mateus

Destinatários

Assistentes Técnicos e Assistentes Operacionais

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão, AE de Santa Comba Dão

Enquadramento

As escolas não são apenas espaços de aprendizagem para os alunos, mas também comunidades complexas, compostas por vários funcionários que desempenham papéis fundamentais no funcionamento diário e no bem-estar da comunidade escolar. A interação entre os colaboradores não apenas influencia o ambiente de trabalho, mas também tem um impacto direto na qualidade da educação oferecida aos alunos. Nesse contexto, a empatia e a assertividade emergem como pilares essenciais para promover relações interpessoais positivas e produtivas entre os membros da organização escolar. Este curso de curta duração irá permitir aos formandos adquirirem algumas competências básicas para se comunicarem de forma mais eficaz, aceitando e respeitando os pontos de vista uns dos outros e a resolverem conflitos de maneira construtiva.

Objetivos

Reconhecer a importância e a aplicabilidade da empatia e da assertividade, nas relações interpessoais; Identificar e desenvolver estilos de comportamento assertivo; Fortalecer as relações interpessoais entre os funcionários escolares, cultivando um ambiente de confiança, colaboração e apoio mútuo;

Conteúdos

A comunicação como objeto de dinamização de uma equipa de trabalho Dimensões do comportamento assertivo Estratégias da comunicação assertiva Importância da empatia nas relações interpessoais

Metodologias

Método expositivo conjugado com o método interrogativo Método ativo com recurso à técnica do trabalho e de grupo e brainstorming

Avaliação

Frequência

Bibliografia

Casares, M. (2009). Cómo Promover la Convivencia: Programa de Asertividad y Hablidades Sociales (PAHS) (2a ed.). Madrid: Narcea IEFP, manual_ufcd_5440_-_comunicaao_interpessoal_e_assertividade-IEFP.pdf Rego, Arménio “Comunicação Pessoal e Organizacional, Manual de Exercícios”, edições Silabo, ISBN 9789726188520


Observações

Assistentes Técnicos e Assistentes Operacionais do AE de Santa Comba Dão

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 02-07-2024 (Terça-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial

Ref. 178Ação3T4PND23/24 Concluída

Registo de acreditação: Ação 3 PND 23/24

Modalidade: Outro

Duração: 3.0 horas

Início: 02-07-2024

Fim: 02-07-2024

Regime: Presencial

Local: ES Santa Comba Dão

Formador

Cátia Andreia Costa Frias Carvalho Mateus

Destinatários

Assistentes Técnicos e Assistentes Operacionais

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão, AE de Santa Comba Dão

Enquadramento

As escolas não são apenas espaços de aprendizagem para os alunos, mas também comunidades complexas, compostas por vários funcionários que desempenham papéis fundamentais no funcionamento diário e no bem-estar da comunidade escolar. A interação entre os colaboradores não apenas influencia o ambiente de trabalho, mas também tem um impacto direto na qualidade da educação oferecida aos alunos. Nesse contexto, a empatia e a assertividade emergem como pilares essenciais para promover relações interpessoais positivas e produtivas entre os membros da organização escolar. Este curso de curta duração irá permitir aos formandos adquirirem algumas competências básicas para se comunicarem de forma mais eficaz, aceitando e respeitando os pontos de vista uns dos outros e a resolverem conflitos de maneira construtiva.

Objetivos

Reconhecer a importância e a aplicabilidade da empatia e da assertividade, nas relações interpessoais; Identificar e desenvolver estilos de comportamento assertivo; Fortalecer as relações interpessoais entre os funcionários escolares, cultivando um ambiente de confiança, colaboração e apoio mútuo;

Conteúdos

A comunicação como objeto de dinamização de uma equipa de trabalho Dimensões do comportamento assertivo Estratégias da comunicação assertiva Importância da empatia nas relações interpessoais

Metodologias

Método expositivo conjugado com o método interrogativo Método ativo com recurso à técnica do trabalho e de grupo e brainstorming

Avaliação

Frequência

Bibliografia

Casares, M. (2009). Cómo Promover la Convivencia: Programa de Asertividad y Hablidades Sociales (PAHS) (2a ed.). Madrid: Narcea IEFP, manual_ufcd_5440_-_comunicaao_interpessoal_e_assertividade-IEFP.pdf Rego, Arménio “Comunicação Pessoal e Organizacional, Manual de Exercícios”, edições Silabo, ISBN 9789726188520


Observações

Assistentes Técnicos e Assistentes Operacionais do AE de Santa Comba Dão

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 02-07-2024 (Terça-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial

Ref. 180ACD 15 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD 15 23/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 15-06-2024

Fim: 15-06-2024

Regime: Presencial

Local: C.M. C.Sal (Salão Nobre Aristides de Sousa Mendes)

Formador

Fernando Paulo Mateus Elias

Stefanie Azeredo Tomás

Rui Miguel Dinis Marques da Fonte

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Planalto Beirão, Município de Carregal do Sal e Agrup. Esc. Carregal do Sal

Enquadramento

Pensar a Escola, o Professor, o Aluno e a Família, afigura-se essencial em tempo de mudança. É neste pressuposto da necessidade sentida de um olhar atento sobre a Educação, que emerge este Seminário, que visa cruzar olhares de investigadores e especialistas em Educação e Psicologia, com quem diariamente vive a escola e a família, muito particularmente docentes e demais profissionais da área da Educação com o objetivo supremo de construir uma Escola cada vez mais inovadora e inclusiva.

Objetivos

- Promover o desenvolvimento pessoal e profissional dos participantes; . Desenvolver atitudes de reflexão crítica e de questionamento face às experiências observadas e vivenciadas; - Reconhecer a importância da mudança do paradigma de Escola; - Analisar e refletir sobre as práticas pedagógicas em contextos escolares e familiares; - Aprofundar conceitos e metodologias de ação pedagógica referentes às mais variadas orientações curriculares. - Reconhecer o contributo do livro e da leitura nas práticas pedagógicas. . Conhecer métodos e técnicas de comunicação com alunos especiais.

Conteúdos

Papel da escola e do professor num tempo de mudança. Modelos de Escola. Importância da(s) liderança(s) transformacionais, na escola. Contributo do livro e da leitura nas práticas pedagógicas Metodologias de comunicação com alunos especiais. Aspetos neuropsicológicos a valorizar numa aprendizagem significativa e inclusiva.

Metodologias

Serão usados os métodos expositivo, afirmativo e ativo e suscitada a reflexão e o debate.

Modelo

Preenchimento de um questionário, cujo tratamento estatístico será alvo de análise em reunião da SFM e do Conselho de Diretores do CFAE do Planalto Beirão

Anexo(s)

seminario-educacao-15_6_24.jpg


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-06-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
2 15-06-2024 (Sábado) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 168ACD9 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD9 23/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 12-06-2024

Fim: 12-06-2024

Regime: e-learning

Local: Via Zoom

Formador

Maria Cristina Marques Ferreira Simões

Destinatários

Professores do 1º, 2º e 3º Ciclos, Professores do Ensino Secundário e Professores da Educação Especial a exercer funções nos AE associados do CFAE Planalto Beirão

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

Na atualidade educativa, é inevitável a reflexão sobre a construção de uma educação cada vez mais inclusiva, que se pauta pela qualidade das aprendizagens para todos os alunos, consubstanciada na personalização das respostas educativas para cada um. A educação inclusiva é um processo que envolve toda a escola e que deve proporcionar o acesso de todos os discentes ao Perfil dos Alunos à saída da Escolaridade Obrigatória. Esta ação de formação de curta duração pretende contribuir para se refletir sobre a função e responsabilidade de todos os agentes educativos na identificação, definição e implementação da medida de gestão curricular “Adaptações Curriculares Significativas”, tendo em vista a sua operacionalização na sala de aula.

Objetivos

• Refletir sobre os referenciais educativos que respondem à diversidade e pluralidade dos alunos, contribuindo para a mudança ao nível dos procedimentos pedagógicos; • Promover o debate em torno da necessidade de mobilizar toda a comunidade educativa para a implementação da educação inclusiva; • Capacitar os docentes para o trabalho colaborativo, desenvolvendo iniciativas educacionais, curriculares e pedagógicas, numa perspetiva sistémica com foco na sala de aula e que se pode estender ao Centro de Apoio à Aprendizagem; • Capacitar os docentes para a identificação, implementação e avaliação da medida de suporte à aprendizagem e à inclusão “Adaptações Curriculares Significativas”.

Conteúdos

• Currículo e referenciais curriculares em vigor; • Distinção entre Adaptações Curriculares não Significativas e Adaptações Curriculares Significativas; • Adaptações Curriculares Significativas promotoras da Qualidade de Vida; • Procedimentos práticos para a elaboração das Adaptações Curriculares Significativas, tendo em conta as áreas do Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória.

Metodologias

Nesta ACD, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Serão privilegiados momentos de reflexão e de discussão em plenário, pretendendo-se refletir como operacionalizar as dez áreas do PASEO com os alunos com Adaptações Curriculares Significativas.

Avaliação

Frequência obrigatória das 3 horas de formação.

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e formadora e análise do tratamento estatístico em reunião da secção de formação e monitorização e conselho de diretores deste CFAE.

Bibliografia

• DGE (2018). Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 24/01/2024 • Simões, C. (2020). A qualidade de vida de crianças e jovens com dificuldade intelectual e desenvolvimental: Contributo para a educação inclusiva. Fundação AFID Diferença


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 12-06-2024 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Online síncrona

Ref. 170ACD11 T2 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD11 23/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 29-05-2024

Fim: 29-05-2024

Regime: e-learning

Local: Via Zoom

Formador

António Manuel Pereira Marques

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Planalto Beirão e Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal

Enquadramento

Na Era da digitalização da sociedade, também na Educação se torna premente a utilização, de forma parcimoniosa, de ferramentas que facilitem aos docentes a implementação de um processo de ensino e aprendizagem motivador, mais individualizado e holístico. Assim, a ferramenta Canva é a ideal para o desenvolvimento de metodologias ativas na sala de aula e a distância, mormente através do trabalho de projecto, tanto na fase de construção como na posterior apresentação., Para além do referido, poderá ser um recurso para fomentar e construir estratégias diversificadas para avaliar a aprendizagem dos alunos de forma contínua, dando enfoque ao processo e não apenas ao produto, facilitando ao docente um feedback efectivo. Sintetizando, o Canva permite envolver os alunos de forma colaborativa (entre eles e eles e o professor), incrementa a regulação das aprendizagens, pois possibilita uma avaliação formativa, permitindo um feedback escrito e o diálogo professor-aluno.

Objetivos

.-Promover mudanças metodológicas em contexto de sala de aula (metodologias ativas); - Promover o Canva como um recurso forte para incrementar/melhorar a comunicação entre o professor e o aluno, através do escrito, envolvendo ativamente os alunos na revisão do seu trabalho; -Capacitar os docentes a utilizar a ferramenta Canva e, assim, todos os seus recursos visuais e de áudio gratuitos; -Promover e fomentar o trabalho colaborativo.

Conteúdos

A utilização do canva para: - criar templates,, - slides, - vídeos; - imagens; - planos de aulas e mapas mentais.

Metodologias

A ação formativa decorrerá online por videoconferência, utilizando a exposição de conteúdos e a realização de atividades práticas, vista à sua implementação em contexto educativo

Avaliação

Frequência obrigatória de 3horas de formação

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e formadora e análise do tratamento estatístico em reunião da secção de formação e monitorização e conselho de diretores deste CFAE.

Bibliografia

Souza, E. (2022). O uso do Canva para promoção de uma avaliação inovadora na Educação Profissional - NOVAS TENDÊNCIAS E PERSPECTIVAS DA EDUCAÇÃO: MÉTODOS E PRÁTICAS 2 https://www.researchgate.net/publication/359706902_O_uso_do_Canva_para_promocao_de_uma_avaliacao_inovadora_na_Educacao_Profissional


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 29-05-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona

Ref. 172Workshop 1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACCC-123345/24

Modalidade: Curso de formação - Colóquios; congressos; simpósios; jornadas ou iniciativas congéneres

Duração: 15.0 horas

Início: 11-05-2024

Fim: 18-05-2024

Regime: Presencial

Local: Centro de Animação Cultural de Mortágua e AE de Mortágua

Formador

Eusébio André Costa Machado

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão /AE de Mortágua (AE anfitrião)/Município de Mortágua

Enquadramento

O Relatório da UNESCO destaca a Inteligência Artificial (IA) generativa como uma das principais inovações, capazes de transformar o processo de ensino, aprendizagem e avaliação, tendo os docentes começado a questionar potencialidades e desafios da mesma. De facto, a capacidade de trabalhar com IA será uma das competências-chave do século XXI, pelo que urge capacitar professores para conhecer e utilizar soluções existentes e emergentes nestas áreas, conducente à inovação pedagógica. Este Colóquio visa ser um espaço de formação/reflexão/partilha de estratégias a utilizar de forma inovadora por lideranças, professores e alunos, proporcionando à diversidade dos alunos atingir as áreas do PASEO, estimulando mais e melhores aprendizagens.

Objetivos

- Refletir sobre conceitos e o estado da arte da Inteligência Artificial (IA) generativa; - Compreender a temática da IA-Generativa no contexto educativo salvaguardando a ética e responsabilidade na sua utilização; - Saber interpretar os desafios, oportunidades e preocupações no campo educativa da IA-Generativa; - Capacitar os docentes para a integração da IA-Generativa na prática pedagógica; - Refletir sobre práticas de ensino, aprendizagem e de avaliação à luz da IA-Generativa na Educação; - Capacitar os docentes a identificar e utilizar ferramentas e plataformas emergentes em IA visando aumentar o empenho e a motivação dos alunos; - Habilitar os docentes a desenvolver competências essenciais de IA nos alunos, incluindo em atividades multidisciplinares.

Conteúdos

Neste Colóquio serão abordados os seguintes conteúdos: ● O Contributo da IA para a Inovação Pedagógica, no ensino, aprendizagem e avaliação; ● Introdução à IA e à IA-Generativa; ● Modelos de IA-Generativa; ● Desafios no ecossistema da IA-Generativa: inteligência, conhecimento e criatividade; ● A IA-Generativa no campo educativo - desafios e oportunidades; ● Aplicações atuais e futuras da IA e ML em contexto escolar; ● Exploração e utilização prática de plataformas e ferramentas de IA e ML.

Metodologias

O Colóquio realizar-se-á em dois sábados de 2024, de acordo com a seguinte estrutura: Primeiro dia 11 de Maio de 2024: Manhã e tarde com conferências e painéis; Segundo dia 18 de Maio de 2024: Manhã com conferências e painéis. Tarde: workshops temáticos. Nas conferências/painéis, serão apresentados e debatidos conteúdos atuais e pertinentes alusivos à temática subjacente ao colóquio, por referências do mundo académico e científico, que partilham o seu elevado know-how e suscitam à reflexão. Os workshops serão dinamizados por académicos e/ou por professores que partilham as suas boas práticas e vivências em contexto escolar. As conferências/painéis realizar-se-ão em Plenário, com a totalidade dos formandos (até 250). XII COLÓQUIO "Inovar na Era da Inteligência Artificial: Desafios e Potencialidades no Ensino, Aprendizagem e Avaliação" 11 de maio de 2024 9.00- Sessão de abertura: Chefe de Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas (DGE), Presidente Município de Mortágua, Diretor do AE de Mortágua, Diretora do CFAE-PB Conferência 1 9.30- A Escola na Era Digital: Capacitação Digital das Escolas Doutora Carla Barros Lourenço (Chefe de Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas-DGE) Moderadora: Diretora do CFAE-PB Pausa para café 10.20- Conferência 2 A Liderança Transformacional: O Papel das Lideranças numa Escola em Mudança Mestre Fernando Elias (Conselho Nacional de Educação) Moderador: Diretor do AE de Mortágua 11.25- Conferência 3 Inteligência Artificial: Desafios e Potencialidades no Ensino, Aprendizagem e Avaliação Professor Doutor Carlos Fiolhais (Universidade de Coimbra) Moderador: Diretora do AE de Santa Comba Dão Almoço 14.00- Conferência 4 O Potencial da Inteligência Artificial em Contexto Educativo: Medos ou Desafios? Mestre Marco Bento (Escola Superior de Educação de Coimbra) Moderadora: Diretora do AE de Tondela Cândido de Figueiredo Pausa para café 15.45- Painel 1 IA: Da Inovação Pedagógica às Questões Éticas e de Cibersegurança IA: Ferramentas, Cibersegurança e Impacto no Processo Ensino e Aprendizagem Doutor David Oliveira (Escola Superior de Educação de Viseu) Metodologias Ativas com Inteligência Artificial Doutor Nuno Bastos (Instituto Politécnico de Viseu) IA na Educação: Recomendações e Questões Éticas Doutora Helena Gomes (Escola Superior de Educação de Viseu) Moderador: Diretor do AE de Tondela Tomaz Ribeiro 18 de maio de 2024 9.00- Conferência 5 Pode a Inteligência Artificial Contribuir para uma Avaliação ao Serviço das Aprendizagens? Doutor Eusébio André Machado (Coordenador Nacional do Projeto MAIA da Direção-Geral da Educação) Moderadora: Diretora do AE de Carregal do Sal Pausa para café 10.40- Painel 2 Práticas Inspiradoras: Ensinar, Aprender e Avaliar Inteligência Artificial na Educação: Desafios, Oportunidades e Preocupações Mestre Marco Neves (Agrupamento de Escolas da Batalha) Já se Questionaram o que Acontece quando os Robôs entram na Sala de Aula? Mestrando Paulo Torcato (Agrupamento de Escolas de Portela e Moscavide) STEM & STEAM: Práticas Inspiradoras Doutor Fábio Ribeiro (Coordenador da Academi@STEM Mangualde) Moderadora: Diretora do CFAE-PB Almoço 14.00-18.00- Workshops W1: Construção de percursos de ensino, aprendizagem e avaliação com suporte na Inteligência Artificial: operacionalização didática da avaliação pedagógica ( Doutor Eusébio André Costa Machado) W2: O Digital como Fator de Inclusão (Mestre Rui Manuel Neves de Campos Fernandes, Mestre André Alexandre Campos de Sousa Baptista Pereira e Mestranda Maria Clara da Rosa Cristino- CANTIC) W3: Uma (pequena) História? A Inteligência Artificial na Educação (Mestre Marco António Brás Neves) W4: Inteligência Artificial: Plataformas Potenciadoras do Ensino, Aprendizagem e Avaliação (Doutor Ricardo Jorge Ribeiro dos Santos) W5: Inteligência Artificial, Programação e Robótica em Contexto Interdisciplinar (Mestrando Paulo Jorge Nogueira Torcato) W6: IA, Tecnologia e Artes: Amplificando a Educação Artística (Doutoranda Bárbara Gaspar Cleto e Doutorando Alexandre David Cerqueira Torres) W7: Estimular o Ensino STEM com Recurso a Robôs da LEGO (Dr. Paulo Manuel da Silva Salvado Sanches) W8: Inteligência Artificial no Ensino, Aprendizagem e Avaliação das Línguas (Doutora Adelina Maria Carreiro Moura) W9: Programação e robótica para o 1º ciclo e pré-escolar (Mestre Raquel Cristina Pereira Costa e Mestre Paulo Alexandre Cunha Gomes) Sob o ponto de vista dos formandos, e de forma a garantir o número de horas necessárias para a acreditação (15 horas), frequentarão: - As sessões plenárias (Conferências) num total de 11 horas de formação. - Os Workshops num total de 4 horas de formação, focar-se-ão em subtemáticas complementares, de caráter predominantemente prático e colaborativo, decorrerão em simultâneo, em salas, com um número reduzido de formandos (máximo 30). NOTA: OS FORMANDOS INSCREVEM-SE APENAS NUM DOS WORKSOPS. Caso se tenham inscrito em mais do que um workshop, solicito que façam a escolha, ou seja, mantenham a inscrição no que mais gostam. e anulem as inscrições nos outros.

Avaliação

A avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10, de acordo com o ECD, Regime Jurídico da Formação Contínua e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC; O instrumento de avaliação utilizado será uma reflexão individual com número limitado de carateres; A reflexão individual, deverá contemplar uma visão global e reflexiva do Colóquio, focalizando-se, numa segunda fase, nos workshops frequentados. Deverão ser anexados os trabalhos produzidos nos workshops; A avaliação dos formandos focaliza-se na qualidade da reflexão evidenciada na elaboração do Relatório Individual (grau de clareza, postura crítica, grau de profundidade, rigor científico, pertinência, expressão escrita) – 100%; O referencial da escala de avaliação é o previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD, aprovado pelo DL nº 75/2010, de 23 de Junho: Menção qualitativa e menção quantitativa: Excelente - entre 9 e 10 valores Muito Bom - entre 8 e 8,9 valores Bom - entre 6,5 e 7,9 valores Regular - entre 5,0 e 6,4 valores Insuficiente - entre 1,0 e 4,9 valores No primeiro dia, na sessão plenária, haverá um espaço de apresentação do processo de avaliação dos formandos e sua participação na avaliação do Colóquio.

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e análise do tratamento estatístico em reunião da secção de formação e monitorização e conselho de diretores deste CFAE.

Bibliografia

Stephen Wolfram, “O que faz o ChatGPT e como funciona”, Casa das Letras, 2023 Lino Oliveira e Mário Pinto, “A Inteligência Artificial na Educação – Ameaças e Oportunidades para o processo de ensino-aprendizagem”, Seminário organizado pela Licenciatura em Tecnologias e Sistemas de Informação para a Web (LTSIW) do Departamento de Informática da Escola Superior de Media Artes e Design, Instituto Politécnico do Porto, 18 Abril 2023, relatório de conteúdos disponível em https://recipp.ipp.pt/bitstream/10400.22/22779/1/LIV_LinoOliveira_2023.pdf Cláudia Meirinhos, “Práticas Educativas de Inteligência Artificial no 1º Ciclo do Ensino Básico”, Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação de Bragança para obtenção do Grau de Mestre em TIC na Educação e Formação, Instituto Politécnico de Bragança, 2022, disponível em https://bibliotecadigital.ipb.pt/bitstream/10198/26344/1/Cl%C3%A1udia%20Sofia%20Oliveira%20Macedo%20Meirinhos.pdf Martin Ford, “O Futuro da Inteligência Artificial”, Bertrand, 2022 Chen Qiufan e Kai-Fu Lee, “Inteligência Artificial 2041”, Relógio D’Água, 2023 Neves, Marco, Wayne Holmes, "Inteligência Artificial na Educação": Oportunidades e Preocupações", no livro "Pensamento Computacional, Robótica e Inteligência Artificial" publicado pela Universidade do Maranhão - Brasil EDUFMA.


Observações

W1- Construção de Percursos de Ensino, Aprendizagem e Avaliação com Suporte na Inteligência Artificial: Operacionalização Didática da Avaliação Pedagógica

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-05-2024 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 172Workshop 2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACCC-123345/24

Modalidade: Curso de formação - Colóquios; congressos; simpósios; jornadas ou iniciativas congéneres

Duração: 15.0 horas

Início: 11-05-2024

Fim: 18-05-2024

Regime: Presencial

Local: Centro de Animação Cultural de Mortágua e AE de Mortágua

Formador

Rui Manuel Neves de Campos Fernandes

André Alexandre Campos de Sousa Baptista Pereira

Maria Clara da Rosa Cristino

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão /AE de Mortágua (AE anfitrião)/Município de Mortágua

Enquadramento

O Relatório da UNESCO destaca a Inteligência Artificial (IA) generativa como uma das principais inovações, capazes de transformar o processo de ensino, aprendizagem e avaliação, tendo os docentes começado a questionar potencialidades e desafios da mesma. De facto, a capacidade de trabalhar com IA será uma das competências-chave do século XXI, pelo que urge capacitar professores para conhecer e utilizar soluções existentes e emergentes nestas áreas, conducente à inovação pedagógica. Este Colóquio visa ser um espaço de formação/reflexão/partilha de estratégias a utilizar de forma inovadora por lideranças, professores e alunos, proporcionando à diversidade dos alunos atingir as áreas do PASEO, estimulando mais e melhores aprendizagens.

Objetivos

- Refletir sobre conceitos e o estado da arte da Inteligência Artificial (IA) generativa; - Compreender a temática da IA-Generativa no contexto educativo salvaguardando a ética e responsabilidade na sua utilização; - Saber interpretar os desafios, oportunidades e preocupações no campo educativa da IA-Generativa; - Capacitar os docentes para a integração da IA-Generativa na prática pedagógica; - Refletir sobre práticas de ensino, aprendizagem e de avaliação à luz da IA-Generativa na Educação; - Capacitar os docentes a identificar e utilizar ferramentas e plataformas emergentes em IA visando aumentar o empenho e a motivação dos alunos; - Habilitar os docentes a desenvolver competências essenciais de IA nos alunos, incluindo em atividades multidisciplinares.

Conteúdos

Neste Colóquio serão abordados os seguintes conteúdos: ● O Contributo da IA para a Inovação Pedagógica, no ensino, aprendizagem e avaliação; ● Introdução à IA e à IA-Generativa; ● Modelos de IA-Generativa; ● Desafios no ecossistema da IA-Generativa: inteligência, conhecimento e criatividade; ● A IA-Generativa no campo educativo - desafios e oportunidades; ● Aplicações atuais e futuras da IA e ML em contexto escolar; ● Exploração e utilização prática de plataformas e ferramentas de IA e ML.

Metodologias

O Colóquio realizar-se-á em dois sábados de 2024, de acordo com a seguinte estrutura: Primeiro dia 11 de Maio de 2024: Manhã e tarde com conferências e painéis; Segundo dia 18 de Maio de 2024: Manhã com conferências e painéis. Tarde: workshops temáticos. Nas conferências/painéis, serão apresentados e debatidos conteúdos atuais e pertinentes alusivos à temática subjacente ao colóquio, por referências do mundo académico e científico, que partilham o seu elevado know-how e suscitam à reflexão. Os workshops serão dinamizados por académicos e/ou por professores que partilham as suas boas práticas e vivências em contexto escolar. As conferências/painéis realizar-se-ão em Plenário, com a totalidade dos formandos (até 250). XII COLÓQUIO "Inovar na Era da Inteligência Artificial: Desafios e Potencialidades no Ensino, Aprendizagem e Avaliação" 11 de maio de 2024 9.00- Sessão de abertura: Chefe de Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas (DGE), Presidente Município de Mortágua, Diretor do AE de Mortágua, Diretora do CFAE-PB Conferência 1 9.30- A Escola na Era Digital: Capacitação Digital das Escolas Doutora Carla Barros Lourenço (Chefe de Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas-DGE) Moderadora: Diretora do CFAE-PB Pausa para café 10.20- Conferência 2 A Liderança Transformacional: O Papel das Lideranças numa Escola em Mudança Mestre Fernando Elias (Conselho Nacional de Educação) Moderador: Diretor do AE de Mortágua 11.25- Conferência 3 Inteligência Artificial: Desafios e Potencialidades no Ensino, Aprendizagem e Avaliação Professor Doutor Carlos Fiolhais (Universidade de Coimbra) Moderador: Diretora do AE de Santa Comba Dão Almoço 14.00- Conferência 4 O Potencial da Inteligência Artificial em Contexto Educativo: Medos ou Desafios? Mestre Marco Bento (Escola Superior de Educação de Coimbra) Moderadora: Diretora do AE de Tondela Cândido de Figueiredo Pausa para café 15.45- Painel 1 IA: Da Inovação Pedagógica às Questões Éticas e de Cibersegurança IA: Ferramentas, Cibersegurança e Impacto no Processo Ensino e Aprendizagem Doutor David Oliveira (Escola Superior de Educação de Viseu) Metodologias Ativas com Inteligência Artificial Doutor Nuno Bastos (Instituto Politécnico de Viseu) IA na Educação: Recomendações e Questões Éticas Doutora Helena Gomes (Escola Superior de Educação de Viseu) Moderador: Diretor do AE de Tondela Tomaz Ribeiro 18 de maio de 2024 9.00- Conferência 5 Pode a Inteligência Artificial Contribuir para uma Avaliação ao Serviço das Aprendizagens? Doutor Eusébio André Machado (Coordenador Nacional do Projeto MAIA da Direção-Geral da Educação) Moderadora: Diretora do AE de Carregal do Sal Pausa para café 10.40- Painel 2 Práticas Inspiradoras: Ensinar, Aprender e Avaliar Inteligência Artificial na Educação: Desafios, Oportunidades e Preocupações Mestre Marco Neves (Agrupamento de Escolas da Batalha) Já se Questionaram o que Acontece quando os Robôs entram na Sala de Aula? Mestrando Paulo Torcato (Agrupamento de Escolas de Portela e Moscavide) STEM & STEAM: Práticas Inspiradoras Doutor Fábio Ribeiro (Coordenador da Academi@STEM Mangualde) Moderadora: Diretora do CFAE-PB Almoço 14.00-18.00- Workshops W1: Construção de percursos de ensino, aprendizagem e avaliação com suporte na Inteligência Artificial: operacionalização didática da avaliação pedagógica ( Doutor Eusébio André Costa Machado) W2: O Digital como Fator de Inclusão (Mestre Rui Manuel Neves de Campos Fernandes, Mestre André Alexandre Campos de Sousa Baptista Pereira e Mestranda Maria Clara da Rosa Cristino- CANTIC) W3: Uma (pequena) História? A Inteligência Artificial na Educação (Mestre Marco António Brás Neves) W4: Inteligência Artificial: Plataformas Potenciadoras do Ensino, Aprendizagem e Avaliação (Doutor Ricardo Jorge Ribeiro dos Santos) W5: Inteligência Artificial, Programação e Robótica em Contexto Interdisciplinar (Mestrando Paulo Jorge Nogueira Torcato) W6: IA, Tecnologia e Artes: Amplificando a Educação Artística (Doutoranda Bárbara Gaspar Cleto e Doutorando Alexandre David Cerqueira Torres) W7: Estimular o Ensino STEM com Recurso a Robôs da LEGO (Dr. Paulo Manuel da Silva Salvado Sanches) W8: Inteligência Artificial no Ensino, Aprendizagem e Avaliação das Línguas (Doutora Adelina Maria Carreiro Moura) W9: Programação e robótica para o 1º ciclo e pré-escolar (Mestre Raquel Cristina Pereira Costa e Mestre Paulo Alexandre Cunha Gomes) Sob o ponto de vista dos formandos, e de forma a garantir o número de horas necessárias para a acreditação (15 horas), frequentarão: - As sessões plenárias (Conferências) num total de 11 horas de formação. - Os Workshops num total de 4 horas de formação, focar-se-ão em subtemáticas complementares, de caráter predominantemente prático e colaborativo, decorrerão em simultâneo, em salas, com um número reduzido de formandos (máximo 30). NOTA: OS FORMANDOS INSCREVEM-SE APENAS NUM DOS WORKSOPS. Caso se tenham inscrito em mais do que um workshop, solicito que façam a escolha, ou seja, mantenham a inscrição no que mais gostam. e anulem as inscrições nos outros.

Avaliação

A avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10, de acordo com o ECD, Regime Jurídico da Formação Contínua e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC; O instrumento de avaliação utilizado será uma reflexão individual com número limitado de carateres; A reflexão individual, deverá contemplar uma visão global e reflexiva do Colóquio, focalizando-se, numa segunda fase, nos workshops frequentados. Deverão ser anexados os trabalhos produzidos nos workshops; A avaliação dos formandos focaliza-se na qualidade da reflexão evidenciada na elaboração do Relatório Individual (grau de clareza, postura crítica, grau de profundidade, rigor científico, pertinência, expressão escrita) – 100%; O referencial da escala de avaliação é o previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD, aprovado pelo DL nº 75/2010, de 23 de Junho: Menção qualitativa e menção quantitativa: Excelente - entre 9 e 10 valores Muito Bom - entre 8 e 8,9 valores Bom - entre 6,5 e 7,9 valores Regular - entre 5,0 e 6,4 valores Insuficiente - entre 1,0 e 4,9 valores No primeiro dia, na sessão plenária, haverá um espaço de apresentação do processo de avaliação dos formandos e sua participação na avaliação do Colóquio.

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e análise do tratamento estatístico em reunião da secção de formação e monitorização e conselho de diretores deste CFAE.

Bibliografia

Stephen Wolfram, “O que faz o ChatGPT e como funciona”, Casa das Letras, 2023 Lino Oliveira e Mário Pinto, “A Inteligência Artificial na Educação – Ameaças e Oportunidades para o processo de ensino-aprendizagem”, Seminário organizado pela Licenciatura em Tecnologias e Sistemas de Informação para a Web (LTSIW) do Departamento de Informática da Escola Superior de Media Artes e Design, Instituto Politécnico do Porto, 18 Abril 2023, relatório de conteúdos disponível em https://recipp.ipp.pt/bitstream/10400.22/22779/1/LIV_LinoOliveira_2023.pdf Cláudia Meirinhos, “Práticas Educativas de Inteligência Artificial no 1º Ciclo do Ensino Básico”, Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação de Bragança para obtenção do Grau de Mestre em TIC na Educação e Formação, Instituto Politécnico de Bragança, 2022, disponível em https://bibliotecadigital.ipb.pt/bitstream/10198/26344/1/Cl%C3%A1udia%20Sofia%20Oliveira%20Macedo%20Meirinhos.pdf Martin Ford, “O Futuro da Inteligência Artificial”, Bertrand, 2022 Chen Qiufan e Kai-Fu Lee, “Inteligência Artificial 2041”, Relógio D’Água, 2023 Neves, Marco, Wayne Holmes, "Inteligência Artificial na Educação": Oportunidades e Preocupações", no livro "Pensamento Computacional, Robótica e Inteligência Artificial" publicado pela Universidade do Maranhão - Brasil EDUFMA.


Observações

W2- O Digital como Fator de Inclusão

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-05-2024 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 172Workshop 3 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACCC-123345/24

Modalidade: Curso de formação - Colóquios; congressos; simpósios; jornadas ou iniciativas congéneres

Duração: 15.0 horas

Início: 11-05-2024

Fim: 18-05-2024

Regime: Presencial

Local: Centro de Animação Cultural de Mortágua e AE de Mortágua

Formador

Marco António Brás Neves

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão /AE de Mortágua (AE anfitrião)/Município de Mortágua

Enquadramento

O Relatório da UNESCO destaca a Inteligência Artificial (IA) generativa como uma das principais inovações, capazes de transformar o processo de ensino, aprendizagem e avaliação, tendo os docentes começado a questionar potencialidades e desafios da mesma. De facto, a capacidade de trabalhar com IA será uma das competências-chave do século XXI, pelo que urge capacitar professores para conhecer e utilizar soluções existentes e emergentes nestas áreas, conducente à inovação pedagógica. Este Colóquio visa ser um espaço de formação/reflexão/partilha de estratégias a utilizar de forma inovadora por lideranças, professores e alunos, proporcionando à diversidade dos alunos atingir as áreas do PASEO, estimulando mais e melhores aprendizagens.

Objetivos

- Refletir sobre conceitos e o estado da arte da Inteligência Artificial (IA) generativa; - Compreender a temática da IA-Generativa no contexto educativo salvaguardando a ética e responsabilidade na sua utilização; - Saber interpretar os desafios, oportunidades e preocupações no campo educativa da IA-Generativa; - Capacitar os docentes para a integração da IA-Generativa na prática pedagógica; - Refletir sobre práticas de ensino, aprendizagem e de avaliação à luz da IA-Generativa na Educação; - Capacitar os docentes a identificar e utilizar ferramentas e plataformas emergentes em IA visando aumentar o empenho e a motivação dos alunos; - Habilitar os docentes a desenvolver competências essenciais de IA nos alunos, incluindo em atividades multidisciplinares.

Conteúdos

Neste Colóquio serão abordados os seguintes conteúdos: ● O Contributo da IA para a Inovação Pedagógica, no ensino, aprendizagem e avaliação; ● Introdução à IA e à IA-Generativa; ● Modelos de IA-Generativa; ● Desafios no ecossistema da IA-Generativa: inteligência, conhecimento e criatividade; ● A IA-Generativa no campo educativo - desafios e oportunidades; ● Aplicações atuais e futuras da IA e ML em contexto escolar; ● Exploração e utilização prática de plataformas e ferramentas de IA e ML.

Metodologias

O Colóquio realizar-se-á em dois sábados de 2024, de acordo com a seguinte estrutura: Primeiro dia 11 de Maio de 2024: Manhã e tarde com conferências e painéis; Segundo dia 18 de Maio de 2024: Manhã com conferências e painéis. Tarde: workshops temáticos. Nas conferências/painéis, serão apresentados e debatidos conteúdos atuais e pertinentes alusivos à temática subjacente ao colóquio, por referências do mundo académico e científico, que partilham o seu elevado know-how e suscitam à reflexão. Os workshops serão dinamizados por académicos e/ou por professores que partilham as suas boas práticas e vivências em contexto escolar. As conferências/painéis realizar-se-ão em Plenário, com a totalidade dos formandos (até 250). XII COLÓQUIO "Inovar na Era da Inteligência Artificial: Desafios e Potencialidades no Ensino, Aprendizagem e Avaliação" 11 de maio de 2024 9.00- Sessão de abertura: Chefe de Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas (DGE), Presidente Município de Mortágua, Diretor do AE de Mortágua, Diretora do CFAE-PB Conferência 1 9.30- A Escola na Era Digital: Capacitação Digital das Escolas Doutora Carla Barros Lourenço (Chefe de Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas-DGE) Moderadora: Diretora do CFAE-PB Pausa para café 10.20- Conferência 2 A Liderança Transformacional: O Papel das Lideranças numa Escola em Mudança Mestre Fernando Elias (Conselho Nacional de Educação) Moderador: Diretor do AE de Mortágua 11.25- Conferência 3 Inteligência Artificial: Desafios e Potencialidades no Ensino, Aprendizagem e Avaliação Professor Doutor Carlos Fiolhais (Universidade de Coimbra) Moderador: Diretora do AE de Santa Comba Dão Almoço 14.00- Conferência 4 O Potencial da Inteligência Artificial em Contexto Educativo: Medos ou Desafios? Mestre Marco Bento (Escola Superior de Educação de Coimbra) Moderadora: Diretora do AE de Tondela Cândido de Figueiredo Pausa para café 15.45- Painel 1 IA: Da Inovação Pedagógica às Questões Éticas e de Cibersegurança IA: Ferramentas, Cibersegurança e Impacto no Processo Ensino e Aprendizagem Doutor David Oliveira (Escola Superior de Educação de Viseu) Metodologias Ativas com Inteligência Artificial Doutor Nuno Bastos (Instituto Politécnico de Viseu) IA na Educação: Recomendações e Questões Éticas Doutora Helena Gomes (Escola Superior de Educação de Viseu) Moderador: Diretor do AE de Tondela Tomaz Ribeiro 18 de maio de 2024 9.00- Conferência 5 Pode a Inteligência Artificial Contribuir para uma Avaliação ao Serviço das Aprendizagens? Doutor Eusébio André Machado (Coordenador Nacional do Projeto MAIA da Direção-Geral da Educação) Moderadora: Diretora do AE de Carregal do Sal Pausa para café 10.40- Painel 2 Práticas Inspiradoras: Ensinar, Aprender e Avaliar Inteligência Artificial na Educação: Desafios, Oportunidades e Preocupações Mestre Marco Neves (Agrupamento de Escolas da Batalha) Já se Questionaram o que Acontece quando os Robôs entram na Sala de Aula? Mestrando Paulo Torcato (Agrupamento de Escolas de Portela e Moscavide) STEM & STEAM: Práticas Inspiradoras Doutor Fábio Ribeiro (Coordenador da Academi@STEM Mangualde) Moderadora: Diretora do CFAE-PB Almoço 14.00-18.00- Workshops W1: Construção de percursos de ensino, aprendizagem e avaliação com suporte na Inteligência Artificial: operacionalização didática da avaliação pedagógica ( Doutor Eusébio André Costa Machado) W2: O Digital como Fator de Inclusão (Mestre Rui Manuel Neves de Campos Fernandes, Mestre André Alexandre Campos de Sousa Baptista Pereira e Mestranda Maria Clara da Rosa Cristino- CANTIC) W3: Uma (pequena) História? A Inteligência Artificial na Educação (Mestre Marco António Brás Neves) W4: Inteligência Artificial: Plataformas Potenciadoras do Ensino, Aprendizagem e Avaliação (Doutor Ricardo Jorge Ribeiro dos Santos) W5: Inteligência Artificial, Programação e Robótica em Contexto Interdisciplinar (Mestrando Paulo Jorge Nogueira Torcato) W6: IA, Tecnologia e Artes: Amplificando a Educação Artística (Doutoranda Bárbara Gaspar Cleto e Doutorando Alexandre David Cerqueira Torres) W7: Estimular o Ensino STEM com Recurso a Robôs da LEGO (Dr. Paulo Manuel da Silva Salvado Sanches) W8: Inteligência Artificial no Ensino, Aprendizagem e Avaliação das Línguas (Doutora Adelina Maria Carreiro Moura) W9: Programação e robótica para o 1º ciclo e pré-escolar (Mestre Raquel Cristina Pereira Costa e Mestre Paulo Alexandre Cunha Gomes) Sob o ponto de vista dos formandos, e de forma a garantir o número de horas necessárias para a acreditação (15 horas), frequentarão: - As sessões plenárias (Conferências) num total de 11 horas de formação. - Os Workshops num total de 4 horas de formação, focar-se-ão em subtemáticas complementares, de caráter predominantemente prático e colaborativo, decorrerão em simultâneo, em salas, com um número reduzido de formandos (máximo 30). NOTA: OS FORMANDOS INSCREVEM-SE APENAS NUM DOS WORKSOPS. Caso se tenham inscrito em mais do que um workshop, solicito que façam a escolha, ou seja, mantenham a inscrição no que mais gostam. e anulem as inscrições nos outros.

