OFERTA FORMATIVA

Ref. 1043 T7 22/23 Inscrições abertas até 30-11-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115453/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 04-01-2023

Fim: 26-03-2023

Regime: b-learning

Local: ES Tondela

Formador

Paulo Manuel de Matos Pereira

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do referencial DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas inovadoras num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Ao longo das sessões conjuntas estimular-se-á a criação e/ou participação e colaboração em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação dos Planos de Ação de Desenvolvimento Digital, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN EU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 04-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 16:30 2:00 Online síncrona
2 11-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Online síncrona
3 18-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
4 28-01-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
5 15-02-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Online síncrona
6 01-03-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
7 08-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
8 18-03-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
9 26-03-2023 (Domingo) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona

INSCREVER-ME

226

Ref. 1043 T9 22/23 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115453/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 04-01-2023

Fim: 22-03-2023

Regime: b-learning

Local: AE Mortágua

Formador

Paulo Manuel de Matos Pereira

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do referencial DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas inovadoras num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Ao longo das sessões conjuntas estimular-se-á a criação e/ou participação e colaboração em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação dos Planos de Ação de Desenvolvimento Digital, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN EU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 04-01-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Online síncrona
2 14-01-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
3 25-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
4 01-02-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Online síncrona
5 19-02-2023 (Domingo) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
6 01-03-2023 (Quarta-feira) 14:15 - 17:15 3:00 Presencial
7 11-03-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
8 15-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 16:30 2:00 Online síncrona
9 22-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial


228

Ref. 1021 T2 22/23 Inscrições abertas até 30-11-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115452/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 05-01-2023

Fim: 30-03-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Tondela

Formador

Márcio Rafael Rodrigues dos Santos

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 05-01-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
2 14-01-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Online síncrona
3 21-01-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
4 04-02-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
5 25-02-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
6 04-03-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Online síncrona
7 11-03-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
8 30-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

INSCREVER-ME

195

Ref. 1032 T3 22/23 Inscrições abertas até 30-11-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115451/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 05-01-2023

Fim: 25-03-2023

Regime: b-learning

Local: ES Molelos

Formador

Paulo Sergio Rodrigues Nogueira

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 05-01-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 23:00 5:00 Online síncrona
2 12-01-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
3 26-01-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
4 11-02-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
5 23-02-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
6 04-03-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Online síncrona
7 16-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
8 25-03-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Online síncrona

INSCREVER-ME

213

Ref. 1043 T4 22/23 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115453/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 07-01-2023

Fim: 18-03-2023

Regime: b-learning

Local: ES Tondela

Formador

Paulo Sergio Rodrigues Nogueira

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do referencial DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas inovadoras num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Ao longo das sessões conjuntas estimular-se-á a criação e/ou participação e colaboração em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação dos Planos de Ação de Desenvolvimento Digital, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN EU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 07-01-2023 (Sábado) 09:00 - 12:30 3:30 Online síncrona
2 14-01-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
3 25-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
4 04-02-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
5 15-02-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
6 25-02-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
7 08-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
8 18-03-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona


223

Ref. 1021 T3 22/23 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115452/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 10-01-2023

Fim: 21-03-2023

Regime: b-learning

Local: ES Carregal do Sal

Formador

Márcio Rafael Rodrigues dos Santos

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 10-01-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 18-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
3 24-01-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
4 01-02-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
5 07-02-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
6 15-02-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
7 28-02-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
8 07-03-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
9 21-03-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona


196

Ref. 1043 T5 22/23 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115453/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 10-01-2023

Fim: 29-03-2023

Regime: b-learning

Local: ES Tondela

Formador

José Carlos Cravo Martins

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do referencial DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas inovadoras num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Ao longo das sessões conjuntas estimular-se-á a criação e/ou participação e colaboração em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação dos Planos de Ação de Desenvolvimento Digital, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN EU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 10-01-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 18-01-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
3 26-01-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
4 02-02-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
5 15-02-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 17:00 2:00 Presencial
6 28-02-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 08-03-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
8 14-03-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
9 23-03-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
10 29-03-2023 (Quarta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial


224

Ref. 1234 T2 22/23 Inscrições abertas até 30-11-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-111036/21

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 10-01-2023

Fim: 28-03-2023

Regime: Presencial

Local: ES Molelos

Formador

Patrícia Alexandra Rodrigues Marques

Destinatários

Educadores de Infância;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

Considera-se fundamental no PTD a integração e capacitação digital dos educadores de infância nas suas práticas pedagógicas. Esta capacitação representa uma forte aposta no processo de valorização e no desenvolvimento profissional dos docentes no domínio da literacia digital e das competências digitais, no sentido de os dotar das competências necessárias à integração transversal, de modo a que estas se afirmem como facilitadoras das práticas profissionais e pedagógicas e, simultaneamente, promotoras de inovação no processo de ensino e de aprendizagem. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores é o referencial que dá suporte a este plano, contribuindo para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional.

Objetivos

Pretende-se apoiar os educadores na promoção de estratégias e de ações integradoras do digital que permitam melhorar a qualidade do trabalho realizado. São objetivos específicos da oficina: Conceber, selecionar e partilhar recursos digitais no âmbito da educação de infância; Integrar o digital nas propostas educativas, numa perspetiva da articulação plena das aprendizagens; Planificar, avaliar e comunicar com recurso ao digital. Capacitar os docentes da EPE para a promoção da utilização crítica e responsável de diferentes suportes digitais nas atividades do quotidiano das crianças.

Conteúdos

1. Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 2. Exploração de estratégias de promoção do uso pedagógico de tecnologias digitais. 3. Exploração, seleção e adequação de Recursos Educativos Digitais (RED) ao contexto de aprendizagem. 4. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Exploração de recursos digitais de apoio ao planeamento e à avaliação das aprendizagens. 6. Planificação de atividades, projetos e outras metodologias com recurso às tecnologias digitais. 7. Utilização de estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da cidadania digital das crianças. 8. Apresentação e partilha das atividades desenvolvidas pelos formandos na oficina. 9. Reflexão e debate sobre as atividades apresentadas e análise dos resultados obtidos pela sua implementação. 10. Avaliação e conclusões.

Metodologias

Presencial As sessões presenciais são destinadas: à exploração, reflexão e articulação das OCEPE com a integração dos ambientes digitais nas aprendizagens das crianças; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na educação pré-escolar, que promovam o desenvolvimento das CD dos docentes; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados das atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha. Trabalho autónomo Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem, tendo por base as OCEPE, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://ec.europa.eu/education/sites/education/files/document-library-docs/deap-swd-sept2020_en.pdf Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Kampylis, P., Punie, Y. & Devine, J. (2015); Promoting Effective Digital-Age Learning - A European Framework for Digitally- Competent Educational Organisations. Disponível: http://publications.jrc.ec.europa.eu/repository/bitstream/JRC98209/jrc98209_r_digcomporg_final.pdf Lopes da Silva, I., Marques, L., Mata, L. e Rosa, M. (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: ME/DGE. Disponível em: http://www.dge.mec.pt/ocepe/sites/default/files/Orientacoes_Curriculares.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 10-01-2023 (Terça-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
2 17-01-2023 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
3 24-01-2023 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
4 07-02-2023 (Terça-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
5 14-02-2023 (Terça-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
6 28-02-2023 (Terça-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
7 14-03-2023 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
8 28-03-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

235

Ref. 1313 PRA Inscrições abertas até 30-11-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116120/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 10-01-2023

Fim: 23-02-2023

Regime: Presencial

Local: ES Tondela

Formador

Maria Cristina Marques Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

Inclusão, equidade, cooperação, solidariedade, responsabilidade e interligação, são conceitos-chave que enformam as políticas e as práticas educativas. Assegurar o direito de todos à educação é garantir acesso, presença, participação e sucesso em processos educativos de qualidade. Os atores educativos, nomeadamente lideranças de topo e intermédias, são figuras essenciais na educação e na transformação social. Acolher e apoiar todos os alunos, independentemente das suas capacidades e exigências, são dois compromissos éticos e profissionais indiscutíveis. Uma escola inclusiva exige uma liderança eficaz, capaz de apoiar e promover o envolvimento de toda a comunidade escolar. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Identificar práticas de gestão e organização pedagógica, de topo e intermédias, à luz dos normativos/documentos de referência sobre políticas de inclusão Explorar fatores que se constituem como obstáculo à inclusão na escola e sociedade Consolidar uma perspetiva de abordagem integrada de práticas que concorrem para a inclusão Refletir sobre a relevância das aprendizagens informais, os meios de as incorporar na promoção de ambientes educativos favoráveis à participação de alunos na condução do processo educativo Promover estratégias de otimização da participação dos alunos na vida da escola Elencar mecanismos de promoção do envolvimento das famílias na criação de ambientes inclusivos Refletir sobre o papel das lideranças na criação de ambientes promotores de aprendizagens não-formais e informais consistentes com os objetivos da educação inclusiva Equacionar os termos da cooperação interinstitucional em ordem à inclusão Refletir sobre instrumentos de monitorização das práticas de inclusão.

Conteúdos

1. Enquadramento teórico e normativo 1.1. Quadro conceptual Os direitos humanos e as políticas de inclusão. Justiça distributiva e éticas do cuidado. Tradução dos princípios de justiça em direitos e capacidades. O projeto Strength Through Diversity e a diversidade dos públicos na educação escolar: dimensões da diversidade; abordagens multinível da diversidade em educação.

Metodologias

Exploração dos temas propostos, com adequado suporte teórico. Reflexão, análise e discussão em grupo, com recurso a fontes documentais pertinentes. Debate em plenário. Elaboração individual de trabalho/produto final da ação, em função dos interesses dos formandos

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

Cerna, L. et al. (2021) Promoting inclusive education for diverse societies: A conceptual framework. Disponível em: Promoting inclusive education for diverse societies : A conceptual framework | OECD Education Working Papers | OECD iLibrary (oecd-ilibrary.org) Eurydice (2020). A equidade na educação escolar na Europa (trad. Lisboa: DGEEC/Unidade portuguesa de Eurydice). Disponível em: https://op.europa.eu/en/publication-detail/-/publication/517ee2ef-4404-11eb-b59f-01aa75ed71a1/language- pt European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2021). Inclusive School Leadership: A Tool for Self- Reflection on Policy and Practice. (M. Turner-Cmuchal, E. Óskarsdóttir and M. Bilgeri, eds.). Odense, Denmark. Disponível em: https://www.european-agency.org/sites/default/files/SISL_Self-Reflection_Tool.pdf Pereira, F. (Coord.). (2018). Para uma Educação Inclusiva. Manual de Apoio à Prática. Lisboa. Ministério da Educação. Direção-Geral da Educação. Disponível em: https://dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf UNESCO (2022). Reaching out to all learners: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO, IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting- inclusion-and-equity-education.


Observações

Docentes indicados pelos Diretores dos AE das escolas associadas do CFAE PB.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 10-01-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
2 12-01-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
3 18-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial
4 24-01-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 31-01-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
6 07-02-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
7 15-02-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial
8 23-02-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

242

Ref. 1032 T5 22/23 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115451/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 11-01-2023

Fim: 19-04-2023

Regime: b-learning

Local: ES Santa Comba Dão

Formador

Ana Isabel Lopes dos Santos Craveiro

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 11-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Online síncrona
2 20-01-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
3 25-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial
4 08-02-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial
5 24-02-2023 (Sexta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
6 03-03-2023 (Sexta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
7 08-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial
8 24-03-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
9 19-04-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Online síncrona


215

Ref. 1043 T6 22/23 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115453/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 11-01-2023

Fim: 22-03-2023

Regime: b-learning

Local: ES Molelos

Formador

Paulo Sergio Rodrigues Nogueira

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do referencial DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas inovadoras num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Ao longo das sessões conjuntas estimular-se-á a criação e/ou participação e colaboração em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação dos Planos de Ação de Desenvolvimento Digital, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN EU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 11-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Online síncrona
2 21-01-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
3 01-02-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
4 08-02-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
5 18-02-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
6 01-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
7 11-03-2023 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
8 22-03-2023 (Quarta-feira) 09:00 - 12:30 3:30 Online síncrona


225

Ref. 1032 T6 22/23 Inscrições abertas até 30-11-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115451/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 12-01-2023

Fim: 29-03-2023

Regime: b-learning

Local: ES Carregal do Sal

Formador

José Carlos Cravo Martins

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 12-01-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 18-01-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 17:00 2:00 Presencial
3 31-01-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
4 07-02-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
5 15-02-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
6 23-02-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 02-03-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
8 08-03-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 17:00 2:00 Presencial
9 21-03-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
10 26-04-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

216

Ref. 1043 T8 22/23 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115453/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 12-01-2023

Fim: 22-03-2023

Regime: b-learning

Local: ES Santa Comba Dão

Formador

Ana Isabel Lopes dos Santos Craveiro

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do referencial DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas inovadoras num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Ao longo das sessões conjuntas estimular-se-á a criação e/ou participação e colaboração em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação dos Planos de Ação de Desenvolvimento Digital, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN EU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 12-01-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
2 18-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial
3 26-01-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
4 09-02-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
5 23-02-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
6 01-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial
7 09-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
8 15-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial
9 22-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Online síncrona


227

Ref. 1234 T3 22/23 Inscrições abertas até 30-11-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-111036/21

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 12-01-2023

Fim: 30-03-2023

Regime: Presencial

Local: ES Santa Comba Dão

Formador

Patrícia Alexandra Rodrigues Marques

Destinatários

Educadores de Infância;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

Considera-se fundamental no PTD a integração e capacitação digital dos educadores de infância nas suas práticas pedagógicas. Esta capacitação representa uma forte aposta no processo de valorização e no desenvolvimento profissional dos docentes no domínio da literacia digital e das competências digitais, no sentido de os dotar das competências necessárias à integração transversal, de modo a que estas se afirmem como facilitadoras das práticas profissionais e pedagógicas e, simultaneamente, promotoras de inovação no processo de ensino e de aprendizagem. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores é o referencial que dá suporte a este plano, contribuindo para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional.

Objetivos

Pretende-se apoiar os educadores na promoção de estratégias e de ações integradoras do digital que permitam melhorar a qualidade do trabalho realizado. São objetivos específicos da oficina: Conceber, selecionar e partilhar recursos digitais no âmbito da educação de infância; Integrar o digital nas propostas educativas, numa perspetiva da articulação plena das aprendizagens; Planificar, avaliar e comunicar com recurso ao digital. Capacitar os docentes da EPE para a promoção da utilização crítica e responsável de diferentes suportes digitais nas atividades do quotidiano das crianças.