Avaliação

A avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10, de acordo com o ECD, Regime Jurídico da Formação Contínua e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC; O instrumento de avaliação utilizado será uma reflexão individual com número limitado de carateres; A reflexão individual, deverá contemplar uma visão global e reflexiva do Colóquio, focalizando-se, numa segunda fase, nos workshops frequentados. Deverão ser anexados os trabalhos produzidos nos workshops; A avaliação dos formandos focaliza-se na qualidade da reflexão evidenciada na elaboração do Relatório Individual (grau de clareza, postura crítica, grau de profundidade, rigor científico, pertinência, expressão escrita) – 100%; O referencial da escala de avaliação é o previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD, aprovado pelo DL nº 75/2010, de 23 de Junho: Menção qualitativa e menção quantitativa: Excelente - entre 9 e 10 valores Muito Bom - entre 8 e 8,9 valores Bom - entre 6,5 e 7,9 valores Regular - entre 5,0 e 6,4 valores Insuficiente - entre 1,0 e 4,9 valores No primeiro dia, na sessão plenária, haverá um espaço de apresentação do processo de avaliação dos formandos e sua participação na avaliação do Colóquio.

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e análise do tratamento estatístico em reunião da secção de formação e monitorização e conselho de diretores deste CFAE.

Bibliografia

Stephen Wolfram, “O que faz o ChatGPT e como funciona”, Casa das Letras, 2023 Lino Oliveira e Mário Pinto, “A Inteligência Artificial na Educação – Ameaças e Oportunidades para o processo de ensino-aprendizagem”, Seminário organizado pela Licenciatura em Tecnologias e Sistemas de Informação para a Web (LTSIW) do Departamento de Informática da Escola Superior de Media Artes e Design, Instituto Politécnico do Porto, 18 Abril 2023, relatório de conteúdos disponível em https://recipp.ipp.pt/bitstream/10400.22/22779/1/LIV_LinoOliveira_2023.pdf Cláudia Meirinhos, “Práticas Educativas de Inteligência Artificial no 1º Ciclo do Ensino Básico”, Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação de Bragança para obtenção do Grau de Mestre em TIC na Educação e Formação, Instituto Politécnico de Bragança, 2022, disponível em https://bibliotecadigital.ipb.pt/bitstream/10198/26344/1/Cl%C3%A1udia%20Sofia%20Oliveira%20Macedo%20Meirinhos.pdf Martin Ford, “O Futuro da Inteligência Artificial”, Bertrand, 2022 Chen Qiufan e Kai-Fu Lee, “Inteligência Artificial 2041”, Relógio D’Água, 2023 Neves, Marco, Wayne Holmes, "Inteligência Artificial na Educação": Oportunidades e Preocupações", no livro "Pensamento Computacional, Robótica e Inteligência Artificial" publicado pela Universidade do Maranhão - Brasil EDUFMA.


Observações

W3- Uma (pequena) História? A Inteligência Artificial na Educação

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-05-2024 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 172Workshop 4 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACCC-123345/24

Modalidade: Curso de formação - Colóquios; congressos; simpósios; jornadas ou iniciativas congéneres

Duração: 15.0 horas

Início: 11-05-2024

Fim: 18-05-2024

Regime: Presencial

Local: Centro de Animação Cultural de Mortágua e AE de Mortágua

Formador

Ricardo Jorge Ribeiro dos Santos

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão /AE de Mortágua (AE anfitrião)/Município de Mortágua

Enquadramento

O Relatório da UNESCO destaca a Inteligência Artificial (IA) generativa como uma das principais inovações, capazes de transformar o processo de ensino, aprendizagem e avaliação, tendo os docentes começado a questionar potencialidades e desafios da mesma. De facto, a capacidade de trabalhar com IA será uma das competências-chave do século XXI, pelo que urge capacitar professores para conhecer e utilizar soluções existentes e emergentes nestas áreas, conducente à inovação pedagógica. Este Colóquio visa ser um espaço de formação/reflexão/partilha de estratégias a utilizar de forma inovadora por lideranças, professores e alunos, proporcionando à diversidade dos alunos atingir as áreas do PASEO, estimulando mais e melhores aprendizagens.

Objetivos

- Refletir sobre conceitos e o estado da arte da Inteligência Artificial (IA) generativa; - Compreender a temática da IA-Generativa no contexto educativo salvaguardando a ética e responsabilidade na sua utilização; - Saber interpretar os desafios, oportunidades e preocupações no campo educativa da IA-Generativa; - Capacitar os docentes para a integração da IA-Generativa na prática pedagógica; - Refletir sobre práticas de ensino, aprendizagem e de avaliação à luz da IA-Generativa na Educação; - Capacitar os docentes a identificar e utilizar ferramentas e plataformas emergentes em IA visando aumentar o empenho e a motivação dos alunos; - Habilitar os docentes a desenvolver competências essenciais de IA nos alunos, incluindo em atividades multidisciplinares.

Conteúdos

Neste Colóquio serão abordados os seguintes conteúdos: ● O Contributo da IA para a Inovação Pedagógica, no ensino, aprendizagem e avaliação; ● Introdução à IA e à IA-Generativa; ● Modelos de IA-Generativa; ● Desafios no ecossistema da IA-Generativa: inteligência, conhecimento e criatividade; ● A IA-Generativa no campo educativo - desafios e oportunidades; ● Aplicações atuais e futuras da IA e ML em contexto escolar; ● Exploração e utilização prática de plataformas e ferramentas de IA e ML.

Metodologias

O Colóquio realizar-se-á em dois sábados de 2024, de acordo com a seguinte estrutura: Primeiro dia 11 de Maio de 2024: Manhã e tarde com conferências e painéis; Segundo dia 18 de Maio de 2024: Manhã com conferências e painéis. Tarde: workshops temáticos. Nas conferências/painéis, serão apresentados e debatidos conteúdos atuais e pertinentes alusivos à temática subjacente ao colóquio, por referências do mundo académico e científico, que partilham o seu elevado know-how e suscitam à reflexão. Os workshops serão dinamizados por académicos e/ou por professores que partilham as suas boas práticas e vivências em contexto escolar. As conferências/painéis realizar-se-ão em Plenário, com a totalidade dos formandos (até 250). XII COLÓQUIO "Inovar na Era da Inteligência Artificial: Desafios e Potencialidades no Ensino, Aprendizagem e Avaliação" 11 de maio de 2024 9.00- Sessão de abertura: Chefe de Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas (DGE), Presidente Município de Mortágua, Diretor do AE de Mortágua, Diretora do CFAE-PB Conferência 1 9.30- A Escola na Era Digital: Capacitação Digital das Escolas Doutora Carla Barros Lourenço (Chefe de Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas-DGE) Moderadora: Diretora do CFAE-PB Pausa para café 10.20- Conferência 2 A Liderança Transformacional: O Papel das Lideranças numa Escola em Mudança Mestre Fernando Elias (Conselho Nacional de Educação) Moderador: Diretor do AE de Mortágua 11.25- Conferência 3 Inteligência Artificial: Desafios e Potencialidades no Ensino, Aprendizagem e Avaliação Professor Doutor Carlos Fiolhais (Universidade de Coimbra) Moderador: Diretora do AE de Santa Comba Dão Almoço 14.00- Conferência 4 O Potencial da Inteligência Artificial em Contexto Educativo: Medos ou Desafios? Mestre Marco Bento (Escola Superior de Educação de Coimbra) Moderadora: Diretora do AE de Tondela Cândido de Figueiredo Pausa para café 15.45- Painel 1 IA: Da Inovação Pedagógica às Questões Éticas e de Cibersegurança IA: Ferramentas, Cibersegurança e Impacto no Processo Ensino e Aprendizagem Doutor David Oliveira (Escola Superior de Educação de Viseu) Metodologias Ativas com Inteligência Artificial Doutor Nuno Bastos (Instituto Politécnico de Viseu) IA na Educação: Recomendações e Questões Éticas Doutora Helena Gomes (Escola Superior de Educação de Viseu) Moderador: Diretor do AE de Tondela Tomaz Ribeiro 18 de maio de 2024 9.00- Conferência 5 Pode a Inteligência Artificial Contribuir para uma Avaliação ao Serviço das Aprendizagens? Doutor Eusébio André Machado (Coordenador Nacional do Projeto MAIA da Direção-Geral da Educação) Moderadora: Diretora do AE de Carregal do Sal Pausa para café 10.40- Painel 2 Práticas Inspiradoras: Ensinar, Aprender e Avaliar Inteligência Artificial na Educação: Desafios, Oportunidades e Preocupações Mestre Marco Neves (Agrupamento de Escolas da Batalha) Já se Questionaram o que Acontece quando os Robôs entram na Sala de Aula? Mestrando Paulo Torcato (Agrupamento de Escolas de Portela e Moscavide) STEM & STEAM: Práticas Inspiradoras Doutor Fábio Ribeiro (Coordenador da Academi@STEM Mangualde) Moderadora: Diretora do CFAE-PB Almoço 14.00-18.00- Workshops W1: Construção de percursos de ensino, aprendizagem e avaliação com suporte na Inteligência Artificial: operacionalização didática da avaliação pedagógica ( Doutor Eusébio André Costa Machado) W2: O Digital como Fator de Inclusão (Mestre Rui Manuel Neves de Campos Fernandes, Mestre André Alexandre Campos de Sousa Baptista Pereira e Mestranda Maria Clara da Rosa Cristino- CANTIC) W3: Uma (pequena) História? A Inteligência Artificial na Educação (Mestre Marco António Brás Neves) W4: Inteligência Artificial: Plataformas Potenciadoras do Ensino, Aprendizagem e Avaliação (Doutor Ricardo Jorge Ribeiro dos Santos) W5: Inteligência Artificial, Programação e Robótica em Contexto Interdisciplinar (Mestrando Paulo Jorge Nogueira Torcato) W6: IA, Tecnologia e Artes: Amplificando a Educação Artística (Doutoranda Bárbara Gaspar Cleto e Doutorando Alexandre David Cerqueira Torres) W7: Estimular o Ensino STEM com Recurso a Robôs da LEGO (Dr. Paulo Manuel da Silva Salvado Sanches) W8: Inteligência Artificial no Ensino, Aprendizagem e Avaliação das Línguas (Doutora Adelina Maria Carreiro Moura) W9: Programação e robótica para o 1º ciclo e pré-escolar (Mestre Raquel Cristina Pereira Costa e Mestre Paulo Alexandre Cunha Gomes) Sob o ponto de vista dos formandos, e de forma a garantir o número de horas necessárias para a acreditação (15 horas), frequentarão: - As sessões plenárias (Conferências) num total de 11 horas de formação. - Os Workshops num total de 4 horas de formação, focar-se-ão em subtemáticas complementares, de caráter predominantemente prático e colaborativo, decorrerão em simultâneo, em salas, com um número reduzido de formandos (máximo 30). NOTA: OS FORMANDOS INSCREVEM-SE APENAS NUM DOS WORKSOPS. Caso se tenham inscrito em mais do que um workshop, solicito que façam a escolha, ou seja, mantenham a inscrição no que mais gostam. e anulem as inscrições nos outros.

Avaliação

A avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10, de acordo com o ECD, Regime Jurídico da Formação Contínua e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC; O instrumento de avaliação utilizado será uma reflexão individual com número limitado de carateres; A reflexão individual, deverá contemplar uma visão global e reflexiva do Colóquio, focalizando-se, numa segunda fase, nos workshops frequentados. Deverão ser anexados os trabalhos produzidos nos workshops; A avaliação dos formandos focaliza-se na qualidade da reflexão evidenciada na elaboração do Relatório Individual (grau de clareza, postura crítica, grau de profundidade, rigor científico, pertinência, expressão escrita) – 100%; O referencial da escala de avaliação é o previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD, aprovado pelo DL nº 75/2010, de 23 de Junho: Menção qualitativa e menção quantitativa: Excelente - entre 9 e 10 valores Muito Bom - entre 8 e 8,9 valores Bom - entre 6,5 e 7,9 valores Regular - entre 5,0 e 6,4 valores Insuficiente - entre 1,0 e 4,9 valores No primeiro dia, na sessão plenária, haverá um espaço de apresentação do processo de avaliação dos formandos e sua participação na avaliação do Colóquio.

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e análise do tratamento estatístico em reunião da secção de formação e monitorização e conselho de diretores deste CFAE.

Bibliografia

Stephen Wolfram, “O que faz o ChatGPT e como funciona”, Casa das Letras, 2023 Lino Oliveira e Mário Pinto, “A Inteligência Artificial na Educação – Ameaças e Oportunidades para o processo de ensino-aprendizagem”, Seminário organizado pela Licenciatura em Tecnologias e Sistemas de Informação para a Web (LTSIW) do Departamento de Informática da Escola Superior de Media Artes e Design, Instituto Politécnico do Porto, 18 Abril 2023, relatório de conteúdos disponível em https://recipp.ipp.pt/bitstream/10400.22/22779/1/LIV_LinoOliveira_2023.pdf Cláudia Meirinhos, “Práticas Educativas de Inteligência Artificial no 1º Ciclo do Ensino Básico”, Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação de Bragança para obtenção do Grau de Mestre em TIC na Educação e Formação, Instituto Politécnico de Bragança, 2022, disponível em https://bibliotecadigital.ipb.pt/bitstream/10198/26344/1/Cl%C3%A1udia%20Sofia%20Oliveira%20Macedo%20Meirinhos.pdf Martin Ford, “O Futuro da Inteligência Artificial”, Bertrand, 2022 Chen Qiufan e Kai-Fu Lee, “Inteligência Artificial 2041”, Relógio D’Água, 2023 Neves, Marco, Wayne Holmes, "Inteligência Artificial na Educação": Oportunidades e Preocupações", no livro "Pensamento Computacional, Robótica e Inteligência Artificial" publicado pela Universidade do Maranhão - Brasil EDUFMA.


Observações

W4- Inteligência Artificial: Plataformas Potenciadoras do Ensino, Aprendizagem e Avaliação

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-05-2024 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 172Workshop 5 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACCC-123345/24

Modalidade: Curso de formação - Colóquios; congressos; simpósios; jornadas ou iniciativas congéneres

Duração: 15.0 horas

Início: 11-05-2024

Fim: 18-05-2024

Regime: Presencial

Local: Centro de Animação Cultural de Mortágua e AE de Mortágua

Formador

Paulo Jorge Nogueira Torcato

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão /AE de Mortágua (AE anfitrião)/Município de Mortágua

Enquadramento

O Relatório da UNESCO destaca a Inteligência Artificial (IA) generativa como uma das principais inovações, capazes de transformar o processo de ensino, aprendizagem e avaliação, tendo os docentes começado a questionar potencialidades e desafios da mesma. De facto, a capacidade de trabalhar com IA será uma das competências-chave do século XXI, pelo que urge capacitar professores para conhecer e utilizar soluções existentes e emergentes nestas áreas, conducente à inovação pedagógica. Este Colóquio visa ser um espaço de formação/reflexão/partilha de estratégias a utilizar de forma inovadora por lideranças, professores e alunos, proporcionando à diversidade dos alunos atingir as áreas do PASEO, estimulando mais e melhores aprendizagens.

Objetivos

- Refletir sobre conceitos e o estado da arte da Inteligência Artificial (IA) generativa; - Compreender a temática da IA-Generativa no contexto educativo salvaguardando a ética e responsabilidade na sua utilização; - Saber interpretar os desafios, oportunidades e preocupações no campo educativa da IA-Generativa; - Capacitar os docentes para a integração da IA-Generativa na prática pedagógica; - Refletir sobre práticas de ensino, aprendizagem e de avaliação à luz da IA-Generativa na Educação; - Capacitar os docentes a identificar e utilizar ferramentas e plataformas emergentes em IA visando aumentar o empenho e a motivação dos alunos; - Habilitar os docentes a desenvolver competências essenciais de IA nos alunos, incluindo em atividades multidisciplinares.

Conteúdos

Neste Colóquio serão abordados os seguintes conteúdos: ● O Contributo da IA para a Inovação Pedagógica, no ensino, aprendizagem e avaliação; ● Introdução à IA e à IA-Generativa; ● Modelos de IA-Generativa; ● Desafios no ecossistema da IA-Generativa: inteligência, conhecimento e criatividade; ● A IA-Generativa no campo educativo - desafios e oportunidades; ● Aplicações atuais e futuras da IA e ML em contexto escolar; ● Exploração e utilização prática de plataformas e ferramentas de IA e ML.

Metodologias

O Colóquio realizar-se-á em dois sábados de 2024, de acordo com a seguinte estrutura: Primeiro dia 11 de Maio de 2024: Manhã e tarde com conferências e painéis; Segundo dia 18 de Maio de 2024: Manhã com conferências e painéis. Tarde: workshops temáticos. Nas conferências/painéis, serão apresentados e debatidos conteúdos atuais e pertinentes alusivos à temática subjacente ao colóquio, por referências do mundo académico e científico, que partilham o seu elevado know-how e suscitam à reflexão. Os workshops serão dinamizados por académicos e/ou por professores que partilham as suas boas práticas e vivências em contexto escolar. As conferências/painéis realizar-se-ão em Plenário, com a totalidade dos formandos (até 250). XII COLÓQUIO "Inovar na Era da Inteligência Artificial: Desafios e Potencialidades no Ensino, Aprendizagem e Avaliação" 11 de maio de 2024 9.00- Sessão de abertura: Chefe de Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas (DGE), Presidente Município de Mortágua, Diretor do AE de Mortágua, Diretora do CFAE-PB Conferência 1 9.30- A Escola na Era Digital: Capacitação Digital das Escolas Doutora Carla Barros Lourenço (Chefe de Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas-DGE) Moderadora: Diretora do CFAE-PB Pausa para café 10.20- Conferência 2 A Liderança Transformacional: O Papel das Lideranças numa Escola em Mudança Mestre Fernando Elias (Conselho Nacional de Educação) Moderador: Diretor do AE de Mortágua 11.25- Conferência 3 Inteligência Artificial: Desafios e Potencialidades no Ensino, Aprendizagem e Avaliação Professor Doutor Carlos Fiolhais (Universidade de Coimbra) Moderador: Diretora do AE de Santa Comba Dão Almoço 14.00- Conferência 4 O Potencial da Inteligência Artificial em Contexto Educativo: Medos ou Desafios? Mestre Marco Bento (Escola Superior de Educação de Coimbra) Moderadora: Diretora do AE de Tondela Cândido de Figueiredo Pausa para café 15.45- Painel 1 IA: Da Inovação Pedagógica às Questões Éticas e de Cibersegurança IA: Ferramentas, Cibersegurança e Impacto no Processo Ensino e Aprendizagem Doutor David Oliveira (Escola Superior de Educação de Viseu) Metodologias Ativas com Inteligência Artificial Doutor Nuno Bastos (Instituto Politécnico de Viseu) IA na Educação: Recomendações e Questões Éticas Doutora Helena Gomes (Escola Superior de Educação de Viseu) Moderador: Diretor do AE de Tondela Tomaz Ribeiro 18 de maio de 2024 9.00- Conferência 5 Pode a Inteligência Artificial Contribuir para uma Avaliação ao Serviço das Aprendizagens? Doutor Eusébio André Machado (Coordenador Nacional do Projeto MAIA da Direção-Geral da Educação) Moderadora: Diretora do AE de Carregal do Sal Pausa para café 10.40- Painel 2 Práticas Inspiradoras: Ensinar, Aprender e Avaliar Inteligência Artificial na Educação: Desafios, Oportunidades e Preocupações Mestre Marco Neves (Agrupamento de Escolas da Batalha) Já se Questionaram o que Acontece quando os Robôs entram na Sala de Aula? Mestrando Paulo Torcato (Agrupamento de Escolas de Portela e Moscavide) STEM & STEAM: Práticas Inspiradoras Doutor Fábio Ribeiro (Coordenador da Academi@STEM Mangualde) Moderadora: Diretora do CFAE-PB Almoço 14.00-18.00- Workshops W1: Construção de percursos de ensino, aprendizagem e avaliação com suporte na Inteligência Artificial: operacionalização didática da avaliação pedagógica ( Doutor Eusébio André Costa Machado) W2: O Digital como Fator de Inclusão (Mestre Rui Manuel Neves de Campos Fernandes, Mestre André Alexandre Campos de Sousa Baptista Pereira e Mestranda Maria Clara da Rosa Cristino- CANTIC) W3: Uma (pequena) História? A Inteligência Artificial na Educação (Mestre Marco António Brás Neves) W4: Inteligência Artificial: Plataformas Potenciadoras do Ensino, Aprendizagem e Avaliação (Doutor Ricardo Jorge Ribeiro dos Santos) W5: Inteligência Artificial, Programação e Robótica em Contexto Interdisciplinar (Mestrando Paulo Jorge Nogueira Torcato) W6: IA, Tecnologia e Artes: Amplificando a Educação Artística (Doutoranda Bárbara Gaspar Cleto e Doutorando Alexandre David Cerqueira Torres) W7: Estimular o Ensino STEM com Recurso a Robôs da LEGO (Dr. Paulo Manuel da Silva Salvado Sanches) W8: Inteligência Artificial no Ensino, Aprendizagem e Avaliação das Línguas (Doutora Adelina Maria Carreiro Moura) W9: Programação e robótica para o 1º ciclo e pré-escolar (Mestre Raquel Cristina Pereira Costa e Mestre Paulo Alexandre Cunha Gomes) Sob o ponto de vista dos formandos, e de forma a garantir o número de horas necessárias para a acreditação (15 horas), frequentarão: - As sessões plenárias (Conferências) num total de 11 horas de formação. - Os Workshops num total de 4 horas de formação, focar-se-ão em subtemáticas complementares, de caráter predominantemente prático e colaborativo, decorrerão em simultâneo, em salas, com um número reduzido de formandos (máximo 30). NOTA: OS FORMANDOS INSCREVEM-SE APENAS NUM DOS WORKSOPS. Caso se tenham inscrito em mais do que um workshop, solicito que façam a escolha, ou seja, mantenham a inscrição no que mais gostam. e anulem as inscrições nos outros.

Avaliação

A avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10, de acordo com o ECD, Regime Jurídico da Formação Contínua e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC; O instrumento de avaliação utilizado será uma reflexão individual com número limitado de carateres; A reflexão individual, deverá contemplar uma visão global e reflexiva do Colóquio, focalizando-se, numa segunda fase, nos workshops frequentados. Deverão ser anexados os trabalhos produzidos nos workshops; A avaliação dos formandos focaliza-se na qualidade da reflexão evidenciada na elaboração do Relatório Individual (grau de clareza, postura crítica, grau de profundidade, rigor científico, pertinência, expressão escrita) – 100%; O referencial da escala de avaliação é o previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD, aprovado pelo DL nº 75/2010, de 23 de Junho: Menção qualitativa e menção quantitativa: Excelente - entre 9 e 10 valores Muito Bom - entre 8 e 8,9 valores Bom - entre 6,5 e 7,9 valores Regular - entre 5,0 e 6,4 valores Insuficiente - entre 1,0 e 4,9 valores No primeiro dia, na sessão plenária, haverá um espaço de apresentação do processo de avaliação dos formandos e sua participação na avaliação do Colóquio.

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e análise do tratamento estatístico em reunião da secção de formação e monitorização e conselho de diretores deste CFAE.

Bibliografia

Stephen Wolfram, “O que faz o ChatGPT e como funciona”, Casa das Letras, 2023 Lino Oliveira e Mário Pinto, “A Inteligência Artificial na Educação – Ameaças e Oportunidades para o processo de ensino-aprendizagem”, Seminário organizado pela Licenciatura em Tecnologias e Sistemas de Informação para a Web (LTSIW) do Departamento de Informática da Escola Superior de Media Artes e Design, Instituto Politécnico do Porto, 18 Abril 2023, relatório de conteúdos disponível em https://recipp.ipp.pt/bitstream/10400.22/22779/1/LIV_LinoOliveira_2023.pdf Cláudia Meirinhos, “Práticas Educativas de Inteligência Artificial no 1º Ciclo do Ensino Básico”, Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação de Bragança para obtenção do Grau de Mestre em TIC na Educação e Formação, Instituto Politécnico de Bragança, 2022, disponível em https://bibliotecadigital.ipb.pt/bitstream/10198/26344/1/Cl%C3%A1udia%20Sofia%20Oliveira%20Macedo%20Meirinhos.pdf Martin Ford, “O Futuro da Inteligência Artificial”, Bertrand, 2022 Chen Qiufan e Kai-Fu Lee, “Inteligência Artificial 2041”, Relógio D’Água, 2023 Neves, Marco, Wayne Holmes, "Inteligência Artificial na Educação": Oportunidades e Preocupações", no livro "Pensamento Computacional, Robótica e Inteligência Artificial" publicado pela Universidade do Maranhão - Brasil EDUFMA.


Observações

W5- Inteligência Artificial, Programação e Robótica em Contexto Interdisciplinar

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-05-2024 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 172Workshop 6 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACCC-123345/24

Modalidade: Curso de formação - Colóquios; congressos; simpósios; jornadas ou iniciativas congéneres

Duração: 15.0 horas

Início: 11-05-2024

Fim: 18-05-2024

Regime: Presencial

Local: Centro de Animação Cultural de Mortágua e AE de Mortágua

Formador

Bárbara Cristina dos Santos Gaspar Cleto

Alexandre David Cerqueira Torres

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão /AE de Mortágua (AE anfitrião)/Município de Mortágua

Enquadramento

O Relatório da UNESCO destaca a Inteligência Artificial (IA) generativa como uma das principais inovações, capazes de transformar o processo de ensino, aprendizagem e avaliação, tendo os docentes começado a questionar potencialidades e desafios da mesma. De facto, a capacidade de trabalhar com IA será uma das competências-chave do século XXI, pelo que urge capacitar professores para conhecer e utilizar soluções existentes e emergentes nestas áreas, conducente à inovação pedagógica. Este Colóquio visa ser um espaço de formação/reflexão/partilha de estratégias a utilizar de forma inovadora por lideranças, professores e alunos, proporcionando à diversidade dos alunos atingir as áreas do PASEO, estimulando mais e melhores aprendizagens.

Objetivos

- Refletir sobre conceitos e o estado da arte da Inteligência Artificial (IA) generativa; - Compreender a temática da IA-Generativa no contexto educativo salvaguardando a ética e responsabilidade na sua utilização; - Saber interpretar os desafios, oportunidades e preocupações no campo educativa da IA-Generativa; - Capacitar os docentes para a integração da IA-Generativa na prática pedagógica; - Refletir sobre práticas de ensino, aprendizagem e de avaliação à luz da IA-Generativa na Educação; - Capacitar os docentes a identificar e utilizar ferramentas e plataformas emergentes em IA visando aumentar o empenho e a motivação dos alunos; - Habilitar os docentes a desenvolver competências essenciais de IA nos alunos, incluindo em atividades multidisciplinares.

Conteúdos

Neste Colóquio serão abordados os seguintes conteúdos: ● O Contributo da IA para a Inovação Pedagógica, no ensino, aprendizagem e avaliação; ● Introdução à IA e à IA-Generativa; ● Modelos de IA-Generativa; ● Desafios no ecossistema da IA-Generativa: inteligência, conhecimento e criatividade; ● A IA-Generativa no campo educativo - desafios e oportunidades; ● Aplicações atuais e futuras da IA e ML em contexto escolar; ● Exploração e utilização prática de plataformas e ferramentas de IA e ML.

Metodologias

O Colóquio realizar-se-á em dois sábados de 2024, de acordo com a seguinte estrutura: Primeiro dia 11 de Maio de 2024: Manhã e tarde com conferências e painéis; Segundo dia 18 de Maio de 2024: Manhã com conferências e painéis. Tarde: workshops temáticos. Nas conferências/painéis, serão apresentados e debatidos conteúdos atuais e pertinentes alusivos à temática subjacente ao colóquio, por referências do mundo académico e científico, que partilham o seu elevado know-how e suscitam à reflexão. Os workshops serão dinamizados por académicos e/ou por professores que partilham as suas boas práticas e vivências em contexto escolar. As conferências/painéis realizar-se-ão em Plenário, com a totalidade dos formandos (até 250). XII COLÓQUIO "Inovar na Era da Inteligência Artificial: Desafios e Potencialidades no Ensino, Aprendizagem e Avaliação" 11 de maio de 2024 9.00- Sessão de abertura: Chefe de Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas (DGE), Presidente Município de Mortágua, Diretor do AE de Mortágua, Diretora do CFAE-PB Conferência 1 9.30- A Escola na Era Digital: Capacitação Digital das Escolas Doutora Carla Barros Lourenço (Chefe de Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas-DGE) Moderadora: Diretora do CFAE-PB Pausa para café 10.20- Conferência 2 A Liderança Transformacional: O Papel das Lideranças numa Escola em Mudança Mestre Fernando Elias (Conselho Nacional de Educação) Moderador: Diretor do AE de Mortágua 11.25- Conferência 3 Inteligência Artificial: Desafios e Potencialidades no Ensino, Aprendizagem e Avaliação Professor Doutor Carlos Fiolhais (Universidade de Coimbra) Moderador: Diretora do AE de Santa Comba Dão Almoço 14.00- Conferência 4 O Potencial da Inteligência Artificial em Contexto Educativo: Medos ou Desafios? Mestre Marco Bento (Escola Superior de Educação de Coimbra) Moderadora: Diretora do AE de Tondela Cândido de Figueiredo Pausa para café 15.45- Painel 1 IA: Da Inovação Pedagógica às Questões Éticas e de Cibersegurança IA: Ferramentas, Cibersegurança e Impacto no Processo Ensino e Aprendizagem Doutor David Oliveira (Escola Superior de Educação de Viseu) Metodologias Ativas com Inteligência Artificial Doutor Nuno Bastos (Instituto Politécnico de Viseu) IA na Educação: Recomendações e Questões Éticas Doutora Helena Gomes (Escola Superior de Educação de Viseu) Moderador: Diretor do AE de Tondela Tomaz Ribeiro 18 de maio de 2024 9.00- Conferência 5 Pode a Inteligência Artificial Contribuir para uma Avaliação ao Serviço das Aprendizagens? Doutor Eusébio André Machado (Coordenador Nacional do Projeto MAIA da Direção-Geral da Educação) Moderadora: Diretora do AE de Carregal do Sal Pausa para café 10.40- Painel 2 Práticas Inspiradoras: Ensinar, Aprender e Avaliar Inteligência Artificial na Educação: Desafios, Oportunidades e Preocupações Mestre Marco Neves (Agrupamento de Escolas da Batalha) Já se Questionaram o que Acontece quando os Robôs entram na Sala de Aula? Mestrando Paulo Torcato (Agrupamento de Escolas de Portela e Moscavide) STEM & STEAM: Práticas Inspiradoras Doutor Fábio Ribeiro (Coordenador da Academi@STEM Mangualde) Moderadora: Diretora do CFAE-PB Almoço 14.00-18.00- Workshops W1: Construção de percursos de ensino, aprendizagem e avaliação com suporte na Inteligência Artificial: operacionalização didática da avaliação pedagógica ( Doutor Eusébio André Costa Machado) W2: O Digital como Fator de Inclusão (Mestre Rui Manuel Neves de Campos Fernandes, Mestre André Alexandre Campos de Sousa Baptista Pereira e Mestranda Maria Clara da Rosa Cristino- CANTIC) W3: Uma (pequena) História? A Inteligência Artificial na Educação (Mestre Marco António Brás Neves) W4: Inteligência Artificial: Plataformas Potenciadoras do Ensino, Aprendizagem e Avaliação (Doutor Ricardo Jorge Ribeiro dos Santos) W5: Inteligência Artificial, Programação e Robótica em Contexto Interdisciplinar (Mestrando Paulo Jorge Nogueira Torcato) W6: IA, Tecnologia e Artes: Amplificando a Educação Artística (Doutoranda Bárbara Gaspar Cleto e Doutorando Alexandre David Cerqueira Torres) W7: Estimular o Ensino STEM com Recurso a Robôs da LEGO (Dr. Paulo Manuel da Silva Salvado Sanches) W8: Inteligência Artificial no Ensino, Aprendizagem e Avaliação das Línguas (Doutora Adelina Maria Carreiro Moura) W9: Programação e robótica para o 1º ciclo e pré-escolar (Mestre Raquel Cristina Pereira Costa e Mestre Paulo Alexandre Cunha Gomes) Sob o ponto de vista dos formandos, e de forma a garantir o número de horas necessárias para a acreditação (15 horas), frequentarão: - As sessões plenárias (Conferências) num total de 11 horas de formação. - Os Workshops num total de 4 horas de formação, focar-se-ão em subtemáticas complementares, de caráter predominantemente prático e colaborativo, decorrerão em simultâneo, em salas, com um número reduzido de formandos (máximo 30). NOTA: OS FORMANDOS INSCREVEM-SE APENAS NUM DOS WORKSOPS. Caso se tenham inscrito em mais do que um workshop, solicito que façam a escolha, ou seja, mantenham a inscrição no que mais gostam. e anulem as inscrições nos outros.

Avaliação

A avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10, de acordo com o ECD, Regime Jurídico da Formação Contínua e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC; O instrumento de avaliação utilizado será uma reflexão individual com número limitado de carateres; A reflexão individual, deverá contemplar uma visão global e reflexiva do Colóquio, focalizando-se, numa segunda fase, nos workshops frequentados. Deverão ser anexados os trabalhos produzidos nos workshops; A avaliação dos formandos focaliza-se na qualidade da reflexão evidenciada na elaboração do Relatório Individual (grau de clareza, postura crítica, grau de profundidade, rigor científico, pertinência, expressão escrita) – 100%; O referencial da escala de avaliação é o previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD, aprovado pelo DL nº 75/2010, de 23 de Junho: Menção qualitativa e menção quantitativa: Excelente - entre 9 e 10 valores Muito Bom - entre 8 e 8,9 valores Bom - entre 6,5 e 7,9 valores Regular - entre 5,0 e 6,4 valores Insuficiente - entre 1,0 e 4,9 valores No primeiro dia, na sessão plenária, haverá um espaço de apresentação do processo de avaliação dos formandos e sua participação na avaliação do Colóquio.

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e análise do tratamento estatístico em reunião da secção de formação e monitorização e conselho de diretores deste CFAE.

Bibliografia

Stephen Wolfram, “O que faz o ChatGPT e como funciona”, Casa das Letras, 2023 Lino Oliveira e Mário Pinto, “A Inteligência Artificial na Educação – Ameaças e Oportunidades para o processo de ensino-aprendizagem”, Seminário organizado pela Licenciatura em Tecnologias e Sistemas de Informação para a Web (LTSIW) do Departamento de Informática da Escola Superior de Media Artes e Design, Instituto Politécnico do Porto, 18 Abril 2023, relatório de conteúdos disponível em https://recipp.ipp.pt/bitstream/10400.22/22779/1/LIV_LinoOliveira_2023.pdf Cláudia Meirinhos, “Práticas Educativas de Inteligência Artificial no 1º Ciclo do Ensino Básico”, Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação de Bragança para obtenção do Grau de Mestre em TIC na Educação e Formação, Instituto Politécnico de Bragança, 2022, disponível em https://bibliotecadigital.ipb.pt/bitstream/10198/26344/1/Cl%C3%A1udia%20Sofia%20Oliveira%20Macedo%20Meirinhos.pdf Martin Ford, “O Futuro da Inteligência Artificial”, Bertrand, 2022 Chen Qiufan e Kai-Fu Lee, “Inteligência Artificial 2041”, Relógio D’Água, 2023 Neves, Marco, Wayne Holmes, "Inteligência Artificial na Educação": Oportunidades e Preocupações", no livro "Pensamento Computacional, Robótica e Inteligência Artificial" publicado pela Universidade do Maranhão - Brasil EDUFMA.


Observações

W6- IA, Tecnologia e Artes: Amplificando a Educação Artística

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-05-2024 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 172Workshop 7 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACCC-123345/24

Modalidade: Curso de formação - Colóquios; congressos; simpósios; jornadas ou iniciativas congéneres

Duração: 15.0 horas

Início: 11-05-2024

Fim: 18-05-2024

Regime: Presencial

Local: Centro de Animação Cultural de Mortágua e AE de Mortágua

Formador

Paulo Manuel da Silva Salvado Sanches

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão /AE de Mortágua (AE anfitrião)/Município de Mortágua

Enquadramento

O Relatório da UNESCO destaca a Inteligência Artificial (IA) generativa como uma das principais inovações, capazes de transformar o processo de ensino, aprendizagem e avaliação, tendo os docentes começado a questionar potencialidades e desafios da mesma. De facto, a capacidade de trabalhar com IA será uma das competências-chave do século XXI, pelo que urge capacitar professores para conhecer e utilizar soluções existentes e emergentes nestas áreas, conducente à inovação pedagógica. Este Colóquio visa ser um espaço de formação/reflexão/partilha de estratégias a utilizar de forma inovadora por lideranças, professores e alunos, proporcionando à diversidade dos alunos atingir as áreas do PASEO, estimulando mais e melhores aprendizagens.

Objetivos

- Refletir sobre conceitos e o estado da arte da Inteligência Artificial (IA) generativa; - Compreender a temática da IA-Generativa no contexto educativo salvaguardando a ética e responsabilidade na sua utilização; - Saber interpretar os desafios, oportunidades e preocupações no campo educativa da IA-Generativa; - Capacitar os docentes para a integração da IA-Generativa na prática pedagógica; - Refletir sobre práticas de ensino, aprendizagem e de avaliação à luz da IA-Generativa na Educação; - Capacitar os docentes a identificar e utilizar ferramentas e plataformas emergentes em IA visando aumentar o empenho e a motivação dos alunos; - Habilitar os docentes a desenvolver competências essenciais de IA nos alunos, incluindo em atividades multidisciplinares.

Conteúdos

Neste Colóquio serão abordados os seguintes conteúdos: ● O Contributo da IA para a Inovação Pedagógica, no ensino, aprendizagem e avaliação; ● Introdução à IA e à IA-Generativa; ● Modelos de IA-Generativa; ● Desafios no ecossistema da IA-Generativa: inteligência, conhecimento e criatividade; ● A IA-Generativa no campo educativo - desafios e oportunidades; ● Aplicações atuais e futuras da IA e ML em contexto escolar; ● Exploração e utilização prática de plataformas e ferramentas de IA e ML.

Metodologias

O Colóquio realizar-se-á em dois sábados de 2024, de acordo com a seguinte estrutura: Primeiro dia 11 de Maio de 2024: Manhã e tarde com conferências e painéis; Segundo dia 18 de Maio de 2024: Manhã com conferências e painéis. Tarde: workshops temáticos. Nas conferências/painéis, serão apresentados e debatidos conteúdos atuais e pertinentes alusivos à temática subjacente ao colóquio, por referências do mundo académico e científico, que partilham o seu elevado know-how e suscitam à reflexão. Os workshops serão dinamizados por académicos e/ou por professores que partilham as suas boas práticas e vivências em contexto escolar. As conferências/painéis realizar-se-ão em Plenário, com a totalidade dos formandos (até 250). XII COLÓQUIO "Inovar na Era da Inteligência Artificial: Desafios e Potencialidades no Ensino, Aprendizagem e Avaliação" 11 de maio de 2024 9.00- Sessão de abertura: Chefe de Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas (DGE), Presidente Município de Mortágua, Diretor do AE de Mortágua, Diretora do CFAE-PB Conferência 1 9.30- A Escola na Era Digital: Capacitação Digital das Escolas Doutora Carla Barros Lourenço (Chefe de Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas-DGE) Moderadora: Diretora do CFAE-PB Pausa para café 10.20- Conferência 2 A Liderança Transformacional: O Papel das Lideranças numa Escola em Mudança Mestre Fernando Elias (Conselho Nacional de Educação) Moderador: Diretor do AE de Mortágua 11.25- Conferência 3 Inteligência Artificial: Desafios e Potencialidades no Ensino, Aprendizagem e Avaliação Professor Doutor Carlos Fiolhais (Universidade de Coimbra) Moderador: Diretora do AE de Santa Comba Dão Almoço 14.00- Conferência 4 O Potencial da Inteligência Artificial em Contexto Educativo: Medos ou Desafios? Mestre Marco Bento (Escola Superior de Educação de Coimbra) Moderadora: Diretora do AE de Tondela Cândido de Figueiredo Pausa para café 15.45- Painel 1 IA: Da Inovação Pedagógica às Questões Éticas e de Cibersegurança IA: Ferramentas, Cibersegurança e Impacto no Processo Ensino e Aprendizagem Doutor David Oliveira (Escola Superior de Educação de Viseu) Metodologias Ativas com Inteligência Artificial Doutor Nuno Bastos (Instituto Politécnico de Viseu) IA na Educação: Recomendações e Questões Éticas Doutora Helena Gomes (Escola Superior de Educação de Viseu) Moderador: Diretor do AE de Tondela Tomaz Ribeiro 18 de maio de 2024 9.00- Conferência 5 Pode a Inteligência Artificial Contribuir para uma Avaliação ao Serviço das Aprendizagens? Doutor Eusébio André Machado (Coordenador Nacional do Projeto MAIA da Direção-Geral da Educação) Moderadora: Diretora do AE de Carregal do Sal Pausa para café 10.40- Painel 2 Práticas Inspiradoras: Ensinar, Aprender e Avaliar Inteligência Artificial na Educação: Desafios, Oportunidades e Preocupações Mestre Marco Neves (Agrupamento de Escolas da Batalha) Já se Questionaram o que Acontece quando os Robôs entram na Sala de Aula? Mestrando Paulo Torcato (Agrupamento de Escolas de Portela e Moscavide) STEM & STEAM: Práticas Inspiradoras Doutor Fábio Ribeiro (Coordenador da Academi@STEM Mangualde) Moderadora: Diretora do CFAE-PB Almoço 14.00-18.00- Workshops W1: Construção de percursos de ensino, aprendizagem e avaliação com suporte na Inteligência Artificial: operacionalização didática da avaliação pedagógica ( Doutor Eusébio André Costa Machado) W2: O Digital como Fator de Inclusão (Mestre Rui Manuel Neves de Campos Fernandes, Mestre André Alexandre Campos de Sousa Baptista Pereira e Mestranda Maria Clara da Rosa Cristino- CANTIC) W3: Uma (pequena) História? A Inteligência Artificial na Educação (Mestre Marco António Brás Neves) W4: Inteligência Artificial: Plataformas Potenciadoras do Ensino, Aprendizagem e Avaliação (Doutor Ricardo Jorge Ribeiro dos Santos) W5: Inteligência Artificial, Programação e Robótica em Contexto Interdisciplinar (Mestrando Paulo Jorge Nogueira Torcato) W6: IA, Tecnologia e Artes: Amplificando a Educação Artística (Doutoranda Bárbara Gaspar Cleto e Doutorando Alexandre David Cerqueira Torres) W7: Estimular o Ensino STEM com Recurso a Robôs da LEGO (Dr. Paulo Manuel da Silva Salvado Sanches) W8: Inteligência Artificial no Ensino, Aprendizagem e Avaliação das Línguas (Doutora Adelina Maria Carreiro Moura) W9: Programação e robótica para o 1º ciclo e pré-escolar (Mestre Raquel Cristina Pereira Costa e Mestre Paulo Alexandre Cunha Gomes) Sob o ponto de vista dos formandos, e de forma a garantir o número de horas necessárias para a acreditação (15 horas), frequentarão: - As sessões plenárias (Conferências) num total de 11 horas de formação. - Os Workshops num total de 4 horas de formação, focar-se-ão em subtemáticas complementares, de caráter predominantemente prático e colaborativo, decorrerão em simultâneo, em salas, com um número reduzido de formandos (máximo 30). NOTA: OS FORMANDOS INSCREVEM-SE APENAS NUM DOS WORKSOPS. Caso se tenham inscrito em mais do que um workshop, solicito que façam a escolha, ou seja, mantenham a inscrição no que mais gostam. e anulem as inscrições nos outros.

Avaliação

A avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10, de acordo com o ECD, Regime Jurídico da Formação Contínua e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC; O instrumento de avaliação utilizado será uma reflexão individual com número limitado de carateres; A reflexão individual, deverá contemplar uma visão global e reflexiva do Colóquio, focalizando-se, numa segunda fase, nos workshops frequentados. Deverão ser anexados os trabalhos produzidos nos workshops; A avaliação dos formandos focaliza-se na qualidade da reflexão evidenciada na elaboração do Relatório Individual (grau de clareza, postura crítica, grau de profundidade, rigor científico, pertinência, expressão escrita) – 100%; O referencial da escala de avaliação é o previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD, aprovado pelo DL nº 75/2010, de 23 de Junho: Menção qualitativa e menção quantitativa: Excelente - entre 9 e 10 valores Muito Bom - entre 8 e 8,9 valores Bom - entre 6,5 e 7,9 valores Regular - entre 5,0 e 6,4 valores Insuficiente - entre 1,0 e 4,9 valores No primeiro dia, na sessão plenária, haverá um espaço de apresentação do processo de avaliação dos formandos e sua participação na avaliação do Colóquio.

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e análise do tratamento estatístico em reunião da secção de formação e monitorização e conselho de diretores deste CFAE.

Bibliografia

Stephen Wolfram, “O que faz o ChatGPT e como funciona”, Casa das Letras, 2023 Lino Oliveira e Mário Pinto, “A Inteligência Artificial na Educação – Ameaças e Oportunidades para o processo de ensino-aprendizagem”, Seminário organizado pela Licenciatura em Tecnologias e Sistemas de Informação para a Web (LTSIW) do Departamento de Informática da Escola Superior de Media Artes e Design, Instituto Politécnico do Porto, 18 Abril 2023, relatório de conteúdos disponível em https://recipp.ipp.pt/bitstream/10400.22/22779/1/LIV_LinoOliveira_2023.pdf Cláudia Meirinhos, “Práticas Educativas de Inteligência Artificial no 1º Ciclo do Ensino Básico”, Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação de Bragança para obtenção do Grau de Mestre em TIC na Educação e Formação, Instituto Politécnico de Bragança, 2022, disponível em https://bibliotecadigital.ipb.pt/bitstream/10198/26344/1/Cl%C3%A1udia%20Sofia%20Oliveira%20Macedo%20Meirinhos.pdf Martin Ford, “O Futuro da Inteligência Artificial”, Bertrand, 2022 Chen Qiufan e Kai-Fu Lee, “Inteligência Artificial 2041”, Relógio D’Água, 2023 Neves, Marco, Wayne Holmes, "Inteligência Artificial na Educação": Oportunidades e Preocupações", no livro "Pensamento Computacional, Robótica e Inteligência Artificial" publicado pela Universidade do Maranhão - Brasil EDUFMA.


Observações

W7- Estimular o Ensino STEM com Recurso a Robôs da LEGO

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-05-2024 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 172Workshop 8 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACCC-123345/24

Modalidade: Curso de formação - Colóquios; congressos; simpósios; jornadas ou iniciativas congéneres

Duração: 15.0 horas

Início: 11-05-2024

Fim: 18-05-2024

Regime: Presencial

Local: Centro de Animação Cultural de Mortágua e AE de Mortágua

Formador

Adelina Maria Carreiro Moura

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão /AE de Mortágua (AE anfitrião)/Município de Mortágua

Enquadramento

O Relatório da UNESCO destaca a Inteligência Artificial (IA) generativa como uma das principais inovações, capazes de transformar o processo de ensino, aprendizagem e avaliação, tendo os docentes começado a questionar potencialidades e desafios da mesma. De facto, a capacidade de trabalhar com IA será uma das competências-chave do século XXI, pelo que urge capacitar professores para conhecer e utilizar soluções existentes e emergentes nestas áreas, conducente à inovação pedagógica. Este Colóquio visa ser um espaço de formação/reflexão/partilha de estratégias a utilizar de forma inovadora por lideranças, professores e alunos, proporcionando à diversidade dos alunos atingir as áreas do PASEO, estimulando mais e melhores aprendizagens.

Objetivos

- Refletir sobre conceitos e o estado da arte da Inteligência Artificial (IA) generativa; - Compreender a temática da IA-Generativa no contexto educativo salvaguardando a ética e responsabilidade na sua utilização; - Saber interpretar os desafios, oportunidades e preocupações no campo educativa da IA-Generativa; - Capacitar os docentes para a integração da IA-Generativa na prática pedagógica; - Refletir sobre práticas de ensino, aprendizagem e de avaliação à luz da IA-Generativa na Educação; - Capacitar os docentes a identificar e utilizar ferramentas e plataformas emergentes em IA visando aumentar o empenho e a motivação dos alunos; - Habilitar os docentes a desenvolver competências essenciais de IA nos alunos, incluindo em atividades multidisciplinares.

Conteúdos

Neste Colóquio serão abordados os seguintes conteúdos: ● O Contributo da IA para a Inovação Pedagógica, no ensino, aprendizagem e avaliação; ● Introdução à IA e à IA-Generativa; ● Modelos de IA-Generativa; ● Desafios no ecossistema da IA-Generativa: inteligência, conhecimento e criatividade; ● A IA-Generativa no campo educativo - desafios e oportunidades; ● Aplicações atuais e futuras da IA e ML em contexto escolar; ● Exploração e utilização prática de plataformas e ferramentas de IA e ML.

Metodologias

O Colóquio realizar-se-á em dois sábados de 2024, de acordo com a seguinte estrutura: Primeiro dia 11 de Maio de 2024: Manhã e tarde com conferências e painéis; Segundo dia 18 de Maio de 2024: Manhã com conferências e painéis. Tarde: workshops temáticos. Nas conferências/painéis, serão apresentados e debatidos conteúdos atuais e pertinentes alusivos à temática subjacente ao colóquio, por referências do mundo académico e científico, que partilham o seu elevado know-how e suscitam à reflexão. Os workshops serão dinamizados por académicos e/ou por professores que partilham as suas boas práticas e vivências em contexto escolar. As conferências/painéis realizar-se-ão em Plenário, com a totalidade dos formandos (até 250). XII COLÓQUIO "Inovar na Era da Inteligência Artificial: Desafios e Potencialidades no Ensino, Aprendizagem e Avaliação" 11 de maio de 2024 9.00- Sessão de abertura: Chefe de Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas (DGE), Presidente Município de Mortágua, Diretor do AE de Mortágua, Diretora do CFAE-PB Conferência 1 9.30- A Escola na Era Digital: Capacitação Digital das Escolas Doutora Carla Barros Lourenço (Chefe de Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas-DGE) Moderadora: Diretora do CFAE-PB Pausa para café 10.20- Conferência 2 A Liderança Transformacional: O Papel das Lideranças numa Escola em Mudança Mestre Fernando Elias (Conselho Nacional de Educação) Moderador: Diretor do AE de Mortágua 11.25- Conferência 3 Inteligência Artificial: Desafios e Potencialidades no Ensino, Aprendizagem e Avaliação Professor Doutor Carlos Fiolhais (Universidade de Coimbra) Moderador: Diretora do AE de Santa Comba Dão Almoço 14.00- Conferência 4 O Potencial da Inteligência Artificial em Contexto Educativo: Medos ou Desafios? Mestre Marco Bento (Escola Superior de Educação de Coimbra) Moderadora: Diretora do AE de Tondela Cândido de Figueiredo Pausa para café 15.45- Painel 1 IA: Da Inovação Pedagógica às Questões Éticas e de Cibersegurança IA: Ferramentas, Cibersegurança e Impacto no Processo Ensino e Aprendizagem Doutor David Oliveira (Escola Superior de Educação de Viseu) Metodologias Ativas com Inteligência Artificial Doutor Nuno Bastos (Instituto Politécnico de Viseu) IA na Educação: Recomendações e Questões Éticas Doutora Helena Gomes (Escola Superior de Educação de Viseu) Moderador: Diretor do AE de Tondela Tomaz Ribeiro 18 de maio de 2024 9.00- Conferência 5 Pode a Inteligência Artificial Contribuir para uma Avaliação ao Serviço das Aprendizagens? Doutor Eusébio André Machado (Coordenador Nacional do Projeto MAIA da Direção-Geral da Educação) Moderadora: Diretora do AE de Carregal do Sal Pausa para café 10.40- Painel 2 Práticas Inspiradoras: Ensinar, Aprender e Avaliar Inteligência Artificial na Educação: Desafios, Oportunidades e Preocupações Mestre Marco Neves (Agrupamento de Escolas da Batalha) Já se Questionaram o que Acontece quando os Robôs entram na Sala de Aula? Mestrando Paulo Torcato (Agrupamento de Escolas de Portela e Moscavide) STEM & STEAM: Práticas Inspiradoras Doutor Fábio Ribeiro (Coordenador da Academi@STEM Mangualde) Moderadora: Diretora do CFAE-PB Almoço 14.00-18.00- Workshops W1: Construção de percursos de ensino, aprendizagem e avaliação com suporte na Inteligência Artificial: operacionalização didática da avaliação pedagógica ( Doutor Eusébio André Costa Machado) W2: O Digital como Fator de Inclusão (Mestre Rui Manuel Neves de Campos Fernandes, Mestre André Alexandre Campos de Sousa Baptista Pereira e Mestranda Maria Clara da Rosa Cristino- CANTIC) W3: Uma (pequena) História? A Inteligência Artificial na Educação (Mestre Marco António Brás Neves) W4: Inteligência Artificial: Plataformas Potenciadoras do Ensino, Aprendizagem e Avaliação (Doutor Ricardo Jorge Ribeiro dos Santos) W5: Inteligência Artificial, Programação e Robótica em Contexto Interdisciplinar (Mestrando Paulo Jorge Nogueira Torcato) W6: IA, Tecnologia e Artes: Amplificando a Educação Artística (Doutoranda Bárbara Gaspar Cleto e Doutorando Alexandre David Cerqueira Torres) W7: Estimular o Ensino STEM com Recurso a Robôs da LEGO (Dr. Paulo Manuel da Silva Salvado Sanches) W8: Inteligência Artificial no Ensino, Aprendizagem e Avaliação das Línguas (Doutora Adelina Maria Carreiro Moura) W9: Programação e robótica para o 1º ciclo e pré-escolar (Mestre Raquel Cristina Pereira Costa e Mestre Paulo Alexandre Cunha Gomes) Sob o ponto de vista dos formandos, e de forma a garantir o número de horas necessárias para a acreditação (15 horas), frequentarão: - As sessões plenárias (Conferências) num total de 11 horas de formação. - Os Workshops num total de 4 horas de formação, focar-se-ão em subtemáticas complementares, de caráter predominantemente prático e colaborativo, decorrerão em simultâneo, em salas, com um número reduzido de formandos (máximo 30). NOTA: OS FORMANDOS INSCREVEM-SE APENAS NUM DOS WORKSOPS. Caso se tenham inscrito em mais do que um workshop, solicito que façam a escolha, ou seja, mantenham a inscrição no que mais gostam. e anulem as inscrições nos outros.

Avaliação

A avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10, de acordo com o ECD, Regime Jurídico da Formação Contínua e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC; O instrumento de avaliação utilizado será uma reflexão individual com número limitado de carateres; A reflexão individual, deverá contemplar uma visão global e reflexiva do Colóquio, focalizando-se, numa segunda fase, nos workshops frequentados. Deverão ser anexados os trabalhos produzidos nos workshops; A avaliação dos formandos focaliza-se na qualidade da reflexão evidenciada na elaboração do Relatório Individual (grau de clareza, postura crítica, grau de profundidade, rigor científico, pertinência, expressão escrita) – 100%; O referencial da escala de avaliação é o previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD, aprovado pelo DL nº 75/2010, de 23 de Junho: Menção qualitativa e menção quantitativa: Excelente - entre 9 e 10 valores Muito Bom - entre 8 e 8,9 valores Bom - entre 6,5 e 7,9 valores Regular - entre 5,0 e 6,4 valores Insuficiente - entre 1,0 e 4,9 valores No primeiro dia, na sessão plenária, haverá um espaço de apresentação do processo de avaliação dos formandos e sua participação na avaliação do Colóquio.

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e análise do tratamento estatístico em reunião da secção de formação e monitorização e conselho de diretores deste CFAE.

Bibliografia

Stephen Wolfram, “O que faz o ChatGPT e como funciona”, Casa das Letras, 2023 Lino Oliveira e Mário Pinto, “A Inteligência Artificial na Educação – Ameaças e Oportunidades para o processo de ensino-aprendizagem”, Seminário organizado pela Licenciatura em Tecnologias e Sistemas de Informação para a Web (LTSIW) do Departamento de Informática da Escola Superior de Media Artes e Design, Instituto Politécnico do Porto, 18 Abril 2023, relatório de conteúdos disponível em https://recipp.ipp.pt/bitstream/10400.22/22779/1/LIV_LinoOliveira_2023.pdf Cláudia Meirinhos, “Práticas Educativas de Inteligência Artificial no 1º Ciclo do Ensino Básico”, Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação de Bragança para obtenção do Grau de Mestre em TIC na Educação e Formação, Instituto Politécnico de Bragança, 2022, disponível em https://bibliotecadigital.ipb.pt/bitstream/10198/26344/1/Cl%C3%A1udia%20Sofia%20Oliveira%20Macedo%20Meirinhos.pdf Martin Ford, “O Futuro da Inteligência Artificial”, Bertrand, 2022 Chen Qiufan e Kai-Fu Lee, “Inteligência Artificial 2041”, Relógio D’Água, 2023 Neves, Marco, Wayne Holmes, "Inteligência Artificial na Educação": Oportunidades e Preocupações", no livro "Pensamento Computacional, Robótica e Inteligência Artificial" publicado pela Universidade do Maranhão - Brasil EDUFMA.


Observações

W8- Inteligência Artificial no Ensino, Aprendizagem e Avaliação das Línguas

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-05-2024 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 172Workshop 9 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACCC-123345/24

Modalidade: Curso de formação - Colóquios; congressos; simpósios; jornadas ou iniciativas congéneres

Duração: 15.0 horas

Início: 11-05-2024

Fim: 18-05-2024

Regime: Presencial

Local: Centro de Animação Cultural de Mortágua e AE de Mortágua

Formador

Raquel Cristina Pereira Costa

Paulo Alexandre Cunha Gomes

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão /AE de Mortágua (AE anfitrião)/Município de Mortágua

Enquadramento

O Relatório da UNESCO destaca a Inteligência Artificial (IA) generativa como uma das principais inovações, capazes de transformar o processo de ensino, aprendizagem e avaliação, tendo os docentes começado a questionar potencialidades e desafios da mesma. De facto, a capacidade de trabalhar com IA será uma das competências-chave do século XXI, pelo que urge capacitar professores para conhecer e utilizar soluções existentes e emergentes nestas áreas, conducente à inovação pedagógica. Este Colóquio visa ser um espaço de formação/reflexão/partilha de estratégias a utilizar de forma inovadora por lideranças, professores e alunos, proporcionando à diversidade dos alunos atingir as áreas do PASEO, estimulando mais e melhores aprendizagens.

Objetivos

- Refletir sobre conceitos e o estado da arte da Inteligência Artificial (IA) generativa; - Compreender a temática da IA-Generativa no contexto educativo salvaguardando a ética e responsabilidade na sua utilização; - Saber interpretar os desafios, oportunidades e preocupações no campo educativa da IA-Generativa; - Capacitar os docentes para a integração da IA-Generativa na prática pedagógica; - Refletir sobre práticas de ensino, aprendizagem e de avaliação à luz da IA-Generativa na Educação; - Capacitar os docentes a identificar e utilizar ferramentas e plataformas emergentes em IA visando aumentar o empenho e a motivação dos alunos; - Habilitar os docentes a desenvolver competências essenciais de IA nos alunos, incluindo em atividades multidisciplinares.

Conteúdos

Neste Colóquio serão abordados os seguintes conteúdos: ● O Contributo da IA para a Inovação Pedagógica, no ensino, aprendizagem e avaliação; ● Introdução à IA e à IA-Generativa; ● Modelos de IA-Generativa; ● Desafios no ecossistema da IA-Generativa: inteligência, conhecimento e criatividade; ● A IA-Generativa no campo educativo - desafios e oportunidades; ● Aplicações atuais e futuras da IA e ML em contexto escolar; ● Exploração e utilização prática de plataformas e ferramentas de IA e ML.

Metodologias

O Colóquio realizar-se-á em dois sábados de 2024, de acordo com a seguinte estrutura: Primeiro dia 11 de Maio de 2024: Manhã e tarde com conferências e painéis; Segundo dia 18 de Maio de 2024: Manhã com conferências e painéis. Tarde: workshops temáticos. Nas conferências/painéis, serão apresentados e debatidos conteúdos atuais e pertinentes alusivos à temática subjacente ao colóquio, por referências do mundo académico e científico, que partilham o seu elevado know-how e suscitam à reflexão. Os workshops serão dinamizados por académicos e/ou por professores que partilham as suas boas práticas e vivências em contexto escolar. As conferências/painéis realizar-se-ão em Plenário, com a totalidade dos formandos (até 250). XII COLÓQUIO "Inovar na Era da Inteligência Artificial: Desafios e Potencialidades no Ensino, Aprendizagem e Avaliação" 11 de maio de 2024 9.00- Sessão de abertura: Chefe de Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas (DGE), Presidente Município de Mortágua, Diretor do AE de Mortágua, Diretora do CFAE-PB Conferência 1 9.30- A Escola na Era Digital: Capacitação Digital das Escolas Doutora Carla Barros Lourenço (Chefe de Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas-DGE) Moderadora: Diretora do CFAE-PB Pausa para café 10.20- Conferência 2 A Liderança Transformacional: O Papel das Lideranças numa Escola em Mudança Mestre Fernando Elias (Conselho Nacional de Educação) Moderador: Diretor do AE de Mortágua 11.25- Conferência 3 Inteligência Artificial: Desafios e Potencialidades no Ensino, Aprendizagem e Avaliação Professor Doutor Carlos Fiolhais (Universidade de Coimbra) Moderador: Diretora do AE de Santa Comba Dão Almoço 14.00- Conferência 4 O Potencial da Inteligência Artificial em Contexto Educativo: Medos ou Desafios? Mestre Marco Bento (Escola Superior de Educação de Coimbra) Moderadora: Diretora do AE de Tondela Cândido de Figueiredo Pausa para café 15.45- Painel 1 IA: Da Inovação Pedagógica às Questões Éticas e de Cibersegurança IA: Ferramentas, Cibersegurança e Impacto no Processo Ensino e Aprendizagem Doutor David Oliveira (Escola Superior de Educação de Viseu) Metodologias Ativas com Inteligência Artificial Doutor Nuno Bastos (Instituto Politécnico de Viseu) IA na Educação: Recomendações e Questões Éticas Doutora Helena Gomes (Escola Superior de Educação de Viseu) Moderador: Diretor do AE de Tondela Tomaz Ribeiro 18 de maio de 2024 9.00- Conferência 5 Pode a Inteligência Artificial Contribuir para uma Avaliação ao Serviço das Aprendizagens? Doutor Eusébio André Machado (Coordenador Nacional do Projeto MAIA da Direção-Geral da Educação) Moderadora: Diretora do AE de Carregal do Sal Pausa para café 10.40- Painel 2 Práticas Inspiradoras: Ensinar, Aprender e Avaliar Inteligência Artificial na Educação: Desafios, Oportunidades e Preocupações Mestre Marco Neves (Agrupamento de Escolas da Batalha) Já se Questionaram o que Acontece quando os Robôs entram na Sala de Aula? Mestrando Paulo Torcato (Agrupamento de Escolas de Portela e Moscavide) STEM & STEAM: Práticas Inspiradoras Doutor Fábio Ribeiro (Coordenador da Academi@STEM Mangualde) Moderadora: Diretora do CFAE-PB Almoço 14.00-18.00- Workshops W1: Construção de percursos de ensino, aprendizagem e avaliação com suporte na Inteligência Artificial: operacionalização didática da avaliação pedagógica ( Doutor Eusébio André Costa Machado) W2: O Digital como Fator de Inclusão (Mestre Rui Manuel Neves de Campos Fernandes, Mestre André Alexandre Campos de Sousa Baptista Pereira e Mestranda Maria Clara da Rosa Cristino- CANTIC) W3: Uma (pequena) História? A Inteligência Artificial na Educação (Mestre Marco António Brás Neves) W4: Inteligência Artificial: Plataformas Potenciadoras do Ensino, Aprendizagem e Avaliação (Doutor Ricardo Jorge Ribeiro dos Santos) W5: Inteligência Artificial, Programação e Robótica em Contexto Interdisciplinar (Mestrando Paulo Jorge Nogueira Torcato) W6: IA, Tecnologia e Artes: Amplificando a Educação Artística (Doutoranda Bárbara Gaspar Cleto e Doutorando Alexandre David Cerqueira Torres) W7: Estimular o Ensino STEM com Recurso a Robôs da LEGO (Dr. Paulo Manuel da Silva Salvado Sanches) W8: Inteligência Artificial no Ensino, Aprendizagem e Avaliação das Línguas (Doutora Adelina Maria Carreiro Moura) W9: Programação e robótica para o 1º ciclo e pré-escolar (Mestre Raquel Cristina Pereira Costa e Mestre Paulo Alexandre Cunha Gomes) Sob o ponto de vista dos formandos, e de forma a garantir o número de horas necessárias para a acreditação (15 horas), frequentarão: - As sessões plenárias (Conferências) num total de 11 horas de formação. - Os Workshops num total de 4 horas de formação, focar-se-ão em subtemáticas complementares, de caráter predominantemente prático e colaborativo, decorrerão em simultâneo, em salas, com um número reduzido de formandos (máximo 30). NOTA: OS FORMANDOS INSCREVEM-SE APENAS NUM DOS WORKSOPS. Caso se tenham inscrito em mais do que um workshop, solicito que façam a escolha, ou seja, mantenham a inscrição no que mais gostam. e anulem as inscrições nos outros.

Avaliação

A avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10, de acordo com o ECD, Regime Jurídico da Formação Contínua e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC; O instrumento de avaliação utilizado será uma reflexão individual com número limitado de carateres; A reflexão individual, deverá contemplar uma visão global e reflexiva do Colóquio, focalizando-se, numa segunda fase, nos workshops frequentados. Deverão ser anexados os trabalhos produzidos nos workshops; A avaliação dos formandos focaliza-se na qualidade da reflexão evidenciada na elaboração do Relatório Individual (grau de clareza, postura crítica, grau de profundidade, rigor científico, pertinência, expressão escrita) – 100%; O referencial da escala de avaliação é o previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD, aprovado pelo DL nº 75/2010, de 23 de Junho: Menção qualitativa e menção quantitativa: Excelente - entre 9 e 10 valores Muito Bom - entre 8 e 8,9 valores Bom - entre 6,5 e 7,9 valores Regular - entre 5,0 e 6,4 valores Insuficiente - entre 1,0 e 4,9 valores No primeiro dia, na sessão plenária, haverá um espaço de apresentação do processo de avaliação dos formandos e sua participação na avaliação do Colóquio.

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e análise do tratamento estatístico em reunião da secção de formação e monitorização e conselho de diretores deste CFAE.

Bibliografia

Stephen Wolfram, “O que faz o ChatGPT e como funciona”, Casa das Letras, 2023 Lino Oliveira e Mário Pinto, “A Inteligência Artificial na Educação – Ameaças e Oportunidades para o processo de ensino-aprendizagem”, Seminário organizado pela Licenciatura em Tecnologias e Sistemas de Informação para a Web (LTSIW) do Departamento de Informática da Escola Superior de Media Artes e Design, Instituto Politécnico do Porto, 18 Abril 2023, relatório de conteúdos disponível em https://recipp.ipp.pt/bitstream/10400.22/22779/1/LIV_LinoOliveira_2023.pdf Cláudia Meirinhos, “Práticas Educativas de Inteligência Artificial no 1º Ciclo do Ensino Básico”, Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação de Bragança para obtenção do Grau de Mestre em TIC na Educação e Formação, Instituto Politécnico de Bragança, 2022, disponível em https://bibliotecadigital.ipb.pt/bitstream/10198/26344/1/Cl%C3%A1udia%20Sofia%20Oliveira%20Macedo%20Meirinhos.pdf Martin Ford, “O Futuro da Inteligência Artificial”, Bertrand, 2022 Chen Qiufan e Kai-Fu Lee, “Inteligência Artificial 2041”, Relógio D’Água, 2023 Neves, Marco, Wayne Holmes, "Inteligência Artificial na Educação": Oportunidades e Preocupações", no livro "Pensamento Computacional, Robótica e Inteligência Artificial" publicado pela Universidade do Maranhão - Brasil EDUFMA.


Observações

W9- Programação e Robótica para o 1º Ciclo e Pré-Escolar

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-05-2024 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 177ACD14 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD14 23/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 06-05-2024

Fim: 06-05-2024

Regime: e-learning

Local: Via Zoom

Formador

Eusébio André Costa Machado

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;Professores da Educação Especial;

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

A avaliação criterial, introduzida normativamente em Portugal em 2001, constitui um desafio ao qual ainda não foi possível responder cabalmente, sobretudo pelo facto de a sua inscrição pedagógica em sala de aula ser ainda muito ténue e incipiente. No entanto, a avaliação criterial constitui um dos mais poderosos instrumentos para garantir a equidade, a inclusão e o sucesso das aprendizagens, uma vez que o seu principal desiderato é servir de apoio à melhoria das aprendizagens. Importa, pois, criar as condições para que uma efetiva avaliação criterial se desenvolva em contexto de sala de aula, quer no âmbito da avaliação formativa, quer no âmbito da avaliação sumativa, designadamente no âmbito das práticas de classificação. O propósito de conferir à avaliação mais rigor e sentido, constituindo-a como um instrumento que é colocado ao serviço das aprendizagens dos alunos, exige, pois, uma compreensão profunda e cabal dos conceitos e processos associados à avaliação criterial.

Objetivos

Distinguir avaliação normativa de avaliação criterial; - Explicitar os conceitos ligados à avaliação criterial; - Descrever o processo de construção de critérios enquanto “referencial comum”, tendo por referência o atual quadro normativo e curricular; - Analisar os diferentes níveis de desenvolvimento da avaliação criterial; - Mostrar os modos de inscrição pedagógica em sala de aula do uso de critérios; - Justificar a importância do uso de critérios na avaliação sumativa e na avaliação formativa (feedback, autoavaliação e avaliação pelos pares); - Mostrar a importância de critérios nos processos de classificação.

Conteúdos

Avaliação normativa e avaliação criterial - Desenvolvimento de uma estratégia organizacional, curricular e pedagógica em função do atual quadro normativo e curricular - Níveis de operacionalização dos critérios: macro (escola), meso (departamentos) e micro (sala de aula); - Os critérios de avaliação e classificação de tarefas

Metodologias

Metodologia expositivo-dialógica com recurso a trabalhos práticos. Dada a natureza e o formato da ACD (sessão síncrona a distância), a ACD desenvolver-se-á através da apresentação e clarificação dos principais conceitos e processos associados à avaliação criterial, sendo os formandos incentivados a participar dialogicamente em momentos de debate e de realização de atividades específicas

Avaliação

Frequência

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e formadores e análise do tratamento estatístico em reunião da secção de formação e monitorização e conselho de diretores deste CFAE.

Bibliografia

Braga, F., Machado, E. A. & Candeias, F. (2022). Avaliação referida a critérios: perspetivas de conceção e utilização. Texto de apoio à formação - Projeto de Monitorização Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Fernandes, D. (2021). Critérios de Avaliação. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Fernandes, D. (2021). Para uma Inserção Pedagógica dos Critérios de Avaliação. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 06-05-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona

Ref. 167ACD10 T4 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD10 23/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 30-04-2024

Fim: 30-04-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Maria Cristina Marques Ferreira Simões

Destinatários

Professores do 1º, 2º e 3º Ciclos, Professores do Ensino Secundário e Professores da Educação Especial a exercer funções no AE de Santa Comba Dão

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão e Agrupamento Escolas de Santa Comba Dão

Enquadramento

Esta Ação de Curta Duração (ACD) pretende contribuir para a procura incessante da qualidade das respostas à diversidade no processo de ensino, aprendizagem e avaliação, desafiando os profissionais a encontrar estratégias personalizadas para todos acederem aos atuais referenciais curriculares. Torna-se premente refletir acerca das seguintes indagações presentes na atualidade educativa: Quais são os referenciais curriculares em vigor? Numa abordagem multinível, que medidas de gestão curricular existem? Como elaborar adaptações curriculares não significativas, considerando os referenciais curriculares?

Objetivos

• Refletir sobre os referenciais educativos que respondem à diversidade e pluralidade dos alunos, contribuindo para a mudança ao nível dos procedimentos pedagógicos; • Capacitar os docentes para a identificação, implementação e avaliação das medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão, assentes na intervenção multinível; • Distinguir as medidas de gestão curricular previstas no Decreto-Lei n.º 54/2018, de 6 de julho, com as alterações da Lei n.º 116/2019, de 13 de setembro e a Declaração de Retificação n.º 47/2019, de 3 de outubro; • Capacitar os docentes para a elaboração das adaptações curriculares não significativas, a partir das exigências e desafios concretos de cada grupo de recrutamento.

Conteúdos

Currículo e referenciais curriculares em vigor; • Aprendizagens Essenciais; • Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória; • Medidas de Suporte à Aprendizagem e à Inclusão, no âmbito do Decreto-Lei n.º 54/2018, de 6 de julho; • Medidas de Gestão Curricular; • Procedimentos práticos para a elaboração das Adaptações Curriculares Significativas Não Significativas

Metodologias

Nesta ACD serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Serão privilegiados momentos de reflexão e de discussão em pequenos grupos e em plenário. Os docentes devem ser desafiados à melhoria das suas práticas pedagógicas, de acordo com os referenciais normativos em vigor.

Avaliação

Frequência obrigatória das 4 horas de formação

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e formadora

Bibliografia

DGE (2018). Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 24/01/2024


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 30-04-2024 (Terça-feira) 16:00 - 20:00 4:00 Online síncrona

Ref. 167ACD10 T3 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD10 23/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 24-04-2024

Fim: 24-04-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Maria Cristina Marques Ferreira Simões

Destinatários

Professores do 1º, 2º e 3º Ciclos, Professores do Ensino Secundário e Professores da Educação Especial a exercer funções no AE de Santa Comba Dão

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão e Agrupamento Escolas de Santa Comba Dão

Enquadramento

Esta Ação de Curta Duração (ACD) pretende contribuir para a procura incessante da qualidade das respostas à diversidade no processo de ensino, aprendizagem e avaliação, desafiando os profissionais a encontrar estratégias personalizadas para todos acederem aos atuais referenciais curriculares. Torna-se premente refletir acerca das seguintes indagações presentes na atualidade educativa: Quais são os referenciais curriculares em vigor? Numa abordagem multinível, que medidas de gestão curricular existem? Como elaborar adaptações curriculares não significativas, considerando os referenciais curriculares?

Objetivos

• Refletir sobre os referenciais educativos que respondem à diversidade e pluralidade dos alunos, contribuindo para a mudança ao nível dos procedimentos pedagógicos; • Capacitar os docentes para a identificação, implementação e avaliação das medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão, assentes na intervenção multinível; • Distinguir as medidas de gestão curricular previstas no Decreto-Lei n.º 54/2018, de 6 de julho, com as alterações da Lei n.º 116/2019, de 13 de setembro e a Declaração de Retificação n.º 47/2019, de 3 de outubro; • Capacitar os docentes para a elaboração das adaptações curriculares não significativas, a partir das exigências e desafios concretos de cada grupo de recrutamento.

Conteúdos

Currículo e referenciais curriculares em vigor; • Aprendizagens Essenciais; • Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória; • Medidas de Suporte à Aprendizagem e à Inclusão, no âmbito do Decreto-Lei n.º 54/2018, de 6 de julho; • Medidas de Gestão Curricular; • Procedimentos práticos para a elaboração das Adaptações Curriculares Significativas Não Significativas

Metodologias

Nesta ACD serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Serão privilegiados momentos de reflexão e de discussão em pequenos grupos e em plenário. Os docentes devem ser desafiados à melhoria das suas práticas pedagógicas, de acordo com os referenciais normativos em vigor.

Avaliação

Frequência obrigatória das 4 horas de formação

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e formadora

Bibliografia

DGE (2018). Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 24/01/2024


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-04-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online síncrona

Ref. 1581C1-T3 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121386/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 24-04-2024

Fim: 05-06-2024

Regime: e-learning

Local: Via Zoom

Formador

Ricardo Jorge Ribeiro dos Santos

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A mais recente evolução da Inteligência Artificial (IA) e Machine Learning (ML) e da sua materialização em soluções disponíveis para a sociedade em geral, como o ChatGPT, Dall-E e outras ferramentas e plataformas semelhantes, permite-nos afirmar hoje que iremos assistir ao crescimento exponencial das suas aplicações e que muito em breve farão parte do nosso quotidiano pessoal e profissional. A capacidade de trabalhar com IA e ML será uma das competências-chave do século XXI. Ao capacitar professores para conhecer e utilizar soluções existentes e emergentes nestas áreas, assegura-se que estão atualizados e alinhados com as questões e inovações tecnológicas contemporâneas, o que lhes permitirá retirar os mais variados benefícios quer na sua prática docente, quer na formação dos alunos. É importante realçar que a IA e o ML não são relevantes apenas para a área de tecnologia, pois as suas aplicações são multidisciplinares, podendo os professores de diversas disciplinas integrar os conceitos para enriquecer o conteúdo das suas aulas e as suas práticas pedagógicas. Como tem sido frequente no passado, a integração de tecnologias emergentes pode também aumentar o empenho e a motivação dos alunos. Dado o seu crescente potencial de influência no mundo moderno, é igualmente importante estar preparado para estimular o pensamento crítico e discutir questões éticas e de responsabilidade na utilização da IA e ML, por exemplo na forma como os algoritmos podem influenciar as massas ou tratam a privacidade dos dados. É vital que os alunos sejam confrontados com estas questões desde cedo, e os professores podem desempenhar um papel crucial nisso. O estudo da IA e do ML pode servir como um catalisador para desenvolver o pensamento crítico, lógico e analítico dos alunos. Compreender como os algoritmos funcionam e como eles influenciam as decisões será fundamental para a formação de cidadãos mais informados e conscientes.