Conteúdos

1. Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 2. Exploração de estratégias de promoção do uso pedagógico de tecnologias digitais. 3. Exploração, seleção e adequação de Recursos Educativos Digitais (RED) ao contexto de aprendizagem. 4. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Exploração de recursos digitais de apoio ao planeamento e à avaliação das aprendizagens. 6. Planificação de atividades, projetos e outras metodologias com recurso às tecnologias digitais. 7. Utilização de estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da cidadania digital das crianças. 8. Apresentação e partilha das atividades desenvolvidas pelos formandos na oficina. 9. Reflexão e debate sobre as atividades apresentadas e análise dos resultados obtidos pela sua implementação. 10. Avaliação e conclusões.

Metodologias

Presencial As sessões presenciais são destinadas: à exploração, reflexão e articulação das OCEPE com a integração dos ambientes digitais nas aprendizagens das crianças; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na educação pré-escolar, que promovam o desenvolvimento das CD dos docentes; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados das atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha. Trabalho autónomo Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem, tendo por base as OCEPE, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://ec.europa.eu/education/sites/education/files/document-library-docs/deap-swd-sept2020_en.pdf Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Kampylis, P., Punie, Y. & Devine, J. (2015); Promoting Effective Digital-Age Learning - A European Framework for Digitally- Competent Educational Organisations. Disponível: http://publications.jrc.ec.europa.eu/repository/bitstream/JRC98209/jrc98209_r_digcomporg_final.pdf Lopes da Silva, I., Marques, L., Mata, L. e Rosa, M. (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: ME/DGE. Disponível em: http://www.dge.mec.pt/ocepe/sites/default/files/Orientacoes_Curriculares.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 12-01-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
2 19-01-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
3 26-01-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
4 09-02-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
5 16-02-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
6 02-03-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
7 16-03-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
8 30-03-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

255

Ref. 1347-Turma1 22/23 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116768/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 18-01-2023

Fim: 29-03-2023

Regime: e-learning

Local: À Distância

Formador

Marco Alexandre Carvalho Bento

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores 3º Ciclo, Secundário e Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores 3º Ciclo, Secundário e Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

Na definição e redefinição de estratégias em qualquer organização educativa, tal como a níveis mais concretos e próximos, até ao nível da sala de aula, o papel dos modelos de aprendizagem de diferentes formas, assume um cariz determinante, quer na definição de orientações, quer na alocação de recursos, quer na linha condutora de aulas, quer ainda na definição de percursos educativos para os alunos e planeamento constante por parte dos docentes. O curso servirá para os professores beneficiarem de uma introdução às pedagogias ativas num contexto de introdução do digital no ensino, considerando o papel do professor num contexto presencial, com a adaptação às tecnologias e aos espaços virtuais de apoio à concretização de aprendizagens.

Objetivos

Desenvolver as competências de literacia digital dos professores 2. Apresentar modelos pedagógicos ativos com a utilização de tecnologia 3. Potenciar a utilização dos recursos digitais em desenhos de pedagógicos híbridos 4. Compreender as potencialidades pedagógicas da utilização da tecnologia integrada em ambientes híbridos de aprendizagem 5. Desenvolver estratégias de articulação entre a pedagogia, o espaço e a tecnologia 6. Desenvolver estratégias de articulação entre o currículo e as soft skills por meio da tecnologia 7. Apoiar os professores na implementação de práticas pedagógicas num ensino híbrido.

Conteúdos

Módulo 1 - Uso de tecnologia educativa em sala de aula. Abordagem às potencialidades dos AEI, o espaço como potenciador de aprendizagens considerando a diferenciação pedagógica e a utilização das diferentes zonas de aprendizagem. (Dimensão ESPAÇO) Módulo 2 - Cenários de Inovação Pedagógica. Desenho e planificação de projetos colaborativos de escola e/ou turma considerando as dimensões (ESPAÇO, PEDAGOGIA E TECNOLOGIA). Módulo 3 - Ensino presencial, com integração do digital. Utilização de dispositivos móveis e respetivas aplicações em interação com painéis interativos (ActivPanel) do ESPAÇO considerando a PEDAGOGIA. (Dimensão TECNOLOGIA). Módulo 4 - Modelos pedagógicos de aprendizagem invertida e gamificação. Abordagem dos cenários de inovação pedagógica de aprendizagem invertida e gamificação, com aplicação prática relacionando com o ESPAÇO - (Dimensão PEDAGOGIA). Módulo 5 - Avaliação em ambiente online com o uso da tecnologia. A avaliação e a aferição ao longo do processo de aplicação dos cenários de inovação pedagógica considerando as três dimensões (ESPAÇO, PEDAGOGIA E TECNOLOGIA).

Metodologias

a) Das sessões presenciais/síncronas: Nos momentos presenciais serão sempre desenhados três níveis de intervenção: 1- Explicação interativa dos conceitos a serem trabalhados 2- Desenho de planos de intervenção utilizando os conceitos aprendidos 3- Construção dos materiais necessários à implementação do plano de intervenção b) Nas sessões assíncronas Interação com os conteúdos a abordar nas sessões síncronas e desenho de tarefas para reflexão nas sessões síncronas. No modelo assíncrono estarão disponíveis recursos de avaliação de aprendizagem online.

Avaliação

Os formandos são avaliados de acordo com as regras previstas no regulamento interno do centro de formação bem como a legislação vigente aplicável Os formandos serão informados que para a sua avaliação serão tidos em conta os seguintes parâmetros/critérios - Participação nas sessões síncronas em que será tido em conta a realização das tarefas nas sessões assíncronas - Relatório de reflexão individual - eportefólio onde deverá constar memória descritiva do trabalho do formando nas sessões síncronas e assíncronas

Bibliografia

Bergmann, J.; Sams, A. ( 2013) Flip Your Students' Learning. Educational Leadership, v. 70, n. 6, p.16-20. Disponível em http://www.ascd.org/publications/educational- leadership/mar13/vol70/num06/Flip-Your-Students'-Learning.aspx Bergmann, J.; Sams, A. (2012b) How the Flipped Classroom is radically transforming learning.The Daily Riff. Learning, Innovation & tech. Disponível em http://www.thedailyriff.com/articles/how-the-flipped-classroom-is-radically-transforming- learning-536.php Fulton, K. (2012) Upside down and inside out: Flip Your Classroom to Improve Student Learning. Learning & Leading with Technology, v. 39, n. 8, p. 12-17. Disponível em http://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ982840.pdf Lateef, F. (2014). The Flipped Classroom: Viewpoints in Asian Universities. Education in Medicine Journal Wilson, S.G. (2013) The Flipped Class: A Method to Address the Challenges of an Undergraduate Statistics Course. Teaching of Psychology, Philadelphia, v. 40, n. 3, p. 193-199. Disponível em http://top.sagepub.com/content/40/3/193.full.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 18-01-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:30 3:30 Online síncrona
2 15-02-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:30 3:30 Online síncrona
3 08-03-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Online síncrona
4 29-03-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Online síncrona


250

Ref. 1375 T1 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116679/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 18-01-2023

Fim: 29-03-2023

Regime: e-learning

Local: À Distância

Formador

Andreia Patrícia Neves Veloso Guerreiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de competências digitais, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa pretende demonstrar de forma prática como as ferramentas digitais podem ser utilizadas de forma criativa nas aulas com alunos de todas as idades. Pretende-se desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e a sua capacidade para implementar estratégias e práticas criativas inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver estratégias de implementação de ferramentas digitais de forma criativa na sala de aula, recorrendo à realidade aumentada e à inteligência artificial. São objetivos específicos: - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e utilização de ferramentas digitais com recurso a realidade aumentada e inteligência artificial; - estimular a criatividade dos alunos através da arte; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental: - ArtSteps - exposições virtuais - Merge Cube e CoSpaces - espaços a 3D - Spectacular Quiver - ver os nossos desenhos em 3D - Paint Draw AR - desenhar no espaço com realidade aumentada - Autodraw- desenhar com inteligência artificial - Art Coloring Book- Recolorir obras de Arte - Nvidea Gaugan- Paisagens realistas criadas com Inteligência Artificial - Aplicações Google Art&Culture e Google AR - SculpGL – modelagem em 3D - Robótica criativa com o Robot Vex

Metodologias

a) Das sessões síncronas: As sessões síncronas são destinadas à realização de demonstração das ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento da criatividade dos alunos; à reflexão crítica sobre a importância deste tipo de atividades. Duração Horas presenciais: 25 No de horas acreditadas: 25 Descrição Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, do Ensino Secundário e de Educação Especial. b) Das sessões assíncronas Em específico, nas sessões assíncronas, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões síncronas, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha de resultados.

Avaliação

Para que o seu trabalho possa ser avaliado, os formandos terão de participar num mínimo de dois terços das sessões. A avaliação contemplará a realização de trabalhos individuais e de um trabalho de grupo que será apresentado oralmente por todos os elementos, ambos incidindo sobre as ferramentas digitais a aplicar em contexto de sala de aula. Dos trabalhos elaborados nesta ação valorizar-se-á: - O empenho e a participação ativa dos formandos no processo de formação, tendo em consideração a pertinência, a qualidade e o rigor das suas intervenções; - A reflexão crítica sobre a importância da formação no desenvolvimento pessoal e profissional do docente; Da ponderação de todos estes fatores resultará a avaliação quantitativa dos formandos, cuja escala compreende o intervalo de 1 a 10 valores, tendo como referente as seguintes menções: - Excelente — de 9 a 10 valores; - Muito Bom — de 8 a 8,9 valores; - Bom — de 6,5 a 7,9 valores; - Regular — de 5 a 6,4 valores; - Insuficiente — de 1 a 4,9 valores.

Bibliografia

Churches A. (2009), Edorigami, blooms taxonomy and digital approaches. Disponível em: https://www.yumpu.com/en/document/read/31996905/blooms-digital-taxonomy-educational-origami-wikispaces Iniciativa Nacional Competências Digitais e.2030 – Portugal INCoDe.2030 (2019). Quadro Dinâmico de Referência de Competência Digital para Portugal. Disponível em: https://www.incode2030.gov.pt/sites/default/files/qdrcd_set2019.pdf Lucas, M. & Moreira, A (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Disponível em: http://hdl.handle.net/10773/24983 Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME UNESCO. ICT Competency framework for teachers. Versão3. (2018). Paris: United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000265721.locale=en


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 18-01-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:30 3:30 Online síncrona
2 01-02-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:30 3:30 Online síncrona
3 15-02-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Online síncrona
4 01-03-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Online síncrona


254

Ref. 1411 T9 22/23 Inscrições abertas até 30-11-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116932/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 18-01-2023

Fim: 29-03-2023

Regime: e-learning

Local: À Distância

Formador

Ana Luísa Pinto da Silva

Destinatários

Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;Professores da Educação Especial;Professores do 2º Ciclo;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;Professores da Educação Especial;Professores do 2º Ciclo;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

As Aprendizagens Essenciais dos Cursos Profissionais homologadas pelo despacho n.º 7414/2020, de 24 de julho, foram construídas de acordo com “O Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória permitindo uma flexibilização e gestão curriculares, tendo em conta as especificidades de cada oferta educativa e formativa e tornando-se referenciais de base ao desenvolvimento curricular das disciplinas das componentes de formação destes cursos. Por sua vez, em prol da competitividade sustentável, da justiça social e da resiliência, o Conselho Europeu faz aplicar uma recomendação (2020/C417/01) de 24 de novembro de 2020, a todos os estados membros, reconhecendo que os sistemas de ensino e formação profissionais inovadores e de elevada qualidade, constituem o elemento essencial para a adaptação à transição digital e ecológica. Reconhecendo-se a necessidade da atualização dos documentos curriculares relativos às componentes de formação sociocultural e científica, emerge esta ação de formação.

Objetivos

Refletir sobre Quadros de Referência Europeus e o enquadramento legislativo (Despacho n.º 7414/2020, recomendação do Conselho Europeu (2020/C417/01), PASEO, Plano de Transição Digital Plano de Ação para a Transição Digital (Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020). • Aprofundar conhecimentos científicos; • Refletir sobre a aplicação das Aprendizagens Essenciais no currículo dos Cursos Profissionais. • Desenvolver competências de intervenção a nível curricular e pedagógico nos Cursos Profissionais; • Reconhecer a importância do desenvolvimento de competências digitais; • Partilhar praticas, fomentando o benchlearning e as parcerias na comunidade educativa. • Colaborar com as entidades promotoras de estágio profissional para a integração das ferramentas de trabalho em ambiente digital e promoção das competências digitais; • Dar suporte às iniciativas de inovação pedagógica com vista à sustentabilidade dos resultados escolares, revendo os programas e atividades, de modo a ajustar aos recursos digitais; • Promover a construção de cenários de aprendizagem (e-atividades); • Promover a utilização de plataformas digitais (classroom).

Conteúdos

1. Aprendizagens Essenciais no currículo dos Cursos Profissionais. 5h Quadros de Referência Europeus de Competências Essenciais e Enquadramento legislativo 2. PADD no EFP – plano de ação para o desenvolvimento digital 2h PADD, responsabilidades partilhadas com a Autarquia, autoavaliação, plano de melhorias. Autoavaliação SELFIE 3. Qualidade e Reconhecimento: | 2h Sistema e instrumentos EQAVET Monitorização de indicadores e relatório de progresso Dinâmicas digitais para o envolvimento da comunidade. • coprodução, para repensar e melhorar os serviços educativos • design thinking, para a resolução de problemas Duração Horas presenciais: 25 Nº de horas acreditadas: 25 Cód. Dest. 16 Descrição Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial DCP 16 Descrição Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial 12/07/22, 14:22 CCPFC - Gestão de Processos www.e-processos.ccpfc.uminho.pt/p2_acc_pend/imprimir.php?codigo=118104 2/3 4. Competências para a empregabilidade | 2h Empregos inovadores: cultura de inovação, indústria 4.0, inovação nos locais de trabalho, trabalho colaborativo, teletrabalho, avaliação do desempenho Empregos verdes: Competências digitais, percursos, progressos, potencialidades 5. Aprendizagens Essenciais: / 6h Brainstorming: prática na escola. Partilha de boas práticas. Refletir para a melhoria das práticas Repensar para melhorar o que se faz ao nível da escola, ou agrupamento de escolas de cada um. 6. Aplicação das Aprendizagens Essenciais no Cursos Profissionais: / 6 h Construção de uma e-atividade com base nas aprendizagens Essenciais dos Cursos Profissionais, ao nível de um módulo da disciplina

Metodologias

Método pedagógico interativo afirmativo com recurso a exercícios, análise de casos e estudos, prática simulada e prática em contexto de trabalho, utilizando métodos ativos de demonstração das metodologias e aplicação de instrumentos/ferramentas de trabalho.