Objetivos

• Familiarizar os professores com os conceitos e o estado da arte da IA e ML, abordando as mais recentes evoluções e as suas aplicações em ferramentas e plataformas como o ChatGPT, DALL-E, entre outros. • Capacitar os docentes a identificar e utilizar ferramentas e plataformas emergentes em IA e ML, mantendo-se atualizados com inovações tecnológicas contemporâneas, equipando os professores com habilidades práticas para integrar IA e ML nas suas práticas docentes. • Orientar os educadores sobre como fazer a aprendizagem de IA e ML relevante e aplicável ao contexto escolar específico, visando aumentar o empenho e a motivação dos alunos. • Habilitar os docentes a transmitir competências essenciais de IA e ML aos alunos e a realizar a sua aplicação em áreas multidisciplinares. • Introduzir discussões sobre questões éticas e de responsabilidade na utilização da IA e ML, como preconceitos em algoritmos e privacidade de dados. • Permitir que os professores possam formar os alunos para serem cidadãos informados e conscientes, entendendo os impactos e implicações da IA e ML no mundo moderno e estimular o pensamento crítico, lógico e analítico nos professores e alunos, compreendendo como a IA influencia decisões e a sociedade.

Conteúdos

Sessão Síncrona #1 (3 horas) • Conceitos, evolução e aplicações de IA e ML o Definição e conceitos de IA e ML o Teste de Turing, sistemas periciais e primeiros conceitos de utilização de IA o Distinção entre aprendizagem supervisionada vs não supervisionada o Conceitos e aplicações das diferentes técnicas e algoritmos de IA e ML o Evolução recente da Inteligência Artificial e Machine Learning: redes neuronais, deep learning e LLM o Aplicações atuais e futuras da IA e ML em contexto escolar e na sociedade em geral • Discussão/debate com os formandos sobre a utilização da IA e ML o Numa perspetiva do seu impacto na sociedade em geral atual e futura o Numa perspetiva de utilização nas práticas docentes e contexto escolar • Enunciado pedindo a realização de um primeiro trabalho assíncrono e autónomo individual sobre a caracterização genérica de uma plataforma de IA e/ou ML à escolha do formando e as suas possíveis aplicações em contexto educativo ou na sociedade Período de Trabalho Assíncrono / Autónomo (3 horas) Sessão Síncrona #2 (3 horas) • Apresentação do primeiro trabalho autónomo por parte dos formandos • Discussão/debate com os formandos sobre conceitos explorados na formação e como podem e devem ser aplicados no contexto das atividades educativas e de aprendizagem Sessão Síncrona #3 (3 horas) • Exploração e utilização prática de plataformas e ferramentas de IA e ML o Programação em Data Science: Python e R o Plataformas e ferramentas de Data Science: H2O, DataRobot, Azure ML, AWS Sagemaker, Azure Cognitive Services, Cortana, Alexa, SIRI, ChatGPT, DALL-E, Claude.AI Sessão Síncrona #4 (3 horas) • Continuação e conclusão da exploração e utilização prática de plataformas de IA e ML • Realização de uma ficha de trabalho por parte dos formandos consistindo em responder a um questionário sobre os conteúdos da formação • Enunciado pedindo a realização de um trabalho final autónomo individual sobre a aplicação em contexto de sala de aula ou na sociedade de uma plataforma de IA e/ou ML à escolha do formando Período de Trabalho Assíncrono / Autónomo (7 horas) Sessão Síncrona #5 (3 horas) • Apresentação do trabalho final por parte dos formandos • Discussão/debate com os formados sobre conceitos explorados na formação e como podem e devem ser aplicados no contexto das atividades educativas e de aprendizagem.

Metodologias

a) Das sessões síncronas: Apresentação dos conteúdos da ação por parte do formador • Utilização de recursos digitais em formato multimédia por parte do formador para apresentação dos conteúdos • Realização de tarefas por parte dos formandos, baseadas em fichas de trabalho presencial • Apresentação por parte dos formados dos trabalhos realizados na componente não presencial b) Das sessões assíncronas: • Realização de dois trabalhos em formato digital com aplicação prática em contexto letivo

Avaliação

• Avaliação contínua da componente presencial com acompanhamento por parte do formador na participação ativa e realização das tarefas propostas nas fichas de trabalho presencial • Avaliação dos dois trabalhos a realizar na componente não presencial / autónoma da formação • Avaliação do relatório crítico da ação de formação

Bibliografia

Stephen Wolfram, “O que faz o ChatGPT e como funciona”, Casa das Letras, 2023 Lino Oliveira e Mário Pinto, “A Inteligência Artificial na Educação – Ameaças e Oportunidades para o processo de ensino-aprendizagem”, Seminário organizado pela Licenciatura em Tecnologias e Sistemas de Informação para a Web (LTSIW) do Departamento de Informática da Escola Superior de Media Artes e Design, Instituto Politécnico do Porto, 18 Abril 2023, relatório de conteúdos disponível em https://recipp.ipp.pt/bitstream/10400.22/22779/1/LIV_LinoOliveira_2023.pdf Cláudia Meirinhos, “Práticas Educativas de Inteligência Artificial no 1º Ciclo do Ensino Básico”, Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação de Bragança para obtenção do Grau de Mestre em TIC na Educação e Formação, Instituto Politécnico de Bragança, 2022, disponível em https://bibliotecadigital.ipb.pt/bitstream/10198/26344/1/Cl%C3%A1udia%20Sofia%20Oliveira%20Macedo%20Meirinhos.pdf Martin Ford, “O Futuro da Inteligência Artificial”, Bertrand, 2022 Chen Qiufan e Kai-Fu Lee, “Inteligência Artificial 2041”, Relógio D’Água, 2023


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-04-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 08-05-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 22-05-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 28-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 05-06-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona

Ref. 179ACD 4 PND Concluída

Registo de acreditação: Ação 4 23/24 PND

Modalidade: Outro

Duração: 4.0 horas

Início: 24-04-2024

Fim: 24-04-2024

Regime: e-learning

Local: None

Formador

Maria Cristina Marques Ferreira Simões

Destinatários

Pessoal Não Docente do AE de Santa Comba Dão

Entidade formadora/Parceria

CFAE e AE de Santa Comba Dão

Enquadramento

Esta Ação pretende contribuir para a procura incessante da qualidade das respostas à diversidade no processo de ensino, aprendizagem e avaliação, desafiando os profissionais a encontrar estratégias personalizadas para todos acederem aos atuais referenciais curriculares. Torna-se premente refletir acerca das seguintes indagações presentes na atualidade educativa: Quais são os referenciais curriculares em vigor? Numa abordagem multinível, que medidas de gestão curricular existem? Como elaborar adaptações curriculares não significativas, considerando os referenciais curriculares?

Objetivos

. Refletir sobre os referenciais educativos que respondem à diversidade e pluralidade dos alunos, contribuindo para a mudança ao nível dos procedimentos pedagógicos; • Capacitar os docentes para a identificação, implementação e avaliação das medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão, assentes na intervenção multinível; • Distinguir as medidas de gestão curricular previstas no Decreto-Lei n.º 54/2018, de 6 de julho, com as alterações da Lei n.º 116/2019, de 13 de setembro e a Declaração de Retificação n.º 47/2019, de 3 de outubro; • Capacitar os docentes para a elaboração das adaptações curriculares não significativas, a partir das exigências e desafios concretos de cada grupo de recrutamento.

Conteúdos

Currículo e referenciais curriculares em vigor; • Aprendizagens Essenciais; • Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória; • Medidas de Suporte à Aprendizagem e à Inclusão, no âmbito do Decreto-Lei n.º 54/2018, de 6 de julho; • Medidas de Gestão Curricular; • Procedimentos práticos para a elaboração das Adaptações Curriculares Significativas Não Significativas

Metodologias

Nesta Ação serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Serão privilegiados momentos de reflexão e de discussão em pequenos grupos e em plenário. Os docentes devem ser desafiados à melhoria das suas práticas pedagógicas, de acordo com os referenciais normativos em vigor.

Avaliação

Frequência obrigatória das 4 horas de formação

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e formadora

Bibliografia

DGE (2018). Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 24/01/2024


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-04-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online assíncrona

Ref. 167ACD10 T2 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD10 23/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 15-04-2024

Fim: 15-04-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Maria Cristina Marques Ferreira Simões

Destinatários

Professores do 1º, 2º e 3º Ciclos, Professores do Ensino Secundário e Professores da Educação Especial a exercer funções no AE de Santa Comba Dão

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão e Agrupamento Escolas de Santa Comba Dão

Enquadramento

Esta Ação de Curta Duração (ACD) pretende contribuir para a procura incessante da qualidade das respostas à diversidade no processo de ensino, aprendizagem e avaliação, desafiando os profissionais a encontrar estratégias personalizadas para todos acederem aos atuais referenciais curriculares. Torna-se premente refletir acerca das seguintes indagações presentes na atualidade educativa: Quais são os referenciais curriculares em vigor? Numa abordagem multinível, que medidas de gestão curricular existem? Como elaborar adaptações curriculares não significativas, considerando os referenciais curriculares?

Objetivos

• Refletir sobre os referenciais educativos que respondem à diversidade e pluralidade dos alunos, contribuindo para a mudança ao nível dos procedimentos pedagógicos; • Capacitar os docentes para a identificação, implementação e avaliação das medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão, assentes na intervenção multinível; • Distinguir as medidas de gestão curricular previstas no Decreto-Lei n.º 54/2018, de 6 de julho, com as alterações da Lei n.º 116/2019, de 13 de setembro e a Declaração de Retificação n.º 47/2019, de 3 de outubro; • Capacitar os docentes para a elaboração das adaptações curriculares não significativas, a partir das exigências e desafios concretos de cada grupo de recrutamento.

Conteúdos

Currículo e referenciais curriculares em vigor; • Aprendizagens Essenciais; • Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória; • Medidas de Suporte à Aprendizagem e à Inclusão, no âmbito do Decreto-Lei n.º 54/2018, de 6 de julho; • Medidas de Gestão Curricular; • Procedimentos práticos para a elaboração das Adaptações Curriculares Significativas Não Significativas

Metodologias

Nesta ACD serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Serão privilegiados momentos de reflexão e de discussão em pequenos grupos e em plenário. Os docentes devem ser desafiados à melhoria das suas práticas pedagógicas, de acordo com os referenciais normativos em vigor.

Avaliação

Frequência obrigatória das 4 horas de formação

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e formadora

Bibliografia

DGE (2018). Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 24/01/2024


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-04-2024 (Segunda-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Online síncrona

Ref. 167ACD10 T1 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD10 23/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 10-04-2024

Fim: 10-04-2024

Regime: e-learning

Local: Via Zoom

Formador

Maria Cristina Marques Ferreira Simões

Destinatários

Professores do 1º, 2º e 3º Ciclos, Professores do Ensino Secundário e Professores da Educação Especial a exercer funções no AE de Santa Comba Dão

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão e Agrupamento Escolas de Santa Comba Dão

Enquadramento

Esta Ação de Curta Duração (ACD) pretende contribuir para a procura incessante da qualidade das respostas à diversidade no processo de ensino, aprendizagem e avaliação, desafiando os profissionais a encontrar estratégias personalizadas para todos acederem aos atuais referenciais curriculares. Torna-se premente refletir acerca das seguintes indagações presentes na atualidade educativa: Quais são os referenciais curriculares em vigor? Numa abordagem multinível, que medidas de gestão curricular existem? Como elaborar adaptações curriculares não significativas, considerando os referenciais curriculares?

Objetivos

• Refletir sobre os referenciais educativos que respondem à diversidade e pluralidade dos alunos, contribuindo para a mudança ao nível dos procedimentos pedagógicos; • Capacitar os docentes para a identificação, implementação e avaliação das medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão, assentes na intervenção multinível; • Distinguir as medidas de gestão curricular previstas no Decreto-Lei n.º 54/2018, de 6 de julho, com as alterações da Lei n.º 116/2019, de 13 de setembro e a Declaração de Retificação n.º 47/2019, de 3 de outubro; • Capacitar os docentes para a elaboração das adaptações curriculares não significativas, a partir das exigências e desafios concretos de cada grupo de recrutamento.

Conteúdos

Currículo e referenciais curriculares em vigor; • Aprendizagens Essenciais; • Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória; • Medidas de Suporte à Aprendizagem e à Inclusão, no âmbito do Decreto-Lei n.º 54/2018, de 6 de julho; • Medidas de Gestão Curricular; • Procedimentos práticos para a elaboração das Adaptações Curriculares Significativas Não Significativas

Metodologias

Nesta ACD serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Serão privilegiados momentos de reflexão e de discussão em pequenos grupos e em plenário. Os docentes devem ser desafiados à melhoria das suas práticas pedagógicas, de acordo com os referenciais normativos em vigor.

Avaliação

Frequência obrigatória das 4 horas de formação

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e formadora

Bibliografia

DGE (2018). Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 24/01/2024


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-04-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online síncrona

Ref. 176ACD13 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD13 23/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 08-04-2024

Fim: 08-04-2024

Regime: e-learning

Local: Via Zoom

Formador

Marco António Brás Neves

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

A emergência de aplicativos de Inteligência Artificial (IA) no quotidiano é uma realidade e incorpora enormes desafios. Em finais de 2022 emerge, com forte impacto, uma ferramenta poderosa, o Chat GPT, que não sendo nova para muitos, ganha espaço na área da Educação e imprime apreensão a muitos. Associando esta temática ao património cultural digital, e à sua integração educacional, encontramos pontos comuns que facilitam o desenvolvimento de práticas de aprendizagem estruturantes e inovadores no seio destas duas temáticas. Se por um lado, nos últimos três anos foram dinamizadas diversas ações de formação de capacitação digital para que todos os docentes se tornassem mais competentes na integração e no desenvolvimento da atividade pedagógica, as ferramentas digitais. Contudo, a AI é algo muito diferente e desafiador. É importante compreender de que forma podemos explorar as ferramentas assistidas pela AI na primeira pessoa e como poderemos orientar os alunos para que usufruam desta ferramenta, sem prejudicar o seu processo de aprendizagem. E que em todo este processo o docente mantenha as suas funções de ensino, como é desejável. Por outro lado, a combinação destas duas áreas através da plataforma Europeana é uma mais-valia para as práticas pedagógicas que incluam a integração da IA.

Objetivos

Temos que imperioso que a Escola reflita sobre o impacto da Inteligência Artificial (AI) nos processos de aprendizagem e de comunicação do aluno, bem como nas metodologias de avaliação, umas das formas frutuosas de o fazer é através da exploração do património cultural digital. Assim, será que esta inovadora, avançada e disruptiva ferramenta representa uma ameaça real e significativa para a Escola cruzando com a temática do património? Na inevitável integração destas realidades no quotidiano da sala de aula importa: - conhecer as implicações dos atuais modelos de linguagem nos processos de aprendizagem e de investigação; - problematizar as questões que importam na utilização da ferramenta; - identificar e reconhecer o que integro no que produzo e acrescento; - potenciar a exploração do património cultural digital através da IA

Conteúdos

- O que é a IA e a Ia Generativa - A iniciativa Europeana Educação

Metodologias

Apresentação dinâmica dos conteúdos; Participação ativa dos participantes Dinâmica de debate e discussão sobre as temáticas da ACD

Avaliação

Frequência - Presença e participação na ACD

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e formador e análise do tratamento estatístico em reunião da secção de formação e monitorização e conselho de diretores deste CFAE.

Bibliografia

Neves, M., & Holmes, W. (2021). Inteligência Artificial na Educação": Oportunidades e Preocupações" (1st ed.). Universidade do Maranhão - Brasil EDUFMA. Holmes, W., Bialik, M., & Fadel, C. (2019). Artificial intelligence in Education: Promises and implications for teaching and learning. http://oro.open.ac.uk/60255/


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-04-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona

Ref. 1374C 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116679/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 06-04-2024

Fim: 27-04-2024

Regime: e-learning

Local: Via Zoom

Formador

Andreia Patrícia Neves Veloso Guerreiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de competências digitais, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa pretende demonstrar de forma prática como as ferramentas digitais podem ser utilizadas de forma criativa nas aulas com alunos de todas as idades. Pretende-se desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e a sua capacidade para implementar estratégias e práticas criativas inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver estratégias de implementação de ferramentas digitais de forma criativa na sala de aula, recorrendo à realidade aumentada e à inteligência artificial. São objetivos específicos: - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e utilização de ferramentas digitais com recurso a realidade aumentada e inteligência artificial; - estimular a criatividade dos alunos através da arte; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental: - ArtSteps - exposições virtuais - Merge Cube e CoSpaces - espaços a 3D - Spectacular Quiver - ver os nossos desenhos em 3D - Paint Draw AR - desenhar no espaço com realidade aumentada - Autodraw- desenhar com inteligência artificial - Art Coloring Book- Recolorir obras de Arte - Nvidea Gaugan- Paisagens realistas criadas com Inteligência Artificial - Aplicações Google Art&Culture e Google AR - SculpGL – modelagem em 3D - Robótica criativa com o Robot Vex

Metodologias

a) Das sessões síncronas: As sessões síncronas são destinadas à realização de demonstração das ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento da criatividade dos alunos; à reflexão crítica sobre a importância deste tipo de atividades. Duração Horas presenciais: 25 No de horas acreditadas: 25 Descrição Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, do Ensino Secundário e de Educação Especial. b) Das sessões assíncronas Em específico, nas sessões assíncronas, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões síncronas, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha de resultados.

Avaliação

Para que o seu trabalho possa ser avaliado, os formandos terão de participar num mínimo de dois terços das sessões. A avaliação contemplará a realização de trabalhos individuais e de um trabalho de grupo que será apresentado oralmente por todos os elementos, ambos incidindo sobre as ferramentas digitais a aplicar em contexto de sala de aula. Dos trabalhos elaborados nesta ação valorizar-se-á: - O empenho e a participação ativa dos formandos no processo de formação, tendo em consideração a pertinência, a qualidade e o rigor das suas intervenções; - A reflexão crítica sobre a importância da formação no desenvolvimento pessoal e profissional do docente; Da ponderação de todos estes fatores resultará a avaliação quantitativa dos formandos, cuja escala compreende o intervalo de 1 a 10 valores, tendo como referente as seguintes menções: - Excelente — de 9 a 10 valores; - Muito Bom — de 8 a 8,9 valores; - Bom — de 6,5 a 7,9 valores; - Regular — de 5 a 6,4 valores; - Insuficiente — de 1 a 4,9 valores.

Bibliografia

Churches A. (2009), Edorigami, blooms taxonomy and digital approaches. Disponível em: https://www.yumpu.com/en/document/read/31996905/blooms-digital-taxonomy-educational-origami-wikispaces Iniciativa Nacional Competências Digitais e.2030 – Portugal INCoDe.2030 (2019). Quadro Dinâmico de Referência de Competência Digital para Portugal. Disponível em: https://www.incode2030.gov.pt/sites/default/files/qdrcd_set2019.pdf Lucas, M. & Moreira, A (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Disponível em: http://hdl.handle.net/10773/24983 Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME UNESCO. ICT Competency framework for teachers. Versão3. (2018). Paris: United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000265721.locale=en


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 06-04-2024 (Sábado) 09:30 - 13:00 3:30 Online síncrona
2 13-04-2024 (Sábado) 09:30 - 13:00 3:30 Online síncrona
3 20-04-2024 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Online síncrona
4 27-04-2024 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Online síncrona

Ref. 178Ação3T2PND23/24 Concluída

Registo de acreditação: Ação 3 PND 23/24

Modalidade: Outro

Duração: 3.0 horas

Início: 27-03-2024

Fim: 27-03-2024

Regime: Presencial

Local: ES Santa Comba Dão

Formador

Cátia Andreia Costa Frias Carvalho Mateus

Destinatários

Assistentes Técnicos e Assistentes Operacionais

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão, AE de Santa Comba Dão

Enquadramento

As escolas não são apenas espaços de aprendizagem para os alunos, mas também comunidades complexas, compostas por vários funcionários que desempenham papéis fundamentais no funcionamento diário e no bem-estar da comunidade escolar. A interação entre os colaboradores não apenas influencia o ambiente de trabalho, mas também tem um impacto direto na qualidade da educação oferecida aos alunos. Nesse contexto, a empatia e a assertividade emergem como pilares essenciais para promover relações interpessoais positivas e produtivas entre os membros da organização escolar. Este curso de curta duração irá permitir aos formandos adquirirem algumas competências básicas para se comunicarem de forma mais eficaz, aceitando e respeitando os pontos de vista uns dos outros e a resolverem conflitos de maneira construtiva.

Objetivos

Reconhecer a importância e a aplicabilidade da empatia e da assertividade, nas relações interpessoais; Identificar e desenvolver estilos de comportamento assertivo; Fortalecer as relações interpessoais entre os funcionários escolares, cultivando um ambiente de confiança, colaboração e apoio mútuo;

Conteúdos

A comunicação como objeto de dinamização de uma equipa de trabalho Dimensões do comportamento assertivo Estratégias da comunicação assertiva Importância da empatia nas relações interpessoais

Metodologias

Método expositivo conjugado com o método interrogativo Método ativo com recurso à técnica do trabalho e de grupo e brainstorming

Avaliação

Frequência

Bibliografia

Casares, M. (2009). Cómo Promover la Convivencia: Programa de Asertividad y Hablidades Sociales (PAHS) (2a ed.). Madrid: Narcea IEFP, manual_ufcd_5440_-_comunicaao_interpessoal_e_assertividade-IEFP.pdf Rego, Arménio “Comunicação Pessoal e Organizacional, Manual de Exercícios”, edições Silabo, ISBN 9789726188520


Observações

Assistentes Técnicos e Assistentes Operacionais do AE de Santa Comba Dão

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 27-03-2024 (Quarta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial

Ref. 178Ação3T1PND23/24 Concluída

Registo de acreditação: Ação 3 PND 23/24

Modalidade: Outro

Duração: 3.0 horas

Início: 26-03-2024

Fim: 26-03-2024

Regime: Presencial

Local: ES Santa Comba Dão

Formador

Cátia Andreia Costa Frias Carvalho Mateus

Destinatários

Assistentes Técnicos e Assistentes Operacionais

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão, AE de Santa Comba Dão

Enquadramento

As escolas não são apenas espaços de aprendizagem para os alunos, mas também comunidades complexas, compostas por vários funcionários que desempenham papéis fundamentais no funcionamento diário e no bem-estar da comunidade escolar. A interação entre os colaboradores não apenas influencia o ambiente de trabalho, mas também tem um impacto direto na qualidade da educação oferecida aos alunos. Nesse contexto, a empatia e a assertividade emergem como pilares essenciais para promover relações interpessoais positivas e produtivas entre os membros da organização escolar. Este curso de curta duração irá permitir aos formandos adquirirem algumas competências básicas para se comunicarem de forma mais eficaz, aceitando e respeitando os pontos de vista uns dos outros e a resolverem conflitos de maneira construtiva.

Objetivos

Reconhecer a importância e a aplicabilidade da empatia e da assertividade, nas relações interpessoais; Identificar e desenvolver estilos de comportamento assertivo; Fortalecer as relações interpessoais entre os funcionários escolares, cultivando um ambiente de confiança, colaboração e apoio mútuo;

Conteúdos

A comunicação como objeto de dinamização de uma equipa de trabalho Dimensões do comportamento assertivo Estratégias da comunicação assertiva Importância da empatia nas relações interpessoais

Metodologias

Método expositivo conjugado com o método interrogativo Método ativo com recurso à técnica do trabalho e de grupo e brainstorming

Avaliação

Frequência

Bibliografia

Casares, M. (2009). Cómo Promover la Convivencia: Programa de Asertividad y Hablidades Sociales (PAHS) (2a ed.). Madrid: Narcea IEFP, manual_ufcd_5440_-_comunicaao_interpessoal_e_assertividade-IEFP.pdf Rego, Arménio “Comunicação Pessoal e Organizacional, Manual de Exercícios”, edições Silabo, ISBN 9789726188520


Observações

Assistentes Técnicos e Assistentes Operacionais do AE de Santa Comba Dão

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 26-03-2024 (Terça-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial

Ref. 169W1 Uso Plataf. Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123346/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 12.0 horas

Início: 16-03-2024

Fim: 23-03-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal

Formador

Maria Paula Castro e Silva Graça da Cruz

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Planalto Beirão e Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal

Enquadramento

Para atender às necessidades de uma sociedade em constante evolução, a inovação na educação é crucial, envolve a introdução de novas tecnologias, métodos de ensino alternativos e abordagens que considerem a diversidade dos alunos. As tecnologias são fundamentais na educação moderna por várias razões. Elas facilitam o acesso a uma vasta quantidade de informações e recursos educativos, promovem métodos de ensino mais interativos e envolventes, e permitem a personalização da aprendizagem. Além disso, a familiaridade com as tecnologias prepara os alunos para um mercado de trabalho cada vez mais digitalizado. A inovação é aliada da educação tornando-a mais acessível, eficaz e inclusiva. Assim, pretendemos, com as nossas Jornadas Pedagógicas refletir sobre questões como estilos de aprendizagem e a necessidade de se adaptarem a um mundo em rápida e constante mudança desenvolvendo nos alunos competências interpessoais e de maior envolvimento no seu processo de ensino/aprendizagem/avaliação, de acordo com todos os normativos legais. Com as metodologias ativas como a Aprendizagem Cooperativa propomo-nos promover competências sociais e de trabalho em equipa. Neste modelo, serão dinamizados workshops nos quais os participantes trabalharão em grupo contribuindo para uma compreensão mais profunda dos objetivos e conteúdos das jornadas e um maior envolvimento/interação dos presentes. Com as Jornadas Pedagógicas (RE)Imaginando os limites da Educação – A Alquimia da Inovação utilizando Tecnologias e Práticas de Aprendizagem Cooperativa, pretendemos que as mesmas contribuam para que os docentes sejam capazes de preparar os alunos não apenas para o mercado de trabalho, mas também para serem cidadãos informados e responsáveis numa sociedade globalizada.

Objetivos

Conhecer a evolução das Políticas Educativas e avaliativas em Portugal.  Promover a implementação de práticas de avaliação ao serviço da melhoria das aprendizagens.  Personalizar o ensino e a aprendizagem de acordo com as necessidades individuais dos alunos.  Potenciar a criação de dinâmicas de trabalho colaborativo/cooperativo que favoreçam a gestão flexível e contextualizada do currículo, integrando práticas de ensino e de aprendizagem centradas no aluno, orientadas para as áreas de competências do PA.  Fundir eficientemente tecnologia e educação para transformar o processo de ensino- aprendizagem avaliação, tornando-o mais envolvente, interativo e personalizado, alinhado com as tendências do século XXI.  Promover metodologias ativas que incentivem o trabalho em equipa e a aprendizagem cooperativa, para aprimorar o envolvimento dos alunos e aprofundar a compreensão dos conteúdos.  Assegurar que a educação não se limite apenas à preparação para o mercado de trabalho, mas também ao desenvolvimento de alunos como cidadãos informados e responsáveis.

Conteúdos

(Re)visitar as políticas educativas e avaliativas em Portugal; Avaliação pedagógica e referencial de avaliação: porquê? Para quê? Natureza e fundamentos da avaliação pedagógica: dos normativos à sua implementação em contexto escolar; Refletir e inferir em torno das novas tecnologias e das metodologias ativas: como as potenciar e articular com a finalidade de promover o acesso ao currículo por parte de todos os alunos; Refletir e indagar em torno de conceitos alocados à avaliação pedagógica, nomeadamente práticas avaliativas, feedback e técnicas/processos de recolha de informação. Exploração e uso das tecnologias para melhorar o acesso à informação e potenciar a aprendizagem dos alunos; Implementação de workshops que promovam a aprendizagem em contexto incentivem a participação ativa e o trabalho em equipa por parte de todos os interlocutores.

Metodologias

A formação será desenvolvida na forma de 8 sessões plenárias/conferências distribuídas pelo primeiro e segundo dia (parte da manhã). No segundo dia da parte da tarde serão dinamizados workshops temáticos, de acordo com a seguinte calendarização (que poderá sofrer alterações):Nas sessões plenárias/conferências, presenciais e de caracter teórico-prático-reflexivo, desenvolvem-se em torno da seguinte metodologia: numa primeira parte, e a partir da atualização de informação e potenciando uma atitude ativa por parte dos docentes, será feito um enquadramento teórico e concetual da temática em análise por parte de especialistas na temática (duração de 50 minutos). Segue-se um espaço aberto à reflexão conjunta, de questionamento, de construção e partilha de perceções e expetativas dos professores, projetos e ideias alocados a cada tema/assunto em exploração e debate (duração de 10 minutos)

Avaliação

A avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10, de acordo com o ECD, Regime Jurídico da Formação Contínua e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC. O instrumento de avaliação utilizado será uma reflexão individual com número limitado de carateres. A reflexão individual, deverá contemplar uma visão global e reflexiva de cada comunicação das Jornadas. A avaliação dos formandos alicerça-se na qualidade da reflexão evidenciada na elaboração do Relatório Individual (grau de clareza, postura crítica, grau de profundidade, rigor científico, pertinência, expressão escrita) – 100%. O referencial da escala de avaliação é o previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD, aprovado pelo DL nº 75/10, de 23 de junho: No primeiro dia, na sessão plenária, haverá um espaço de apresentação do processo de avaliação dos formandos e sua participação na avaliação nas Jornadas.

Modelo

Preenchimento de questionário pelos formandos e análise do tratamento estatístico em reunião da secção de formação e monitorização e conselho de diretores deste CFAE.

Bibliografia

Cosme, A., Ferreira, D., Ferreira, N., Lima, L. (2021). Metodologias, Métodos e Situações de Aprendizagem Propostas e Estratégias de Ação - Ensino Básico e Ensino Secundário. Porto. Porto Editora. Fernandes, D. (2018). Para um enquadramento teórico da avaliação formativa e da avaliação sumativa das aprendizagens escolares. In M. I. R. Ortigão, D. Fernandes, T. V. Pereira, & L. Santos (Org.), Avaliar para aprender no Brasil e em Portugal. Perspectivas teóricas, Práticas e de Desenvolvimento (pp. 139- 163). Editora CRV. Ferrarini, R., Saheb, D., & Torres, P. L. (2019). Metodologias ativas e tecnologias digitais: Revista Educação Em Questão, 57(52). https://doi.org/10.21680/1981-1802.2019v57n52ID15762 Lopes, J. & Silva, H. S. (2009), A aprendizagem cooperativa na sala de aula: Lidel. Martins, G. d’O. (Coord.). (2017). Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória. In Ministério da Educação. Ministério da Educação.

Anexo(s)

reimaginando-os-limites-da-educacao.pdf

programa-jornadas_final.pdf

programa-jornadas.pdf

reimaginando-os-limites-da-educacao-1.pdf


Observações

W1 - “Uso de plataformas digitais como facilitador do processo Ensino-Aprendizagem-Avaliação”

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-03-2024 (Sábado) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial

Ref. 169W2 Ferram. Dig. Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123346/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 12.0 horas

Início: 16-03-2024

Fim: 23-03-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal

Formador

Paulo Manuel de Matos Pereira

Maria da Nazaré Sousa Leite Mendes Brito

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Planalto Beirão e Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal

Enquadramento

Para atender às necessidades de uma sociedade em constante evolução, a inovação na educação é crucial, envolve a introdução de novas tecnologias, métodos de ensino alternativos e abordagens que considerem a diversidade dos alunos. As tecnologias são fundamentais na educação moderna por várias razões. Elas facilitam o acesso a uma vasta quantidade de informações e recursos educativos, promovem métodos de ensino mais interativos e envolventes, e permitem a personalização da aprendizagem. Além disso, a familiaridade com as tecnologias prepara os alunos para um mercado de trabalho cada vez mais digitalizado. A inovação é aliada da educação tornando-a mais acessível, eficaz e inclusiva. Assim, pretendemos, com as nossas Jornadas Pedagógicas refletir sobre questões como estilos de aprendizagem e a necessidade de se adaptarem a um mundo em rápida e constante mudança desenvolvendo nos alunos competências interpessoais e de maior envolvimento no seu processo de ensino/aprendizagem/avaliação, de acordo com todos os normativos legais. Com as metodologias ativas como a Aprendizagem Cooperativa propomo-nos promover competências sociais e de trabalho em equipa. Neste modelo, serão dinamizados workshops nos quais os participantes trabalharão em grupo contribuindo para uma compreensão mais profunda dos objetivos e conteúdos das jornadas e um maior envolvimento/interação dos presentes. Com as Jornadas Pedagógicas (RE)Imaginando os limites da Educação – A Alquimia da Inovação utilizando Tecnologias e Práticas de Aprendizagem Cooperativa, pretendemos que as mesmas contribuam para que os docentes sejam capazes de preparar os alunos não apenas para o mercado de trabalho, mas também para serem cidadãos informados e responsáveis numa sociedade globalizada.

Objetivos

Conhecer a evolução das Políticas Educativas e avaliativas em Portugal.  Promover a implementação de práticas de avaliação ao serviço da melhoria das aprendizagens.  Personalizar o ensino e a aprendizagem de acordo com as necessidades individuais dos alunos.  Potenciar a criação de dinâmicas de trabalho colaborativo/cooperativo que favoreçam a gestão flexível e contextualizada do currículo, integrando práticas de ensino e de aprendizagem centradas no aluno, orientadas para as áreas de competências do PA.  Fundir eficientemente tecnologia e educação para transformar o processo de ensino- aprendizagem avaliação, tornando-o mais envolvente, interativo e personalizado, alinhado com as tendências do século XXI.  Promover metodologias ativas que incentivem o trabalho em equipa e a aprendizagem cooperativa, para aprimorar o envolvimento dos alunos e aprofundar a compreensão dos conteúdos.  Assegurar que a educação não se limite apenas à preparação para o mercado de trabalho, mas também ao desenvolvimento de alunos como cidadãos informados e responsáveis.

Conteúdos

(Re)visitar as políticas educativas e avaliativas em Portugal; Avaliação pedagógica e referencial de avaliação: porquê? Para quê? Natureza e fundamentos da avaliação pedagógica: dos normativos à sua implementação em contexto escolar; Refletir e inferir em torno das novas tecnologias e das metodologias ativas: como as potenciar e articular com a finalidade de promover o acesso ao currículo por parte de todos os alunos; Refletir e indagar em torno de conceitos alocados à avaliação pedagógica, nomeadamente práticas avaliativas, feedback e técnicas/processos de recolha de informação. Exploração e uso das tecnologias para melhorar o acesso à informação e potenciar a aprendizagem dos alunos; Implementação de workshops que promovam a aprendizagem em contexto incentivem a participação ativa e o trabalho em equipa por parte de todos os interlocutores.

Metodologias

A formação será desenvolvida na forma de 8 sessões plenárias/conferências distribuídas pelo primeiro e segundo dia (parte da manhã). No segundo dia da parte da tarde serão dinamizados workshops temáticos, de acordo com a seguinte calendarização (que poderá sofrer alterações):Nas sessões plenárias/conferências, presenciais e de caracter teórico-prático-reflexivo, desenvolvem-se em torno da seguinte metodologia: numa primeira parte, e a partir da atualização de informação e potenciando uma atitude ativa por parte dos docentes, será feito um enquadramento teórico e concetual da temática em análise por parte de especialistas na temática (duração de 50 minutos). Segue-se um espaço aberto à reflexão conjunta, de questionamento, de construção e partilha de perceções e expetativas dos professores, projetos e ideias alocados a cada tema/assunto em exploração e debate (duração de 10 minutos)

Avaliação

A avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10, de acordo com o ECD, Regime Jurídico da Formação Contínua e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC. O instrumento de avaliação utilizado será uma reflexão individual com número limitado de carateres. A reflexão individual, deverá contemplar uma visão global e reflexiva de cada comunicação das Jornadas. A avaliação dos formandos alicerça-se na qualidade da reflexão evidenciada na elaboração do Relatório Individual (grau de clareza, postura crítica, grau de profundidade, rigor científico, pertinência, expressão escrita) – 100%. O referencial da escala de avaliação é o previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD, aprovado pelo DL nº 75/10, de 23 de junho: No primeiro dia, na sessão plenária, haverá um espaço de apresentação do processo de avaliação dos formandos e sua participação na avaliação nas Jornadas.

Modelo

Preenchimento de questionário pelos formandos e análise do tratamento estatístico em reunião da secção de formação e monitorização e conselho de diretores deste CFAE.

Bibliografia

Cosme, A., Ferreira, D., Ferreira, N., Lima, L. (2021). Metodologias, Métodos e Situações de Aprendizagem Propostas e Estratégias de Ação - Ensino Básico e Ensino Secundário. Porto. Porto Editora. Fernandes, D. (2018). Para um enquadramento teórico da avaliação formativa e da avaliação sumativa das aprendizagens escolares. In M. I. R. Ortigão, D. Fernandes, T. V. Pereira, & L. Santos (Org.), Avaliar para aprender no Brasil e em Portugal. Perspectivas teóricas, Práticas e de Desenvolvimento (pp. 139- 163). Editora CRV. Ferrarini, R., Saheb, D., & Torres, P. L. (2019). Metodologias ativas e tecnologias digitais: Revista Educação Em Questão, 57(52). https://doi.org/10.21680/1981-1802.2019v57n52ID15762 Lopes, J. & Silva, H. S. (2009), A aprendizagem cooperativa na sala de aula: Lidel. Martins, G. d’O. (Coord.). (2017). Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória. In Ministério da Educação. Ministério da Educação.

Anexo(s)

reimaginando-os-limites-da-educacao.pdf

programa-jornadas_final.pdf

programa-jornadas.pdf

reimaginando-os-limites-da-educacao-1.pdf


Observações

W2 - “Ferramentas digitais com IA (integrada) no apoio ao ensino cooperativo”

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-03-2024 (Sábado) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial

Ref. 169W3 Metod. Ativa Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123346/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 12.0 horas

Início: 16-03-2024

Fim: 23-03-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal

Formador

António Manuel Pereira Marques

Maria Elisa Ribeiro Borges

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Planalto Beirão e Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal

Enquadramento

Para atender às necessidades de uma sociedade em constante evolução, a inovação na educação é crucial, envolve a introdução de novas tecnologias, métodos de ensino alternativos e abordagens que considerem a diversidade dos alunos. As tecnologias são fundamentais na educação moderna por várias razões. Elas facilitam o acesso a uma vasta quantidade de informações e recursos educativos, promovem métodos de ensino mais interativos e envolventes, e permitem a personalização da aprendizagem. Além disso, a familiaridade com as tecnologias prepara os alunos para um mercado de trabalho cada vez mais digitalizado. A inovação é aliada da educação tornando-a mais acessível, eficaz e inclusiva. Assim, pretendemos, com as nossas Jornadas Pedagógicas refletir sobre questões como estilos de aprendizagem e a necessidade de se adaptarem a um mundo em rápida e constante mudança desenvolvendo nos alunos competências interpessoais e de maior envolvimento no seu processo de ensino/aprendizagem/avaliação, de acordo com todos os normativos legais. Com as metodologias ativas como a Aprendizagem Cooperativa propomo-nos promover competências sociais e de trabalho em equipa. Neste modelo, serão dinamizados workshops nos quais os participantes trabalharão em grupo contribuindo para uma compreensão mais profunda dos objetivos e conteúdos das jornadas e um maior envolvimento/interação dos presentes. Com as Jornadas Pedagógicas (RE)Imaginando os limites da Educação – A Alquimia da Inovação utilizando Tecnologias e Práticas de Aprendizagem Cooperativa, pretendemos que as mesmas contribuam para que os docentes sejam capazes de preparar os alunos não apenas para o mercado de trabalho, mas também para serem cidadãos informados e responsáveis numa sociedade globalizada.

Objetivos

Conhecer a evolução das Políticas Educativas e avaliativas em Portugal.  Promover a implementação de práticas de avaliação ao serviço da melhoria das aprendizagens.  Personalizar o ensino e a aprendizagem de acordo com as necessidades individuais dos alunos.  Potenciar a criação de dinâmicas de trabalho colaborativo/cooperativo que favoreçam a gestão flexível e contextualizada do currículo, integrando práticas de ensino e de aprendizagem centradas no aluno, orientadas para as áreas de competências do PA.  Fundir eficientemente tecnologia e educação para transformar o processo de ensino- aprendizagem avaliação, tornando-o mais envolvente, interativo e personalizado, alinhado com as tendências do século XXI.  Promover metodologias ativas que incentivem o trabalho em equipa e a aprendizagem cooperativa, para aprimorar o envolvimento dos alunos e aprofundar a compreensão dos conteúdos.  Assegurar que a educação não se limite apenas à preparação para o mercado de trabalho, mas também ao desenvolvimento de alunos como cidadãos informados e responsáveis.