Avaliação

Relatório individual e realização de uma e-atividade no âmbito das Aprendizagens Essenciais nos Cursos Profissionais, avaliados e classificados em conformidade com o Regulamento Jurídico da Formação Contínua e demais Cartas Circulares do CCPFC e da DGAE sobre a avaliação e classificação da Formação Contínua de Professores.

Bibliografia

• EQAVET – Quality assuring work- based learning em: https://www.eqavet.eu/Materials-Resources/Publications • Guia para o processo de alinhamento com o quadro EQUAVET – http://WWW.qualidade.anqep.gov.pt/PDF/Guia_Alinhamento_EQUAVET/Guia_Alinhamento_QuadroEQAVET.pdf • Digital Education at School in Europe, Eurydice Report https://eacea.ec.europa.eu/nationalpolicies/eurydice/content/digital-education-school-europe_en.OCDE the Future of Education and Skills 2030 • Digital Education Action Plan (2021-2027) https://ec. Europa.eu/education-in-the-eu/digital-education-action-plan_en • COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES relativa ao Plano de Ação para a Educação Digita https://eur-lex. Europa.eu/legal-content/pt/txt/?uri=CELEX%3ª52018DC0022


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 18-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online síncrona
2 28-01-2023 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Online síncrona
3 04-02-2023 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Online síncrona
4 11-02-2023 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Online síncrona
5 15-02-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online síncrona
6 08-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online síncrona
7 29-03-2023 (Quarta-feira) 09:00 - 12:00 3:00 Online síncrona

INSCREVER-ME

261

Ref. 1435 PRA Inscrições abertas até 30-11-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116118/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 18-01-2023

Fim: 29-03-2023

Regime: b-learning

Local: ES Tondela

Formador

Maria Manuela da Silva Claro de Andrade Alves

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

Razões justificativas da ação e a sua inserção no plano de atividades da entidade proponente. O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas/os práticas pedagógicas, interfaces comunicativas, fundamentos humanistas em que todos são parte do sistema e desenvolvem um diálogo igualitário, um pensamento e uma consciência próprios. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha orientem os agentes educativos para a inclusão. Esta formação procura apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas inclusivas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

• Explorar os documentos legislativos (Decreto- Lei n.o 54/2018, Decreto-Lei n.o 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas mais inclusivas • Aplicar colaborativamente os princípios subjacentes ao desenho universal para a aprendizagem e à abordagem multinível • Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e a diversidade de todos alunos • Conceber instrumentos de suporte à recolha de informação que contribuam para a tomada de decisão. • Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar – Planear – Agir - Rever • Produzir e aplicar em contexto de sala de aula instrumentos de avaliação e planificação das aprendizagens Duração Horas presenciais: 25 No de horas acreditadas: 50 Horas de trabalho autónomo: 25 Duração Entre 3 e 5 No Anos letivos: 1 Cód. Dest. 99 Descrição Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360 DCP Descrição No de formandos por cada realização da ação Mínimo 5 Máximo 20 12/07/22, 15:52 CCPFC - Gestão de Processos www.e-processos.ccpfc.uminho.pt/p2_acc_pend/imprimir.php?codigo=117522 2/3 • Partilhar experiências facilitadoras do um processo ensino-aprendizagem inclusivo • Explorar colaborativamente práticas educativas inovadoras

Conteúdos

Módulo 1. Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração integrada dos documentos de política educativa (Decreto- Lei n.o 54/2018, Decreto-Lei n.o 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) Módulo 2. Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (DUA) Módulo 3. Valorização da diversidade em sala de aula – criação e partilha de recursos • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico • O que ensinar e porquê, como, quando, com que prioridades, com que meios, com que organização e com que resultados: exercícios práticos Módulo 4. Avaliação formativa enquanto processo regulador do ensino e da aprendizagem • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino

Metodologias

Presencial Trabalho autónomo A metodologia de formação é de cariz teórico-prática, propondo-se dinâmicas que visam encorajar o envolvimento dos participantes em atividades de aprendizagem, partilha e reflexão sobre a temática, com vista à otimização e concretização dos objetivos propostos para esta ação de formação, em regime de frequência b-learning, nomeadamente: - Apresentação de conteúdos e conceitos; - Partilha de experiências; - Trabalho(s) de grupo; - Reflexão e debate de ideias;

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei no 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho no 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.o 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N. (2021), Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1a ed. - Porto: Porto Editora. European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders • Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education Acesso em 02/02/2022


Observações

Docentes indicados pelos Diretores dos AE associados do CFAE PB.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 18-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 19:30 5:00 Presencial
2 27-01-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
3 31-01-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
4 07-02-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
5 03-03-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
6 11-03-2023 (Sábado) 09:30 - 13:30 4:00 Online síncrona
7 29-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 19:30 5:00 Presencial

INSCREVER-ME

263

Ref. 148ACD 3 Inscrições abertas até 08-01-2023

Registo de acreditação: ACD 3

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 18-01-2023

Fim: 18-01-2023

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas de Santa Comba Dão

Formador

Helena Maria Daniel de Melo Carvalho

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão/AE de Santa Comba Dão/Câmara Municipal de Santa Comba Dão

Razões

A avaliação, a aprendizagem e o ensino são três processos pedagógicos incontornáveis e fundamentais que devem ser devidamente compreendidos por todos os intervenientes. Respondendo à solicitação da direção do Agrupamento de Escolas de Santa Comba Dão, esta ACD pretende relembrar e reforçar os principais conceitos do processo Ensino / Aprendizagem/Avaliação. Esta ACD nasce, assim, da necessidade de aprofundamento de conceitos basilares do Projeto MAIA, já aplicado no referido agrupamento, e no âmbito da Avaliação Pedagógica, no sentido não só de reforçar conceitos como avaliação formativa e sumativa, feedback, participação dos alunos, processos de recolha de informação, tarefas e rubricas, critérios de avaliação e classificação, mas também questionar práticas e partilhar experiências e exemplos práticos experienciados na sala de aula. Pretende-se uma participação ativa e questionadora por parte dos formandos, num momento de formação reflexivo e prático.

Objetivos

- Reforçar / clarificar os principais conceitos no âmbito da Avaliação Pedagógica; - Distinguir a Avaliação Formativa e a Sumativa: - Destacar a importância do feedback no processo Ensino/Aprendizagem/Avaliação; - Clarificar o papel dos alunos em todo o processo e em especial na Auto e Heteroavaliação; - Reforçar a relevância das tarefas a implementar na sala de aula e das respetivas Rubricas; - Valorizar a diversificação dos processos de recolha de informação, os seus fins e a triangulação dos mesmos, para além dos “tradicionais” testes de avaliação; - Distinguir Critérios de Avaliação e Classificação; - Partilhar experiências e práticas de Avaliação Formativa; - Questionar conceitos, práticas e processos de avaliação.

Conteúdos

1. O processo Ensino / Aprendizagem / Avaliação 2. As Avaliações Formativa e Sumativa 3. Práticas de Feedback 4. O papel dos alunos: a auto e heteroavaliação 5. As tarefas e Rubricas 6. Os processos de recolha de informação (diversificação): Há vida para além dos testes! 7. Avaliação e Classificação (critérios) 8. Troca de ideias e partilha de experiências: práticas na sala de aula.

Metodologias

Partindo da recapitulação, clarificação e reforço dos conceitos básicos da Avaliação Pedagógica, em prática no agrupamento, pretende-se a realização de uma ACD ativa, reflexiva e interativa, em que se privilegie o questionamento, a troca de ideias, a apresentação de exemplos práticos e experiências na sala de aula.

Avaliação

Frequência

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e pela formadora. Tratamento estatístico desses dados e avaliação pela Secção de Formação e Monitorização e Conselho de Diretores do CFAE-PB.

Bibliografia

Folhas e Textos do Projeto MAIA.


Observações

Docentes do AE de Santa Comba Dão


INSCREVER-ME

Ref. 1032 T8 22/23 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115451/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 19-01-2023

Fim: 23-03-2023

Regime: b-learning

Local: ES Molelos

Formador

Márcio Rafael Rodrigues dos Santos

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 19-01-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
2 25-01-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
3 02-02-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
4 08-02-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 16-02-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
6 01-03-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
7 09-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
8 16-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
9 23-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona


218

Ref. 1375 Turma 2 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116679/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 21-01-2023

Fim: 04-03-2023

Regime: e-learning

Local: À distância

Formador

Andreia Patrícia Neves Veloso Guerreiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de competências digitais, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa pretende demonstrar de forma prática como as ferramentas digitais podem ser utilizadas de forma criativa nas aulas com alunos de todas as idades. Pretende-se desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e a sua capacidade para implementar estratégias e práticas criativas inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver estratégias de implementação de ferramentas digitais de forma criativa na sala de aula, recorrendo à realidade aumentada e à inteligência artificial. São objetivos específicos: - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e utilização de ferramentas digitais com recurso a realidade aumentada e inteligência artificial; - estimular a criatividade dos alunos através da arte; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental: - ArtSteps - exposições virtuais - Merge Cube e CoSpaces - espaços a 3D - Spectacular Quiver - ver os nossos desenhos em 3D - Paint Draw AR - desenhar no espaço com realidade aumentada - Autodraw- desenhar com inteligência artificial - Art Coloring Book- Recolorir obras de Arte - Nvidea Gaugan- Paisagens realistas criadas com Inteligência Artificial - Aplicações Google Art&Culture e Google AR - SculpGL – modelagem em 3D - Robótica criativa com o Robot Vex

Metodologias

a) Das sessões síncronas: As sessões síncronas são destinadas à realização de demonstração das ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento da criatividade dos alunos; à reflexão crítica sobre a importância deste tipo de atividades. Duração Horas presenciais: 25 No de horas acreditadas: 25 Descrição Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, do Ensino Secundário e de Educação Especial. b) Das sessões assíncronas Em específico, nas sessões assíncronas, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões síncronas, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha de resultados.

Avaliação

Para que o seu trabalho possa ser avaliado, os formandos terão de participar num mínimo de dois terços das sessões. A avaliação contemplará a realização de trabalhos individuais e de um trabalho de grupo que será apresentado oralmente por todos os elementos, ambos incidindo sobre as ferramentas digitais a aplicar em contexto de sala de aula. Dos trabalhos elaborados nesta ação valorizar-se-á: - O empenho e a participação ativa dos formandos no processo de formação, tendo em consideração a pertinência, a qualidade e o rigor das suas intervenções; - A reflexão crítica sobre a importância da formação no desenvolvimento pessoal e profissional do docente; Da ponderação de todos estes fatores resultará a avaliação quantitativa dos formandos, cuja escala compreende o intervalo de 1 a 10 valores, tendo como referente as seguintes menções: - Excelente — de 9 a 10 valores; - Muito Bom — de 8 a 8,9 valores; - Bom — de 6,5 a 7,9 valores; - Regular — de 5 a 6,4 valores; - Insuficiente — de 1 a 4,9 valores.

Bibliografia

Churches A. (2009), Edorigami, blooms taxonomy and digital approaches. Disponível em: https://www.yumpu.com/en/document/read/31996905/blooms-digital-taxonomy-educational-origami-wikispaces Iniciativa Nacional Competências Digitais e.2030 – Portugal INCoDe.2030 (2019). Quadro Dinâmico de Referência de Competência Digital para Portugal. Disponível em: https://www.incode2030.gov.pt/sites/default/files/qdrcd_set2019.pdf Lucas, M. & Moreira, A (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Disponível em: http://hdl.handle.net/10773/24983 Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME UNESCO. ICT Competency framework for teachers. Versão3. (2018). Paris: United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000265721.locale=en


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 21-01-2023 (Sábado) 09:30 - 13:00 3:30 Online síncrona
2 04-02-2023 (Sábado) 09:30 - 13:00 3:30 Online síncrona
3 18-02-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Online síncrona
4 04-03-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Online síncrona

Ref. 1266 T2 PRA Inscrições abertas até 30-11-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115863/22

Modalidade: Círculo de Estudos

Duração: 38.0 horas

Início: 25-01-2023

Fim: 19-04-2023

Regime: Presencial

Local: ES Tondela

Formador

Helena Maria Daniel de Melo Carvalho

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

No âmbito do Projeto MAIA, e ao longo dos anos letivos de 2019/2020 e 2020/2021, realizaram-se centenas de Oficinas de Formação (OF), que ocorreram em praticamente todos os CFAE e cujo principal produto foi a conceção e a elaboração de um Projeto de Intervenção (PI) no domínio da avaliação pedagógica. Este PI, definia um conjunto de Princípios de Avaliação Pedagógica que enquadrava quer a definição de uma Política de Avaliação, quer a definição de uma Política de Classificação. A ideia que presidiu à elaboração dos PI era a de o concretizar nos AE/ENA dos formandos que os conceberam e elaboraram, tendo em conta as condições concretas de cada instituição, bem como o respetivo Projeto Educativo Como seria expectável, atendendo às condições existentes em cada AE/ENA, há diferentes graus de apropriação dos propósitos do Projeto MAIA e, consequentemente, o mesmo sucede com a concretização e desenvolvimento dos PI. Assim, há dificuldades que têm sido recorrentemente sinalizadas por diversos intervenientes neste processo. Reconheceu-se, assim, a necessidade de se conceber e desenvolver o presente Círculo de Estudos de modo a contribuir para que dificuldades possam ser ultrapassadas e para que as instituições que estão envolvidas neste processo possam concretizar e desenvolver os seus PI. Através desta modalidade de formação, os formandos terão a oportunidade ultrapassar as dificuldades reportadas de através da reflexão e discussão das experiências das suas unidades orgânicas.

Objetivos

• clarificar os conceitos estruturantes que deverão fundamentar e enquadrar os PI. • aprofundar a conceção e a elaboração dos PI. • analisar materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • produzir materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • delinear estratégias destinadas a promover a concretização e desenvolvimento dos PI atendendo às condições concretas de cada instituição. • contribuir para integrar os PI no desenvolvimento dos Projetos Educativos das instituições. • desenvolver hábitos de trabalho colaborativo e de reflexão em torno de situações vividas nas escolas, visando melhorar a qualidade do ensino, da aprendizagem e da avaliação. • partilhar ideias, experiências, materiais e métodos que contribuam para a concretização e desenvolvimento dos PI em cada instituição. • conceber uma Ação de Curta Duração visando a criação de uma oportunidade para que os professores possam discutir a consecução e o desenvolvimento dos PI.

Conteúdos

O desenvolvimento deste Círculo de Estudos será baseado no estudo, na discussão e na análise dos seguintes conteúdos principais: • Análise e reflexão acerca do Currículo vigente atualmente em Portugal. • Relações entre o Currículo, a Pedagogia e a Avaliação e suas implicações para a concretização e desenvolvimento dos PI. • Conceitos estruturantes da avaliação pedagógica tais como avaliação formativa, avaliação sumativa, feedback, critério, indicador ou descritor, autoavaliação, avaliação entre pares, avaliação holística, avaliação analítica, processos de recolha de informação e processos de classificação. • Conceção de materiais, processos e estratégias que integrem os conceitos e ideias da avaliação pedagógica e que suscitem a sua utilização nas práticas pedagógicas. • Análise e discussão de PI: reformulação, aprofundamento, ajustamento. • Processos de formação ativa de professores: fundamentos, processos e dinâmicas

Metodologias

Presencial • O trabalho presencial será organizado de forma que os formandos estabeleçam relações entre o contexto da formação e das escolas. • Os participantes constituem uma comunidade de aprendizagem e de práticas, que discute os PI, visando a sua melhoraria, clarificação e aprofundamento. • Os formandos terão um papel central nos processos de formação, nomeadamente no que se refere à melhoria e/ou aprofundamento dos PI. • Os formadores são recursos qualificados que distribuirão feedback, orientando os formandos, dinamizando as sessões de trabalho e garantindo o desenvolvimento de discussões com real significado para a concretização e desenvolvimento dos PI. • As sessões presenciais serão planificadas tendo em vista a análise e discussão que permita eventuais ajustamentos e/ou melhorias dos PI. Trabalho autónomo • O trabalho autónomo será desenvolvido a partir do estudo das situações concretas decorrentes dos processos de concretização dos PI e, por isso, as dinâmicas de investigação e reflexão.

Avaliação

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. A avaliação dos formandos decorre ao longo de todas as sessões com base nas interações que se forem estabelecendo a partir das intervenções realizadas nas suas instituições. Os PI reformulados assim como os Planos de Formação serão objeto de apresentação e discussão nas sessões presenciais e constituirão processos e produtos fundamentais.

Bibliografia

Fernandes, D. (2021). Para uma fundamentação e melhoria das práticas de avaliação pedagógica no âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Fernandes, D. (2021). Para a Conceção e Elaboração do Projeto de Intervenção no Âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Fernandes, D. (2021). Para um enquadramento da formação de professores. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Machado, E. A. (2021). Feedback. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Wenger, E. (1998). Communities of practice: Learning, meaning, and identity. Cambridge University Press.


Observações

Docentes indicados pelos Diretores dos AE associados do CFAE PB.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 25-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:40 4:10 Presencial
2 11-02-2023 (Sábado) 09:00 - 13:10 4:10 Presencial
3 25-02-2023 (Sábado) 09:00 - 13:10 4:10 Presencial
4 11-03-2023 (Sábado) 09:00 - 13:10 4:10 Presencial
5 25-03-2023 (Sábado) 09:00 - 13:10 4:10 Presencial
6 19-04-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:40 4:10 Presencial

INSCREVER-ME

265

Ref. 139ACD2T2Dig Inscrições abertas até 22-01-2023

Registo de acreditação: ACD2Dig

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 01-02-2023

Fim: 01-02-2023

Regime: Presencial

Local: ES SC Dão

Formador

Dorinda Henriques Valente Rebelo

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

No atual contexto educativo é solicitado aos professores que desenvolvam Domínios de Autonomia Curricular (DAC), de natureza interdisciplinar, e que promovam competências digitais nos seus alunos. Para isso, é essencial que os professores desenvolvam um conjunto de competências ao nível do trabalho colaborativo, potenciado pelo uso de ferramentas digitais, de modo a poderem implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem, promotoras da integração de saberes e diferentes áreas do conhecimento e do desenvolvimento de competências digitais nos alunos.

Objetivos

Refletir sobre dinâmicas de trabalho colaborativo, com recurso a ferramentas e a ambientes digitais, que promovam a qualidade do processo educativo; Conceber um DAC, suportado em trabalho colaborativo e interdisciplinar, que integre saberes de diferentes áreas do conhecimento e ferramentas digitais; Estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica de estratégias inovadoras de ensino, aprendizagem e avaliação.

Conteúdos

Aprendizagens Essenciais, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Domínios de Autonomia Curricular (DAC): desafios colocados à escola e aos professores. Linhas orientadoras para a planificação, implementação e avaliação das aprendizagens num DAC. Planificação de um DAC de natureza interdisciplinar que potencie o uso de ferramentas digitais.

Metodologias

Os formandos desenvolverão trabalho colaborativo e cooperativo, com o devido enquadramento teórico, em torno da construção de um DAC.

Avaliação

Avaliação da ação pelos/as formandos/as e pelos/as formadores/as através de questionários de satisfação.

Bibliografia

Decreto-Lei n.º 55/18, de 6 de julho, da Presidência do Conselho de Ministros (2018). Diário da República: I série, n.º 129. Lagarto, J., & Alaíz, V. (2019). Nos trilhos da flexibilidade curricular: O que vimos, ouvimos e refletimos. Revista Portuguesa de Investigação Educacional, 19, 41-66. Cohen, A., & Fradique, J. (2018). Guia da Autonomia e Flexibilidade Curricular. Raiz Editora. Cosme, A. (2018). Autonomia e Flexibilidade Curricular: Propostas e estratégias de ação. Porto Editora. Cosme, A., Ferreira, D., Fernandes, J., & Neves, L. (2018). Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular (PAFC): Estudo avaliativo da experiência pedagógica desenvolvida em 2017/2018 ao abrigo do despacho n.º 5908/2017. Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade do Porto.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 01-02-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 1324T1 PRA Inscrições abertas até 30-11-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116119/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 28-02-2023

Fim: 29-04-2023

Regime: e-learning

Local: À Distância

Formador

Maria Cristina Marques Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha desbravem o caminho e orientem todos os agentes educativos para as mudanças a realizar. Esta ação de formação procura contribuir para uma reflexão crítica sobre os desafios da diversidade, bem como apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas ajustadas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021. European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european- agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack- supporting-inclusion-and-equity-education.


Observações

Docentes indicados pelos Diretores dos AE associados.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 28-02-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 08-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online síncrona
3 14-03-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 21-03-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 29-03-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online síncrona
6 19-04-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Online síncrona
7 29-04-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Online síncrona

INSCREVER-ME

246

Ref. 145ACD3T3Dig Inscrições abertas até 20-02-2023

Registo de acreditação: ACD3Dig

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 5.0 horas

Início: 01-03-2023

Fim: 08-03-2023

Regime: e-learning

Local: À distância

Formador

Dorinda Henriques Valente Rebelo

Destinatários

Professores do Ensino Básico, Ensino Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

No atual contexto educativo é solicitado aos professores que desenvolvam Domínios de Autonomia Curricular (DAC), de natureza interdisciplinar, e que promovam competências digitais nos seus alunos. Para isso, é essencial que os professores desenvolvam um conjunto de competências ao nível do trabalho colaborativo, potenciado pelo uso de ferramentas digitais, de modo a poderem implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem, promotoras da integração de saberes e diferentes áreas do conhecimento e do desenvolvimento de competências digitais nos alunos.

Objetivos

Refletir sobre dinâmicas de trabalho colaborativo, com recurso a ferramentas e a ambientes digitais, que promovam a qualidade do processo educativo; Conceber um DAC, suportado em trabalho colaborativo e interdisciplinar, que integre saberes de diferentes áreas do conhecimento e ferramentas digitais; Estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica de estratégias inovadoras de ensino, aprendizagem e avaliação.

Conteúdos

Aprendizagens Essenciais, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Domínios de Autonomia Curricular (DAC): desafios colocados à escola e aos professores. Linhas orientadoras para a planificação, implementação e avaliação das aprendizagens num DAC. Planificação de um DAC de natureza interdisciplinar que potencie o uso de ferramentas digitais.

Metodologias

Os formandos desenvolverão trabalho colaborativo e cooperativo, com o devido enquadramento teórico, em torno da construção de um DAC.

Modelo

Avaliação da ação pelos/as formandos/as e pelos/as formadores/as através de questionários de satisfação.

Bibliografia

Decreto-Lei n.º 55/18, de 6 de julho, da Presidência do Conselho de Ministros (2018). Diário da República: I série, n.º 129. Lagarto, J., & Alaíz, V. (2019). Nos trilhos da flexibilidade curricular: O que vimos, ouvimos e refletimos. Revista Portuguesa de Investigação Educacional, 19, 41-66. Cohen, A., & Fradique, J. (2018). Guia da Autonomia e Flexibilidade Curricular. Raiz Editora. Cosme, A. (2018). Autonomia e Flexibilidade Curricular: Propostas e estratégias de ação. Porto Editora. Cosme, A., Ferreira, D., Fernandes, J., & Neves, L. (2018). Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular (PAFC): Estudo avaliativo da experiência pedagógica desenvolvida em 2017/2018 ao abrigo do despacho n.º 5908/2017. Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade do Porto.


Observações

Docentes do AE de Tondela Tomaz Ribeiro

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 01-03-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Online síncrona
2 08-03-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Online síncrona

INSCREVER-ME

276

Ref. 1375 Turma 3 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116679/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 08-03-2023

Fim: 29-03-2023

Regime: e-learning

Local: À distância

Formador

Andreia Patrícia Neves Veloso Guerreiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de competências digitais, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa pretende demonstrar de forma prática como as ferramentas digitais podem ser utilizadas de forma criativa nas aulas com alunos de todas as idades. Pretende-se desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e a sua capacidade para implementar estratégias e práticas criativas inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver estratégias de implementação de ferramentas digitais de forma criativa na sala de aula, recorrendo à realidade aumentada e à inteligência artificial. São objetivos específicos: - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e utilização de ferramentas digitais com recurso a realidade aumentada e inteligência artificial; - estimular a criatividade dos alunos através da arte; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental: - ArtSteps - exposições virtuais - Merge Cube e CoSpaces - espaços a 3D - Spectacular Quiver - ver os nossos desenhos em 3D - Paint Draw AR - desenhar no espaço com realidade aumentada - Autodraw- desenhar com inteligência artificial - Art Coloring Book- Recolorir obras de Arte - Nvidea Gaugan- Paisagens realistas criadas com Inteligência Artificial - Aplicações Google Art&Culture e Google AR - SculpGL – modelagem em 3D - Robótica criativa com o Robot Vex

Metodologias

a) Das sessões síncronas: As sessões síncronas são destinadas à realização de demonstração das ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento da criatividade dos alunos; à reflexão crítica sobre a importância deste tipo de atividades. Duração Horas presenciais: 25 No de horas acreditadas: 25 Descrição Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, do Ensino Secundário e de Educação Especial. b) Das sessões assíncronas Em específico, nas sessões assíncronas, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões síncronas, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha de resultados.

Avaliação

Para que o seu trabalho possa ser avaliado, os formandos terão de participar num mínimo de dois terços das sessões. A avaliação contemplará a realização de trabalhos individuais e de um trabalho de grupo que será apresentado oralmente por todos os elementos, ambos incidindo sobre as ferramentas digitais a aplicar em contexto de sala de aula. Dos trabalhos elaborados nesta ação valorizar-se-á: - O empenho e a participação ativa dos formandos no processo de formação, tendo em consideração a pertinência, a qualidade e o rigor das suas intervenções; - A reflexão crítica sobre a importância da formação no desenvolvimento pessoal e profissional do docente; Da ponderação de todos estes fatores resultará a avaliação quantitativa dos formandos, cuja escala compreende o intervalo de 1 a 10 valores, tendo como referente as seguintes menções: - Excelente — de 9 a 10 valores; - Muito Bom — de 8 a 8,9 valores; - Bom — de 6,5 a 7,9 valores; - Regular — de 5 a 6,4 valores; - Insuficiente — de 1 a 4,9 valores.

Bibliografia

Churches A. (2009), Edorigami, blooms taxonomy and digital approaches. Disponível em: https://www.yumpu.com/en/document/read/31996905/blooms-digital-taxonomy-educational-origami-wikispaces Iniciativa Nacional Competências Digitais e.2030 – Portugal INCoDe.2030 (2019). Quadro Dinâmico de Referência de Competência Digital para Portugal. Disponível em: https://www.incode2030.gov.pt/sites/default/files/qdrcd_set2019.pdf Lucas, M. & Moreira, A (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Disponível em: http://hdl.handle.net/10773/24983 Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME UNESCO. ICT Competency framework for teachers. Versão3. (2018). Paris: United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000265721.locale=en


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 08-03-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:30 3:30 Online síncrona
2 15-03-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:30 3:30 Online síncrona
3 22-03-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Online síncrona
4 29-03-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Online síncrona

Ref. 1347-Turma2 22/23 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116768/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 15-03-2023

Fim: 24-05-2023

Regime: e-learning

Local: À Distância

Formador

Marco Alexandre Carvalho Bento

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores 3º Ciclo, Secundário e Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores 3º Ciclo, Secundário e Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

Na definição e redefinição de estratégias em qualquer organização educativa, tal como a níveis mais concretos e próximos, até ao nível da sala de aula, o papel dos modelos de aprendizagem de diferentes formas, assume um cariz determinante, quer na definição de orientações, quer na alocação de recursos, quer na linha condutora de aulas, quer ainda na definição de percursos educativos para os alunos e planeamento constante por parte dos docentes. O curso servirá para os professores beneficiarem de uma introdução às pedagogias ativas num contexto de introdução do digital no ensino, considerando o papel do professor num contexto presencial, com a adaptação às tecnologias e aos espaços virtuais de apoio à concretização de aprendizagens.

Objetivos

Desenvolver as competências de literacia digital dos professores 2. Apresentar modelos pedagógicos ativos com a utilização de tecnologia 3. Potenciar a utilização dos recursos digitais em desenhos de pedagógicos híbridos 4. Compreender as potencialidades pedagógicas da utilização da tecnologia integrada em ambientes híbridos de aprendizagem 5. Desenvolver estratégias de articulação entre a pedagogia, o espaço e a tecnologia 6. Desenvolver estratégias de articulação entre o currículo e as soft skills por meio da tecnologia 7. Apoiar os professores na implementação de práticas pedagógicas num ensino híbrido.