Conteúdos

(Re)visitar as políticas educativas e avaliativas em Portugal; Avaliação pedagógica e referencial de avaliação: porquê? Para quê? Natureza e fundamentos da avaliação pedagógica: dos normativos à sua implementação em contexto escolar; Refletir e inferir em torno das novas tecnologias e das metodologias ativas: como as potenciar e articular com a finalidade de promover o acesso ao currículo por parte de todos os alunos; Refletir e indagar em torno de conceitos alocados à avaliação pedagógica, nomeadamente práticas avaliativas, feedback e técnicas/processos de recolha de informação. Exploração e uso das tecnologias para melhorar o acesso à informação e potenciar a aprendizagem dos alunos; Implementação de workshops que promovam a aprendizagem em contexto incentivem a participação ativa e o trabalho em equipa por parte de todos os interlocutores.

Metodologias

A formação será desenvolvida na forma de 8 sessões plenárias/conferências distribuídas pelo primeiro e segundo dia (parte da manhã). No segundo dia da parte da tarde serão dinamizados workshops temáticos, de acordo com a seguinte calendarização (que poderá sofrer alterações):Nas sessões plenárias/conferências, presenciais e de caracter teórico-prático-reflexivo, desenvolvem-se em torno da seguinte metodologia: numa primeira parte, e a partir da atualização de informação e potenciando uma atitude ativa por parte dos docentes, será feito um enquadramento teórico e concetual da temática em análise por parte de especialistas na temática (duração de 50 minutos). Segue-se um espaço aberto à reflexão conjunta, de questionamento, de construção e partilha de perceções e expetativas dos professores, projetos e ideias alocados a cada tema/assunto em exploração e debate (duração de 10 minutos)

Avaliação

A avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10, de acordo com o ECD, Regime Jurídico da Formação Contínua e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC. O instrumento de avaliação utilizado será uma reflexão individual com número limitado de carateres. A reflexão individual, deverá contemplar uma visão global e reflexiva de cada comunicação das Jornadas. A avaliação dos formandos alicerça-se na qualidade da reflexão evidenciada na elaboração do Relatório Individual (grau de clareza, postura crítica, grau de profundidade, rigor científico, pertinência, expressão escrita) – 100%. O referencial da escala de avaliação é o previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD, aprovado pelo DL nº 75/10, de 23 de junho: No primeiro dia, na sessão plenária, haverá um espaço de apresentação do processo de avaliação dos formandos e sua participação na avaliação nas Jornadas.

Modelo

Preenchimento de questionário pelos formandos e análise do tratamento estatístico em reunião da secção de formação e monitorização e conselho de diretores deste CFAE.

Bibliografia

Cosme, A., Ferreira, D., Ferreira, N., Lima, L. (2021). Metodologias, Métodos e Situações de Aprendizagem Propostas e Estratégias de Ação - Ensino Básico e Ensino Secundário. Porto. Porto Editora. Fernandes, D. (2018). Para um enquadramento teórico da avaliação formativa e da avaliação sumativa das aprendizagens escolares. In M. I. R. Ortigão, D. Fernandes, T. V. Pereira, & L. Santos (Org.), Avaliar para aprender no Brasil e em Portugal. Perspectivas teóricas, Práticas e de Desenvolvimento (pp. 139- 163). Editora CRV. Ferrarini, R., Saheb, D., & Torres, P. L. (2019). Metodologias ativas e tecnologias digitais: Revista Educação Em Questão, 57(52). https://doi.org/10.21680/1981-1802.2019v57n52ID15762 Lopes, J. & Silva, H. S. (2009), A aprendizagem cooperativa na sala de aula: Lidel. Martins, G. d’O. (Coord.). (2017). Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória. In Ministério da Educação. Ministério da Educação.

Anexo(s)

reimaginando-os-limites-da-educacao.pdf

programa-jornadas_final.pdf

programa-jornadas.pdf

reimaginando-os-limites-da-educacao-1.pdf


Observações

W3 - “Metodologias ativas"

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-03-2024 (Sábado) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial

Ref. 170ACD11 T1 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD11 23/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 13-03-2024

Fim: 13-03-2024

Regime: e-learning

Local: Via Zoom

Formador

António Manuel Pereira Marques

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Planalto Beirão e Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal

Enquadramento

Na Era da digitalização da sociedade, também na Educação se torna premente a utilização, de forma parcimoniosa, de ferramentas que facilitem aos docentes a implementação de um processo de ensino e aprendizagem motivador, mais individualizado e holístico. Assim, a ferramenta Canva é a ideal para o desenvolvimento de metodologias ativas na sala de aula e a distância, mormente através do trabalho de projecto, tanto na fase de construção como na posterior apresentação., Para além do referido, poderá ser um recurso para fomentar e construir estratégias diversificadas para avaliar a aprendizagem dos alunos de forma contínua, dando enfoque ao processo e não apenas ao produto, facilitando ao docente um feedback efectivo. Sintetizando, o Canva permite envolver os alunos de forma colaborativa (entre eles e eles e o professor), incrementa a regulação das aprendizagens, pois possibilita uma avaliação formativa, permitindo um feedback escrito e o diálogo professor-aluno.

Objetivos

.-Promover mudanças metodológicas em contexto de sala de aula (metodologias ativas); - Promover o Canva como um recurso forte para incrementar/melhorar a comunicação entre o professor e o aluno, através do escrito, envolvendo ativamente os alunos na revisão do seu trabalho; -Capacitar os docentes a utilizar a ferramenta Canva e, assim, todos os seus recursos visuais e de áudio gratuitos; -Promover e fomentar o trabalho colaborativo.

Conteúdos

A utilização do canva para: - criar templates,, - slides, - vídeos; - imagens; - planos de aulas e mapas mentais.

Metodologias

A ação formativa decorrerá online por videoconferência, utilizando a exposição de conteúdos e a realização de atividades práticas, vista à sua implementação em contexto educativo

Avaliação

Frequência obrigatória de 3horas de formação

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e formadora e análise do tratamento estatístico em reunião da secção de formação e monitorização e conselho de diretores deste CFAE.

Bibliografia

Souza, E. (2022). O uso do Canva para promoção de uma avaliação inovadora na Educação Profissional - NOVAS TENDÊNCIAS E PERSPECTIVAS DA EDUCAÇÃO: MÉTODOS E PRÁTICAS 2 https://www.researchgate.net/publication/359706902_O_uso_do_Canva_para_promocao_de_uma_avaliacao_inovadora_na_Educacao_Profissional


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 13-03-2024 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Online síncrona

Ref. 166ACD8 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD8 23/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 28-02-2024

Fim: 28-02-2024

Regime: e-learning

Local: Via Zoom

Formador

Maria Cristina Marques Ferreira Simões

Destinatários

Professores do 1º, 2º e 3º Ciclos, Professores do Ensino Secundário e Professores da Educação Especial a exercer funções nos AE associados do CFAE Planalto Beirão

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

A educação inclusiva implica responder à heterogeneidade (e.g., alunos, professores), constituindo um fator de enriquecimento e um exercício de cidadania para todos. Nesta lógica de respeito pela diversidade, o paradigma atual centra-se no currículo, pelo que as tomadas de decisão devem ser efetuadas com base em evidências pedagógicas, desafiando os vários agentes envolvidos a refletir sobre as dificuldades no acesso ao mesmo e encontrar estratégias personalizadas para todos acederem aos atuais referenciais curriculares. Consequentemente, esta Ação de Curta Duração (ACD) pretende clarificar três aspetos essenciais na atualidade educativa, designadamente: Quais são os atuais referenciais curriculares? Numa abordagem multinível, que medidas de gestão curricular existem? Como elaborar adaptações curriculares não significativas, considerando os referenciais curriculares em vigor?

Objetivos

• Refletir sobre os referenciais educativos que respondem à diversidade e pluralidade dos alunos, contribuindo para a mudança ao nível dos procedimentos pedagógicos; • Capacitar os docentes para a identificação, implementação e avaliação das medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão, assentes na intervenção multinível; • Distinguir as medidas de gestão curricular previstas no Decreto-Lei n.º 54/2018, de 6 de julho, com as alterações da Lei n.º 116/2019, de 13 de setembro e a Declaração de Retificação n.º 47/2019, de 3 de outubro; • Capacitar os docentes para a elaboração das adaptações curriculares não significativas, a partir das exigências e desafios concretos de cada grupo de recrutamento.

Conteúdos

Currículo e referenciais curriculares em vigor; • Aprendizagens Essenciais; • Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória; • Medidas de Suporte à Aprendizagem e à Inclusão, no âmbito do Decreto-Lei n.º 54/2018, de 6 de julho; • Medidas de Gestão Curricular; • Procedimentos práticos para a elaboração das Adaptações Curriculares Significativas Não Significativas

Metodologias

Nesta ACD, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Serão privilegiados momentos de reflexão e de discussão em plenário. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor.

Avaliação

Frequência obrigatória das 3 horas de formação.

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e formadora

Bibliografia

DGE (2018). Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 24/01/2024


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-02-2024 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Online síncrona

Ref. 1581C1 -T2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121386/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 27-01-2024

Fim: 09-03-2024

Regime: e-learning

Local: À distância

Formador

Ricardo Jorge Ribeiro dos Santos

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A mais recente evolução da Inteligência Artificial (IA) e Machine Learning (ML) e da sua materialização em soluções disponíveis para a sociedade em geral, como o ChatGPT, Dall-E e outras ferramentas e plataformas semelhantes, permite-nos afirmar hoje que iremos assistir ao crescimento exponencial das suas aplicações e que muito em breve farão parte do nosso quotidiano pessoal e profissional. A capacidade de trabalhar com IA e ML será uma das competências-chave do século XXI. Ao capacitar professores para conhecer e utilizar soluções existentes e emergentes nestas áreas, assegura-se que estão atualizados e alinhados com as questões e inovações tecnológicas contemporâneas, o que lhes permitirá retirar os mais variados benefícios quer na sua prática docente, quer na formação dos alunos. É importante realçar que a IA e o ML não são relevantes apenas para a área de tecnologia, pois as suas aplicações são multidisciplinares, podendo os professores de diversas disciplinas integrar os conceitos para enriquecer o conteúdo das suas aulas e as suas práticas pedagógicas. Como tem sido frequente no passado, a integração de tecnologias emergentes pode também aumentar o empenho e a motivação dos alunos. Dado o seu crescente potencial de influência no mundo moderno, é igualmente importante estar preparado para estimular o pensamento crítico e discutir questões éticas e de responsabilidade na utilização da IA e ML, por exemplo na forma como os algoritmos podem influenciar as massas ou tratam a privacidade dos dados. É vital que os alunos sejam confrontados com estas questões desde cedo, e os professores podem desempenhar um papel crucial nisso. O estudo da IA e do ML pode servir como um catalisador para desenvolver o pensamento crítico, lógico e analítico dos alunos. Compreender como os algoritmos funcionam e como eles influenciam as decisões será fundamental para a formação de cidadãos mais informados e conscientes.

Objetivos

• Familiarizar os professores com os conceitos e o estado da arte da IA e ML, abordando as mais recentes evoluções e as suas aplicações em ferramentas e plataformas como o ChatGPT, DALL-E, entre outros. • Capacitar os docentes a identificar e utilizar ferramentas e plataformas emergentes em IA e ML, mantendo-se atualizados com inovações tecnológicas contemporâneas, equipando os professores com habilidades práticas para integrar IA e ML nas suas práticas docentes. • Orientar os educadores sobre como fazer a aprendizagem de IA e ML relevante e aplicável ao contexto escolar específico, visando aumentar o empenho e a motivação dos alunos. • Habilitar os docentes a transmitir competências essenciais de IA e ML aos alunos e a realizar a sua aplicação em áreas multidisciplinares. • Introduzir discussões sobre questões éticas e de responsabilidade na utilização da IA e ML, como preconceitos em algoritmos e privacidade de dados. • Permitir que os professores possam formar os alunos para serem cidadãos informados e conscientes, entendendo os impactos e implicações da IA e ML no mundo moderno e estimular o pensamento crítico, lógico e analítico nos professores e alunos, compreendendo como a IA influencia decisões e a sociedade.

Conteúdos

Sessão Síncrona #1 (3 horas) • Conceitos, evolução e aplicações de IA e ML o Definição e conceitos de IA e ML o Teste de Turing, sistemas periciais e primeiros conceitos de utilização de IA o Distinção entre aprendizagem supervisionada vs não supervisionada o Conceitos e aplicações das diferentes técnicas e algoritmos de IA e ML o Evolução recente da Inteligência Artificial e Machine Learning: redes neuronais, deep learning e LLM o Aplicações atuais e futuras da IA e ML em contexto escolar e na sociedade em geral • Discussão/debate com os formandos sobre a utilização da IA e ML o Numa perspetiva do seu impacto na sociedade em geral atual e futura o Numa perspetiva de utilização nas práticas docentes e contexto escolar • Enunciado pedindo a realização de um primeiro trabalho assíncrono e autónomo individual sobre a caracterização genérica de uma plataforma de IA e/ou ML à escolha do formando e as suas possíveis aplicações em contexto educativo ou na sociedade Período de Trabalho Assíncrono / Autónomo (3 horas) Sessão Síncrona #2 (3 horas) • Apresentação do primeiro trabalho autónomo por parte dos formandos • Discussão/debate com os formandos sobre conceitos explorados na formação e como podem e devem ser aplicados no contexto das atividades educativas e de aprendizagem Sessão Síncrona #3 (3 horas) • Exploração e utilização prática de plataformas e ferramentas de IA e ML o Programação em Data Science: Python e R o Plataformas e ferramentas de Data Science: H2O, DataRobot, Azure ML, AWS Sagemaker, Azure Cognitive Services, Cortana, Alexa, SIRI, ChatGPT, DALL-E, Claude.AI Sessão Síncrona #4 (3 horas) • Continuação e conclusão da exploração e utilização prática de plataformas de IA e ML • Realização de uma ficha de trabalho por parte dos formandos consistindo em responder a um questionário sobre os conteúdos da formação • Enunciado pedindo a realização de um trabalho final autónomo individual sobre a aplicação em contexto de sala de aula ou na sociedade de uma plataforma de IA e/ou ML à escolha do formando Período de Trabalho Assíncrono / Autónomo (7 horas) Sessão Síncrona #5 (3 horas) • Apresentação do trabalho final por parte dos formandos • Discussão/debate com os formados sobre conceitos explorados na formação e como podem e devem ser aplicados no contexto das atividades educativas e de aprendizagem.

Metodologias

a) Das sessões síncronas: Apresentação dos conteúdos da ação por parte do formador • Utilização de recursos digitais em formato multimédia por parte do formador para apresentação dos conteúdos • Realização de tarefas por parte dos formandos, baseadas em fichas de trabalho presencial • Apresentação por parte dos formados dos trabalhos realizados na componente não presencial b) Das sessões assíncronas: • Realização de dois trabalhos em formato digital com aplicação prática em contexto letivo

Avaliação

• Avaliação contínua da componente presencial com acompanhamento por parte do formador na participação ativa e realização das tarefas propostas nas fichas de trabalho presencial • Avaliação dos dois trabalhos a realizar na componente não presencial / autónoma da formação • Avaliação do relatório crítico da ação de formação

Bibliografia

Stephen Wolfram, “O que faz o ChatGPT e como funciona”, Casa das Letras, 2023 Lino Oliveira e Mário Pinto, “A Inteligência Artificial na Educação – Ameaças e Oportunidades para o processo de ensino-aprendizagem”, Seminário organizado pela Licenciatura em Tecnologias e Sistemas de Informação para a Web (LTSIW) do Departamento de Informática da Escola Superior de Media Artes e Design, Instituto Politécnico do Porto, 18 Abril 2023, relatório de conteúdos disponível em https://recipp.ipp.pt/bitstream/10400.22/22779/1/LIV_LinoOliveira_2023.pdf Cláudia Meirinhos, “Práticas Educativas de Inteligência Artificial no 1º Ciclo do Ensino Básico”, Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação de Bragança para obtenção do Grau de Mestre em TIC na Educação e Formação, Instituto Politécnico de Bragança, 2022, disponível em https://bibliotecadigital.ipb.pt/bitstream/10198/26344/1/Cl%C3%A1udia%20Sofia%20Oliveira%20Macedo%20Meirinhos.pdf Martin Ford, “O Futuro da Inteligência Artificial”, Bertrand, 2022 Chen Qiufan e Kai-Fu Lee, “Inteligência Artificial 2041”, Relógio D’Água, 2023


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 27-01-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
2 03-02-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
3 17-02-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
4 24-02-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
5 09-03-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona

Ref. 1581C1 -T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121386/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 24-01-2024

Fim: 06-03-2024

Regime: e-learning

Local: À distância

Formador

Ricardo Jorge Ribeiro dos Santos

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A mais recente evolução da Inteligência Artificial (IA) e Machine Learning (ML) e da sua materialização em soluções disponíveis para a sociedade em geral, como o ChatGPT, Dall-E e outras ferramentas e plataformas semelhantes, permite-nos afirmar hoje que iremos assistir ao crescimento exponencial das suas aplicações e que muito em breve farão parte do nosso quotidiano pessoal e profissional. A capacidade de trabalhar com IA e ML será uma das competências-chave do século XXI. Ao capacitar professores para conhecer e utilizar soluções existentes e emergentes nestas áreas, assegura-se que estão atualizados e alinhados com as questões e inovações tecnológicas contemporâneas, o que lhes permitirá retirar os mais variados benefícios quer na sua prática docente, quer na formação dos alunos. É importante realçar que a IA e o ML não são relevantes apenas para a área de tecnologia, pois as suas aplicações são multidisciplinares, podendo os professores de diversas disciplinas integrar os conceitos para enriquecer o conteúdo das suas aulas e as suas práticas pedagógicas. Como tem sido frequente no passado, a integração de tecnologias emergentes pode também aumentar o empenho e a motivação dos alunos. Dado o seu crescente potencial de influência no mundo moderno, é igualmente importante estar preparado para estimular o pensamento crítico e discutir questões éticas e de responsabilidade na utilização da IA e ML, por exemplo na forma como os algoritmos podem influenciar as massas ou tratam a privacidade dos dados. É vital que os alunos sejam confrontados com estas questões desde cedo, e os professores podem desempenhar um papel crucial nisso. O estudo da IA e do ML pode servir como um catalisador para desenvolver o pensamento crítico, lógico e analítico dos alunos. Compreender como os algoritmos funcionam e como eles influenciam as decisões será fundamental para a formação de cidadãos mais informados e conscientes.

Objetivos

• Familiarizar os professores com os conceitos e o estado da arte da IA e ML, abordando as mais recentes evoluções e as suas aplicações em ferramentas e plataformas como o ChatGPT, DALL-E, entre outros. • Capacitar os docentes a identificar e utilizar ferramentas e plataformas emergentes em IA e ML, mantendo-se atualizados com inovações tecnológicas contemporâneas, equipando os professores com habilidades práticas para integrar IA e ML nas suas práticas docentes. • Orientar os educadores sobre como fazer a aprendizagem de IA e ML relevante e aplicável ao contexto escolar específico, visando aumentar o empenho e a motivação dos alunos. • Habilitar os docentes a transmitir competências essenciais de IA e ML aos alunos e a realizar a sua aplicação em áreas multidisciplinares. • Introduzir discussões sobre questões éticas e de responsabilidade na utilização da IA e ML, como preconceitos em algoritmos e privacidade de dados. • Permitir que os professores possam formar os alunos para serem cidadãos informados e conscientes, entendendo os impactos e implicações da IA e ML no mundo moderno e estimular o pensamento crítico, lógico e analítico nos professores e alunos, compreendendo como a IA influencia decisões e a sociedade.

Conteúdos

Sessão Síncrona #1 (3 horas) • Conceitos, evolução e aplicações de IA e ML o Definição e conceitos de IA e ML o Teste de Turing, sistemas periciais e primeiros conceitos de utilização de IA o Distinção entre aprendizagem supervisionada vs não supervisionada o Conceitos e aplicações das diferentes técnicas e algoritmos de IA e ML o Evolução recente da Inteligência Artificial e Machine Learning: redes neuronais, deep learning e LLM o Aplicações atuais e futuras da IA e ML em contexto escolar e na sociedade em geral • Discussão/debate com os formandos sobre a utilização da IA e ML o Numa perspetiva do seu impacto na sociedade em geral atual e futura o Numa perspetiva de utilização nas práticas docentes e contexto escolar • Enunciado pedindo a realização de um primeiro trabalho assíncrono e autónomo individual sobre a caracterização genérica de uma plataforma de IA e/ou ML à escolha do formando e as suas possíveis aplicações em contexto educativo ou na sociedade Período de Trabalho Assíncrono / Autónomo (3 horas) Sessão Síncrona #2 (3 horas) • Apresentação do primeiro trabalho autónomo por parte dos formandos • Discussão/debate com os formandos sobre conceitos explorados na formação e como podem e devem ser aplicados no contexto das atividades educativas e de aprendizagem Sessão Síncrona #3 (3 horas) • Exploração e utilização prática de plataformas e ferramentas de IA e ML o Programação em Data Science: Python e R o Plataformas e ferramentas de Data Science: H2O, DataRobot, Azure ML, AWS Sagemaker, Azure Cognitive Services, Cortana, Alexa, SIRI, ChatGPT, DALL-E, Claude.AI Sessão Síncrona #4 (3 horas) • Continuação e conclusão da exploração e utilização prática de plataformas de IA e ML • Realização de uma ficha de trabalho por parte dos formandos consistindo em responder a um questionário sobre os conteúdos da formação • Enunciado pedindo a realização de um trabalho final autónomo individual sobre a aplicação em contexto de sala de aula ou na sociedade de uma plataforma de IA e/ou ML à escolha do formando Período de Trabalho Assíncrono / Autónomo (7 horas) Sessão Síncrona #5 (3 horas) • Apresentação do trabalho final por parte dos formandos • Discussão/debate com os formados sobre conceitos explorados na formação e como podem e devem ser aplicados no contexto das atividades educativas e de aprendizagem.

Metodologias

a) Das sessões síncronas: Apresentação dos conteúdos da ação por parte do formador • Utilização de recursos digitais em formato multimédia por parte do formador para apresentação dos conteúdos • Realização de tarefas por parte dos formandos, baseadas em fichas de trabalho presencial • Apresentação por parte dos formados dos trabalhos realizados na componente não presencial b) Das sessões assíncronas: • Realização de dois trabalhos em formato digital com aplicação prática em contexto letivo

Avaliação

• Avaliação contínua da componente presencial com acompanhamento por parte do formador na participação ativa e realização das tarefas propostas nas fichas de trabalho presencial • Avaliação dos dois trabalhos a realizar na componente não presencial / autónoma da formação • Avaliação do relatório crítico da ação de formação

Bibliografia

Stephen Wolfram, “O que faz o ChatGPT e como funciona”, Casa das Letras, 2023 Lino Oliveira e Mário Pinto, “A Inteligência Artificial na Educação – Ameaças e Oportunidades para o processo de ensino-aprendizagem”, Seminário organizado pela Licenciatura em Tecnologias e Sistemas de Informação para a Web (LTSIW) do Departamento de Informática da Escola Superior de Media Artes e Design, Instituto Politécnico do Porto, 18 Abril 2023, relatório de conteúdos disponível em https://recipp.ipp.pt/bitstream/10400.22/22779/1/LIV_LinoOliveira_2023.pdf Cláudia Meirinhos, “Práticas Educativas de Inteligência Artificial no 1º Ciclo do Ensino Básico”, Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação de Bragança para obtenção do Grau de Mestre em TIC na Educação e Formação, Instituto Politécnico de Bragança, 2022, disponível em https://bibliotecadigital.ipb.pt/bitstream/10198/26344/1/Cl%C3%A1udia%20Sofia%20Oliveira%20Macedo%20Meirinhos.pdf Martin Ford, “O Futuro da Inteligência Artificial”, Bertrand, 2022 Chen Qiufan e Kai-Fu Lee, “Inteligência Artificial 2041”, Relógio D’Água, 2023


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-01-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
2 31-01-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
3 07-02-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
4 21-02-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
5 06-03-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona

Ref. 161ACD7 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD7 23/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 17-01-2024

Fim: 17-01-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária de Tondela

Formador

Paula Gracinda Arnaud Monteiro Dias

Destinatários

Professores do 5.º ano, 7.º ano e 10.º ano do Agrupamento de Escolas de Tondela Tomaz Ribeiro.

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE e AET Tomaz Ribeiro

Enquadramento

Na sequência da publicação do Decreto-Lei nº 55/2018, de 6 de julho, as escolas sentiram a necessidade de se (re)organizar e (re)pensar internamente acerca dos processos pedagógicos que privilegiavam, bem como sobre o modus operandi e conceções em torno da tríade ensino, aprendizagem e avaliação. Reforça-se a convicção de que a avaliação, só fará sentido se estiver fortemente articulada, ou mesmo integrada, com o ensino e com a aprendizagem. (…). A avaliação não pode nem deve ser percecionada como um processo isolado ou desligado do currículo e do desenvolvimento curricular. Assim, neste contexto de mudança, o AETTR tem feito o seu caminho e construído de forma participada e interventiva os seus documentos estruturantes, no âmbito da avaliação pedagógica. Neste momento urge (re)visitar e (re)centrar as conceções e práticas de avaliação pedagógicas em torno dos eixos estruturantes do referencial de avaliação construído para o AETTR. Esta ACD, visa contribuir para esses propósitos convidando os professores a refletir acerca da avaliação das aprendizagens e das suas práticas, alinhando-as com a política de avaliação inscrita nos documentos estruturantes do AETTR. Com a finalidade de se atingir estes pressupostos pretende-se construir um percurso formativo, participativo e dialógico com os professores do 5.º, 7.º e 10.º ano que contribua para um incremento de competências alicerçadas na construção de materiais passíveis de serem aplicados em contexto de sala de aula e no trabalho diário com os alunos, rumo a “uma escola de todos e para todos”.

Objetivos

 Promover práticas de trabalho colaborativo e cooperativo em torno da análise interpretativa e modus operandi do referencial de avaliação do AETTR.  Delinear estratégias destinadas a promover a concretização e desenvolvimento do referencial de avaliação atendendo às condições concretas do AETTR.  Produzir materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento do referencial de avaliação do AETTR.  Desenvolver hábitos de trabalho colaborativo e de reflexão em torno da política de avaliação definida para o AETTR, visando melhoria contínua da qualidade do ensino, da aprendizagem e da avaliação.  Partilhar ideias, experiências, materiais e métodos que contribuam para a concretização e desenvolvimento do referencial de avaliação do AETTR.

Conteúdos

Relações entre o currículo, a pedagogia e a avaliação e suas implicações para a concretização e desenvolvimento referencial de avaliação do AETTR. Revisitar conceitos estruturantes da avaliação pedagógica tais como avaliação formativa, avaliação sumativa, feedback, autoavaliação, avaliação entre pares, avaliação holística, avaliação analítica, processos de recolha de informação e processos de classificação. Conceção de materiais, processos e estratégias que integrem os conceitos e ideias da avaliação pedagógica e que suscitem a sua utilização nas práticas pedagógicas, alinhadas com os pressupostos pedagógicos inscritos no referencial de avaliação do AETTR.

Metodologias

Apresentação/Reflexão/Partilha/Debate em torno dos conteúdos a abordar/explorar.

Avaliação

Frequência

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e pela formadora. Tratamento estatístico desses dados e avaliação pela Secção de Formação e Monitorização e Conselho de Diretores do CFAE-PB.

Bibliografia

Fernandes, D. (2021). Para uma fundamentação e melhoria das práticas de avaliação pedagógica no âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Fernandes, D. (2018). Para um enquadramento teórico da avaliação formativa e da avaliação sumativa das aprendizagens escolares. In M. I. R. Ortigão, D. Fernandes, T. V. Pereira, & L. Santos (Org.), Avaliar para aprender no Brasil e em Portugal. Perspectivas teóricas, Práticas e de Desenvolvimento (pp. 139- 163). Editora CRV. Machado, E. A. (2022). Autoavaliação. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Shute, V. J. (2008). Focus on formative feedback. Review of Educational Research, 78(6), 10-14.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 17-01-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Presencial

Ref. 160ACD6 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD6 23/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 10-01-2024

Fim: 10-01-2024

Regime: e-learning

Local: Escola Secundária de Tondela

Formador

Paula Gracinda Arnaud Monteiro Dias

Destinatários

Professores do 5.º ano, 7.º ano e 10.º ano do Agrupamento de Escolas de Tondela Tomaz Ribeiro

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE e AET Tomaz Ribeiro

Enquadramento

A publicação do Decreto-Lei nº 55/2018, de 6 de julho, veio desencadear mudanças significativas ao nível da política educativa consubstanciadas na operacionalização do currículo e formas de implementar o processo de ensino – aprendizagem – avaliação pedagógica. A avaliação pedagógica assume uma centralidade inequívoca nas políticas educativas e curriculares concorrendo para a melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem, bem como para a promoção do sucesso escolar de todos os alunos. Nesse sentido as escolas foram convidadas a refletir internamente sobre a temática e a (re)desenhar o seu referencial de avaliação das aprendizagens, percecionando-o como “parte integrante da gestão do currículo enquanto instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens.” Pretende-se que a comunidade docente consolide estas mudanças e percecione e debata de forma partilhada o referencial de avaliação desenhado para o Agrupamento de Escolas de Tondela Tomaz Ribeiro, bem como aprofunde competências e conhecimentos inerentes ao processo de avaliação das aprendizagens nomeadamente revisitando conceptualmente conceitos e práticas de avaliação formativa, feedback e participação e processos de recolha de informação.

Objetivos

Contribuir para o desenvolvimento de competências e conhecimentos no domínio da avaliação pedagógica que concorram para a implementação das orientações constantes nos documentos legais; Promover práticas de trabalho colaborativo e cooperativo em torno da análise interpretativa e modus operandi do referencial de avaliação do AETTR. Percecionar e diversificar práticas de avaliação pedagógica em contexto de sala de aula. Promover a troca de experiências e o esclarecimento de dúvidas em torno do referencial de avaliação do AETTR. Implementar práticas de formação interna que confiram competências aos professores para lidar com a mudança e a inovação no âmbito da avaliação pedagógica.

Conteúdos

Natureza e fundamentos da avaliação e em particular da avaliação pedagógica; Referencial de avaliação: propósitos, fundamentos e modus de acompanhamento, monitorização e avaliação; Revisitar e inferir em torno de conceitos alocados à avaliação pedagógica, nomeadamente práticas de avaliação formativa e sumativa, feedback (natureza, distribuição e utilização por alunos e professores) e processos de recolha de informação.

Metodologias

Apresentação/Reflexão/Partilha/Debate em torno dos conteúdos a abordar/explorar.

Avaliação

Frequência

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e pela formadora. Tratamento estatístico desses dados e avaliação pela Secção de Formação e Monitorização e Conselho de Diretores do CFAE-PB.

Bibliografia

Fernandes, D. (2021). Para uma fundamentação e melhoria das práticas de avaliação pedagógica no âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Fernandes, D. (2021). Para a Conceção e Elaboração do Projeto de Intervenção no Âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Fernandes, D. (2018). Para um enquadramento teórico da avaliação formativa e da avaliação sumativa das aprendizagens escolares. In M. I. R. Ortigão, D. Fernandes, T. V. Pereira, & L. Santos (Org.), Avaliar para aprender no Brasil e em Portugal. Perspectivas teóricas, Práticas e de Desenvolvimento (pp. 139- 163). Editora CRV. Shute, V. J. (2008). Focus on formative feedback. Review of Educational Research, 78(6), 10-14.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-01-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online síncrona

Ref. 162ACD4 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD4 23/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 10-01-2024

Fim: 10-01-2024

Regime: e-learning

Local: ES Santa Comba Dão

Formador

Maria Pedro Queiroz de Azevedo Erse

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial do AE de Santa Comba Dão

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE e AE de Santa Comba Dão

Enquadramento

A promoção da saúde mental e a prevenção dos comportamentos suicidários é sublinhada nas principais estratégias e planos de ação de saúde mental, tanto a nível internacional como em Portugal (DGS, 2013, 2015). O contexto escolar assume-se como um contexto privilegiado para a implementação de ações e programas de promoção da saúde mental e de prevenção dos comportamentos suicidários, envolvendo toda a comunidade educativa (Brás, 2013; Granello & Granello, 2007; Katz et. al, 2013; Santos et al., 2021). Paralelamente, é reconhecido que a ideação suicida e os comportamentos suicidários são comuns em idade escolar e associam-se com frequência a perturbações psicológicas passíveis de serem identificadas nas escolas por qualquer elemento da comunidade educativa, e em particular pelos professores (Granello & Granello, 2007; Miller, 2011; Shaffer & Kipp, 2014). Neste sentido, as diretrizes internacionais e nacionais defendem a implementação de programas que contemplem ações formativas que visem o combate ao estigma acerca da doença mental e comportamentos suicidários, aumentar o conhecimento sobre fatores de risco e sinais de alarme associados ao suicídio, permitindo a identificação precoce de adolescentes em risco e a referenciação para a ajuda especializada (Brás & Santos, 2014; Pompili et al., 2011).

Objetivos

- Combater o estigma em saúde mental; - Esclarecer sobre os comportamentos suicidários na adolescência; - Contribuir para a identificação precoce de adolescentes em risco e sua referenciação para os cuidados de saúde; - Refletir sobre o papel da escola na promoção da saúde mental e prevenção dos comportamentos suicidários; - Apresentar o Programa Mais Contigo: aspetos metodológicos.

Conteúdos

- Adolescência - Depressão - Comportamentos suicidários na adolescência - Programa Mais Contigo.

Metodologias

Componente teórica com base na seguinte estratégia: Metodologia expositiva e ativa, através das técnicas pedagógicas: brainstorming, discussão em grupo, entre outras.

Avaliação

Frequência

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e pela formadora. Tratamento estatístico desses dados e avaliação pela Secção de Formação e Monitorização e Conselho de Diretores do CFAE-PB.

Bibliografia

Monografia Mais Contigo 2021


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-01-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Online síncrona

Ref. 163Ação2 PND 23/24 Concluída

Registo de acreditação: Ação 2 PND 23/24

Modalidade: Outro

Duração: 3.0 horas

Início: 10-01-2024

Fim: 10-01-2024

Regime: e-learning

Local: ES Santa Comba Dão

Formador

Maria Pedro Queiroz de Azevedo Erse

Destinatários

Assistentes Operacionais do AE do Agrupamento de Escolas de Santa Comba Dão

Entidade formadora/Parceria

CFAE e AE de Santa Comba Dão

Enquadramento

A promoção da saúde mental e a prevenção dos comportamentos suicidários é sublinhada nas principais estratégias e planos de ação de saúde mental, tanto a nível internacional como em Portugal (DGS, 2013, 2015). O contexto escolar assume-se como um contexto privilegiado para a implementação de ações e programas de promoção da saúde mental e de prevenção dos comportamentos suicidários, envolvendo toda a comunidade educativa (Brás, 2013; Granello & Granello, 2007; Katz et. al, 2013; Santos et al., 2021). Paralelamente, é reconhecido que a ideação suicida e os comportamentos suicidários são comuns em idade escolar e associam-se com frequência a perturbações psicológicas passíveis de serem identificadas nas escolas por qualquer elemento da comunidade educativa, e em particular pelos professores (Granello & Granello, 2007; Miller, 2011; Shaffer & Kipp, 2014). Neste sentido, as diretrizes internacionais e nacionais defendem a implementação de programas que contemplem ações formativas que visem o combate ao estigma acerca da doença mental e comportamentos suicidários, aumentar o conhecimento sobre fatores de risco e sinais de alarme associados ao suicídio, permitindo a identificação precoce de adolescentes em risco e a referenciação para a ajuda especializada (Brás & Santos, 2014; Pompili et al., 2011).

Objetivos

- Combater o estigma em saúde mental; - Esclarecer sobre os comportamentos suicidários na adolescência; - Contribuir para a identificação precoce de adolescentes em risco e sua referenciação para os cuidados de saúde; - Refletir sobre o papel da escola na promoção da saúde mental e prevenção dos comportamentos suicidários; - Apresentar o Programa Mais Contigo: aspetos metodológicos.

Conteúdos

- Adolescência - Depressão - Comportamentos suicidários na adolescência - Programa Mais Contigo.

Metodologias

Componente teórica com base na seguinte estratégia: Metodologia expositiva e ativa, através das técnicas pedagógicas: brainstorming, discussão em grupo, entre outras.

Avaliação

Frequência

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e pela formadora. Tratamento estatístico desses dados e avaliação pela Secção de Formação e Monitorização e Conselho de Diretores do CFAE-PB.

Bibliografia

Monografia Mais Contigo 2021


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-01-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Online síncrona

Ref. 165ACD5 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD5 23/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 10-01-2024

Fim: 10-01-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Marco António Brás Neves

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

A importância que a IA Generativa assume hoje em dia leva a que seja crucial professores e educadores terem um conhecimento básico sobre esta temática.

Objetivos

Compreender a temática da IA-Generativa Saber interpretar os desafios, e oportunidades e preocupações no campo educativa da IA-G Ser capaz de perceber com integrar a IA-Generativa em componentes pedagógicas Saber refletir sobre práticas de ensino, aprendizagem e de avaliação â luz dos impactos da IA-G na Educação

Conteúdos

1) Introdução à IA e à IA-Generativa 2) Modelos de IA-Generativa 3) Desafios no ecossistema da IA-G: inteligência, conhecimento e criatividade 4) A IA-G no campo educativo - desafios e oportunidades e exemplos 5) Discussão e reflexão

Metodologias

Abordagem dinâmica de exploração dos conteúdos com interações múltiplas no sentido do desenvolvimento de um ambiente crítico de discussão relativamente aos desafios colocados pela IA

Avaliação

Frequência

Modelo

Preenchimento de questionário

Bibliografia

Stephen Wolfram, “O que faz o ChatGPT e como funciona”, Casa das Letras, 2023 Lino Oliveira e Mário Pinto, “A Inteligência Artificial na Educação – Ameaças e Oportunidades para o processo de ensino-aprendizagem”, Seminário organizado pela Licenciatura em Tecnologias e Sistemas de Informação para a Web (LTSIW) do Departamento de Informática da Escola Superior de Media Artes e Design, Instituto Politécnico do Porto, 18 Abril 2023, relatório de conteúdos disponível em https://recipp.ipp.pt/bitstream/10400.22/22779/1/LIV_LinoOliveira_2023.pdf Cláudia Meirinhos, “Práticas Educativas de Inteligência Artificial no 1º Ciclo do Ensino Básico”, Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação de Bragança para obtenção do Grau de Mestre em TIC na Educação e Formação, Instituto Politécnico de Bragança, 2022, disponível em https://bibliotecadigital.ipb.pt/bitstream/10198/26344/1/Cl%C3%A1udia%20Sofia%20Oliveira%20Macedo%20Meirinhos.pdf Martin Ford, “O Futuro da Inteligência Artificial”, Bertrand, 2022 Chen Qiufan e Kai-Fu Lee, “Inteligência Artificial 2041”, Relógio D’Água, 2023 Neves, Marco, Wayne Holmes, "Inteligência Artificial na Educação": Oportunidades e Preocupações", no livro "Pensamento Computacional, Robótica e Inteligência Artificial" publicado pela Universidade do Maranhão - Brasil EDUFMA.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-01-2024 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Online síncrona

Ref. 164ACD3 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD3 23/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 03-01-2024

Fim: 03-01-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Rosa Maria Pereira de Carvalho

Destinatários

Educadores de Infância; Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e Grupo de recrutamento 360

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

Alguns docentes vão assumir pela primeira vez o papel de Avaliadores Externos, pelo que enquanto responsável pela organização, monitorização e apoio aos avaliadores externos, a Diretora do CFAE_PB considerou pertinente a realização desta ação de formação, para que os mesmos, conhecendo e refletindo sobre todo o enquadramento pedagógico e legal e procedimentos inerentes à AEDD, se sintam mais confortáveis, e, cumpram cabalmente as competências inerentes a este novo desafio profissional, reconhecendo, igualmente, a importância da atribuição de uma justa classificação aos avaliados, nas dimensões científico e pedagógica, em função do que lhes foi possível observar nos 180 minutos de aula observada, legalmente estabelecidos.