Conteúdos

Módulo 1 - Uso de tecnologia educativa em sala de aula. Abordagem às potencialidades dos AEI, o espaço como potenciador de aprendizagens considerando a diferenciação pedagógica e a utilização das diferentes zonas de aprendizagem. (Dimensão ESPAÇO) Módulo 2 - Cenários de Inovação Pedagógica. Desenho e planificação de projetos colaborativos de escola e/ou turma considerando as dimensões (ESPAÇO, PEDAGOGIA E TECNOLOGIA). Módulo 3 - Ensino presencial, com integração do digital. Utilização de dispositivos móveis e respetivas aplicações em interação com painéis interativos (ActivPanel) do ESPAÇO considerando a PEDAGOGIA. (Dimensão TECNOLOGIA). Módulo 4 - Modelos pedagógicos de aprendizagem invertida e gamificação. Abordagem dos cenários de inovação pedagógica de aprendizagem invertida e gamificação, com aplicação prática relacionando com o ESPAÇO - (Dimensão PEDAGOGIA). Módulo 5 - Avaliação em ambiente online com o uso da tecnologia. A avaliação e a aferição ao longo do processo de aplicação dos cenários de inovação pedagógica considerando as três dimensões (ESPAÇO, PEDAGOGIA E TECNOLOGIA).

Metodologias

a) Das sessões presenciais/síncronas: Nos momentos presenciais serão sempre desenhados três níveis de intervenção: 1- Explicação interativa dos conceitos a serem trabalhados 2- Desenho de planos de intervenção utilizando os conceitos aprendidos 3- Construção dos materiais necessários à implementação do plano de intervenção b) Nas sessões assíncronas Interação com os conteúdos a abordar nas sessões síncronas e desenho de tarefas para reflexão nas sessões síncronas. No modelo assíncrono estarão disponíveis recursos de avaliação de aprendizagem online.

Avaliação

Os formandos são avaliados de acordo com as regras previstas no regulamento interno do centro de formação bem como a legislação vigente aplicável Os formandos serão informados que para a sua avaliação serão tidos em conta os seguintes parâmetros/critérios - Participação nas sessões síncronas em que será tido em conta a realização das tarefas nas sessões assíncronas - Relatório de reflexão individual - eportefólio onde deverá constar memória descritiva do trabalho do formando nas sessões síncronas e assíncronas

Bibliografia

Bergmann, J.; Sams, A. ( 2013) Flip Your Students' Learning. Educational Leadership, v. 70, n. 6, p.16-20. Disponível em http://www.ascd.org/publications/educational- leadership/mar13/vol70/num06/Flip-Your-Students'-Learning.aspx Bergmann, J.; Sams, A. (2012b) How the Flipped Classroom is radically transforming learning.The Daily Riff. Learning, Innovation & tech. Disponível em http://www.thedailyriff.com/articles/how-the-flipped-classroom-is-radically-transforming- learning-536.php Fulton, K. (2012) Upside down and inside out: Flip Your Classroom to Improve Student Learning. Learning & Leading with Technology, v. 39, n. 8, p. 12-17. Disponível em http://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ982840.pdf Lateef, F. (2014). The Flipped Classroom: Viewpoints in Asian Universities. Education in Medicine Journal Wilson, S.G. (2013) The Flipped Class: A Method to Address the Challenges of an Undergraduate Statistics Course. Teaching of Psychology, Philadelphia, v. 40, n. 3, p. 193-199. Disponível em http://top.sagepub.com/content/40/3/193.full.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 15-03-2023 (Quarta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Online síncrona
2 29-03-2023 (Quarta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Online síncrona
3 12-04-2023 (Quarta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Online síncrona
4 03-05-2023 (Quarta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Online síncrona
5 24-05-2023 (Quarta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Online síncrona

Ref. 1324T2 PRA Inscrições abertas até 30-11-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116119/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 03-05-2023

Fim: 21-06-2023

Regime: e-learning

Local: À Distância

Formador

Maria Cristina Marques Ferreira Simões

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha desbravem o caminho e orientem todos os agentes educativos para as mudanças a realizar. Esta ação de formação procura contribuir para uma reflexão crítica sobre os desafios da diversidade, bem como apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas ajustadas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021. European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european- agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack- supporting-inclusion-and-equity-education.


Observações

Docentes indicados pelos Diretores dos AE associados do CFAE PB.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 03-05-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Online síncrona
2 10-05-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 17-05-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 24-05-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 31-05-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 07-06-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 14-06-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 21-06-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Online síncrona

INSCREVER-ME

264

Ref. 1266 T1 PRA A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115863/22

Modalidade: Círculo de Estudos

Duração: 38.0 horas

Início: 19-10-2022

Fim: 15-02-2023

Regime: Presencial

Local: ES Tondela

Formador

Helena Maria Daniel de Melo Carvalho

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

No âmbito do Projeto MAIA, e ao longo dos anos letivos de 2019/2020 e 2020/2021, realizaram-se centenas de Oficinas de Formação (OF), que ocorreram em praticamente todos os CFAE e cujo principal produto foi a conceção e a elaboração de um Projeto de Intervenção (PI) no domínio da avaliação pedagógica. Este PI, definia um conjunto de Princípios de Avaliação Pedagógica que enquadrava quer a definição de uma Política de Avaliação, quer a definição de uma Política de Classificação. A ideia que presidiu à elaboração dos PI era a de o concretizar nos AE/ENA dos formandos que os conceberam e elaboraram, tendo em conta as condições concretas de cada instituição, bem como o respetivo Projeto Educativo Como seria expectável, atendendo às condições existentes em cada AE/ENA, há diferentes graus de apropriação dos propósitos do Projeto MAIA e, consequentemente, o mesmo sucede com a concretização e desenvolvimento dos PI. Assim, há dificuldades que têm sido recorrentemente sinalizadas por diversos intervenientes neste processo. Reconheceu-se, assim, a necessidade de se conceber e desenvolver o presente Círculo de Estudos de modo a contribuir para que dificuldades possam ser ultrapassadas e para que as instituições que estão envolvidas neste processo possam concretizar e desenvolver os seus PI. Através desta modalidade de formação, os formandos terão a oportunidade ultrapassar as dificuldades reportadas de através da reflexão e discussão das experiências das suas unidades orgânicas.

Objetivos

• clarificar os conceitos estruturantes que deverão fundamentar e enquadrar os PI. • aprofundar a conceção e a elaboração dos PI. • analisar materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • produzir materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • delinear estratégias destinadas a promover a concretização e desenvolvimento dos PI atendendo às condições concretas de cada instituição. • contribuir para integrar os PI no desenvolvimento dos Projetos Educativos das instituições. • desenvolver hábitos de trabalho colaborativo e de reflexão em torno de situações vividas nas escolas, visando melhorar a qualidade do ensino, da aprendizagem e da avaliação. • partilhar ideias, experiências, materiais e métodos que contribuam para a concretização e desenvolvimento dos PI em cada instituição. • conceber uma Ação de Curta Duração visando a criação de uma oportunidade para que os professores possam discutir a consecução e o desenvolvimento dos PI.

Conteúdos

O desenvolvimento deste Círculo de Estudos será baseado no estudo, na discussão e na análise dos seguintes conteúdos principais: • Análise e reflexão acerca do Currículo vigente atualmente em Portugal. • Relações entre o Currículo, a Pedagogia e a Avaliação e suas implicações para a concretização e desenvolvimento dos PI. • Conceitos estruturantes da avaliação pedagógica tais como avaliação formativa, avaliação sumativa, feedback, critério, indicador ou descritor, autoavaliação, avaliação entre pares, avaliação holística, avaliação analítica, processos de recolha de informação e processos de classificação. • Conceção de materiais, processos e estratégias que integrem os conceitos e ideias da avaliação pedagógica e que suscitem a sua utilização nas práticas pedagógicas. • Análise e discussão de PI: reformulação, aprofundamento, ajustamento. • Processos de formação ativa de professores: fundamentos, processos e dinâmicas

Metodologias

Presencial • O trabalho presencial será organizado de forma que os formandos estabeleçam relações entre o contexto da formação e das escolas. • Os participantes constituem uma comunidade de aprendizagem e de práticas, que discute os PI, visando a sua melhoraria, clarificação e aprofundamento. • Os formandos terão um papel central nos processos de formação, nomeadamente no que se refere à melhoria e/ou aprofundamento dos PI. • Os formadores são recursos qualificados que distribuirão feedback, orientando os formandos, dinamizando as sessões de trabalho e garantindo o desenvolvimento de discussões com real significado para a concretização e desenvolvimento dos PI. • As sessões presenciais serão planificadas tendo em vista a análise e discussão que permita eventuais ajustamentos e/ou melhorias dos PI. Trabalho autónomo • O trabalho autónomo será desenvolvido a partir do estudo das situações concretas decorrentes dos processos de concretização dos PI e, por isso, as dinâmicas de investigação e reflexão.

Avaliação

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. A avaliação dos formandos decorre ao longo de todas as sessões com base nas interações que se forem estabelecendo a partir das intervenções realizadas nas suas instituições. Os PI reformulados assim como os Planos de Formação serão objeto de apresentação e discussão nas sessões presenciais e constituirão processos e produtos fundamentais.

Bibliografia

Fernandes, D. (2021). Para uma fundamentação e melhoria das práticas de avaliação pedagógica no âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Fernandes, D. (2021). Para a Conceção e Elaboração do Projeto de Intervenção no Âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Fernandes, D. (2021). Para um enquadramento da formação de professores. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Machado, E. A. (2021). Feedback. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Wenger, E. (1998). Communities of practice: Learning, meaning, and identity. Cambridge University Press.


Observações

Docentes indicados pelos Diretores dos AE associados do CFAE PB.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 19-10-2022 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial
2 05-11-2022 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
3 19-11-2022 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
4 07-01-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
5 21-01-2023 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
6 04-02-2023 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
7 15-02-2023 (Quarta-feira) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial


236

Ref. 1043 T3 22/23 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115453/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 14-10-2022

Fim: 09-12-2022

Regime: b-learning

Local: ES Santa Comba Dão

Formador

Ana Isabel Lopes dos Santos Craveiro

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do referencial DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas inovadoras num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Ao longo das sessões conjuntas estimular-se-á a criação e/ou participação e colaboração em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação dos Planos de Ação de Desenvolvimento Digital, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN EU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 14-10-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
2 19-10-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial
3 28-10-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
4 04-11-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
5 16-11-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Online síncrona
6 25-11-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
7 30-11-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
8 02-12-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
9 07-12-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
10 09-12-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona


222

Ref. 1211 PRA A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115729/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 12-10-2022

Fim: 22-03-2023

Regime: Presencial

Local: ES Tondela

Formador

Helena Margarida dos Santos Vasconcelos Gomes

Destinatários

Professores do 1º Ciclo;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo;. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; b) 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; c) 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 110 para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática no Ensino Básico, procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico (AE, 2021), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; Estar dotados do conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; Realizar práticas de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e capazes de resolução para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 1.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática - Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática - Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos. Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada): - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover - Análise de produções de alunos - Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor - Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada): - Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas) - Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo) - Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva.

Metodologias

Presencial A periodicidade deverá ser variável: começando de forma mais concentrada, passando a ser mais espaçada decorridos cerca de 2/3 da formação, a fim de permitir tempo para uma intervenção na prática letiva. Sessões presenciais (momentos em pequenos grupos e em grande grupo): análise e discussão das AE, de textos teóricos que as suportam, resolução e discussão de tarefas de formação e planificação e reflexão de uma intervenção na prática. As tarefas de formação poderão incluir a resolução de tarefas a propor aos alunos, o seu enquadramento curricular, a análise de produções matemáticas de alunos e de episódios de sala de aula, e o seu enquadramento curricular no âmbito das novas AE de Matemática. Trabalho autónomo Trabalho autónomo (individual ou em pequenos grupos): leitura das AE e de textos disponibilizados, planificação, concretização e reflexão da intervenção na prática, preparação da apresentação, em pequenos grupos, dessa intervenção e elaboração de um trabalho final individual crítico-reflexivo.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Canavarro, A. P. (2009). O pensamento algébrico na aprendizagem da Matemática dos primeiros anos. Quadrante, 16(2), 81-118. Canavarro, A. P., Oliveira, H., & Menezes, L. (2012). Práticas de ensino exploratório da matemática: O caso de Célia. In A. P. Canavarro, L. Santos, A. Boavida, H. Oliveira, L. Menezes, & S. Carreira (Eds.), Investigação em Educação Matemática – Práticas de ensino da Matemática, Livro de Atas do Encontro de Investigação em Educação Matemática EIEM2012 (pp. 255-266). Castelo de Vide: SPIEM. NCTM (2017). Princípios para a Ação. Lisboa: APM. Educação e Matemática, 2022, nº 162 (número temático sobre pensamento computacional) Henriques, A., & Oliveira, H. (2012). Investigações estatísticas. Um caminho a seguir? Educação e Matemática, 120, 3-8.


Observações

Docentes do 1º ciclo da área das escolas associadas do CFAE PB indicados pelos Diretores dos AE. Docentes do 1º Ciclo das escolas associadas do CFAE VISPROF indicados pelos Diretores dos AE e Diretor do CFAE VISPROF.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 12-10-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
2 26-10-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
3 09-11-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
4 23-11-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
5 07-12-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
6 04-01-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
7 01-02-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
8 15-02-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
9 08-03-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
10 22-03-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial


230

Ref. 1247 T1 PRA 22/23 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115725/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 06-10-2022

Fim: 14-12-2022

Regime: b-learning

Local: ES Tondela

Formador

Maria Paula Montenegro Vieira Cardoso

Destinatários

Professores de matemática do 2º Ciclo

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de matemática do 2º Ciclo. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de matemática do 2º Ciclo.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; b) 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; c) 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 230 para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Básico procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico, destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem ser capazes de: • Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; • Estar capacitados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; • Realizar experiências de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e alertados para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 2.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática - Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática - Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos. Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada): - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover - Análise de produções de alunos - Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor - Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada): - Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas) - Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo) - Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva.