Objetivos

• Coordenar/apoiar os docentes que vão exercer o papel de Avaliadores Externos; • Conhecer o enquadramento legal da BAE; • Conhecer o enquadramento pedagógico e o enquadramento legal que suporta a Avaliação de Desempenho Docente; • Refletir sobre o papel do Avaliador Externo; • Conhecer/refletir sobre a operacionalização do procedimento de AEDD; • Conhecer os documentos em uso no CFAE a utilizar neste âmbito; • Refletir sobre o processo avaliativo/classificativo - da “observação de aulas” e de avaliação externa da dimensão científica e pedagógica. • Refletir sobre os instrumentos e práticas de registo das observações de aulas • Refletir sobre os parâmetros científicos e pedagógicos, indicadores e níveis de desempenho; • Enquadrar a Avaliação Externa no processo de Avaliação de Desempenho Docente.

Conteúdos

• Enquadramento legal da Bolsa de Avaliadores Externos (BAE) e procedimentos de monitorização e apoio aos avaliadores externos; • Enquadramento pedagógico e legal que suporta a Avaliação de Desempenho Docente; • Operacionalização do processo de AEDD; • Documentação em uso no CFAE-PB; • Da “observação de aulas” à avaliação externa da dimensão científica e pedagógica/classificação. • Instrumentos de registo das observações de aulas; • Parâmetros científicos e pedagógicos, indicadores e níveis de desempenho; • A Avaliação Externa no processo de Avaliação de Desempenho do Docente.

Metodologias

Apresentação/Reflexão/Partilha/Debate sobre os conteúdos a abordar.

Avaliação

Frequência

Modelo

Preenchimento de questionário.

Bibliografia

Despacho Normativo nº24/2012 de 26 outubro (Bolsa de Avaliadores) Decreto Regulamentar nº26/2012 de 21 fevereiro (Regime Jurídico ADD) Despacho nº 13981/2012, de 26 outubro (Parâmetros Nacionais de Avaliação Externa) Alarcão, I., Tavares, J. (2003). Supervisão da Prática Pedagógica –Uma Perspectiva de Desenvolvimento e Aprendizagem. Coimbra: Livraria Almedina. Caetano, A (2008) Avaliação de desempenho- O essencial que avaliadores e avaliados precisam de saber. Lisboa. Livros Horizonte De Ketele, J-M. (2010). A avaliação do desenvolvimento profissional dos professores: postura de controlo ou postura de reconhecimento?. In M. P. Alves & E. A. Machado, O Pólo de Excelência (pp ). Porto: Areal Editores. Graça, A., Duarte, A.P., Lagartixa, C., Tching, D., Tomás, I., Almeida, J., Diogo, J., Neves, P., Santos, R. (2011). Avaliação do desempenho docente: Um guia para a ação. Lisboa: Lisboa Editora. Hadji, C. (1994) . Avaliação, Regras do Jogo . Porto: Porto Editora. Mialaret, G. (1991). A formação de professores. Coimbra. Livraria Almedina Perfil Geral de Desempenho Profissional (Dec.- Lei n.º 240/2001, de 30 de agosto) Reis, P. (2011). Observação de aulas e avaliação do desempenho docente. Cadernos do CCAP-2. Ministério de Educação: CCAP. março 2013. Apresentações da DGAE.


Observações

Ação tem como destinatários docentes dos AE associados deste CFAE que vão ser Avaliadores Externos no ano letivo 2023/2024.

Docentes que vão exercer a função de Avaliadores Externos em 2023/2024

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 03-01-2024 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Online síncrona

Ref. 159ACD2 23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD2 23/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 29-11-2023

Fim: 29-11-2023

Regime: Presencial

Local: Museu Terras de Besteiros, Tondela

Formador

Dina Maria de Oliveira Soares,

Destinatários

Docentes de todos os grupos de recrutamento e ciclos de ensino–prioridade aos docentes do AETTR e, de seguida, aos das outras escolas associadas da rede PNA: AETCF e AE Sta. Comba Dão.

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE Planalto Beirão, AET Tomaz Ribeiro e Plano Nacional das Artes

Enquadramento

A implementação da Autonomia e Flexibilidade Curricular dos ensinos básico e secundário (Decreto-Lei n.º 55/2018, de 6 de julho) dá às escolas a possibilidade de romper parcialmente com as regras de uma gramática escolar secular, experimentando formas alternativas de organização curricular, como sendo a criação de Domínios de Autonomia Curricular (DAC), entre outras possibilidades. -Lei n.º 55/2018). A operacionalização dos DAC exige um trabalho de planificação que permita uma verdadeira integração curricular e promova aprendizagens significativas para todos os alunos, desenvolvendo nestes a autonomia, o espírito crítico, a criatividade... Assim, pretende-se a adoção de práticas pedagógicas capazes de promover uma maior implicação dos alunos nas aprendizagens a realizar, como sendo a metodologia de projeto, (a Metodologia de Trabalho de Projeto está associada a uma visão interdisciplinar e transdisciplinar do saber e adquire sentido na experiência do aluno (Oliveira, 2016); o trabalho prático e experimental; atividades cooperativas de aprendizagem. A dinâmica transdisciplinar e a possibilidade de uso de diferentes linguagens artísticas podem constituir recursos essenciais para a operacionalização dos DAC. Nesta perspetiva, pretende-se criar um espaço de reflexão para capacitar os docentes para o desenvolvimento desta opção curricular prevista na legislação, mobilizando o poder indisciplinador das artes e dos patrimónios, inquietando, desarrumando e pondo em causa a ordem e certezas habituais, criando espaços de liberdade para a construção pessoal e coletiva: lugares e tempos de questionamento e abertura.

Objetivos

Refletir sobre a importância da implementação de Domínios de Autonomia Curricular (DAC) no contexto da legislação em vigor; Operacionalizar /planificar DAC, em equipas multidisciplinares, recorrendo às áreas artísticas e aos patrimónios como suporte de aprendizagens; Partilhar boas práticas de trabalhos em DAC.

Conteúdos

A importância da implementação de Domínios de Autonomia Curricular (DAC) no contexto da legislação em vigor; Princípios para a planificação e concretização de DAC; O poder educativo das artes e dos patrimónios como facilitador dos trabalhos em DAC; Metodologias ativas e aprendizagem cooperativa no trabalho a desenvolver.

Metodologias

Exposição; realização de um trabalho recorrendo ao trabalho colaborativo, por equipas multidisciplinares.

Avaliação

Frequência

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e pela formadora. Tratamento estatístico desses dados e avaliação pela Secção de Formação e Monitorização e Conselho de Diretores do CFAE-PB.

Bibliografia

COHEN, Ana Cláudia; FRADIQUE, José (2018). Guia da Autonomia e Flexibilidade Curricular. Lisboa: Raiz Editora. COSME, Ariana (2018). Autonomia e Flexibilidade Curricular – Propostas e estratégias de ação. Porto: Porto Editora.

Anexo(s)

cartaz-acd-dac-cfaepb.png


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 29-11-2023 (Quarta-feira) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 154C10-A1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117684/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 19-10-2023

Fim: 16-11-2023

Regime: e-learning

Local: A distância

Formador

Ana Luísa Pinto da Silva

Destinatários

Professores dos Grupos 510, 520

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 510, 520. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 510, 520.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Em convergência com o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, foram elaborados os documentos das Aprendizagens Essenciais para todas as disciplinas das componentes de formação sociocultural e científica dos CP e para as disciplinas da componente científica dos CAE. Foram consideradas as especificidades curriculares e organizativas dos CP e dos CAE. As AE são a orientação curricular de base para o planeamento e realização do ensino e da aprendizagem, e avaliação interna e externa das aprendizagens dos alunos. Articulam-se com os conhecimentos, aptidões e atitudes identificados nos Perfis Profissionais/Referenciais de Competências e Referenciais de Formação das respetivas qualificações do Catálogo Nacional de Qualificações. A planificação e operacionalização das AE requer um trabalho colaborativo de contextualização curricular, apoiado por instrumentos de gestão curricular que contemplem as especificidades destas ofertas educativas e formativas, visando estimular um trabalho de construção curricular a ser contextualizado nas escolas. Pretende-se promover nos docentes o desenvolvimento de competências de intervenção curricular e pedagógica, para o planeamento, operacionalização e avaliação das aprendizagens. Visa, igualmente, uma abordagem pedagógica baseada em projetos interdisciplinares que envolvam as UFCD, no caso dos CP, contribuindo para aprendizagens específicas e transversais mais significativas. Quer-se promover o desenvolvimento de competências que sustentem práticas inovadoras em sala de aula e a aquisição, atualização e aprofundamento de conhecimentos científicos e pedagógico-didáticos dos docentes.

Objetivos

Com a realização deste curso de formação, os formandos deverão ser capazes de: - Aprofundar o quadro concetual de elaboração das AE; - Analisar os documentos das AE no âmbito das respetivas disciplinas; - Integrar as implicações curriculares dos normativos em vigor decorrentes da AFC na análise das AE e na práticapedagógica; - Explorar as potencialidades das AE numa planificação curricular consistente com o PA e com o Perfil Profissional ouReferencial de Competências associado às qualificações que integram o CNQ; - Promover o trabalho colaborativo entre docentes, assegurando a articulação pedagógica entre as diferentescomponentes de formação.

Conteúdos

(25 horas) 5h sessões síncronas + 20h sessões assíncronas/trabalho autónomo Módulo 0 - Apresentação do curso de formação - • Apresentação: Enquadramento e objetivos do curso de formação; Plataforma LMS Moodle; Guião Pedagógico do Formando. Módulo 1 - Enquadramento dos CP e dos CAE na AFC: • AFC - Princípios subjacentes, implicações e opções curriculares • Aprofundamento das potencialidades de flexibilidade curricular e pedagógica no âmbito do D.L. 55/2018, de 6 de julho • Referenciais curriculares para os CP/CAE • Especificidades curriculares e organizativas dos CP/CAE • Dinâmicas de gestão curricular nos Conselhos de Turma promotoras de práticas colaborativas entre os docentes. Módulo 2 - Fundamentação Conceptual e Gestão Curricular das AE - • Quadro conceptual da construção das AE • Estrutura do documento das AE da disciplina: - Articulação horizontal e vertical da disciplina com as várias componentes de formação - Articulação com o PA e com o Perfil Profissional ou Referencial de Competências associado à qualificação - AEE e práticas de avaliação formativa e sumativa - Medidas universais de suporte à aprendizagem e à inclusão. Módulo 3 - Operacionalização das AE da Disciplina - • Gestão Curricular das AE: a operacionalização das AE da disciplina • Partilha e discussão de exemplos de práticas bem-sucedidas Módulo 4 - Trabalho Final e Avaliação - • Conceção em pares de uma e-atividade de operacionalização das AE de um tema/domínio (na respetiva disciplina) • Reflexão crítica individual sobre o trabalho desenvolvido (500 a 600 palavras) • Questionário de Avaliação Final do curso .

Metodologias

O curso tem a duração de 25 horas e decorre online na plataforma LMS Moodle. O curso integra sessões síncronas de apresentação das temáticas e respetivos fundamentos e sessões assíncronas de trabalho autónomo. Os formandos acedem à plataforma digital para exploração orientada de recursos de suporte à formação. As sessões síncronas permitirão enquadrar o formando na temática do módulo. O formando deverá assistir a todas as sessões síncronas, desenvolvendo um trabalho autónomo, de responsabilização pelo seu percurso de aprendizagem. Cada módulo possui recursos de suporte à autoaprendizagem: leitura de documentos, pesquisas online, download de ficheiros, visualização de webinars e vídeos. O formando deverá programar o trabalho autónomo para cada módulo, assistir às sessões síncronas, participar nos fóruns e realizar as tarefas propostas. Os formandos irão elaborar, em pares, uma e-atividade de aplicação das AE em contexto escolar, uma reflexão crítica individual e responder ao questionário de Avaliação do Curso.

Avaliação

As tarefas obrigatórias para efeitos de certificação são: • Participação ativa nos fóruns de discussão e realização das tarefas propostas (30%); • Trabalho final em pares (40%); • Reflexão crítica individual (30%). Irá ser usada uma classificação qualitativa e quantitativa, de acordo com a nova redação dada ao n.º 3 do artigo 13.º do RJFCP, obtida pelo formando, segundo a seguinte escala de classificações de 1 a 10 valores, devidamente ponderada: - EXCELENTE: de 9 a 10 valores - MUITO BOM: de 8 a 8,9 valores - BOM: de 6,5 a 7,9 valores - REGULAR: de 5 a 6,4 valores - INSUFICIENTE: de 1 a 4,9 valores

Bibliografia

• Jones, Casey• Orvalho, Luísa e Nonato, Susana. “Ensinar e Aprender por Módulos”. Construir a Autonomia e a Flexibilidade Curricular: os desafios da escola e do professor.” Palmeirão, Cristina e Alves, José Matias (Coords.) Porto: Universidade Católica Portuguesa, 2017, pp. 143-153.• Rodrigues, Sónia Valente. “Três modos de organizar sequências de aprendizagem interdisciplinares com base nas Aprendizagens Essenciais.”. Encontro Regional Norte do Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular, novembro, 2017.• Roldão, M.C. “Concepção Estratégica de Ensinar e Estratégias de Ensino”. Estratégias de Ensino. O saber e o agir do professor. Vila Nova de Gaia: Fundação Manuel Leão, 2009.• Roldão, Maria do Céu, Peralta, Helena, Martins, Isabel P. e Orvalho, Luísa. Currículo do ensino secundário. Cursos profissionais e cursos artísticos especializados. Para a construção de Aprendizagens Essenciais baseadas no Perfil dos Alunos. ANQEP, I.P., 2018.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 19-10-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 19:30 1:00 Online síncrona
2 26-10-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 19:30 1:00 Online síncrona
3 02-11-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 19:30 1:00 Online síncrona
4 09-11-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 19:30 1:00 Online síncrona
5 16-11-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 19:30 1:00 Online síncrona


294

Ref. 132C2-A4 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116119/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 04-10-2023

Fim: 22-11-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Maria Cristina Marques Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância; Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e Grupo de recrutamento 360.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e Grupo de recrutamento 360.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância; Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e Grupo de recrutamento 360..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha desbravem o caminho e orientem todos os agentes educativos para as mudanças a realizar. Esta ação de formação procura contribuir para uma reflexão crítica sobre os desafios da diversidade, bem como apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas ajustadas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021. European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european- agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack- supporting-inclusion-and-equity-education.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 04-10-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Online síncrona
2 11-10-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online síncrona
3 18-10-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Online síncrona
4 25-10-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Online síncrona
5 08-11-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online síncrona
6 15-11-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online síncrona
7 22-11-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online síncrona


291

Ref. 155C9-A1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118037/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 28-09-2023

Fim: 22-11-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Santa Comba Dão

Formador

Anabela da Silva Jorge da Costa

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 500

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2024/2025, no que respeita ao 10.º ano de escolaridade; b) 2025/2026, no que respeita ao 11.º ano de escolaridade; c) 2026/2027, no que respeita ao 12.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 500, para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Secundário procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: - Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional), as suas finalidades e as consequências para o ensino da Matemática; - Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional); - Ser capazes de refletir sobre os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional).

Conteúdos

- Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Secundário expressas nas novas AE - Ideias inovadoras do Currículo: o Matemática para a Cidadania; o Pensamento Computacional; o Diversificação de temas no currículo; o Matemática para todos. - Os novos módulos e o seu racional: o Introdução à Inferência Estatística o Geometria sintética o Matemática e arte o Distâncias inacessíveis o Álgebra de Boole o Modelos de grafos o Matemática financeira e fiscal o Matemática comercial o Matemática laboral o Biomatemática o Criptografia - Operacionalização das Aprendizagens Essenciais. - Exploração de ideias e conceitos, integrando a tecnologia como alavanca para a compreensão e resolução de problemas: o Abordagem exploratória de ideias e conceitos matemáticos; o Integração da tecnologia na experimentação, visualização, representação, simulação, interatividade, bem como no cálculo numérico e simbólico; o Recurso à folha de cálculo, a ambientes de geometria dinâmica, a aplicativos digitais diversos, a simulações, a smartphones, à calculadora gráfica e aos sensores, bem como a outros equipamentos e materiais; o Desenvolvimento do pensamento computacional com recurso a atividades de programação integradas na resolução de problemas. - Preparação, apresentação e discussão dos trabalhos e avaliação do curso de formação.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões síncronas, a elaboração e reflexão sobre tarefas para os alunos, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Revista dedicada ao Pensamento Computacional: Educação e Matemática, 162Veloso, E. (1998). Geometria: Temas Actuais: materiais para professores. Lisboa: IIE.Graça Martins, M. E. & Cerveira, A. (1998). Introdução às Probabilidades e à Estatística. Universidade Aberta.Amado, N. & Carreira, S. (2019). Trabalho de Projeto. Obtido de: http://hdl.handle.net/10400.1/15482Teixeira, P., Precatado, A., Albuquerque, C., Antunes, C., & Nápoles, S. (1997). Funções - 10º ano. Lisboa: Ministério da Educação


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-09-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
2 03-10-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 12-10-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 19-10-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 26-10-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
6 02-11-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 09-11-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 14-11-2023 (Terça-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
9 22-11-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Presencial


295

Ref. 1031T1 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115451/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 23-09-2023

Fim: 15-11-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Tondela

Formador

Paulo Sergio Rodrigues Nogueira

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-09-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
2 30-09-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
3 04-10-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
4 14-10-2023 (Sábado) 09:30 - 13:00 3:30 Online síncrona
5 18-10-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
6 28-10-2023 (Sábado) 09:30 - 13:00 3:30 Online síncrona
7 08-11-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
8 15-11-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Online síncrona


219

Ref. 1042T1 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115453/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 20-09-2023

Fim: 15-11-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Santa Comba Dão

Formador

Ana Isabel Lopes dos Santos Craveiro

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do referencial DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas inovadoras num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Ao longo das sessões conjuntas estimular-se-á a criação e/ou participação e colaboração em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação dos Planos de Ação de Desenvolvimento Digital, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN EU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 20-09-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
2 28-09-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
3 04-10-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial
4 18-10-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial
5 19-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
6 26-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
7 02-11-2023 (Quinta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial
8 09-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
9 15-11-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona


292

Ref. 152C8-A1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118036/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 20-09-2023

Fim: 22-11-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Tondela

Formador

Helena Margarida dos Santos Vasconcelos Gomes

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 500

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2024/2025, no que respeita ao 10.º ano de escolaridade; b) 2025/2026, no que respeita ao 11.º ano de escolaridade; c) 2026/2027, no que respeita ao 12.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 500, para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Secundário procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: - Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A), as suas finalidades e as consequências para o ensino da Matemática; - Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A); - Ser capazes de refletir sobre os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A).

Conteúdos

- Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Secundário expressas nas novas AE - Ideias inovadoras do Currículo: o Matemática para a Cidadania; o Pensamento Computacional; o Diversificação de temas no currículo; o Matemática para todos. - Ideias-Chave das Aprendizagens Essenciais: o Resolução de problemas, modelação e conexões o Raciocínio dedutivo e lógica matemática o Recurso sistemático à tecnologia o Tarefas e recursos educativos o Práticas enriquecedoras e criatividade o Organização do trabalho dos alunos o Comunicação matemática o Avaliação para a aprendizagem - Operacionalização das Aprendizagens Essenciais. - Exploração de ideias e conceitos, integrando a tecnologia como alavanca para a compreensão e resolução de problemas: o Abordagem exploratória de ideias e conceitos matemáticos; o Integração da tecnologia na experimentação, visualização, representação, simulação, interatividade, bem como no cálculo numérico e simbólico; o Recurso à folha de cálculo, a ambientes de geometria dinâmica, a aplicativos digitais diversos, a simulações, a smartphones, à calculadora gráfica e aos sensores, bem como a outros equipamentos e materiais; o Desenvolvimento do pensamento computacional com recurso a atividades de programação integradas na resolução de problemas. - Preparação, apresentação e discussão dos trabalhos e avaliação do curso de formação.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões síncronas, a elaboração e reflexão sobre tarefas para os alunos, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Revista dedicada ao Pensamento Computacional: Educação e Matemática, 162Veloso, E. (1998). Geometria: Temas Actuais: materiais para professores. Lisboa: IIE.Graça Martins, M. E. & Cerveira, A. (1998). Introdução às Probabilidades e à Estatística. Universidade Aberta.Amado, N. & Carreira, S. (2019). Trabalho de Projeto. Obtido de: http://hdl.handle.net/10400.1/15482Teixeira, P., Precatado, A., Albuquerque, C., Antunes, C., & Nápoles, S. (1997). Funções - 10º ano. Lisboa: Ministério da Educação


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 20-09-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Online síncrona
2 27-09-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Online síncrona
3 04-10-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
4 11-10-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
5 18-10-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Online síncrona
6 25-10-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Online síncrona
7 02-11-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
8 08-11-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Online síncrona
9 15-11-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
10 22-11-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Online síncrona


296

Ref. 143C3-A2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116118/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 19-09-2023

Fim: 03-11-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Tondela

Formador

Maria Manuela da Silva Claro de Andrade Alves

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

Razões justificativas da ação e a sua inserção no plano de atividades da entidade proponente. O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas/os práticas pedagógicas, interfaces comunicativas, fundamentos humanistas em que todos são parte do sistema e desenvolvem um diálogo igualitário, um pensamento e uma consciência próprios. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha orientem os agentes educativos para a inclusão. Esta formação procura apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas inclusivas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

• Explorar os documentos legislativos (Decreto- Lei n.o 54/2018, Decreto-Lei n.o 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas mais inclusivas • Aplicar colaborativamente os princípios subjacentes ao desenho universal para a aprendizagem e à abordagem multinível • Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e a diversidade de todos alunos • Conceber instrumentos de suporte à recolha de informação que contribuam para a tomada de decisão. • Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar – Planear – Agir - Rever • Produzir e aplicar em contexto de sala de aula instrumentos de avaliação e planificação das aprendizagens Duração Horas presenciais: 25 No de horas acreditadas: 50 Horas de trabalho autónomo: 25 Duração Entre 3 e 5 No Anos letivos: 1 Cód. Dest. 99 Descrição Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360 DCP Descrição No de formandos por cada realização da ação Mínimo 5 Máximo 20 12/07/22, 15:52 CCPFC - Gestão de Processos www.e-processos.ccpfc.uminho.pt/p2_acc_pend/imprimir.php?codigo=117522 2/3 • Partilhar experiências facilitadoras do um processo ensino-aprendizagem inclusivo • Explorar colaborativamente práticas educativas inovadoras

Conteúdos

Módulo 1. Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração integrada dos documentos de política educativa (Decreto- Lei n.o 54/2018, Decreto-Lei n.o 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) Módulo 2. Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (DUA) Módulo 3. Valorização da diversidade em sala de aula – criação e partilha de recursos • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico • O que ensinar e porquê, como, quando, com que prioridades, com que meios, com que organização e com que resultados: exercícios práticos Módulo 4. Avaliação formativa enquanto processo regulador do ensino e da aprendizagem • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino

Metodologias

Presencial Trabalho autónomo A metodologia de formação é de cariz teórico-prática, propondo-se dinâmicas que visam encorajar o envolvimento dos participantes em atividades de aprendizagem, partilha e reflexão sobre a temática, com vista à otimização e concretização dos objetivos propostos para esta ação de formação, em regime de frequência b-learning, nomeadamente: - Apresentação de conteúdos e conceitos; - Partilha de experiências; - Trabalho(s) de grupo; - Reflexão e debate de ideias;

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei no 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho no 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.o 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N. (2021), Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1a ed. - Porto: Porto Editora. European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders • Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education Acesso em 02/02/2022


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 19-09-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:30 3:30 Online síncrona
2 23-09-2023 (Sábado) 09:30 - 13:00 3:30 Presencial
3 27-09-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 02-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
5 09-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
6 12-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 17-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:30 3:30 Presencial
8 03-11-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona


293

Ref. 132C2-A3 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116119/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 18-09-2023

Fim: 30-10-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Maria Cristina Marques Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância; Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e Grupo de recrutamento 360.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e Grupo de recrutamento 360.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância; Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e Grupo de recrutamento 360..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha desbravem o caminho e orientem todos os agentes educativos para as mudanças a realizar. Esta ação de formação procura contribuir para uma reflexão crítica sobre os desafios da diversidade, bem como apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas ajustadas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021. European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european- agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack- supporting-inclusion-and-equity-education.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-09-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 25-09-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
3 02-10-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 09-10-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 16-10-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
6 23-10-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
7 30-10-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona


281

Ref. 156ACD1-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD1 23/24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 07-09-2023

Fim: 07-09-2023

Regime: Presencial

Local: AE de Mortágua

Formador

Hélio Bento Ferreira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão , CPCJ de Mortágua, AE de Mortágua

Enquadramento

A LPCJP convoca toda a comunidade institucional e intersectorial à garantia dos direitos da criança e à prossecução dos seus interesses, nomeadamente aqueles que respeitam à sua proteção. Para tal, é essencial dar a conhecer o enquadramento do sistema de proteção, as regras de atuação de cada um dos seus patamares subsidiários e, bem assim, os seus limites, por forma a instituir uma intervenção mais coesa em benefício das crianças em perigo.

Objetivos

Conhecer o Sistema de Proteção de Crianças e Jovens em perigo, particularmente no que diz respeito à atuação em contexto escolar. Conhecer e potenciar o papel e intervenção subsidiária da CPCJ. Melhorar os fluxos de comunicação e procedimentos com vista a uma intervenção mais ágil e articulada entre a escola e a CPCJ .

Conteúdos

Enquadramento do Sistema de Promoção e Proteção: Leis enquadradoras e modelo de intervenção.

Metodologias

Método Expositivo Método ativo, com operacionalização de diferentes técnicas

Avaliação

Frequência

Modelo

Questionário

Bibliografia

Lei de Proteção de Crianças e Jovens em Perigo


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 07-09-2023 (Quinta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
2 07-09-2023 (Quinta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial

Ref. 157Ação1-23/24 PND Concluída

Registo de acreditação: Ação 1 23/24- PND

Modalidade: Outro

Duração: 6.0 horas

Início: 07-09-2023

Fim: 07-09-2023

Regime: Presencial

Local: AE de Mortágua

Formador

Hélio Bento Ferreira

Destinatários

Não Docentes

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão , CPCJ de Mortágua, AE de Mortágua

Enquadramento

A LPCJP convoca toda a comunidade institucional e intersectorial à garantia dos direitos da criança e à prossecução dos seus interesses, nomeadamente aqueles que respeitam à sua proteção. Para tal, é essencial dar a conhecer o enquadramento do sistema de proteção, as regras de atuação de cada um dos seus patamares subsidiários e, bem assim, os seus limites, por forma a instituir uma intervenção mais coesa em benefício das crianças em perigo

Objetivos

Conhecer o Sistema de Proteção de Crianças e Jovens em perigo, particularmente no que diz respeito à atuação em contexto escolar; Conhecer e potenciar o papel e intervenção subsidiária da CPCJ; Melhorar os fluxos de comunicação e procedimentos com vista a uma intervenção mais ágil e articulada entre a escola e a CPCJ .

Conteúdos

Enquadramento do Sistema de Promoção e Proteção: Leis enquadradoras e modelo de intervenção

Metodologias

Método Expositivo Método ativo, com operacionalização de diferentes técnicas

Avaliação

Sem avaliação

Bibliografia

Lei de Proteção de Crianças e Jovens em Perigo


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 07-09-2023 (Quinta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
2 07-09-2023 (Quinta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial

Ref. 1324T2 PRA Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116119/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 03-05-2023

Fim: 21-06-2023

Regime: e-learning

Local: À Distância

Formador

Maria Cristina Marques Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância; Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e Grupo de recrutamento 360.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e Grupo de recrutamento 360.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância; Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e Grupo de recrutamento 360..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha desbravem o caminho e orientem todos os agentes educativos para as mudanças a realizar. Esta ação de formação procura contribuir para uma reflexão crítica sobre os desafios da diversidade, bem como apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas ajustadas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021. European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european- agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack- supporting-inclusion-and-equity-education.


Observações

Docentes indicados pelos Diretores dos AE associados do CFAE PB.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 03-05-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Online síncrona
2 10-05-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 17-05-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 24-05-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 31-05-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 07-06-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 14-06-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 21-06-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Online síncrona


264

Ref. 153S1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119633/23

Modalidade: Seminário

Duração: 12.0 horas

Início: 28-04-2023

Fim: 29-04-2023

Regime: Presencial

Local: Tondela

Formador

Helena Maria Querido Duque

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão - Câmara Municipal de Tondela - Rede de Bibliotecas Escolares de Tondela

Enquadramento

Respondendo às prioridades decorrentes do atual quadro legal - designadamente, do Perfil dos Alunos e da Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania, do plano de ação para a transição digital e do quadro estratégico 2021-2027 da Rede de bibliotecas escolares – Bibliotecas Escolares: Presentes para o Futuro, em articulação direta com os referenciais de aprendizagens orientadores para a prática, desenha-se um percurso que continue a dessossegar a ação educativa. Visando um espaço de reflexão sobre o que fazemos localmente e os desafios que aportam à educação neste presente arquiteta-se um plano formativo que represente as literacias múltiplas em que se entrelaçam, competências, atitudes e valores. Reforçando o papel de diferentes atores educativos e parcerias na tomada de decisão sobre oportunidades para a plena cidadania, informada, consciente e crítica, num tempo de maiores desafios para os sistemas de educação formal, desenhou-se este programa no âmbito do trabalho da Rede de Bibliotecas do Concelho de Tondela. (trans)FORMAR para o presente está imbuído de uma visão holística sobre exequíveis situações formativas e de aprendizagem que contribuam para o empoderamento das nossas crianças e jovens, e implique os docentes no “pensar a educação”.

Objetivos

1-Criar um espaço de reflexão sobre realidades educativas atuais num tempo de maiores desafios para os sistemas deeducação formal; 2- Conhecer e perspetivar ações locais, nacionais e mundiais, em cada contexto, sustentáveis no tempo e no espaço,geradoras de oportunidades de promoção da cidadania democrática inclusiva e consciência cidadã; 3- Divulgar práticas locais geradoras de momentos significativos de aprendizagens e de competências associadas a multiliteracias com a biblioteca escolar; 4- Desenvolver nos professores competências na área das literacias, nomeadamente na área da literacia da informação e dos Media; 5-Reconhecer nas bibliotecas escolares e redes concelhias de bibliotecas cooperações imprescindíveis para um trabalho estruturante em torno dos quatro eixos para que aponta o quadro estratégico da RBE: Sítios, Saberes, Ligações e Pessoas; 6. Reforçar momentos de trabalho colaborativos no seio de um território municipal.

Conteúdos

1- A diversidade de contextos/culturas das sociedades democráticas e a possibilidade de construção de diálogos em torno da educação no presente. (re) Construindo conceitos repensando a Agenda 2030. 2- A promoção da cidadania democrática, das artes e da cultura a partir dos projetos desenvolvidos com a(s) biblioteca(s)escolar(es): International School Cartoon Festival; #geraçãojovem1420; Somos+ ALer+ - Percursos de bem-estar, Arte e cidadania com a Biblioteca Escolar, …; 3- Cidadania e Media para o Bem: estudos, propostas de trabalho com os jovens e desafios atuais. Práticas (trans)FORMAdoras com os Média: o “Som dos Livros “ na rede de Bibliotecas – Dar voz aos alunos! Contribuir para aprender a aprender. O poder da comunicação e a intervenção local. 4- Presente(s) e futuro(s): Escola, Comunidade e Biblioteca – um compromisso para o bem-estar. 5- Desafios atuais de um jornalista no papel de formador: a dimensão social e o poder económico da informação digital. 6- Valores [liberdade e responsabilidade; equidade, diversidade e Inclusão; colaboração e participação; inovação; sustentabilidade e bem-estar], competências e aprendizagens num quadro global de transformar a educação – Objetivos do desenvolvimento Sustentável.

Metodologias

O Seminário com 12 horas será realizado na modalidade de curso de formação com 12 horas presenciais. A componente presencial realizar-se-á em Plenário, com a totalidade dos formandos (até 150), de acordo com a seguinte estrutura: Primeiro dia: Tarde - Conferências/painéis /mesa redonda Segundo dia: Manhã - Conferências/painéis Tarde - Conferências/painéis

Avaliação

A avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10, de acordo com o ECD, Regime Jurídico da FormaçãoContínua e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC. O instrumento de avaliação utilizado será uma reflexão individual com número limitado de carateres. Esta deverá contemplar uma breve visão global e reflexiva do seminário, focalizando-se, numa segunda fase, naidentificação de 3 ações concretas passíveis de serem implementadas em contexto. A avaliação dos formandos alicerça-se na qualidade da reflexão evidenciada na elaboração do Relatório Individual (grau de clareza, postura crítica, grau de profundidade, rigor científico, pertinência, expressão escrita) – 100%. O referencial da escala de avaliação é o previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD, aprovado pelo DL nº 75/10, de 23 de Junho: Menção qualitativa Menção quantitativa Excelente 9-10 valores Muito Bom 8-8,9 valores Bom 6,5-7,9 valores Regular 5,0-6,4 valores Insuficiente 1,0-4,9 valores No primeiro dia, na sessão plenária, haverá um espaço de apresentação do processo de avaliação dos formandos e sua participação na avaliação no Seminário.

Modelo

A Ação de Formação é avaliada pelos formandos e pelos formadores através do preenchimento de questionários. O CFAE elabora o respetivo tratamento estatístico que é alvo de análise nas reuniões da Secção de Formação e Monitorização e do Conselho de Diretores.

Bibliografia

OCDE (2020). Education responses to covid-19: Embracing digital learning and online collaboration. [Disponível emhttps://oecd.dam-broadcast.com/pm_7379_120_120544-8ksud7oaj2.pdf] PEREIRA, Sara, FILLOL, Joana e MOURA, Pedro (2018). Levar os media para a escola. Agenda de atividades detransliteracia, Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS) - Universidade do Minho. Portugal. Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Programa Rede deBibliotecas Escolares: Quadro estratégico: 2021-2027. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdf UNESCO (2018). Journalism, ‘Fake News’ & Disinformation, UNESCO. Unesco. (2020). ESD for 2030: What’s next for Education for Sustainable Development? Retrieved from:https://en.unesco.org/news/esd-2030-whats-next-education-sustainable-development

Anexo(s)

seminriodaeducao.zip


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-04-2023 (Sexta-feira) 14:30 - 19:00 4:30 Presencial
2 29-04-2023 (Sábado) 09:30 - 13:00 3:30 Presencial
3 29-04-2023 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 153S2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119633/23

Modalidade: Seminário

Duração: 12.0 horas

Início: 28-04-2023

Fim: 29-04-2023

Regime: Presencial

Local: Tondela

Formador

Lúcia Maria Pereira de Sousa e Almeida

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão - Câmara Municipal de Tondela - Rede de Bibliotecas Escolares de Tondela

Enquadramento

Respondendo às prioridades decorrentes do atual quadro legal - designadamente, do Perfil dos Alunos e da Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania, do plano de ação para a transição digital e do quadro estratégico 2021-2027 da Rede de bibliotecas escolares – Bibliotecas Escolares: Presentes para o Futuro, em articulação direta com os referenciais de aprendizagens orientadores para a prática, desenha-se um percurso que continue a dessossegar a ação educativa. Visando um espaço de reflexão sobre o que fazemos localmente e os desafios que aportam à educação neste presente arquiteta-se um plano formativo que represente as literacias múltiplas em que se entrelaçam, competências, atitudes e valores. Reforçando o papel de diferentes atores educativos e parcerias na tomada de decisão sobre oportunidades para a plena cidadania, informada, consciente e crítica, num tempo de maiores desafios para os sistemas de educação formal, desenhou-se este programa no âmbito do trabalho da Rede de Bibliotecas do Concelho de Tondela. (trans)FORMAR para o presente está imbuído de uma visão holística sobre exequíveis situações formativas e de aprendizagem que contribuam para o empoderamento das nossas crianças e jovens, e implique os docentes no “pensar a educação”.

Objetivos

1-Criar um espaço de reflexão sobre realidades educativas atuais num tempo de maiores desafios para os sistemas deeducação formal; 2- Conhecer e perspetivar ações locais, nacionais e mundiais, em cada contexto, sustentáveis no tempo e no espaço,geradoras de oportunidades de promoção da cidadania democrática inclusiva e consciência cidadã; 3- Divulgar práticas locais geradoras de momentos significativos de aprendizagens e de competências associadas a multiliteracias com a biblioteca escolar; 4- Desenvolver nos professores competências na área das literacias, nomeadamente na área da literacia da informação e dos Media; 5-Reconhecer nas bibliotecas escolares e redes concelhias de bibliotecas cooperações imprescindíveis para um trabalho estruturante em torno dos quatro eixos para que aponta o quadro estratégico da RBE: Sítios, Saberes, Ligações e Pessoas; 6. Reforçar momentos de trabalho colaborativos no seio de um território municipal.

Conteúdos

1- A diversidade de contextos/culturas das sociedades democráticas e a possibilidade de construção de diálogos em torno da educação no presente. (re) Construindo conceitos repensando a Agenda 2030. 2- A promoção da cidadania democrática, das artes e da cultura a partir dos projetos desenvolvidos com a(s) biblioteca(s)escolar(es): International School Cartoon Festival; #geraçãojovem1420; Somos+ ALer+ - Percursos de bem-estar, Arte e cidadania com a Biblioteca Escolar, …; 3- Cidadania e Media para o Bem: estudos, propostas de trabalho com os jovens e desafios atuais. Práticas (trans)FORMAdoras com os Média: o “Som dos Livros “ na rede de Bibliotecas – Dar voz aos alunos! Contribuir para aprender a aprender. O poder da comunicação e a intervenção local. 4- Presente(s) e futuro(s): Escola, Comunidade e Biblioteca – um compromisso para o bem-estar. 5- Desafios atuais de um jornalista no papel de formador: a dimensão social e o poder económico da informação digital. 6- Valores [liberdade e responsabilidade; equidade, diversidade e Inclusão; colaboração e participação; inovação; sustentabilidade e bem-estar], competências e aprendizagens num quadro global de transformar a educação – Objetivos do desenvolvimento Sustentável.

Metodologias

O Seminário com 12 horas será realizado na modalidade de curso de formação com 12 horas presenciais. A componente presencial realizar-se-á em Plenário, com a totalidade dos formandos (até 150), de acordo com a seguinte estrutura: Primeiro dia: Tarde - Conferências/painéis /mesa redonda Segundo dia: Manhã - Conferências/painéis Tarde - Conferências/painéis

Avaliação

A avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10, de acordo com o ECD, Regime Jurídico da FormaçãoContínua e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC. O instrumento de avaliação utilizado será uma reflexão individual com número limitado de carateres. Esta deverá contemplar uma breve visão global e reflexiva do seminário, focalizando-se, numa segunda fase, naidentificação de 3 ações concretas passíveis de serem implementadas em contexto. A avaliação dos formandos alicerça-se na qualidade da reflexão evidenciada na elaboração do Relatório Individual (grau de clareza, postura crítica, grau de profundidade, rigor científico, pertinência, expressão escrita) – 100%. O referencial da escala de avaliação é o previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD, aprovado pelo DL nº 75/10, de 23 de Junho: Menção qualitativa Menção quantitativa Excelente 9-10 valores Muito Bom 8-8,9 valores Bom 6,5-7,9 valores Regular 5,0-6,4 valores Insuficiente 1,0-4,9 valores No primeiro dia, na sessão plenária, haverá um espaço de apresentação do processo de avaliação dos formandos e sua participação na avaliação no Seminário.

Modelo

A Ação de Formação é avaliada pelos formandos e pelos formadores através do preenchimento de questionários. O CFAE elabora o respetivo tratamento estatístico que é alvo de análise nas reuniões da Secção de Formação e Monitorização e do Conselho de Diretores.