Metodologias

Presencial A periodicidade deverá ser variável: começando de forma mais concentrada, passando a ser mais espaçada decorridos cerca de 2/3 da formação, a fim de permitir tempo para uma intervenção na prática letiva. Sessões presenciais (momentos em pequenos grupos e em grande grupo): análise e discussão das AE, de textos teóricos que as suportam, resolução e discussão de tarefas de formação e planificação e reflexão de uma intervenção na prática. As tarefas de formação a propor nessas sessões poderão incluir a resolução de tarefas a propor aos alunos, a análise de produções de alunos e de episódios de sala de aula, e o seu enquadramento curricular no âmbito das novas AE de Matemática. Trabalho autónomo Trabalho autónomo (individual ou em pequenos grupos): leitura das AE e de textos disponibilizados, na planificação, concretização e reflexão da intervenção na prática, preparação da apresentação, em pequenos grupos, dessa intervenção e elaboração de um trabalho final individual crítico-reflexivo.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Educação e Matemática, 158 Educação e Matemática, 162 NCTM (2017). Princípios para a ação. Lisboa: APM. Ponte, J. P., Quaresma, M., & Mata Pereira, J. (2020). Como desenvolver o raciocínio matemático na sala de aula? Educação e Matemática, 156, 7-11. Veloso, E. (2012). Simetria e transformações geométricas. Lisboa: APM.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 06-10-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
2 13-10-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
3 19-10-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Online síncrona
4 26-10-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Online síncrona
5 02-11-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Online síncrona
6 09-11-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Online síncrona
7 16-11-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Online síncrona
8 23-11-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Online síncrona
9 07-12-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
10 14-12-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial


240

Ref. 1032 T4 22/23 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115451/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 24-09-2022

Fim: 10-12-2022

Regime: b-learning

Local: ES Tondela

Formador

Paulo Sergio Rodrigues Nogueira

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 24-09-2022 (Sábado) 09:00 - 12:30 3:30 Online síncrona
2 12-10-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
3 22-10-2022 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
4 29-10-2022 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
5 10-11-2022 (Quinta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
6 19-11-2022 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
7 30-11-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
8 10-12-2022 (Sábado) 09:00 - 12:30 3:30 Online síncrona


214

Ref. 1252 PRA A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115739/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 21-09-2022

Fim: 15-02-2023

Regime: b-learning

Local: ES Tondela

Formador

Cátia Sofia Nunes Rodrigues

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 500

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

Razões justificativas da ação e a sua inserção no plano de atividades da entidade proponente No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; b) 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; c) 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 500, para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Básico procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico (AE, 2021), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: • Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; • Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; • Realizar experiências de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e capazes de resolução para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 3.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática - Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática - Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos. Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada): - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover - Análise de produções de alunos - Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor - Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada): - Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas) - Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo) - Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva.

Metodologias

Presencial A periodicidade deverá ser variável: começando de forma mais concentrada, passando a ser mais espaçada a partir de 2/3 da formação. Sessões presenciais (momentos em pequenos e em grande grupo): análise e discussão das orientações curriculares das AE e de textos teóricos que as suportam e apresentação e discussão da intervenção na prática letiva. Sessões síncronas: resolução e discussão de tarefas de formação e planificação e reflexão de uma intervenção na prática. As tarefas de formação a propor nessas sessões poderão incluir a resolução de tarefas para alunos, o seu enquadramento curricular, a análise de produções matemáticas e de episódios de sala de aula. Trabalho autónomo Trabalho autónomo: leitura das AE e de textos disponibilizados para: planificação, concretização e reflexão da intervenção na prática, preparação da apresentação, em pequenos grupos, dessa intervenção e elaboração de um trabalho final individual.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais e nas sessões síncronas, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Educação e Matemática, 158 Educação e Matemática, 162 NCTM (2017). Princípios para a ação. Lisboa: APM. Ponte, J. P., Quaresma, M., & Mata Pereira, J. (2020). Como desenvolver o raciocínio matemático na sala de aula? Educação e Matemática, 156, 7-11. Veloso, E. (2012). Simetria e transformações geométricas. Lisboa: APM


Observações

Docentes do grupo 500 indicados pelos Diretores dos AE associados do CFAE PB.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 21-09-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
2 28-09-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 16:30 2:00 Online síncrona
3 12-10-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial
4 26-10-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 16:30 2:00 Online síncrona
5 09-11-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial
6 23-11-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 16:30 2:00 Online síncrona
7 07-12-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 16:30 2:00 Online síncrona
8 04-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial
9 11-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 16:30 2:00 Online síncrona
10 25-01-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 16:30 2:00 Online síncrona
11 01-02-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 16:30 2:00 Online síncrona
12 15-02-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 16:30 2:00 Online síncrona


241

Ref. 1021 T1 22/23 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115452/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 20-09-2022

Fim: 13-12-2022

Regime: b-learning

Local: ES Tondela

Formador

Márcio Rafael Rodrigues dos Santos

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 20-09-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
2 28-09-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
3 11-10-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
4 09-11-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
5 15-11-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
6 23-11-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
7 29-11-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
8 06-12-2022 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
9 13-12-2022 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona


194

Ref. 147ACD 2T1 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD 2

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 30-11-2022

Fim: 30-11-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária de Santa Comba Dão

Formador

Ana Mafalda Melo e Silva de Almeida Ribeiro

Destinatários

Educadores de Infância e professores do ensino básico

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão/ CIMVDL/AE de Santa Comba Dão

Razões

Esta ação de formação foi criada com o objetivo de dar a conhecer o projeto e a plataforma “Descobre e Aprende em Viseu Dão Lafões”. O projeto consistiu na identificação de locais e experiências com interesse e relevância pedagógica nos 14 municípios do território de Viseu Dão Lafões, para os quais foram elaborados guiões pedagógicos que podem ser utilizados pelos docentes de todos os níveis de ensino e áreas disciplinares. Esta ação será dirigida aos educadores de infância e professores do Ensino Básico, com vista a que os docentes possam explorar e conhecer novos contextos de aprendizagem com os alunos.

Objetivos

Apresentar o projeto e plataforma “Descobre e Aprende em Viseu Dão Lafões”. Explorar novos espaços e contextos de aprendizagem. Sensibilizar para importância de os alunos conhecerem o património e cultura do território. Refletir sobre o papel das famílias na aprendizagem em novos contextos.

Conteúdos

Descobre e Aprende em Viseu Dão Lafões Novos espaços e contextos de aprendizagem Aprender em contexto e no território As famílias à descoberta de Viseu Dão Lafões

Metodologias

Métodos ativos e expositivos

Avaliação

Frequência

Modelo

Avaliação da satisfação

Bibliografia

N/A


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 30-11-2022 (Quarta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Presencial

Ref. 147ACD 2T2 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD 2

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 30-11-2022

Fim: 30-11-2022

Regime: Presencial

Local: AE Cândido de Figueiredo - Auditório ES Secundária Molelos

Formador

Mariana Nunes

Destinatários

Educadores de Infância e professores do ensino básico

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão/ CIMVDL/AE de Santa Comba Dão

Razões

Esta ação de formação foi criada com o objetivo de dar a conhecer o projeto e a plataforma “Descobre e Aprende em Viseu Dão Lafões”. O projeto consistiu na identificação de locais e experiências com interesse e relevância pedagógica nos 14 municípios do território de Viseu Dão Lafões, para os quais foram elaborados guiões pedagógicos que podem ser utilizados pelos docentes de todos os níveis de ensino e áreas disciplinares. Esta ação será dirigida aos educadores de infância e professores do Ensino Básico, com vista a que os docentes possam explorar e conhecer novos contextos de aprendizagem com os alunos.

Objetivos

Apresentar o projeto e plataforma “Descobre e Aprende em Viseu Dão Lafões”. Explorar novos espaços e contextos de aprendizagem. Sensibilizar para importância de os alunos conhecerem o património e cultura do território. Refletir sobre o papel das famílias na aprendizagem em novos contextos.

Conteúdos

Descobre e Aprende em Viseu Dão Lafões Novos espaços e contextos de aprendizagem Aprender em contexto e no território As famílias à descoberta de Viseu Dão Lafões

Metodologias

Métodos ativos e expositivos

Avaliação

Frequência

Modelo

Avaliação da satisfação

Bibliografia

N/A


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 30-11-2022 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial

Ref. 145ACD3T2Dig Em avaliação

Registo de acreditação: ACD3Dig

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 5.0 horas

Início: 16-11-2022

Fim: 21-11-2022

Regime: e-learning

Local: A distância

Formador

Dorinda Henriques Valente Rebelo

Destinatários

Professores do Ensino Básico, Ensino Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

No atual contexto educativo é solicitado aos professores que desenvolvam Domínios de Autonomia Curricular (DAC), de natureza interdisciplinar, e que promovam competências digitais nos seus alunos. Para isso, é essencial que os professores desenvolvam um conjunto de competências ao nível do trabalho colaborativo, potenciado pelo uso de ferramentas digitais, de modo a poderem implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem, promotoras da integração de saberes e diferentes áreas do conhecimento e do desenvolvimento de competências digitais nos alunos.

Objetivos

Refletir sobre dinâmicas de trabalho colaborativo, com recurso a ferramentas e a ambientes digitais, que promovam a qualidade do processo educativo; Conceber um DAC, suportado em trabalho colaborativo e interdisciplinar, que integre saberes de diferentes áreas do conhecimento e ferramentas digitais; Estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica de estratégias inovadoras de ensino, aprendizagem e avaliação.

Conteúdos

Aprendizagens Essenciais, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Domínios de Autonomia Curricular (DAC): desafios colocados à escola e aos professores. Linhas orientadoras para a planificação, implementação e avaliação das aprendizagens num DAC. Planificação de um DAC de natureza interdisciplinar que potencie o uso de ferramentas digitais.

Metodologias

Os formandos desenvolverão trabalho colaborativo e cooperativo, com o devido enquadramento teórico, em torno da construção de um DAC.

Modelo

Avaliação da ação pelos/as formandos/as e pelos/as formadores/as através de questionários de satisfação.

Bibliografia

Decreto-Lei n.º 55/18, de 6 de julho, da Presidência do Conselho de Ministros (2018). Diário da República: I série, n.º 129. Lagarto, J., & Alaíz, V. (2019). Nos trilhos da flexibilidade curricular: O que vimos, ouvimos e refletimos. Revista Portuguesa de Investigação Educacional, 19, 41-66. Cohen, A., & Fradique, J. (2018). Guia da Autonomia e Flexibilidade Curricular. Raiz Editora. Cosme, A. (2018). Autonomia e Flexibilidade Curricular: Propostas e estratégias de ação. Porto Editora. Cosme, A., Ferreira, D., Fernandes, J., & Neves, L. (2018). Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular (PAFC): Estudo avaliativo da experiência pedagógica desenvolvida em 2017/2018 ao abrigo do despacho n.º 5908/2017. Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade do Porto.


Observações

Docentes do AE de Tondela Cândido de Figueiredo

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 16-11-2022 (Quarta-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Online síncrona
2 21-11-2022 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona


270

Ref. 129ACD 1 PRA Em avaliação

Registo de acreditação: ACD1PRA 22/23T1

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 02-11-2022

Fim: 09-11-2022

Regime: Presencial

Local: ES Tondela

Formador

Helena Maria Daniel de Melo Carvalho

Destinatários

Lideranças AE/ENA

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

A avaliação, a aprendizagem e o ensino são três processos pedagógicos incontornáveis e fundamentais que devem ser devidamente compreendidos por todos os intervenientes nos sistemas educativos (e.g., docentes, gestores escolares, decisores políticos, encarregados de educação). A avaliação, em qualquer nível de ensino, só fará real sentido se estiver fortemente articulada, ou mesmo integrada, com o ensino e com a aprendizagem. No contexto de mudanças significativas ao nível da gestão do currículo, e face à necessidade de apoiar os professores e as escolas no processo de melhoria das práticas de avaliação pedagógica, foi definido o Projeto MAIA que visa contribuir para um incremento das competências e conhecimentos inerentes ao processo de avaliação das aprendizagens por parte dos professores e apoiar e acompanhar as escolas no desenvolvimento de projetos pedagógicos e didáticos em torno de práticas de avaliação formativa, feedback e participação, critérios de avaliação e processos de recolha de informação. No processo de operacionalização do Projeto MAIA, quer no âmbito dos CFAE, quer no âmbito de cada escola, as lideranças desempenham uma função indispensável e decisiva, pelo que importa enquadrar e explicitar os processos e dinâmicas de formação e de melhoria das práticas pedagógicas que são propostas aos professores e às escolas.

Objetivos

- Compreender a natureza, os processos e as finalidades do Projeto MAIA; - Clarificar a dinâmica de formação, designadamente a conceção, discussão e implementação dos Projetos de Intervenção; - Analisar o papel das lideranças no âmbito das dinâmicas de formação e de melhoria das práticas pedagógicas; - Explicitar os princípios e fundamentos da avaliação pedagógica, designadamente no âmbito na definição de uma política de avaliação e de classificação.

Conteúdos

1. Projeto MAIA (3 horas) 1.1. Natureza, os processos e as finalidades do Projeto MAIA (1 hora) 1.2. Princípios, dinâmicas e processos de formação (1 hora) 1.3. Enquadramento legal das práticas de avaliação e de classificação (1 hora) 2. Avaliação pedagógica (3 horas) 2.1. A aprendizagem, o ensino e a avaliação (1 hora) 2.2. Princípios e fundamentos da avaliação pedagógica (1 hora) 2.3. Política de avaliação e de classificação: natureza, papel e propósito dos Projetos de Intervenção (1 hora)

Metodologias

Sugere-se a adoção de uma dinâmica reflexiva e interativa, através da qual seja possível potenciar diversas perspetivas e as diferentes experiências. Sendo certo que os AE/ENA estarão em fases diferentes, importa dar tempo e voz para a partilha das diversas experiências. O recurso aos materiais deve servir para apoiar e ilustrar o percurso temático proposto, sem nenhum carácter exaustivo e/ou meramente expositivo. As folhas do Projeto MAIA dispõem de diversas atividades de formação que podem ser adotadas neste contexto e com as devidas adaptações.

Modelo

Preenchimento de um questionário pelos formandos e pela formadora. Tratamento estatístico desses dados e avaliação pela Secção de Formação e Monitorização e Conselho de Diretores do CFAE-PB.

Bibliografia

Folhas e Textos do Projeto MAIA.


Observações

Presidentes e membros do Conselho Geral, Diretores de AE/ENA, Diretores de CFAE, Subdiretores, Adjuntos da Direção, Coordenadores de Estabelecimento, Coordenadores de Departamento e outras lideranças similares.