Bibliografia

OCDE (2020). Education responses to covid-19: Embracing digital learning and online collaboration. [Disponível emhttps://oecd.dam-broadcast.com/pm_7379_120_120544-8ksud7oaj2.pdf] PEREIRA, Sara, FILLOL, Joana e MOURA, Pedro (2018). Levar os media para a escola. Agenda de atividades detransliteracia, Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS) - Universidade do Minho. Portugal. Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Programa Rede deBibliotecas Escolares: Quadro estratégico: 2021-2027. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdf UNESCO (2018). Journalism, ‘Fake News’ & Disinformation, UNESCO. Unesco. (2020). ESD for 2030: What’s next for Education for Sustainable Development? Retrieved from:https://en.unesco.org/news/esd-2030-whats-next-education-sustainable-development


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-04-2023 (Sexta-feira) 14:30 - 19:00 4:30 Presencial
2 29-04-2023 (Sábado) 09:30 - 13:00 3:30 Presencial
3 29-04-2023 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 153S3 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119633/23

Modalidade: Seminário

Duração: 12.0 horas

Início: 28-04-2023

Fim: 29-04-2023

Regime: Presencial

Local: Tondela

Formador

Maria Elisa Figueiredo Costa Figueiredo

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão - Câmara Municipal de Tondela - Rede de Bibliotecas Escolares de Tondela

Enquadramento

Respondendo às prioridades decorrentes do atual quadro legal - designadamente, do Perfil dos Alunos e da Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania, do plano de ação para a transição digital e do quadro estratégico 2021-2027 da Rede de bibliotecas escolares – Bibliotecas Escolares: Presentes para o Futuro, em articulação direta com os referenciais de aprendizagens orientadores para a prática, desenha-se um percurso que continue a dessossegar a ação educativa. Visando um espaço de reflexão sobre o que fazemos localmente e os desafios que aportam à educação neste presente arquiteta-se um plano formativo que represente as literacias múltiplas em que se entrelaçam, competências, atitudes e valores. Reforçando o papel de diferentes atores educativos e parcerias na tomada de decisão sobre oportunidades para a plena cidadania, informada, consciente e crítica, num tempo de maiores desafios para os sistemas de educação formal, desenhou-se este programa no âmbito do trabalho da Rede de Bibliotecas do Concelho de Tondela. (trans)FORMAR para o presente está imbuído de uma visão holística sobre exequíveis situações formativas e de aprendizagem que contribuam para o empoderamento das nossas crianças e jovens, e implique os docentes no “pensar a educação”.

Objetivos

1-Criar um espaço de reflexão sobre realidades educativas atuais num tempo de maiores desafios para os sistemas deeducação formal; 2- Conhecer e perspetivar ações locais, nacionais e mundiais, em cada contexto, sustentáveis no tempo e no espaço,geradoras de oportunidades de promoção da cidadania democrática inclusiva e consciência cidadã; 3- Divulgar práticas locais geradoras de momentos significativos de aprendizagens e de competências associadas a multiliteracias com a biblioteca escolar; 4- Desenvolver nos professores competências na área das literacias, nomeadamente na área da literacia da informação e dos Media; 5-Reconhecer nas bibliotecas escolares e redes concelhias de bibliotecas cooperações imprescindíveis para um trabalho estruturante em torno dos quatro eixos para que aponta o quadro estratégico da RBE: Sítios, Saberes, Ligações e Pessoas; 6. Reforçar momentos de trabalho colaborativos no seio de um território municipal.

Conteúdos

1- A diversidade de contextos/culturas das sociedades democráticas e a possibilidade de construção de diálogos em torno da educação no presente. (re) Construindo conceitos repensando a Agenda 2030. 2- A promoção da cidadania democrática, das artes e da cultura a partir dos projetos desenvolvidos com a(s) biblioteca(s)escolar(es): International School Cartoon Festival; #geraçãojovem1420; Somos+ ALer+ - Percursos de bem-estar, Arte e cidadania com a Biblioteca Escolar, …; 3- Cidadania e Media para o Bem: estudos, propostas de trabalho com os jovens e desafios atuais. Práticas (trans)FORMAdoras com os Média: o “Som dos Livros “ na rede de Bibliotecas – Dar voz aos alunos! Contribuir para aprender a aprender. O poder da comunicação e a intervenção local. 4- Presente(s) e futuro(s): Escola, Comunidade e Biblioteca – um compromisso para o bem-estar. 5- Desafios atuais de um jornalista no papel de formador: a dimensão social e o poder económico da informação digital. 6- Valores [liberdade e responsabilidade; equidade, diversidade e Inclusão; colaboração e participação; inovação; sustentabilidade e bem-estar], competências e aprendizagens num quadro global de transformar a educação – Objetivos do desenvolvimento Sustentável.

Metodologias

O Seminário com 12 horas será realizado na modalidade de curso de formação com 12 horas presenciais. A componente presencial realizar-se-á em Plenário, com a totalidade dos formandos (até 150), de acordo com a seguinte estrutura: Primeiro dia: Tarde - Conferências/painéis /mesa redonda Segundo dia: Manhã - Conferências/painéis Tarde - Conferências/painéis

Avaliação

A avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10, de acordo com o ECD, Regime Jurídico da FormaçãoContínua e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC. O instrumento de avaliação utilizado será uma reflexão individual com número limitado de carateres. Esta deverá contemplar uma breve visão global e reflexiva do seminário, focalizando-se, numa segunda fase, naidentificação de 3 ações concretas passíveis de serem implementadas em contexto. A avaliação dos formandos alicerça-se na qualidade da reflexão evidenciada na elaboração do Relatório Individual (grau de clareza, postura crítica, grau de profundidade, rigor científico, pertinência, expressão escrita) – 100%. O referencial da escala de avaliação é o previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD, aprovado pelo DL nº 75/10, de 23 de Junho: Menção qualitativa Menção quantitativa Excelente 9-10 valores Muito Bom 8-8,9 valores Bom 6,5-7,9 valores Regular 5,0-6,4 valores Insuficiente 1,0-4,9 valores No primeiro dia, na sessão plenária, haverá um espaço de apresentação do processo de avaliação dos formandos e sua participação na avaliação no Seminário.

Modelo

A Ação de Formação é avaliada pelos formandos e pelos formadores através do preenchimento de questionários. O CFAE elabora o respetivo tratamento estatístico que é alvo de análise nas reuniões da Secção de Formação e Monitorização e do Conselho de Diretores.

Bibliografia

OCDE (2020). Education responses to covid-19: Embracing digital learning and online collaboration. [Disponível emhttps://oecd.dam-broadcast.com/pm_7379_120_120544-8ksud7oaj2.pdf] PEREIRA, Sara, FILLOL, Joana e MOURA, Pedro (2018). Levar os media para a escola. Agenda de atividades detransliteracia, Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS) - Universidade do Minho. Portugal. Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Programa Rede deBibliotecas Escolares: Quadro estratégico: 2021-2027. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdf UNESCO (2018). Journalism, ‘Fake News’ & Disinformation, UNESCO. Unesco. (2020). ESD for 2030: What’s next for Education for Sustainable Development? Retrieved from:https://en.unesco.org/news/esd-2030-whats-next-education-sustainable-development


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-04-2023 (Sexta-feira) 14:30 - 19:00 4:30 Presencial
2 29-04-2023 (Sábado) 09:30 - 13:00 3:30 Presencial
3 29-04-2023 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 153S4 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119633/23

Modalidade: Seminário

Duração: 12.0 horas

Início: 28-04-2023

Fim: 29-04-2023

Regime: Presencial

Local: Tondela

Formador

Maria Luísa de Albuquerque Melo

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão - Câmara Municipal de Tondela - Rede de Bibliotecas Escolares de Tondela

Enquadramento

Respondendo às prioridades decorrentes do atual quadro legal - designadamente, do Perfil dos Alunos e da Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania, do plano de ação para a transição digital e do quadro estratégico 2021-2027 da Rede de bibliotecas escolares – Bibliotecas Escolares: Presentes para o Futuro, em articulação direta com os referenciais de aprendizagens orientadores para a prática, desenha-se um percurso que continue a dessossegar a ação educativa. Visando um espaço de reflexão sobre o que fazemos localmente e os desafios que aportam à educação neste presente arquiteta-se um plano formativo que represente as literacias múltiplas em que se entrelaçam, competências, atitudes e valores. Reforçando o papel de diferentes atores educativos e parcerias na tomada de decisão sobre oportunidades para a plena cidadania, informada, consciente e crítica, num tempo de maiores desafios para os sistemas de educação formal, desenhou-se este programa no âmbito do trabalho da Rede de Bibliotecas do Concelho de Tondela. (trans)FORMAR para o presente está imbuído de uma visão holística sobre exequíveis situações formativas e de aprendizagem que contribuam para o empoderamento das nossas crianças e jovens, e implique os docentes no “pensar a educação”.

Objetivos

1-Criar um espaço de reflexão sobre realidades educativas atuais num tempo de maiores desafios para os sistemas deeducação formal; 2- Conhecer e perspetivar ações locais, nacionais e mundiais, em cada contexto, sustentáveis no tempo e no espaço,geradoras de oportunidades de promoção da cidadania democrática inclusiva e consciência cidadã; 3- Divulgar práticas locais geradoras de momentos significativos de aprendizagens e de competências associadas a multiliteracias com a biblioteca escolar; 4- Desenvolver nos professores competências na área das literacias, nomeadamente na área da literacia da informação e dos Media; 5-Reconhecer nas bibliotecas escolares e redes concelhias de bibliotecas cooperações imprescindíveis para um trabalho estruturante em torno dos quatro eixos para que aponta o quadro estratégico da RBE: Sítios, Saberes, Ligações e Pessoas; 6. Reforçar momentos de trabalho colaborativos no seio de um território municipal.

Conteúdos

1- A diversidade de contextos/culturas das sociedades democráticas e a possibilidade de construção de diálogos em torno da educação no presente. (re) Construindo conceitos repensando a Agenda 2030. 2- A promoção da cidadania democrática, das artes e da cultura a partir dos projetos desenvolvidos com a(s) biblioteca(s)escolar(es): International School Cartoon Festival; #geraçãojovem1420; Somos+ ALer+ - Percursos de bem-estar, Arte e cidadania com a Biblioteca Escolar, …; 3- Cidadania e Media para o Bem: estudos, propostas de trabalho com os jovens e desafios atuais. Práticas (trans)FORMAdoras com os Média: o “Som dos Livros “ na rede de Bibliotecas – Dar voz aos alunos! Contribuir para aprender a aprender. O poder da comunicação e a intervenção local. 4- Presente(s) e futuro(s): Escola, Comunidade e Biblioteca – um compromisso para o bem-estar. 5- Desafios atuais de um jornalista no papel de formador: a dimensão social e o poder económico da informação digital. 6- Valores [liberdade e responsabilidade; equidade, diversidade e Inclusão; colaboração e participação; inovação; sustentabilidade e bem-estar], competências e aprendizagens num quadro global de transformar a educação – Objetivos do desenvolvimento Sustentável.

Metodologias

O Seminário com 12 horas será realizado na modalidade de curso de formação com 12 horas presenciais. A componente presencial realizar-se-á em Plenário, com a totalidade dos formandos (até 150), de acordo com a seguinte estrutura: Primeiro dia: Tarde - Conferências/painéis /mesa redonda Segundo dia: Manhã - Conferências/painéis Tarde - Conferências/painéis

Avaliação

A avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10, de acordo com o ECD, Regime Jurídico da FormaçãoContínua e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC. O instrumento de avaliação utilizado será uma reflexão individual com número limitado de carateres. Esta deverá contemplar uma breve visão global e reflexiva do seminário, focalizando-se, numa segunda fase, naidentificação de 3 ações concretas passíveis de serem implementadas em contexto. A avaliação dos formandos alicerça-se na qualidade da reflexão evidenciada na elaboração do Relatório Individual (grau de clareza, postura crítica, grau de profundidade, rigor científico, pertinência, expressão escrita) – 100%. O referencial da escala de avaliação é o previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD, aprovado pelo DL nº 75/10, de 23 de Junho: Menção qualitativa Menção quantitativa Excelente 9-10 valores Muito Bom 8-8,9 valores Bom 6,5-7,9 valores Regular 5,0-6,4 valores Insuficiente 1,0-4,9 valores No primeiro dia, na sessão plenária, haverá um espaço de apresentação do processo de avaliação dos formandos e sua participação na avaliação no Seminário.

Modelo

A Ação de Formação é avaliada pelos formandos e pelos formadores através do preenchimento de questionários. O CFAE elabora o respetivo tratamento estatístico que é alvo de análise nas reuniões da Secção de Formação e Monitorização e do Conselho de Diretores.

Bibliografia

OCDE (2020). Education responses to covid-19: Embracing digital learning and online collaboration. [Disponível emhttps://oecd.dam-broadcast.com/pm_7379_120_120544-8ksud7oaj2.pdf] PEREIRA, Sara, FILLOL, Joana e MOURA, Pedro (2018). Levar os media para a escola. Agenda de atividades detransliteracia, Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS) - Universidade do Minho. Portugal. Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Programa Rede deBibliotecas Escolares: Quadro estratégico: 2021-2027. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdf UNESCO (2018). Journalism, ‘Fake News’ & Disinformation, UNESCO. Unesco. (2020). ESD for 2030: What’s next for Education for Sustainable Development? Retrieved from:https://en.unesco.org/news/esd-2030-whats-next-education-sustainable-development


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-04-2023 (Sexta-feira) 14:30 - 19:00 4:30 Presencial
2 29-04-2023 (Sábado) 09:30 - 13:00 3:30 Presencial
3 29-04-2023 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 153S5 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119633/23

Modalidade: Seminário

Duração: 12.0 horas

Início: 28-04-2023

Fim: 29-04-2023

Regime: Presencial

Local: Tondela

Formador

Márcio Rafael Rodrigues dos Santos

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão - Câmara Municipal de Tondela - Rede de Bibliotecas Escolares de Tondela

Enquadramento

Respondendo às prioridades decorrentes do atual quadro legal - designadamente, do Perfil dos Alunos e da Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania, do plano de ação para a transição digital e do quadro estratégico 2021-2027 da Rede de bibliotecas escolares – Bibliotecas Escolares: Presentes para o Futuro, em articulação direta com os referenciais de aprendizagens orientadores para a prática, desenha-se um percurso que continue a dessossegar a ação educativa. Visando um espaço de reflexão sobre o que fazemos localmente e os desafios que aportam à educação neste presente arquiteta-se um plano formativo que represente as literacias múltiplas em que se entrelaçam, competências, atitudes e valores. Reforçando o papel de diferentes atores educativos e parcerias na tomada de decisão sobre oportunidades para a plena cidadania, informada, consciente e crítica, num tempo de maiores desafios para os sistemas de educação formal, desenhou-se este programa no âmbito do trabalho da Rede de Bibliotecas do Concelho de Tondela. (trans)FORMAR para o presente está imbuído de uma visão holística sobre exequíveis situações formativas e de aprendizagem que contribuam para o empoderamento das nossas crianças e jovens, e implique os docentes no “pensar a educação”.

Objetivos

1-Criar um espaço de reflexão sobre realidades educativas atuais num tempo de maiores desafios para os sistemas deeducação formal; 2- Conhecer e perspetivar ações locais, nacionais e mundiais, em cada contexto, sustentáveis no tempo e no espaço,geradoras de oportunidades de promoção da cidadania democrática inclusiva e consciência cidadã; 3- Divulgar práticas locais geradoras de momentos significativos de aprendizagens e de competências associadas a multiliteracias com a biblioteca escolar; 4- Desenvolver nos professores competências na área das literacias, nomeadamente na área da literacia da informação e dos Media; 5-Reconhecer nas bibliotecas escolares e redes concelhias de bibliotecas cooperações imprescindíveis para um trabalho estruturante em torno dos quatro eixos para que aponta o quadro estratégico da RBE: Sítios, Saberes, Ligações e Pessoas; 6. Reforçar momentos de trabalho colaborativos no seio de um território municipal.

Conteúdos

1- A diversidade de contextos/culturas das sociedades democráticas e a possibilidade de construção de diálogos em torno da educação no presente. (re) Construindo conceitos repensando a Agenda 2030. 2- A promoção da cidadania democrática, das artes e da cultura a partir dos projetos desenvolvidos com a(s) biblioteca(s)escolar(es): International School Cartoon Festival; #geraçãojovem1420; Somos+ ALer+ - Percursos de bem-estar, Arte e cidadania com a Biblioteca Escolar, …; 3- Cidadania e Media para o Bem: estudos, propostas de trabalho com os jovens e desafios atuais. Práticas (trans)FORMAdoras com os Média: o “Som dos Livros “ na rede de Bibliotecas – Dar voz aos alunos! Contribuir para aprender a aprender. O poder da comunicação e a intervenção local. 4- Presente(s) e futuro(s): Escola, Comunidade e Biblioteca – um compromisso para o bem-estar. 5- Desafios atuais de um jornalista no papel de formador: a dimensão social e o poder económico da informação digital. 6- Valores [liberdade e responsabilidade; equidade, diversidade e Inclusão; colaboração e participação; inovação; sustentabilidade e bem-estar], competências e aprendizagens num quadro global de transformar a educação – Objetivos do desenvolvimento Sustentável.

Metodologias

O Seminário com 12 horas será realizado na modalidade de curso de formação com 12 horas presenciais. A componente presencial realizar-se-á em Plenário, com a totalidade dos formandos (até 150), de acordo com a seguinte estrutura: Primeiro dia: Tarde - Conferências/painéis /mesa redonda Segundo dia: Manhã - Conferências/painéis Tarde - Conferências/painéis

Avaliação

A avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10, de acordo com o ECD, Regime Jurídico da FormaçãoContínua e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC. O instrumento de avaliação utilizado será uma reflexão individual com número limitado de carateres. Esta deverá contemplar uma breve visão global e reflexiva do seminário, focalizando-se, numa segunda fase, naidentificação de 3 ações concretas passíveis de serem implementadas em contexto. A avaliação dos formandos alicerça-se na qualidade da reflexão evidenciada na elaboração do Relatório Individual (grau de clareza, postura crítica, grau de profundidade, rigor científico, pertinência, expressão escrita) – 100%. O referencial da escala de avaliação é o previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD, aprovado pelo DL nº 75/10, de 23 de Junho: Menção qualitativa Menção quantitativa Excelente 9-10 valores Muito Bom 8-8,9 valores Bom 6,5-7,9 valores Regular 5,0-6,4 valores Insuficiente 1,0-4,9 valores No primeiro dia, na sessão plenária, haverá um espaço de apresentação do processo de avaliação dos formandos e sua participação na avaliação no Seminário.

Modelo

A Ação de Formação é avaliada pelos formandos e pelos formadores através do preenchimento de questionários. O CFAE elabora o respetivo tratamento estatístico que é alvo de análise nas reuniões da Secção de Formação e Monitorização e do Conselho de Diretores.

Bibliografia

OCDE (2020). Education responses to covid-19: Embracing digital learning and online collaboration. [Disponível emhttps://oecd.dam-broadcast.com/pm_7379_120_120544-8ksud7oaj2.pdf] PEREIRA, Sara, FILLOL, Joana e MOURA, Pedro (2018). Levar os media para a escola. Agenda de atividades detransliteracia, Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS) - Universidade do Minho. Portugal. Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Programa Rede deBibliotecas Escolares: Quadro estratégico: 2021-2027. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdf UNESCO (2018). Journalism, ‘Fake News’ & Disinformation, UNESCO. Unesco. (2020). ESD for 2030: What’s next for Education for Sustainable Development? Retrieved from:https://en.unesco.org/news/esd-2030-whats-next-education-sustainable-development


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-04-2023 (Sexta-feira) 14:30 - 19:00 4:30 Presencial
2 29-04-2023 (Sábado) 09:30 - 13:00 3:30 Presencial
3 29-04-2023 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 153S6 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119633/23

Modalidade: Seminário

Duração: 12.0 horas

Início: 28-04-2023

Fim: 29-04-2023

Regime: Presencial

Local: Tondela

Formador

Rosa Maria Marques Coimbra Fernandes

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão - Câmara Municipal de Tondela - Rede de Bibliotecas Escolares de Tondela

Enquadramento

Respondendo às prioridades decorrentes do atual quadro legal - designadamente, do Perfil dos Alunos e da Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania, do plano de ação para a transição digital e do quadro estratégico 2021-2027 da Rede de bibliotecas escolares – Bibliotecas Escolares: Presentes para o Futuro, em articulação direta com os referenciais de aprendizagens orientadores para a prática, desenha-se um percurso que continue a dessossegar a ação educativa. Visando um espaço de reflexão sobre o que fazemos localmente e os desafios que aportam à educação neste presente arquiteta-se um plano formativo que represente as literacias múltiplas em que se entrelaçam, competências, atitudes e valores. Reforçando o papel de diferentes atores educativos e parcerias na tomada de decisão sobre oportunidades para a plena cidadania, informada, consciente e crítica, num tempo de maiores desafios para os sistemas de educação formal, desenhou-se este programa no âmbito do trabalho da Rede de Bibliotecas do Concelho de Tondela. (trans)FORMAR para o presente está imbuído de uma visão holística sobre exequíveis situações formativas e de aprendizagem que contribuam para o empoderamento das nossas crianças e jovens, e implique os docentes no “pensar a educação”.

Objetivos

1-Criar um espaço de reflexão sobre realidades educativas atuais num tempo de maiores desafios para os sistemas deeducação formal; 2- Conhecer e perspetivar ações locais, nacionais e mundiais, em cada contexto, sustentáveis no tempo e no espaço,geradoras de oportunidades de promoção da cidadania democrática inclusiva e consciência cidadã; 3- Divulgar práticas locais geradoras de momentos significativos de aprendizagens e de competências associadas a multiliteracias com a biblioteca escolar; 4- Desenvolver nos professores competências na área das literacias, nomeadamente na área da literacia da informação e dos Media; 5-Reconhecer nas bibliotecas escolares e redes concelhias de bibliotecas cooperações imprescindíveis para um trabalho estruturante em torno dos quatro eixos para que aponta o quadro estratégico da RBE: Sítios, Saberes, Ligações e Pessoas; 6. Reforçar momentos de trabalho colaborativos no seio de um território municipal.

Conteúdos

1- A diversidade de contextos/culturas das sociedades democráticas e a possibilidade de construção de diálogos em torno da educação no presente. (re) Construindo conceitos repensando a Agenda 2030. 2- A promoção da cidadania democrática, das artes e da cultura a partir dos projetos desenvolvidos com a(s) biblioteca(s)escolar(es): International School Cartoon Festival; #geraçãojovem1420; Somos+ ALer+ - Percursos de bem-estar, Arte e cidadania com a Biblioteca Escolar, …; 3- Cidadania e Media para o Bem: estudos, propostas de trabalho com os jovens e desafios atuais. Práticas (trans)FORMAdoras com os Média: o “Som dos Livros “ na rede de Bibliotecas – Dar voz aos alunos! Contribuir para aprender a aprender. O poder da comunicação e a intervenção local. 4- Presente(s) e futuro(s): Escola, Comunidade e Biblioteca – um compromisso para o bem-estar. 5- Desafios atuais de um jornalista no papel de formador: a dimensão social e o poder económico da informação digital. 6- Valores [liberdade e responsabilidade; equidade, diversidade e Inclusão; colaboração e participação; inovação; sustentabilidade e bem-estar], competências e aprendizagens num quadro global de transformar a educação – Objetivos do desenvolvimento Sustentável.

Metodologias

O Seminário com 12 horas será realizado na modalidade de curso de formação com 12 horas presenciais. A componente presencial realizar-se-á em Plenário, com a totalidade dos formandos (até 150), de acordo com a seguinte estrutura: Primeiro dia: Tarde - Conferências/painéis /mesa redonda Segundo dia: Manhã - Conferências/painéis Tarde - Conferências/painéis

Avaliação

A avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10, de acordo com o ECD, Regime Jurídico da FormaçãoContínua e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC. O instrumento de avaliação utilizado será uma reflexão individual com número limitado de carateres. Esta deverá contemplar uma breve visão global e reflexiva do seminário, focalizando-se, numa segunda fase, naidentificação de 3 ações concretas passíveis de serem implementadas em contexto. A avaliação dos formandos alicerça-se na qualidade da reflexão evidenciada na elaboração do Relatório Individual (grau de clareza, postura crítica, grau de profundidade, rigor científico, pertinência, expressão escrita) – 100%. O referencial da escala de avaliação é o previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD, aprovado pelo DL nº 75/10, de 23 de Junho: Menção qualitativa Menção quantitativa Excelente 9-10 valores Muito Bom 8-8,9 valores Bom 6,5-7,9 valores Regular 5,0-6,4 valores Insuficiente 1,0-4,9 valores No primeiro dia, na sessão plenária, haverá um espaço de apresentação do processo de avaliação dos formandos e sua participação na avaliação no Seminário.

Modelo

A Ação de Formação é avaliada pelos formandos e pelos formadores através do preenchimento de questionários. O CFAE elabora o respetivo tratamento estatístico que é alvo de análise nas reuniões da Secção de Formação e Monitorização e do Conselho de Diretores.

Bibliografia

OCDE (2020). Education responses to covid-19: Embracing digital learning and online collaboration. [Disponível emhttps://oecd.dam-broadcast.com/pm_7379_120_120544-8ksud7oaj2.pdf] PEREIRA, Sara, FILLOL, Joana e MOURA, Pedro (2018). Levar os media para a escola. Agenda de atividades detransliteracia, Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS) - Universidade do Minho. Portugal. Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Programa Rede deBibliotecas Escolares: Quadro estratégico: 2021-2027. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdf UNESCO (2018). Journalism, ‘Fake News’ & Disinformation, UNESCO. Unesco. (2020). ESD for 2030: What’s next for Education for Sustainable Development? Retrieved from:https://en.unesco.org/news/esd-2030-whats-next-education-sustainable-development


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-04-2023 (Sexta-feira) 14:30 - 19:00 4:30 Presencial
2 29-04-2023 (Sábado) 09:30 - 13:00 3:30 Presencial
3 29-04-2023 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 1032 T2 22/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115451/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 20-04-2023

Fim: 08-06-2023

Regime: b-learning

Local: ES Santa Comba Dão

Formador

Ana Isabel Lopes dos Santos Craveiro

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 20-04-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
2 26-04-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:30 3:30 Presencial
3 04-05-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
4 10-05-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:30 3:30 Presencial
5 18-05-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
6 24-05-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial
7 25-05-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
8 01-06-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
9 08-06-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona


212

Ref. 1347-Turma2 22/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116768/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 15-03-2023

Fim: 24-05-2023

Regime: e-learning

Local: À Distância

Formador

Marco Alexandre Carvalho Bento

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores 3º Ciclo, Secundário e Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores 3º Ciclo, Secundário e Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores 3º Ciclo, Secundário e Professores da Educação Especial;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

Na definição e redefinição de estratégias em qualquer organização educativa, tal como a níveis mais concretos e próximos, até ao nível da sala de aula, o papel dos modelos de aprendizagem de diferentes formas, assume um cariz determinante, quer na definição de orientações, quer na alocação de recursos, quer na linha condutora de aulas, quer ainda na definição de percursos educativos para os alunos e planeamento constante por parte dos docentes. O curso servirá para os professores beneficiarem de uma introdução às pedagogias ativas num contexto de introdução do digital no ensino, considerando o papel do professor num contexto presencial, com a adaptação às tecnologias e aos espaços virtuais de apoio à concretização de aprendizagens.

Objetivos

Desenvolver as competências de literacia digital dos professores 2. Apresentar modelos pedagógicos ativos com a utilização de tecnologia 3. Potenciar a utilização dos recursos digitais em desenhos de pedagógicos híbridos 4. Compreender as potencialidades pedagógicas da utilização da tecnologia integrada em ambientes híbridos de aprendizagem 5. Desenvolver estratégias de articulação entre a pedagogia, o espaço e a tecnologia 6. Desenvolver estratégias de articulação entre o currículo e as soft skills por meio da tecnologia 7. Apoiar os professores na implementação de práticas pedagógicas num ensino híbrido.

Conteúdos

Módulo 1 - Uso de tecnologia educativa em sala de aula. Abordagem às potencialidades dos AEI, o espaço como potenciador de aprendizagens considerando a diferenciação pedagógica e a utilização das diferentes zonas de aprendizagem. (Dimensão ESPAÇO) Módulo 2 - Cenários de Inovação Pedagógica. Desenho e planificação de projetos colaborativos de escola e/ou turma considerando as dimensões (ESPAÇO, PEDAGOGIA E TECNOLOGIA). Módulo 3 - Ensino presencial, com integração do digital. Utilização de dispositivos móveis e respetivas aplicações em interação com painéis interativos (ActivPanel) do ESPAÇO considerando a PEDAGOGIA. (Dimensão TECNOLOGIA). Módulo 4 - Modelos pedagógicos de aprendizagem invertida e gamificação. Abordagem dos cenários de inovação pedagógica de aprendizagem invertida e gamificação, com aplicação prática relacionando com o ESPAÇO - (Dimensão PEDAGOGIA). Módulo 5 - Avaliação em ambiente online com o uso da tecnologia. A avaliação e a aferição ao longo do processo de aplicação dos cenários de inovação pedagógica considerando as três dimensões (ESPAÇO, PEDAGOGIA E TECNOLOGIA).

Metodologias

a) Das sessões presenciais/síncronas: Nos momentos presenciais serão sempre desenhados três níveis de intervenção: 1- Explicação interativa dos conceitos a serem trabalhados 2- Desenho de planos de intervenção utilizando os conceitos aprendidos 3- Construção dos materiais necessários à implementação do plano de intervenção b) Nas sessões assíncronas Interação com os conteúdos a abordar nas sessões síncronas e desenho de tarefas para reflexão nas sessões síncronas. No modelo assíncrono estarão disponíveis recursos de avaliação de aprendizagem online.

Avaliação

Os formandos são avaliados de acordo com as regras previstas no regulamento interno do centro de formação bem como a legislação vigente aplicável Os formandos serão informados que para a sua avaliação serão tidos em conta os seguintes parâmetros/critérios - Participação nas sessões síncronas em que será tido em conta a realização das tarefas nas sessões assíncronas - Relatório de reflexão individual - eportefólio onde deverá constar memória descritiva do trabalho do formando nas sessões síncronas e assíncronas

Bibliografia

Bergmann, J.; Sams, A. ( 2013) Flip Your Students' Learning. Educational Leadership, v. 70, n. 6, p.16-20. Disponível em http://www.ascd.org/publications/educational- leadership/mar13/vol70/num06/Flip-Your-Students'-Learning.aspx Bergmann, J.; Sams, A. (2012b) How the Flipped Classroom is radically transforming learning.The Daily Riff. Learning, Innovation & tech. Disponível em http://www.thedailyriff.com/articles/how-the-flipped-classroom-is-radically-transforming- learning-536.php Fulton, K. (2012) Upside down and inside out: Flip Your Classroom to Improve Student Learning. Learning & Leading with Technology, v. 39, n. 8, p. 12-17. Disponível em http://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ982840.pdf Lateef, F. (2014). The Flipped Classroom: Viewpoints in Asian Universities. Education in Medicine Journal Wilson, S.G. (2013) The Flipped Class: A Method to Address the Challenges of an Undergraduate Statistics Course. Teaching of Psychology, Philadelphia, v. 40, n. 3, p. 193-199. Disponível em http://top.sagepub.com/content/40/3/193.full.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-03-2023 (Quarta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Online síncrona
2 29-03-2023 (Quarta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Online síncrona
3 12-04-2023 (Quarta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Online síncrona
4 03-05-2023 (Quarta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Online síncrona
5 24-05-2023 (Quarta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Online síncrona


272

Ref. 1375 Turma 3 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116679/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 08-03-2023

Fim: 29-03-2023

Regime: e-learning

Local: À distância

Formador

Andreia Patrícia Neves Veloso Guerreiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de competências digitais, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa pretende demonstrar de forma prática como as ferramentas digitais podem ser utilizadas de forma criativa nas aulas com alunos de todas as idades. Pretende-se desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e a sua capacidade para implementar estratégias e práticas criativas inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver estratégias de implementação de ferramentas digitais de forma criativa na sala de aula, recorrendo à realidade aumentada e à inteligência artificial. São objetivos específicos: - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e utilização de ferramentas digitais com recurso a realidade aumentada e inteligência artificial; - estimular a criatividade dos alunos através da arte; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental: - ArtSteps - exposições virtuais - Merge Cube e CoSpaces - espaços a 3D - Spectacular Quiver - ver os nossos desenhos em 3D - Paint Draw AR - desenhar no espaço com realidade aumentada - Autodraw- desenhar com inteligência artificial - Art Coloring Book- Recolorir obras de Arte - Nvidea Gaugan- Paisagens realistas criadas com Inteligência Artificial - Aplicações Google Art&Culture e Google AR - SculpGL – modelagem em 3D - Robótica criativa com o Robot Vex

Metodologias

a) Das sessões síncronas: As sessões síncronas são destinadas à realização de demonstração das ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento da criatividade dos alunos; à reflexão crítica sobre a importância deste tipo de atividades. Duração Horas presenciais: 25 No de horas acreditadas: 25 Descrição Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, do Ensino Secundário e de Educação Especial. b) Das sessões assíncronas Em específico, nas sessões assíncronas, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões síncronas, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha de resultados.

Avaliação

Para que o seu trabalho possa ser avaliado, os formandos terão de participar num mínimo de dois terços das sessões. A avaliação contemplará a realização de trabalhos individuais e de um trabalho de grupo que será apresentado oralmente por todos os elementos, ambos incidindo sobre as ferramentas digitais a aplicar em contexto de sala de aula. Dos trabalhos elaborados nesta ação valorizar-se-á: - O empenho e a participação ativa dos formandos no processo de formação, tendo em consideração a pertinência, a qualidade e o rigor das suas intervenções; - A reflexão crítica sobre a importância da formação no desenvolvimento pessoal e profissional do docente; Da ponderação de todos estes fatores resultará a avaliação quantitativa dos formandos, cuja escala compreende o intervalo de 1 a 10 valores, tendo como referente as seguintes menções: - Excelente — de 9 a 10 valores; - Muito Bom — de 8 a 8,9 valores; - Bom — de 6,5 a 7,9 valores; - Regular — de 5 a 6,4 valores; - Insuficiente — de 1 a 4,9 valores.

Bibliografia

Churches A. (2009), Edorigami, blooms taxonomy and digital approaches. Disponível em: https://www.yumpu.com/en/document/read/31996905/blooms-digital-taxonomy-educational-origami-wikispaces Iniciativa Nacional Competências Digitais e.2030 – Portugal INCoDe.2030 (2019). Quadro Dinâmico de Referência de Competência Digital para Portugal. Disponível em: https://www.incode2030.gov.pt/sites/default/files/qdrcd_set2019.pdf Lucas, M. & Moreira, A (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Disponível em: http://hdl.handle.net/10773/24983 Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME UNESCO. ICT Competency framework for teachers. Versão3. (2018). Paris: United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000265721.locale=en


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-03-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:30 3:30 Online síncrona
2 15-03-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:30 3:30 Online síncrona
3 22-03-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Online síncrona
4 29-03-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Online síncrona


274

Ref. 1032 T3 22/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115451/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 04-03-2023

Fim: 13-05-2023

Regime: b-learning

Local: ES Molelos

Formador

Paulo Sergio Rodrigues Nogueira

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 04-03-2023 (Sábado) 09:00 - 12:30 3:30 Online síncrona
2 16-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
3 25-03-2023 (Sábado) 09:00 - 12:30 3:30 Online síncrona
4 01-04-2023 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Online síncrona
5 20-04-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
6 29-04-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
7 04-05-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
8 13-05-2023 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Online síncrona


213

Ref. 145ACD3T3Dig Concluída

Registo de acreditação: ACD3Dig

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 5.0 horas

Início: 01-03-2023

Fim: 08-03-2023

Regime: e-learning

Local: À distância

Formador

Dorinda Henriques Valente Rebelo

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

No atual contexto educativo é solicitado aos professores que desenvolvam Domínios de Autonomia Curricular (DAC), de natureza interdisciplinar, e que promovam competências digitais nos seus alunos. Para isso, é essencial que os professores desenvolvam um conjunto de competências ao nível do trabalho colaborativo, potenciado pelo uso de ferramentas digitais, de modo a poderem implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem, promotoras da integração de saberes e diferentes áreas do conhecimento e do desenvolvimento de competências digitais nos alunos.

Objetivos

Refletir sobre dinâmicas de trabalho colaborativo, com recurso a ferramentas e a ambientes digitais, que promovam a qualidade do processo educativo; Conceber um DAC, suportado em trabalho colaborativo e interdisciplinar, que integre saberes de diferentes áreas do conhecimento e ferramentas digitais; Estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica de estratégias inovadoras de ensino, aprendizagem e avaliação.

Conteúdos

Aprendizagens Essenciais, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Domínios de Autonomia Curricular (DAC): desafios colocados à escola e aos professores. Linhas orientadoras para a planificação, implementação e avaliação das aprendizagens num DAC. Planificação de um DAC de natureza interdisciplinar que potencie o uso de ferramentas digitais.

Metodologias

Os formandos desenvolverão trabalho colaborativo e cooperativo, com o devido enquadramento teórico, em torno da construção de um DAC.

Modelo

Avaliação da ação pelos/as formandos/as e pelos/as formadores/as através de questionários de satisfação.

Bibliografia

Decreto-Lei n.º 55/18, de 6 de julho, da Presidência do Conselho de Ministros (2018). Diário da República: I série, n.º 129. Lagarto, J., & Alaíz, V. (2019). Nos trilhos da flexibilidade curricular: O que vimos, ouvimos e refletimos. Revista Portuguesa de Investigação Educacional, 19, 41-66. Cohen, A., & Fradique, J. (2018). Guia da Autonomia e Flexibilidade Curricular. Raiz Editora. Cosme, A. (2018). Autonomia e Flexibilidade Curricular: Propostas e estratégias de ação. Porto Editora. Cosme, A., Ferreira, D., Fernandes, J., & Neves, L. (2018). Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular (PAFC): Estudo avaliativo da experiência pedagógica desenvolvida em 2017/2018 ao abrigo do despacho n.º 5908/2017. Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade do Porto.


Observações

Docentes do AE de Tondela Tomaz Ribeiro

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 01-03-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Online síncrona
2 08-03-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Online síncrona


276

Ref. 1324T1 PRA Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116119/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 28-02-2023

Fim: 29-04-2023

Regime: e-learning

Local: À Distância

Formador

Maria Cristina Marques Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância; Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e Grupo de recrutamento 360.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e Grupo de recrutamento 360.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância; Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e Grupo de recrutamento 360..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha desbravem o caminho e orientem todos os agentes educativos para as mudanças a realizar. Esta ação de formação procura contribuir para uma reflexão crítica sobre os desafios da diversidade, bem como apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas ajustadas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021. European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european- agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack- supporting-inclusion-and-equity-education.


Observações

Docentes indicados pelos Diretores dos AE associados.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-02-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 10-03-2023 (Sexta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
3 14-03-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 21-03-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 29-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online síncrona
6 19-04-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online síncrona
7 29-04-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Online síncrona


246

Ref. 1032 T6 22/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115451/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 16-02-2023

Fim: 10-05-2023

Regime: b-learning

Local: ES Carregal do Sal

Formador

José Carlos Cravo Martins

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 16-02-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 01-03-2023 (Quarta-feira) 15:30 - 17:30 2:00 Presencial
3 02-03-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
4 08-03-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 17:00 2:00 Presencial
5 21-03-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
6 13-04-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 19-04-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 17:00 2:00 Presencial
8 27-04-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
9 04-05-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
10 10-05-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial


216

Ref. 1266 T2 PRA Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115863/22

Modalidade: Círculo de Estudos

Duração: 38.0 horas (25.0 horas presenciais)

Início: 11-02-2023

Fim: 26-04-2023

Regime: Presencial

Local: ES Tondela

Formador

Helena Maria Daniel de Melo Carvalho

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

No âmbito do Projeto MAIA, e ao longo dos anos letivos de 2019/2020 e 2020/2021, realizaram-se centenas de Oficinas de Formação (OF), que ocorreram em praticamente todos os CFAE e cujo principal produto foi a conceção e a elaboração de um Projeto de Intervenção (PI) no domínio da avaliação pedagógica. Este PI, definia um conjunto de Princípios de Avaliação Pedagógica que enquadrava quer a definição de uma Política de Avaliação, quer a definição de uma Política de Classificação. A ideia que presidiu à elaboração dos PI era a de o concretizar nos AE/ENA dos formandos que os conceberam e elaboraram, tendo em conta as condições concretas de cada instituição, bem como o respetivo Projeto Educativo Como seria expectável, atendendo às condições existentes em cada AE/ENA, há diferentes graus de apropriação dos propósitos do Projeto MAIA e, consequentemente, o mesmo sucede com a concretização e desenvolvimento dos PI. Assim, há dificuldades que têm sido recorrentemente sinalizadas por diversos intervenientes neste processo. Reconheceu-se, assim, a necessidade de se conceber e desenvolver o presente Círculo de Estudos de modo a contribuir para que dificuldades possam ser ultrapassadas e para que as instituições que estão envolvidas neste processo possam concretizar e desenvolver os seus PI. Através desta modalidade de formação, os formandos terão a oportunidade ultrapassar as dificuldades reportadas de através da reflexão e discussão das experiências das suas unidades orgânicas.

Objetivos

• clarificar os conceitos estruturantes que deverão fundamentar e enquadrar os PI. • aprofundar a conceção e a elaboração dos PI. • analisar materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • produzir materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • delinear estratégias destinadas a promover a concretização e desenvolvimento dos PI atendendo às condições concretas de cada instituição. • contribuir para integrar os PI no desenvolvimento dos Projetos Educativos das instituições. • desenvolver hábitos de trabalho colaborativo e de reflexão em torno de situações vividas nas escolas, visando melhorar a qualidade do ensino, da aprendizagem e da avaliação. • partilhar ideias, experiências, materiais e métodos que contribuam para a concretização e desenvolvimento dos PI em cada instituição. • conceber uma Ação de Curta Duração visando a criação de uma oportunidade para que os professores possam discutir a consecução e o desenvolvimento dos PI.

Conteúdos

O desenvolvimento deste Círculo de Estudos será baseado no estudo, na discussão e na análise dos seguintes conteúdos principais: • Análise e reflexão acerca do Currículo vigente atualmente em Portugal. • Relações entre o Currículo, a Pedagogia e a Avaliação e suas implicações para a concretização e desenvolvimento dos PI. • Conceitos estruturantes da avaliação pedagógica tais como avaliação formativa, avaliação sumativa, feedback, critério, indicador ou descritor, autoavaliação, avaliação entre pares, avaliação holística, avaliação analítica, processos de recolha de informação e processos de classificação. • Conceção de materiais, processos e estratégias que integrem os conceitos e ideias da avaliação pedagógica e que suscitem a sua utilização nas práticas pedagógicas. • Análise e discussão de PI: reformulação, aprofundamento, ajustamento. • Processos de formação ativa de professores: fundamentos, processos e dinâmicas

Metodologias

Presencial • O trabalho presencial será organizado de forma que os formandos estabeleçam relações entre o contexto da formação e das escolas. • Os participantes constituem uma comunidade de aprendizagem e de práticas, que discute os PI, visando a sua melhoraria, clarificação e aprofundamento. • Os formandos terão um papel central nos processos de formação, nomeadamente no que se refere à melhoria e/ou aprofundamento dos PI. • Os formadores são recursos qualificados que distribuirão feedback, orientando os formandos, dinamizando as sessões de trabalho e garantindo o desenvolvimento de discussões com real significado para a concretização e desenvolvimento dos PI. • As sessões presenciais serão planificadas tendo em vista a análise e discussão que permita eventuais ajustamentos e/ou melhorias dos PI. Trabalho autónomo • O trabalho autónomo será desenvolvido a partir do estudo das situações concretas decorrentes dos processos de concretização dos PI e, por isso, as dinâmicas de investigação e reflexão.

Avaliação

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. A avaliação dos formandos decorre ao longo de todas as sessões com base nas interações que se forem estabelecendo a partir das intervenções realizadas nas suas instituições. Os PI reformulados assim como os Planos de Formação serão objeto de apresentação e discussão nas sessões presenciais e constituirão processos e produtos fundamentais.

Bibliografia

Fernandes, D. (2021). Para uma fundamentação e melhoria das práticas de avaliação pedagógica no âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Fernandes, D. (2021). Para a Conceção e Elaboração do Projeto de Intervenção no Âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Fernandes, D. (2021). Para um enquadramento da formação de professores. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Machado, E. A. (2021). Feedback. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Wenger, E. (1998). Communities of practice: Learning, meaning, and identity. Cambridge University Press.


Observações

Docentes indicados pelos Diretores dos AE associados do CFAE PB.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-02-2023 (Sábado) 09:00 - 13:10 4:10 Presencial
2 25-02-2023 (Sábado) 09:00 - 13:10 4:10 Presencial
3 11-03-2023 (Sábado) 09:00 - 13:10 4:10 Presencial
4 25-03-2023 (Sábado) 09:00 - 13:10 4:10 Presencial
5 22-04-2023 (Sábado) 09:00 - 13:10 4:10 Presencial
6 26-04-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:40 4:10 Presencial


265

Ref. 1505 ACD Concluída

Registo de acreditação: 5 ACD

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 02-02-2023

Fim: 02-02-2023

Regime: e-learning

Local: Via Zoom

Formador

Andreia Sofia Ferreira Rodrigues

Destinatários

Educadores de Infância da CIM Região de Coimbra

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CIM Região Coimbra CFAE-PB

Enquadramento

O Educador, através da do Programa “A Cidade do Arco Iris” poderá ter a perceção da aplicabilidade da metodologia Learning by Doing tem por base com a metodologia da LEGO Education. Nesta Ação de Curta Duração o Educador poderá conhecer as diferentes ferramentas, recursos e atividades que compõem o programa e compreender como é que as crianças vão explorar as suas comunidades locais, desenvolver a aprendizagem cognitiva em Ciências Humanas, interagir, realizar atividades de construção, encenação e compartilhamento de ideias. Com este programa as crianças vão entender como são compostas as comunidades assim como o papel que cada pessoa poderá assumir junto da sua comunidade. Elas entenderão os papéis e as responsabilidades dos cidadãos, aprenderão a cuidar das pessoas ao seu redor e terão uma compreensão básica dos conceitos económicos. Ao longo do caminho, elas desenvolverão e aplicarão habilidades STEAM, tudo isso enquanto aprendem maneiras em que podem contribuir para suas comunidades. O programa contempla assim a utilização de blocos de construção para crianças, com o objetivo de estimular a imaginação e a criatividade favorecendo a expressividade e a construção de novas realidades, promover o desenvolvimento global da criança (motor, cognitivo, social),

Objetivos

• Desenvolvimento teórico e prático da metodologia Learning By Doing • Partilha e debate de boas práticas relativas à implementação das atividades do programa educativo • Desenvolvimento de conceitos e didáticas relativas ao programa “Lego Education”

Conteúdos

Com o Programa “A Cidade do Arco Iris” através da metodologia Learning by Doing, tendo por base a LEGO Education, as crianças, dos 3 aos 5 anos exploram e aprendem sobre as suas emoções e sobre as suas relações sociais, são estimuladas no desenvolvimento da linguagem, exploram o mundo e de forma concreta a sua comunidade, constroem a sua autoconfiança e dão vida às suas ideias, para além de desenvolverem competências no âmbito da resolução de problemas, uma habilidade fundamental para o século XXI. São assim abordadas as seguintes áreas: Exploração Criativa e Desenvolvimento Social e Emocional. • Exploração Criativa: a criança expressa a sua criatividade, enquanto constrói ideias usando os blocos LEGO®, presentes nos conjuntos LEGO Education. As crianças trabalham em grupo, constroem juntas, discutem ideias e aprendem a negociar papéis. Os blocos LEGO® são considerados ferramentas para pensar, comunicar e desenvolver um entendimento das contribuições e ideias de cada um. Os objetivos de aprendizagem nesta área são: • Desenvolver a criatividade; • Saber auto expressar-se; • Explorar o mundo; • Organizar e categorizar. • Desenvolvimento Social e Emocional: as crianças participam de muitas experiências de construção e ao mesmo tempo reconhecem sentimentos e identificam semelhanças e diferenças. Constroem competências sociais, um dos fatores mais importantes no desenvolvimento infantil. Os objetivos de aprendizagem nesta área são: • Reconhecer e compreender as emoções; • Compreender as relações; • Autoconhecimento • Saber dividir tarefas.

Metodologias

Esta ação de formação terá como metodologia de ação o Learning by Doing, estando organizada para decorrer ao longo de 3h online. A sessão será essencialmente teórico-prática, sendo utilizados os métodos: expositivo, interrogativo e ativo, abrangendo, entre outras, as seguintes estratégias pedagógicas de ação: Dinâmica de Grupo; Debate; Exposição Oral e Análise de dados

Avaliação

Frequência

Modelo

Questionário preenchido pelos formandos e formadores cujo tratamento estatístico será alvo de análise pela Secção de Formação e Monitorização e Conselho de Diretores

Bibliografia

Lira, N. & Rubio, J. (2014). A importância do brincar na educação infantil. Revista eletrónica saberes da educação. Vol.5 nº1, 2014. • Moyles, J. (2002). Só brincar? O papel do brincar na educação infantil. Porto Alegre: Artmed Editora S.A • Nascimento, C. (2004). Criatividade e brincadeira de faz de conta nas conceções de professores da educação infantil. Acedido em 20/04/2015. Disponível em http://www.bdtd.ndc.uff.br/tde_arquivos/2/TDE-2007-11- 21T122756Z1102/Publico/Dissert-Cynthia%20Nascimento.pdf • Hohmann, M. & Weikar


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 02-02-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona

Ref. 139ACD3 PRA Concluída

Registo de acreditação: ACD

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 01-02-2023

Fim: 01-02-2023

Regime: Presencial

Local: ES SC Dão

Formador

Dorinda Henriques Valente Rebelo

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

No atual contexto educativo é solicitado aos professores que desenvolvam Domínios de Autonomia Curricular (DAC), de natureza interdisciplinar, e que promovam competências digitais nos seus alunos. Para isso, é essencial que os professores desenvolvam um conjunto de competências ao nível do trabalho colaborativo, potenciado pelo uso de ferramentas digitais, de modo a poderem implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem, promotoras da integração de saberes e diferentes áreas do conhecimento e do desenvolvimento de competências digitais nos alunos.

Objetivos

Refletir sobre dinâmicas de trabalho colaborativo, com recurso a ferramentas e a ambientes digitais, que promovam a qualidade do processo educativo; Conceber um DAC, suportado em trabalho colaborativo e interdisciplinar, que integre saberes de diferentes áreas do conhecimento e ferramentas digitais; Estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica de estratégias inovadoras de ensino, aprendizagem e avaliação.

Conteúdos

Aprendizagens Essenciais, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Domínios de Autonomia Curricular (DAC): desafios colocados à escola e aos professores. Linhas orientadoras para a planificação, implementação e avaliação das aprendizagens num DAC. Planificação de um DAC de natureza interdisciplinar que potencie o uso de ferramentas digitais.

Metodologias

Os formandos desenvolverão trabalho colaborativo e cooperativo, com o devido enquadramento teórico, em torno da construção de um DAC.

Avaliação

Avaliação da ação pelos/as formandos/as e pelos/as formadores/as através de questionários de satisfação.

Bibliografia

Decreto-Lei n.º 55/18, de 6 de julho, da Presidência do Conselho de Ministros (2018). Diário da República: I série, n.º 129. Lagarto, J., & Alaíz, V. (2019). Nos trilhos da flexibilidade curricular: O que vimos, ouvimos e refletimos. Revista Portuguesa de Investigação Educacional, 19, 41-66. Cohen, A., & Fradique, J. (2018). Guia da Autonomia e Flexibilidade Curricular. Raiz Editora. Cosme, A. (2018). Autonomia e Flexibilidade Curricular: Propostas e estratégias de ação. Porto Editora. Cosme, A., Ferreira, D., Fernandes, J., & Neves, L. (2018). Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular (PAFC): Estudo avaliativo da experiência pedagógica desenvolvida em 2017/2018 ao abrigo do despacho n.º 5908/2017. Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade do Porto.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 01-02-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Presencial


277

Ref. 148ACD 3 Concluída

Registo de acreditação: ACD 3

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 25-01-2023

Fim: 25-01-2023

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas de Santa Comba Dão

Formador

Helena Maria Daniel de Melo Carvalho

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão/AE de Santa Comba Dão/Câmara Municipal de Santa Comba Dão

Enquadramento

A avaliação, a aprendizagem e o ensino são três processos pedagógicos incontornáveis e fundamentais que devem ser devidamente compreendidos por todos os intervenientes. Respondendo à solicitação da direção do Agrupamento de Escolas de Santa Comba Dão, esta ACD pretende relembrar e reforçar os principais conceitos do processo Ensino / Aprendizagem/Avaliação. Esta ACD nasce, assim, da necessidade de aprofundamento de conceitos basilares do Projeto MAIA, já aplicado no referido agrupamento, e no âmbito da Avaliação Pedagógica, no sentido não só de reforçar conceitos como avaliação formativa e sumativa, feedback, participação dos alunos, processos de recolha de informação, tarefas e rubricas, critérios de avaliação e classificação, mas também questionar práticas e partilhar experiências e exemplos práticos experienciados na sala de aula. Pretende-se uma participação ativa e questionadora por parte dos formandos, num momento de formação reflexivo e prático.

Objetivos

- Reforçar / clarificar os principais conceitos no âmbito da Avaliação Pedagógica; - Distinguir a Avaliação Formativa e a Sumativa: - Destacar a importância do feedback no processo Ensino/Aprendizagem/Avaliação; - Clarificar o papel dos alunos em todo o processo e em especial na Auto e Heteroavaliação; - Reforçar a relevância das tarefas a implementar na sala de aula e das respetivas Rubricas; - Valorizar a diversificação dos processos de recolha de informação, os seus fins e a triangulação dos mesmos, para além dos “tradicionais” testes de avaliação; - Distinguir Critérios de Avaliação e Classificação; - Partilhar experiências e práticas de Avaliação Formativa; - Questionar conceitos, práticas e processos de avaliação.

Conteúdos

1. O processo Ensino / Aprendizagem / Avaliação 2. As Avaliações Formativa e Sumativa 3. Práticas de Feedback 4. O papel dos alunos: a auto e heteroavaliação 5. As tarefas e Rubricas 6. Os processos de recolha de informação (diversificação): Há vida para além dos testes! 7. Avaliação e Classificação (critérios) 8. Troca de ideias e partilha de experiências: práticas na sala de aula.

Metodologias

Partindo da recapitulação, clarificação e reforço dos conceitos básicos da Avaliação Pedagógica, em prática no agrupamento, pretende-se a realização de uma ACD ativa, reflexiva e interativa, em que se privilegie o questionamento, a troca de ideias, a apresentação de exemplos práticos e experiências na sala de aula.

Avaliação

Frequência

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e pela formadora. Tratamento estatístico desses dados e avaliação pela Secção de Formação e Monitorização e Conselho de Diretores do CFAE-PB.

Bibliografia

Folhas e Textos do Projeto MAIA.


Observações

Docentes do AE de Santa Comba Dão

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 25-01-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Presencial

Ref. 1375 Turma 2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116679/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 21-01-2023

Fim: 04-03-2023

Regime: e-learning

Local: À distância

Formador

Andreia Patrícia Neves Veloso Guerreiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de competências digitais, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa pretende demonstrar de forma prática como as ferramentas digitais podem ser utilizadas de forma criativa nas aulas com alunos de todas as idades. Pretende-se desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e a sua capacidade para implementar estratégias e práticas criativas inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver estratégias de implementação de ferramentas digitais de forma criativa na sala de aula, recorrendo à realidade aumentada e à inteligência artificial. São objetivos específicos: - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e utilização de ferramentas digitais com recurso a realidade aumentada e inteligência artificial; - estimular a criatividade dos alunos através da arte; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental: - ArtSteps - exposições virtuais - Merge Cube e CoSpaces - espaços a 3D - Spectacular Quiver - ver os nossos desenhos em 3D - Paint Draw AR - desenhar no espaço com realidade aumentada - Autodraw- desenhar com inteligência artificial - Art Coloring Book- Recolorir obras de Arte - Nvidea Gaugan- Paisagens realistas criadas com Inteligência Artificial - Aplicações Google Art&Culture e Google AR - SculpGL – modelagem em 3D - Robótica criativa com o Robot Vex

Metodologias

a) Das sessões síncronas: As sessões síncronas são destinadas à realização de demonstração das ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento da criatividade dos alunos; à reflexão crítica sobre a importância deste tipo de atividades. Duração Horas presenciais: 25 No de horas acreditadas: 25 Descrição Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, do Ensino Secundário e de Educação Especial. b) Das sessões assíncronas Em específico, nas sessões assíncronas, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões síncronas, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha de resultados.

Avaliação

Para que o seu trabalho possa ser avaliado, os formandos terão de participar num mínimo de dois terços das sessões. A avaliação contemplará a realização de trabalhos individuais e de um trabalho de grupo que será apresentado oralmente por todos os elementos, ambos incidindo sobre as ferramentas digitais a aplicar em contexto de sala de aula. Dos trabalhos elaborados nesta ação valorizar-se-á: - O empenho e a participação ativa dos formandos no processo de formação, tendo em consideração a pertinência, a qualidade e o rigor das suas intervenções; - A reflexão crítica sobre a importância da formação no desenvolvimento pessoal e profissional do docente; Da ponderação de todos estes fatores resultará a avaliação quantitativa dos formandos, cuja escala compreende o intervalo de 1 a 10 valores, tendo como referente as seguintes menções: - Excelente — de 9 a 10 valores; - Muito Bom — de 8 a 8,9 valores; - Bom — de 6,5 a 7,9 valores; - Regular — de 5 a 6,4 valores; - Insuficiente — de 1 a 4,9 valores.

Bibliografia

Churches A. (2009), Edorigami, blooms taxonomy and digital approaches. Disponível em: https://www.yumpu.com/en/document/read/31996905/blooms-digital-taxonomy-educational-origami-wikispaces Iniciativa Nacional Competências Digitais e.2030 – Portugal INCoDe.2030 (2019). Quadro Dinâmico de Referência de Competência Digital para Portugal. Disponível em: https://www.incode2030.gov.pt/sites/default/files/qdrcd_set2019.pdf Lucas, M. & Moreira, A (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Disponível em: http://hdl.handle.net/10773/24983 Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME UNESCO. ICT Competency framework for teachers. Versão3. (2018). Paris: United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000265721.locale=en


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 21-01-2023 (Sábado) 09:30 - 13:00 3:30 Online síncrona
2 04-02-2023 (Sábado) 09:30 - 13:00 3:30 Online síncrona
3 18-02-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Online síncrona
4 04-03-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Online síncrona


273

Ref. 1032 T8 22/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115451/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 19-01-2023

Fim: 23-03-2023

Regime: b-learning

Local: ES Molelos

Formador

Márcio Rafael Rodrigues dos Santos

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 19-01-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
2 25-01-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
3 02-02-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
4 08-02-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 16-02-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
6 01-03-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
7 09-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
8 16-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
9 23-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona


218

Ref. 1347-Turma1 22/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116768/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 18-01-2023

Fim: 29-03-2023

Regime: e-learning

Local: À Distância

Formador

Marco Alexandre Carvalho Bento

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores 3º Ciclo, Secundário e Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores 3º Ciclo, Secundário e Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores 3º Ciclo, Secundário e Professores da Educação Especial;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

Na definição e redefinição de estratégias em qualquer organização educativa, tal como a níveis mais concretos e próximos, até ao nível da sala de aula, o papel dos modelos de aprendizagem de diferentes formas, assume um cariz determinante, quer na definição de orientações, quer na alocação de recursos, quer na linha condutora de aulas, quer ainda na definição de percursos educativos para os alunos e planeamento constante por parte dos docentes. O curso servirá para os professores beneficiarem de uma introdução às pedagogias ativas num contexto de introdução do digital no ensino, considerando o papel do professor num contexto presencial, com a adaptação às tecnologias e aos espaços virtuais de apoio à concretização de aprendizagens.

Objetivos

Desenvolver as competências de literacia digital dos professores 2. Apresentar modelos pedagógicos ativos com a utilização de tecnologia 3. Potenciar a utilização dos recursos digitais em desenhos de pedagógicos híbridos 4. Compreender as potencialidades pedagógicas da utilização da tecnologia integrada em ambientes híbridos de aprendizagem 5. Desenvolver estratégias de articulação entre a pedagogia, o espaço e a tecnologia 6. Desenvolver estratégias de articulação entre o currículo e as soft skills por meio da tecnologia 7. Apoiar os professores na implementação de práticas pedagógicas num ensino híbrido.

Conteúdos

Módulo 1 - Uso de tecnologia educativa em sala de aula. Abordagem às potencialidades dos AEI, o espaço como potenciador de aprendizagens considerando a diferenciação pedagógica e a utilização das diferentes zonas de aprendizagem. (Dimensão ESPAÇO) Módulo 2 - Cenários de Inovação Pedagógica. Desenho e planificação de projetos colaborativos de escola e/ou turma considerando as dimensões (ESPAÇO, PEDAGOGIA E TECNOLOGIA). Módulo 3 - Ensino presencial, com integração do digital. Utilização de dispositivos móveis e respetivas aplicações em interação com painéis interativos (ActivPanel) do ESPAÇO considerando a PEDAGOGIA. (Dimensão TECNOLOGIA). Módulo 4 - Modelos pedagógicos de aprendizagem invertida e gamificação. Abordagem dos cenários de inovação pedagógica de aprendizagem invertida e gamificação, com aplicação prática relacionando com o ESPAÇO - (Dimensão PEDAGOGIA). Módulo 5 - Avaliação em ambiente online com o uso da tecnologia. A avaliação e a aferição ao longo do processo de aplicação dos cenários de inovação pedagógica considerando as três dimensões (ESPAÇO, PEDAGOGIA E TECNOLOGIA).

Metodologias

a) Das sessões presenciais/síncronas: Nos momentos presenciais serão sempre desenhados três níveis de intervenção: 1- Explicação interativa dos conceitos a serem trabalhados 2- Desenho de planos de intervenção utilizando os conceitos aprendidos 3- Construção dos materiais necessários à implementação do plano de intervenção b) Nas sessões assíncronas Interação com os conteúdos a abordar nas sessões síncronas e desenho de tarefas para reflexão nas sessões síncronas. No modelo assíncrono estarão disponíveis recursos de avaliação de aprendizagem online.

Avaliação

Os formandos são avaliados de acordo com as regras previstas no regulamento interno do centro de formação bem como a legislação vigente aplicável Os formandos serão informados que para a sua avaliação serão tidos em conta os seguintes parâmetros/critérios - Participação nas sessões síncronas em que será tido em conta a realização das tarefas nas sessões assíncronas - Relatório de reflexão individual - eportefólio onde deverá constar memória descritiva do trabalho do formando nas sessões síncronas e assíncronas

Bibliografia

Bergmann, J.; Sams, A. ( 2013) Flip Your Students' Learning. Educational Leadership, v. 70, n. 6, p.16-20. Disponível em http://www.ascd.org/publications/educational- leadership/mar13/vol70/num06/Flip-Your-Students'-Learning.aspx Bergmann, J.; Sams, A. (2012b) How the Flipped Classroom is radically transforming learning.The Daily Riff. Learning, Innovation & tech. Disponível em http://www.thedailyriff.com/articles/how-the-flipped-classroom-is-radically-transforming- learning-536.php Fulton, K. (2012) Upside down and inside out: Flip Your Classroom to Improve Student Learning. Learning & Leading with Technology, v. 39, n. 8, p. 12-17. Disponível em http://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ982840.pdf Lateef, F. (2014). The Flipped Classroom: Viewpoints in Asian Universities. Education in Medicine Journal Wilson, S.G. (2013) The Flipped Class: A Method to Address the Challenges of an Undergraduate Statistics Course. Teaching of Psychology, Philadelphia, v. 40, n. 3, p. 193-199. Disponível em http://top.sagepub.com/content/40/3/193.full.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-01-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:30 3:30 Online síncrona
2 15-02-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:30 3:30 Online síncrona
3 08-03-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Online síncrona
4 29-03-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Online síncrona


250

Ref. 1375 T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116679/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 18-01-2023

Fim: 01-03-2023

Regime: e-learning

Local: À Distância

Formador

Andreia Patrícia Neves Veloso Guerreiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de competências digitais, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa pretende demonstrar de forma prática como as ferramentas digitais podem ser utilizadas de forma criativa nas aulas com alunos de todas as idades. Pretende-se desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e a sua capacidade para implementar estratégias e práticas criativas inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver estratégias de implementação de ferramentas digitais de forma criativa na sala de aula, recorrendo à realidade aumentada e à inteligência artificial. São objetivos específicos: - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e utilização de ferramentas digitais com recurso a realidade aumentada e inteligência artificial; - estimular a criatividade dos alunos através da arte; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental: - ArtSteps - exposições virtuais - Merge Cube e CoSpaces - espaços a 3D - Spectacular Quiver - ver os nossos desenhos em 3D - Paint Draw AR - desenhar no espaço com realidade aumentada - Autodraw- desenhar com inteligência artificial - Art Coloring Book- Recolorir obras de Arte - Nvidea Gaugan- Paisagens realistas criadas com Inteligência Artificial - Aplicações Google Art&Culture e Google AR - SculpGL – modelagem em 3D - Robótica criativa com o Robot Vex

Metodologias

a) Das sessões síncronas: As sessões síncronas são destinadas à realização de demonstração das ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento da criatividade dos alunos; à reflexão crítica sobre a importância deste tipo de atividades. Duração Horas presenciais: 25 No de horas acreditadas: 25 Descrição Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, do Ensino Secundário e de Educação Especial. b) Das sessões assíncronas Em específico, nas sessões assíncronas, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões síncronas, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha de resultados.

Avaliação

Para que o seu trabalho possa ser avaliado, os formandos terão de participar num mínimo de dois terços das sessões. A avaliação contemplará a realização de trabalhos individuais e de um trabalho de grupo que será apresentado oralmente por todos os elementos, ambos incidindo sobre as ferramentas digitais a aplicar em contexto de sala de aula. Dos trabalhos elaborados nesta ação valorizar-se-á: - O empenho e a participação ativa dos formandos no processo de formação, tendo em consideração a pertinência, a qualidade e o rigor das suas intervenções; - A reflexão crítica sobre a importância da formação no desenvolvimento pessoal e profissional do docente; Da ponderação de todos estes fatores resultará a avaliação quantitativa dos formandos, cuja escala compreende o intervalo de 1 a 10 valores, tendo como referente as seguintes menções: - Excelente — de 9 a 10 valores; - Muito Bom — de 8 a 8,9 valores; - Bom — de 6,5 a 7,9 valores; - Regular — de 5 a 6,4 valores; - Insuficiente — de 1 a 4,9 valores.

Bibliografia

Churches A. (2009), Edorigami, blooms taxonomy and digital approaches. Disponível em: https://www.yumpu.com/en/document/read/31996905/blooms-digital-taxonomy-educational-origami-wikispaces Iniciativa Nacional Competências Digitais e.2030 – Portugal INCoDe.2030 (2019). Quadro Dinâmico de Referência de Competência Digital para Portugal. Disponível em: https://www.incode2030.gov.pt/sites/default/files/qdrcd_set2019.pdf Lucas, M. & Moreira, A (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Disponível em: http://hdl.handle.net/10773/24983 Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME UNESCO. ICT Competency framework for teachers. Versão3. (2018). Paris: United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000265721.locale=en


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-01-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:30 3:30 Online síncrona
2 01-02-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:30 3:30 Online síncrona
3 15-02-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Online síncrona
4 01-03-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Online síncrona


254

Ref. 1411 T9 22/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116932/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 18-01-2023

Fim: 29-03-2023

Regime: e-learning

Local: À Distância

Formador

Ana Luísa Pinto da Silva

Destinatários

Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;Professores da Educação Especial;Professores do 2º Ciclo;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;Professores da Educação Especial;Professores do 2º Ciclo;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;Professores da Educação Especial;Professores do 2º Ciclo;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

As Aprendizagens Essenciais dos Cursos Profissionais homologadas pelo despacho n.º 7414/2020, de 24 de julho, foram construídas de acordo com “O Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória permitindo uma flexibilização e gestão curriculares, tendo em conta as especificidades de cada oferta educativa e formativa e tornando-se referenciais de base ao desenvolvimento curricular das disciplinas das componentes de formação destes cursos. Por sua vez, em prol da competitividade sustentável, da justiça social e da resiliência, o Conselho Europeu faz aplicar uma recomendação (2020/C417/01) de 24 de novembro de 2020, a todos os estados membros, reconhecendo que os sistemas de ensino e formação profissionais inovadores e de elevada qualidade, constituem o elemento essencial para a adaptação à transição digital e ecológica. Reconhecendo-se a necessidade da atualização dos documentos curriculares relativos às componentes de formação sociocultural e científica, emerge esta ação de formação.

Objetivos

Refletir sobre Quadros de Referência Europeus e o enquadramento legislativo (Despacho n.º 7414/2020, recomendação do Conselho Europeu (2020/C417/01), PASEO, Plano de Transição Digital Plano de Ação para a Transição Digital (Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020). • Aprofundar conhecimentos científicos; • Refletir sobre a aplicação das Aprendizagens Essenciais no currículo dos Cursos Profissionais. • Desenvolver competências de intervenção a nível curricular e pedagógico nos Cursos Profissionais; • Reconhecer a importância do desenvolvimento de competências digitais; • Partilhar praticas, fomentando o benchlearning e as parcerias na comunidade educativa. • Colaborar com as entidades promotoras de estágio profissional para a integração das ferramentas de trabalho em ambiente digital e promoção das competências digitais; • Dar suporte às iniciativas de inovação pedagógica com vista à sustentabilidade dos resultados escolares, revendo os programas e atividades, de modo a ajustar aos recursos digitais; • Promover a construção de cenários de aprendizagem (e-atividades); • Promover a utilização de plataformas digitais (classroom).

Conteúdos

1. Aprendizagens Essenciais no currículo dos Cursos Profissionais. 5h Quadros de Referência Europeus de Competências Essenciais e Enquadramento legislativo 2. PADD no EFP – plano de ação para o desenvolvimento digital 2h PADD, responsabilidades partilhadas com a Autarquia, autoavaliação, plano de melhorias. Autoavaliação SELFIE 3. Qualidade e Reconhecimento: | 2h Sistema e instrumentos EQAVET Monitorização de indicadores e relatório de progresso Dinâmicas digitais para o envolvimento da comunidade. • coprodução, para repensar e melhorar os serviços educativos • design thinking, para a resolução de problemas Duração Horas presenciais: 25 Nº de horas acreditadas: 25 Cód. Dest. 16 Descrição Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial DCP 16 Descrição Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial 12/07/22, 14:22 CCPFC - Gestão de Processos www.e-processos.ccpfc.uminho.pt/p2_acc_pend/imprimir.php?codigo=118104 2/3 4. Competências para a empregabilidade | 2h Empregos inovadores: cultura de inovação, indústria 4.0, inovação nos locais de trabalho, trabalho colaborativo, teletrabalho, avaliação do desempenho Empregos verdes: Competências digitais, percursos, progressos, potencialidades 5. Aprendizagens Essenciais: / 6h Brainstorming: prática na escola. Partilha de boas práticas. Refletir para a melhoria das práticas Repensar para melhorar o que se faz ao nível da escola, ou agrupamento de escolas de cada um. 6. Aplicação das Aprendizagens Essenciais no Cursos Profissionais: / 6 h Construção de uma e-atividade com base nas aprendizagens Essenciais dos Cursos Profissionais, ao nível de um módulo da disciplina

Metodologias

Método pedagógico interativo afirmativo com recurso a exercícios, análise de casos e estudos, prática simulada e prática em contexto de trabalho, utilizando métodos ativos de demonstração das metodologias e aplicação de instrumentos/ferramentas de trabalho.

Avaliação

Relatório individual e realização de uma e-atividade no âmbito das Aprendizagens Essenciais nos Cursos Profissionais, avaliados e classificados em conformidade com o Regulamento Jurídico da Formação Contínua e demais Cartas Circulares do CCPFC e da DGAE sobre a avaliação e classificação da Formação Contínua de Professores.

Bibliografia

• EQAVET – Quality assuring work- based learning em: https://www.eqavet.eu/Materials-Resources/Publications • Guia para o processo de alinhamento com o quadro EQUAVET – http://WWW.qualidade.anqep.gov.pt/PDF/Guia_Alinhamento_EQUAVET/Guia_Alinhamento_QuadroEQAVET.pdf • Digital Education at School in Europe, Eurydice Report https://eacea.ec.europa.eu/nationalpolicies/eurydice/content/digital-education-school-europe_en.OCDE the Future of Education and Skills 2030 • Digital Education Action Plan (2021-2027) https://ec. Europa.eu/education-in-the-eu/digital-education-action-plan_en • COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES relativa ao Plano de Ação para a Educação Digita https://eur-lex. Europa.eu/legal-content/pt/txt/?uri=CELEX%3ª52018DC0022


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online síncrona
2 28-01-2023 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Online síncrona
3 04-02-2023 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Online síncrona
4 11-02-2023 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Online síncrona
5 15-02-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online síncrona
6 08-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online síncrona
7 29-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online síncrona


261

Ref. 1435 PRA Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116118/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 18-01-2023

Fim: 29-03-2023

Regime: b-learning

Local: ES Tondela

Formador

Maria Manuela da Silva Claro de Andrade Alves

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

Razões justificativas da ação e a sua inserção no plano de atividades da entidade proponente. O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas/os práticas pedagógicas, interfaces comunicativas, fundamentos humanistas em que todos são parte do sistema e desenvolvem um diálogo igualitário, um pensamento e uma consciência próprios. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha orientem os agentes educativos para a inclusão. Esta formação procura apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas inclusivas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

• Explorar os documentos legislativos (Decreto- Lei n.o 54/2018, Decreto-Lei n.o 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas mais inclusivas • Aplicar colaborativamente os princípios subjacentes ao desenho universal para a aprendizagem e à abordagem multinível • Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e a diversidade de todos alunos • Conceber instrumentos de suporte à recolha de informação que contribuam para a tomada de decisão. • Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar – Planear – Agir - Rever • Produzir e aplicar em contexto de sala de aula instrumentos de avaliação e planificação das aprendizagens Duração Horas presenciais: 25 No de horas acreditadas: 50 Horas de trabalho autónomo: 25 Duração Entre 3 e 5 No Anos letivos: 1 Cód. Dest. 99 Descrição Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360 DCP Descrição No de formandos por cada realização da ação Mínimo 5 Máximo 20 12/07/22, 15:52 CCPFC - Gestão de Processos www.e-processos.ccpfc.uminho.pt/p2_acc_pend/imprimir.php?codigo=117522 2/3 • Partilhar experiências facilitadoras do um processo ensino-aprendizagem inclusivo • Explorar colaborativamente práticas educativas inovadoras

Conteúdos

Módulo 1. Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração integrada dos documentos de política educativa (Decreto- Lei n.o 54/2018, Decreto-Lei n.o 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) Módulo 2. Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (DUA) Módulo 3. Valorização da diversidade em sala de aula – criação e partilha de recursos • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico • O que ensinar e porquê, como, quando, com que prioridades, com que meios, com que organização e com que resultados: exercícios práticos Módulo 4. Avaliação formativa enquanto processo regulador do ensino e da aprendizagem • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino

Metodologias

Presencial Trabalho autónomo A metodologia de formação é de cariz teórico-prática, propondo-se dinâmicas que visam encorajar o envolvimento dos participantes em atividades de aprendizagem, partilha e reflexão sobre a temática, com vista à otimização e concretização dos objetivos propostos para esta ação de formação, em regime de frequência b-learning, nomeadamente: - Apresentação de conteúdos e conceitos; - Partilha de experiências; - Trabalho(s) de grupo; - Reflexão e debate de ideias;

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei no 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho no 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.o 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N. (2021), Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1a ed. - Porto: Porto Editora. European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders • Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education Acesso em 02/02/2022


Observações

Docentes indicados pelos Diretores dos AE associados do CFAE PB.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 19:30 5:00 Presencial
2 27-01-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
3 31-01-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
4 07-02-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
5 17-02-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
6 03-03-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
7 11-03-2023 (Sábado) 09:30 - 13:00 3:30 Online síncrona
8 29-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 19:30 5:00 Presencial


263

Ref. 1043 T8 22/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115453/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 12-01-2023

Fim: 22-03-2023

Regime: b-learning

Local: ES Santa Comba Dão

Formador

Ana Isabel Lopes dos Santos Craveiro

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do referencial DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas inovadoras num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Ao longo das sessões conjuntas estimular-se-á a criação e/ou participação e colaboração em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação dos Planos de Ação de Desenvolvimento Digital, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN EU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 12-01-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
2 18-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial
3 26-01-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
4 09-02-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
5 23-02-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
6 01-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial
7 09-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
8 15-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial
9 22-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Online síncrona


227

Ref. 1234 T3 22/23 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-111036/21

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 12-01-2023

Fim: 30-03-2023

Regime: Presencial

Local: ES Santa Comba Dão

Formador

Patrícia Alexandra Rodrigues Marques

Destinatários

Educadores de Infância;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância;. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Enquadramento

Considera-se fundamental no PTD a integração e capacitação digital dos educadores de infância nas suas práticas pedagógicas. Esta capacitação representa uma forte aposta no processo de valorização e no desenvolvimento profissional dos docentes no domínio da literacia digital e das competências digitais, no sentido de os dotar das competências necessárias à integração transversal, de modo a que estas se afirmem como facilitadoras das práticas profissionais e pedagógicas e, simultaneamente, promotoras de inovação no processo de ensino e de aprendizagem. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores é o referencial que dá suporte a este plano, contribuindo para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional.

Objetivos

Pretende-se apoiar os educadores na promoção de estratégias e de ações integradoras do digital que permitam melhorar a qualidade do trabalho realizado. São objetivos específicos da oficina: Conceber, selecionar e partilhar recursos digitais no âmbito da educação de infância; Integrar o digital nas propostas educativas, numa perspetiva da articulação plena das aprendizagens; Planificar, avaliar e comunicar com recurso ao digital. Capacitar os docentes da EPE para a promoção da utilização crítica e responsável de diferentes suportes digitais nas atividades do quotidiano das crianças.

Conteúdos

1. Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 2. Exploração de estratégias de promoção do uso pedagógico de tecnologias digitais. 3. Exploração, seleção e adequação de Recursos Educativos Digitais (RED) ao contexto de aprendizagem. 4. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Exploração de recursos digitais de apoio ao planeamento e à avaliação das aprendizagens. 6. Planificação de atividades, projetos e outras metodologias com recurso às tecnologias digitais. 7. Utilização de estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da cidadania digital das crianças. 8. Apresentação e partilha das atividades desenvolvidas pelos formandos na oficina. 9. Reflexão e debate sobre as atividades apresentadas e análise dos resultados obtidos pela sua implementação. 10. Avaliação e conclusões.

Metodologias

Presencial As sessões presenciais são destinadas: à exploração, reflexão e articulação das OCEPE com a integração dos ambientes digitais nas aprendizagens das crianças; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na educação pré-escolar, que promovam o desenvolvimento das CD dos docentes; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados das atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha. Trabalho autónomo Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem, tendo por base as OCEPE, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://ec.europa.eu/education/sites/education/files/document-library-docs/deap-swd-sept2020_en.pdf Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Kampylis, P., Punie, Y. & Devine, J. (2015); Promoting Effective Digital-Age Learning - A European Framework for Digitally- Competent Educational Organisations. Disponível: http://publications.jrc.ec.europa.eu/repository/bitstream/JRC98209/jrc98209_r_digcomporg_final.pdf Lopes da Silva, I., Marques, L., Mata, L. e Rosa, M. (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: ME/DGE. Disponível em: http://www.dge.mec.pt/ocepe/sites/default/files/Orientacoes_Curriculares.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 12-01-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
2 19-01-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
3 26-01-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
4 09-02-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
5 16-02-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
6 02-03-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
7 16-03-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
8 30-03-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial


255