Docentes indicados pelos Diretores dos AE associados do CFAE PB.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 02-11-2022 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial
2 09-11-2022 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial


239

Ref. 145ACD3T1Dig Em avaliação

Registo de acreditação: ACD3Dig

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 5.0 horas

Início: 12-10-2022

Fim: 12-10-2022

Regime: e-learning

Local: À Distância

Formador

Dorinda Henriques Valente Rebelo

Destinatários

Professores do Ensino Básico, Ensino Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

No atual contexto educativo é solicitado aos professores que desenvolvam Domínios de Autonomia Curricular (DAC), de natureza interdisciplinar, e que promovam competências digitais nos seus alunos. Para isso, é essencial que os professores desenvolvam um conjunto de competências ao nível do trabalho colaborativo, potenciado pelo uso de ferramentas digitais, de modo a poderem implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem, promotoras da integração de saberes e diferentes áreas do conhecimento e do desenvolvimento de competências digitais nos alunos.

Objetivos

Refletir sobre dinâmicas de trabalho colaborativo, com recurso a ferramentas e a ambientes digitais, que promovam a qualidade do processo educativo; Conceber um DAC, suportado em trabalho colaborativo e interdisciplinar, que integre saberes de diferentes áreas do conhecimento e ferramentas digitais; Estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica de estratégias inovadoras de ensino, aprendizagem e avaliação.

Conteúdos

Aprendizagens Essenciais, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Domínios de Autonomia Curricular (DAC): desafios colocados à escola e aos professores. Linhas orientadoras para a planificação, implementação e avaliação das aprendizagens num DAC. Planificação de um DAC de natureza interdisciplinar que potencie o uso de ferramentas digitais.

Metodologias

Os formandos desenvolverão trabalho colaborativo e cooperativo, com o devido enquadramento teórico, em torno da construção de um DAC.

Modelo

Avaliação da ação pelos/as formandos/as e pelos/as formadores/as através de questionários de satisfação.

Bibliografia

Decreto-Lei n.º 55/18, de 6 de julho, da Presidência do Conselho de Ministros (2018). Diário da República: I série, n.º 129. Lagarto, J., & Alaíz, V. (2019). Nos trilhos da flexibilidade curricular: O que vimos, ouvimos e refletimos. Revista Portuguesa de Investigação Educacional, 19, 41-66. Cohen, A., & Fradique, J. (2018). Guia da Autonomia e Flexibilidade Curricular. Raiz Editora. Cosme, A. (2018). Autonomia e Flexibilidade Curricular: Propostas e estratégias de ação. Porto Editora. Cosme, A., Ferreira, D., Fernandes, J., & Neves, L. (2018). Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular (PAFC): Estudo avaliativo da experiência pedagógica desenvolvida em 2017/2018 ao abrigo do despacho n.º 5908/2017. Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade do Porto.


Observações

Docentes do AE de Carregal do Sal

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 12-10-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 19:30 5:00 Online síncrona


269

Ref. 146ACD3PRA Em avaliação

Registo de acreditação: ACD3PRA

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 12-10-2022

Fim: 12-10-2022

Regime: Presencial

Local: AE de Mortágua

Formador

Isabel Cristina Neves Borges

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão e Grupo de Educação Especial do Agrupamento de Escolas de Mortágua

Razões

O Decreto – lei nº 54/2018, de 6 de julho, vem reforçar a pertinência de uma abordagem cada vez mais diferenciada, que visa responder aos desafios da diversidade. Os desafios continuam a ser significativos e exigem uma reflexão aprofundada sobre as práticas pedagógicas desenvolvidas nas nossas escolas. Qual o papel da Escola? Como promover práticas educativas que permitam que todos os alunos desenvolvam aprendizagens de qualidade/significativas, com vista ao desenvolvimento do seu potencial máximo? É na operacionalização das medidas multinível que se desenvolvem muitos destes mecanismos de diferenciação, suporte, recuperação de aprendizagens essenciais, que colaboram para assegurar práticas de equidade (Igualdade de Oportunidades), decorrentes da pertinente diferenciação de respostas aos diversos alunos.

Objetivos

- Decreto – lei nº 54/2018, de 6 de julho - Clarificar alguns referenciais/conceitos: equidade/igualdade de oportunidade; tratamento diferenciado; medidas multinível; - Operacionalizar as medidas de gestão curricular: Adaptações Curriculares Não Significativas; - Refletir sobre o impacto das práticas; - Partilhar de experiências pedagógicas; - Promover páticas colaborativas; - Exercício prático de elaboração/planificação/formulação das Adaptações Curriculares Não Significativas.

Conteúdos

_ Decreto – Lei nº 54/2018, de 6 de julho; _ Medidas Multinível: operacionalização; _ Adaptações Curriculares Não Significativas: exercício prático.

Metodologias

As atividades decorrem em sessão presencial num ambiente teórico/prático; A sessão terá um carácter predominantemente reflexivo sobre as práticas pedagógicas, cooperação e sugestão de melhorias. Num segundo momento, será proposto um trabalho prático de aplicação dos conceitos discutidos.

Modelo

Avaliação da Ação pelos formandos e pelo formador através de questionário de satisfação.

Bibliografia

Decreto-Lei n.o 54/2018 de 6 de julho da Presidência do Conselho de Ministros, Pub. L. No. Diário da República, 1.a série-N.o 129, 2918 (2018). Ministério da Educação. Pereira, F. et al. (2018). Para uma educação inclusiva: Manual de apoio à prática. Lisboa: Ministério da Educação, Direção-Geral da Educação.


Observações

Docentes de todos grupos de recrutamento do AE de Mortágua.

Docentes de todos os grupos disciplinares do AE de Mortágua.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 12-10-2022 (Quarta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Presencial


271

Ref. 1351 T7 22/23 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117088/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 08-10-2022

Fim: 03-12-2022

Regime: e-learning

Local: À Distância

Formador

João José Marques Pimentel Leal

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

Novas exigências se colocam ao exercício da profissão de professor, pelo que utilizar uma linguagem de programação será certamente uma maneira de compreender e desenvolver o pensamento computacional, embora este seja mais do que programar computadores. Esta ação tem como finalidade que os professores sejam dotados de competências de modo a que os seus alunos não só aprendam a programar mas, ao mesmo tempo, aprendam programando dado que a programação, para além de desenvolver nos alunos a sua criatividade em ciências da computação, promove uma visão mais alargada dos diferentes usos do computador e contribui para o desenvolvimento do pensamento computacional. Acrescenta-se que serão discutidas as potencialidades da integração da robótica educativa nos processos de ensino e aprendizagem, assim como os obstáculos identificados na literatura da especialidade, dando-se espaço para os participantes explorarem o simulador VR VEX e a sua integração em tarefas dedicadas a conteúdos curriculares de diferentes áreas disciplinares e disciplinas. É fundamental entender que devem ser desenvolvidos projetos em articulação com as diferentes componentes do currículo (bem como das áreas transversais), que os alunos trabalhem em grupo na construção dos seus próprios projetos, que seja incentivada a criatividade e a diversidade de projetos e que os alunos tenham oportunidade de partilhar os seus projetos, explicando o modo como os elaboraram e as ideias subjacentes à sua conceção.

Objetivos

Com esta ação pretende-se: •Entender e aplicar princípios e conceitos fundamentais das Ciências da Computação; •Descrever e representar simbolicamente sequências de ações de atividades do quotidiano; •Planificar sequências de instruções que permitam a realização de uma dada tarefa; •Planificar e criar um projeto de forma estruturada; •Potenciar a integração da robótica educativa nos processos de ensino e aprendizagem; •Otimizar a programação da solução encontrada; •Desenvolver competências nas diferentes áreas das componentes do currículo, bem como nas áreas transversais; •Explorar as potencialidades da utilização do simulador VR VEX no processo de ensino e aprendizagem com atividades interdisciplinares e preparar a participação nas provas online; •Apresentar um projeto desenvolvido pelo seu grupo e partilhá-lo com outros; •Analisar e dar feedback sobre os projetos desenvolvidos pelos pares.

Conteúdos

Os conteúdos da ação são: • Potencialidades da integração da Robótica Educativa nos processos de ensino e aprendizagem, • Discussão pedagógica em torno das aprendizagens essenciais e do PASEO, nas quais se introduzem as linguagens de programação visual e a robótica; • Ambiente de trabalho do VR VEX: • Conceitos introdutórios de eletrónica: sensores e atuadores; • Conceitos básicos de programação com estruturas de controlo: decisões e ciclos; • Programação de sensores e atuadores; • Utilização de variáveis; • Apresentação de desafios para alunos; • Criação de atividades interdisciplinares; • Apresentação das atividades interdisciplinares elaboradas.

Metodologias

a) Das sessões Síncronas: Nas sessões síncronas serão sempre desenhados três níveis de intervenção: 1- Explicação interativa dos conceitos a serem trabalhados; 2- Desenho de planos de intervenção utilizando os conceitos aprendidos; 3- Construção e planificação dos materiais para aplicar em contexto. b) Do trabalho autónomo (incluir as tarefas a desenvolver pelos formandos junto dos seus alunos)(Caso seja na modalidade de oficina)

Avaliação

Os formandos são avaliados de acordo com as regras previstas no regulamento interno do centro de formação, bem como a legislação vigente. A avaliação da atividade desenvolvida neste Curso de Formação é realizada de modo continuado pelo formador em conjunto com os formandos intervenientes e tem como referência os objetivos e finalidades do curso. São tomados em consideração os seguintes aspetos: qualidade da participação nas sessões de trabalho; qualidade de realização das atividades propostas nas sessões de trabalho; qualidade das interações com os restantes elementos do grupo em formação. Cada participante construirá também um relatório, que incluirá materiais elaborados no âmbito do curso. Terá de selecionar pelo menos um dos materiais que elaborou e desenvolver uma reflexão mais detalhada, referindo os seguintes aspetos: em que contexto seria utilizado; vantagens da sua utilização; e que metodologia considera mais adequada para utilizar este recurso no contexto que referiu.

Bibliografia

AUSTRALIAN GOVERNMENT (2020). Department of Education. Support for science, technology, engineering and mathematics (STEM). Disponível em: https://www.education.gov.au/support- science-technology-engineering-and-mathematics. HOUSE OF COMMONS COMMITTEE OF PUBLIC ACCOUNTS (2018). Delivering STEM skills for the economy. [London]: House of Commons Committee of Public Accounts. Disponível em: https://publications.parliament.uk/pa/cm201719/cmselect/cmpubacc/691/691.pdf. LORENZIN, M.; ASSUMPÇÃO, C. M.; BIZERRA, A. (2018). Desenvolvimento do currículo STEAM no ensino médio: a formação de professores em movimento. In: BACICH, L.; MORAN, J. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso. Martins et al. (2018). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Ministério da Educação. SOUSA, D. A.; PILECKI, T. (2013). From STEM to STEAM: using brain-compatible strategies to integrate the arts. California: Corwin.


Observações

Preferencialmente docentes do AE SC Dão

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 08-10-2022 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Online síncrona
2 12-10-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Online síncrona
3 22-10-2022 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Online síncrona
4 26-10-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Online síncrona
5 05-11-2022 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Online síncrona
6 09-11-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Online síncrona
7 19-11-2022 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Online síncrona
8 23-11-2022 (Quarta-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Online síncrona
9 03-12-2022 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Online síncrona


251

Ref. 140ACD1Dig Em avaliação

Registo de acreditação: ACD1Dig

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 30-09-2022

Fim: 14-10-2022

Regime: Presencial

Local: AE Mortágua

Formador

João Miguel Pinto de Sá

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão/AE de Mortágua

Razões

O Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória estabelece um “quadro de referência que pressuponha a liberdade, a responsabilidade, a valorização do trabalho, a consciência de si próprio, a inserção familiar e comunitária e a participação na sociedade que nos rodeia”. Suportado por esta matriz comum, a sua articulação com as Aprendizagens Essenciais, com a Educação Inclusiva, com a Autonomia e Flexibilidade Curricular e, também, com o processo de transição digital ao qual se associa a vertente de formação e a capacitação digital de docentes, vêm colocar desafios à Escola e a todos os que com esta se relacionam, em particular aos docentes e à sua ação pedagógica. A adoção de metodologias ativas que envolvam as tecnologias digitais, ao serviço de mais e melhores aprendizagens, são práticas que requerem, em primeiro lugar, disponibilidade e domínio de equipamentos e recursos. Requerem, ao mesmo tempo, reflexão sobre as possibilidades, sobre as vantagens e eventuais desvantagens da sua utilização em contextos de ensino e aprendizagem, com objetivos de natureza pedagógica promotores de aprendizagens significativas para os alunos. Considerando a disponibilidade dos Ambientes Educativos Inovadores, vulgo Sala do Futuro, enquanto espaços de trabalho, pensados e desenhados para o desenvolvimento de situações de aprendizagem ativa, compatíveis com as exigências inerentes à evolução social e tecnológica, pretende-se com esta ação contribuir para melhorar as competências dos docentes a este respeito.

Objetivos

Familiarizar com o conceito de "Ambiente Educativo Inovador/Sala do Futuro"; Capacitar para a utilização de metodologias inovadoras com recurso a ferramentas digitais; Refletir criticamente sobre as práticas pedagógicas e a sua relação com diferentes recursos digitais; Desenvolver e melhorar competências tecnológicas e digitais dos/as professores/as com vista a implementar novas formas de trabalho com os/as alunos/as.

Conteúdos

Conceito de “Ambiente Educativo Inovador/Sala do Futuro”; Competências para o século XXI; Recursos e equipamentos disponíveis no Ambiente Educativo Inovador/Sala do Futuro; Software e outros recursos educativos digitais; Prática e experimentação de equipamentos.

Metodologias

Após uma breve apresentação dos intervenientes, decorrerá um momento expositivo para explicitação de conceitos fundamentais, seguido de discussão e reflexão conjunta sobre possibilidades, vantagens e limitações da utilização pedagógica dos recursos e equipamentos disponíveis no Ambiente Educativo Inovador/Sala do Futuro. Passar-se-à à demonstração e experimentação de diferentes recursos e equipamentos, incluindo software, com vista à sua aplicação em contextos de ensino e aprendizagem.

Avaliação

Frequência

Modelo

Os formandos desenvolverão trabalho colaborativo e cooperativo, com o devido enquadramento teórico, em torno da construção de um DAC.

Bibliografia

Comissão Europeia (2007). Competências essenciais para a aprendizagem ao longo da vida - quadro de referência europeu. Disponível em: https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/competenciasessenciaisalv2006.pdf Cosme, Ariana (2018). Autonomia e Flexibilidade Curricular - Propostas e Estratégias de Ação - Ensino Básico e Ensino Secundário. Porto Editora Direção Geral da Educação. Ambientes Educativos Inovadores. Disponível em: http://erte.dge.mec.pt/ambientes-educativos-inovadores-innovative-learning-enviroment ITEC - European Schoolnet (2014). Designing the future classroom” Issue 2 - August 2014. Disponível em: https://publi.cz/books/220/files/FCL_magazine_No_2_2014_EN.pdf Ministério da Educação - Direção Geral da educação (2015). Laboratórios de aprendizagem: cenários e histórias de aprendizagem. Disponível em: http://erte.dge.mec.pt/sites/default/files/Projetos/Laboratorios_aprendizagem/magazine_la_final.pdf Ministério da Educação - Direção Geral da educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Disponível em: https://dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Projeto_Autonomia_e_Flexibilidade/perfil_dos_alunos.pdf


Observações

Docentes do AE Mortágua indicados pela Direção.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 30-09-2022 (Sexta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial
2 14-10-2022 (Sexta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial


259

Ref. 1032 T1 22/23 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115451/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 28-09-2022

Fim: 30-11-2022

Regime: b-learning

Local: ES Santa Comba Dão

Formador

Ana Isabel Lopes dos Santos Craveiro

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 28-09-2022 (Quarta-feira) 14:00 - 17:30 3:30 Online síncrona
2 29-09-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
3 12-10-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
4 13-10-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
5 20-10-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
6 26-10-2022 (Quarta-feira) 14:00 - 17:30 3:30 Presencial
7 09-11-2022 (Quarta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
8 10-11-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
9 30-11-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Online síncrona


211

Ref. 139ACD2T1Dig Em avaliação

Registo de acreditação: ACD2Dig

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 28-09-2022

Fim: 28-09-2022

Regime: Presencial

Local: ES SC Dão

Formador

Dorinda Henriques Valente Rebelo

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

No atual contexto educativo é solicitado aos professores que desenvolvam Domínios de Autonomia Curricular (DAC), de natureza interdisciplinar, e que promovam competências digitais nos seus alunos. Para isso, é essencial que os professores desenvolvam um conjunto de competências ao nível do trabalho colaborativo, potenciado pelo uso de ferramentas digitais, de modo a poderem implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem, promotoras da integração de saberes e diferentes áreas do conhecimento e do desenvolvimento de competências digitais nos alunos.

Objetivos

Refletir sobre dinâmicas de trabalho colaborativo, com recurso a ferramentas e a ambientes digitais, que promovam a qualidade do processo educativo; Conceber um DAC, suportado em trabalho colaborativo e interdisciplinar, que integre saberes de diferentes áreas do conhecimento e ferramentas digitais; Estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica de estratégias inovadoras de ensino, aprendizagem e avaliação.

Conteúdos

Aprendizagens Essenciais, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Domínios de Autonomia Curricular (DAC): desafios colocados à escola e aos professores. Linhas orientadoras para a planificação, implementação e avaliação das aprendizagens num DAC. Planificação de um DAC de natureza interdisciplinar que potencie o uso de ferramentas digitais.

Metodologias

Os formandos desenvolverão trabalho colaborativo e cooperativo, com o devido enquadramento teórico, em torno da construção de um DAC.

Avaliação

Avaliação da ação pelos/as formandos/as e pelos/as formadores/as através de questionários de satisfação.

Bibliografia

Decreto-Lei n.º 55/18, de 6 de julho, da Presidência do Conselho de Ministros (2018). Diário da República: I série, n.º 129. Lagarto, J., & Alaíz, V. (2019). Nos trilhos da flexibilidade curricular: O que vimos, ouvimos e refletimos. Revista Portuguesa de Investigação Educacional, 19, 41-66. Cohen, A., & Fradique, J. (2018). Guia da Autonomia e Flexibilidade Curricular. Raiz Editora. Cosme, A. (2018). Autonomia e Flexibilidade Curricular: Propostas e estratégias de ação. Porto Editora. Cosme, A., Ferreira, D., Fernandes, J., & Neves, L. (2018). Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular (PAFC): Estudo avaliativo da experiência pedagógica desenvolvida em 2017/2018 ao abrigo do despacho n.º 5908/2017. Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade do Porto.


Observações

Docentes do AE de S C Dão.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 28-09-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 18:30 4:00 Presencial


257

Ref. 1234 T1 22/23 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-111036/21

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 22-09-2022

Fim: 06-12-2022

Regime: Presencial

Local: ES Tondela

Formador

Patrícia Alexandra Rodrigues Marques

Destinatários

Educadores de Infância;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

Considera-se fundamental no PTD a integração e capacitação digital dos educadores de infância nas suas práticas pedagógicas. Esta capacitação representa uma forte aposta no processo de valorização e no desenvolvimento profissional dos docentes no domínio da literacia digital e das competências digitais, no sentido de os dotar das competências necessárias à integração transversal, de modo a que estas se afirmem como facilitadoras das práticas profissionais e pedagógicas e, simultaneamente, promotoras de inovação no processo de ensino e de aprendizagem. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores é o referencial que dá suporte a este plano, contribuindo para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional.

Objetivos

Pretende-se apoiar os educadores na promoção de estratégias e de ações integradoras do digital que permitam melhorar a qualidade do trabalho realizado. São objetivos específicos da oficina: Conceber, selecionar e partilhar recursos digitais no âmbito da educação de infância; Integrar o digital nas propostas educativas, numa perspetiva da articulação plena das aprendizagens; Planificar, avaliar e comunicar com recurso ao digital. Capacitar os docentes da EPE para a promoção da utilização crítica e responsável de diferentes suportes digitais nas atividades do quotidiano das crianças.

Conteúdos

1. Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 2. Exploração de estratégias de promoção do uso pedagógico de tecnologias digitais. 3. Exploração, seleção e adequação de Recursos Educativos Digitais (RED) ao contexto de aprendizagem. 4. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Exploração de recursos digitais de apoio ao planeamento e à avaliação das aprendizagens. 6. Planificação de atividades, projetos e outras metodologias com recurso às tecnologias digitais. 7. Utilização de estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da cidadania digital das crianças. 8. Apresentação e partilha das atividades desenvolvidas pelos formandos na oficina. 9. Reflexão e debate sobre as atividades apresentadas e análise dos resultados obtidos pela sua implementação. 10. Avaliação e conclusões.

Metodologias

Presencial As sessões presenciais são destinadas: à exploração, reflexão e articulação das OCEPE com a integração dos ambientes digitais nas aprendizagens das crianças; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na educação pré-escolar, que promovam o desenvolvimento das CD dos docentes; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados das atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha. Trabalho autónomo Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem, tendo por base as OCEPE, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://ec.europa.eu/education/sites/education/files/document-library-docs/deap-swd-sept2020_en.pdf Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Kampylis, P., Punie, Y. & Devine, J. (2015); Promoting Effective Digital-Age Learning - A European Framework for Digitally- Competent Educational Organisations. Disponível: http://publications.jrc.ec.europa.eu/repository/bitstream/JRC98209/jrc98209_r_digcomporg_final.pdf Lopes da Silva, I., Marques, L., Mata, L. e Rosa, M. (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: ME/DGE. Disponível em: http://www.dge.mec.pt/ocepe/sites/default/files/Orientacoes_Curriculares.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 22-09-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
2 29-09-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
3 06-10-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
4 13-10-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
5 27-10-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
6 10-11-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial
7 24-11-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
8 06-12-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial


234

Ref. 1032 T7 22/23 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115451/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 21-09-2022

Fim: 07-12-2022

Regime: b-learning

Local: ES Tondela

Formador

Paulo Manuel de Matos Pereira

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 21-09-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Online síncrona
2 29-09-2022 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Presencial
3 12-10-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Online síncrona
4 19-10-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial
5 29-10-2022 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
6 16-11-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial
7 26-11-2022 (Sábado) 09:30 - 13:00 3:30 Online síncrona
8 07-12-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Online síncrona


217

Ref. 1386 22/23 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116739/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 21-09-2022

Fim: 30-11-2022

Regime: e-learning

Local: À Distância

Formador

Marco Alexandre Carvalho Bento

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

Na definição e redefinição de estratégias em qualquer organização educativa, tal como a níveis mais concretos e próximos, até ao nível da sala de aula, o papel dos modelos de aprendizagem de diferentes formas, assume um cariz determinante, quer na definição de orientações, quer na alocação de recursos, quer na linha condutora de aulas, quer ainda na definição de percursos educativos para os alunos e planeamento constante por parte dos docentes. O curso servirá para os professores beneficiarem de uma introdução às pedagogias ativas num contexto de ensino híbrido, considerando o papel do professor num contexto presencial ou a distância, com a adaptação às tecnologias e aos espaços virtuais de apoio à concretização de aprendizagens, nomeadamente o modelo de gamificação e de aprendizagem invertida.

Objetivos

Reconhecer a importância das metodologias ativas de aprendizagem. Conhecer modelos de e-learning. Conhecer plataformas de trabalho colaborativo. Conhecer modelo de aprendizagem invertida. Reconhecer potencialidades de trabalho com a aprendizagem invertida num modelo híbrido. Conhecer aplicações digitais potenciadoras de uma aprendizagem invertida. Conhecer desenhos de planos de intervenção através da aprendizagem invertida. . Conhecer o modelo pedagógico da gamificação. Reconhecer potencialidades de trabalho com a aprendizagem invertida num modelo híbrido. Conhecer aplicações digitais que potenciam a regulação e criação de modelos de gamificação. Reconhecer a vantagem da utilização da Audioconferência, videoconferência e webinars como plataformas de aprendizagem para um modelo híbrido. Desenhar modelos de aferição de aprendizagem de processos utilizando o digital.

Conteúdos

1. As metodologias ativas de aprendizagem Definição e contexto Os modelos de e-learning A tecnologia que permite o desenho de atividades mobile Aplicações a utilizar em contexto educativo Introdução à plataforma colaborativa de aprendizagem EDMODO Síntese do debate a elaborar pelos formandos e a partilhar com todos os grupos 2. O modelo de aprendizagem invertida Vantagens da aprendizagem invertida Potencialidades de trabalho com a aprendizagem invertida num modelo híbrido Aplicações digitais potenciadoras de uma aprendizagem invertida Desenho de planos de intervenção através da aprendizagem invertida 3. O modelo pedagógico da gamificação Conceito de gamificação Potencialidades e características da gamificação em contexto educativo Desenho de modelos gamificados online e offline Aplicações digitais que potenciam a regulação e criação de modelos de gamificação 4. Audioconferência, videoconferência e webinars. Instalação, configuração e utilização de plataformas de aprendizagem para um modelo híbrido 5. Exploração de aplicações no sentido de planeamento de atividades em sala de aula Apresentação e experimentação de aplicações digitais interativas de tipologia quizzes, mapas mentais, animação, realidade aumentada e comunicação Desenho de modelos de aferição de aprendizagem de processos utilizando o digtial 8. Planificação de uma atividade letiva a efetivar como trabalho autónomo 9. Acompanhamento do desenvolvimento do trabalho autónomo dos formandos 10. Apresentação dos trabalhos Apresentação dos projetos desenvolvidos no trabalho autónomo através de narrativas digitais

Metodologias

a) Das sessões presenciais/síncronas: Nos momentos presenciais serão sempre desenhados três níveis de intervenção: 1- Explicação interativa dos conceitos a serem trabalhados 2- Desenho de planos de intervenção utilizando os conceitos aprendidos 3- Construção dos materiais necessários à implementação do plano de intervenção b) Nas sessões assíncronas Interação com os conteúdos a abordar nas sessões síncronas e desenho de tarefas para reflexão nas sessões síncronas. No modelo assíncrono estarão disponíveis recursos de avaliação de aprendizagem online.

Avaliação

Os formandos são avaliados de acordo com as regras previstas no regulamento interno do centro de formação bem como a legislação vigente aplicável Os formandos serão informados que para a sua avaliação serão tidos em conta os seguintes parâmetros/critérios - Participação nas sessões síncronas em que será tido em conta a realização das tarefas nas sessões assíncronas - Relatório de reflexão individual - eportefólio onde deverá constar memória descritiva do trabalho do formando nas sessões síncronas e assíncronas

Bibliografia

Lencastre, J. A., Bento, M., & Magalhães, C. (2016). MOBILE LEARNING: potencial de inovação pedagógica. In Tânia Maria Hetkowski & Maria Altina Ramos (orgs.), Tecnologias e processos inovadores na educação (pp. 159-176). Curitiba: Editora CRV. Disponível em: https://www.editoracrv.com.br/produtos/detalhes/31939-tecnologias-e-processos-inovadores-na-educacao item: http://hdl.handle.net/1822/43462 Mascheroni, G.; Ólafsson, K. (2014). Net children go mobile. Risks and opportunities. Second edition. Milano: Educatt Sharples, M. et al. (2014). Innovating Pedagogy 2014: Open University innovating report 3. Milton Keynes: The Open University. Simões, J. A. et al. (2014). Crianças e meios digitais móveis em Portugal: Resultados nacionais do projeto Net Children Go Mobile. Lisboa: CESNOVA.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 21-09-2022 (Quarta-feira) 15:00 - 18:30 3:30 Online síncrona
2 12-10-2022 (Quarta-feira) 15:00 - 18:30 3:30 Online síncrona
3 09-11-2022 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Online síncrona
4 30-11-2022 (Quarta-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Online síncrona


256

Ref. 1043 T2 22/23 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115453/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 20-09-2022

Fim: 30-11-2022

Regime: b-learning

Local: ES Tondela

Formador

José Carlos Cravo Martins

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do referencial DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas inovadoras num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Ao longo das sessões conjuntas estimular-se-á a criação e/ou participação e colaboração em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação dos Planos de Ação de Desenvolvimento Digital, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN EU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 20-09-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 28-09-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
3 06-10-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
4 12-10-2022 (Quarta-feira) 15:00 - 17:00 2:00 Presencial
5 18-10-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
6 27-10-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 09-11-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Presencial
8 17-11-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
9 22-11-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
10 30-11-2022 (Quarta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial


221

Ref. 11110 T1 22/23 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-111497/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 08-09-2022

Fim: 06-10-2022

Regime: e-learning

Local: À Distância

Formador

Adelina Maria Carreiro Moura

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão/Parceria PNL

Razões

A OCDE incentiva a repensar a educação numa perspetiva de mudança e a necessidade de continuar a garantir uma educação de qualidade. Para enfrentar os desafios contemporâneos é preciso uma abordagem holística que responda às necessidades de aprendizagem, problemas sociais e emocionais dos alunos e seja uma oportunidade para experimentar e imaginar novos modelos de educação e novas maneiras de conduzir o processo educativo presencial e on-line. Sabemos como a formação contínua de professores é um elemento chave para o êxito do sistema educativo. Vivemos numa sociedade altamente informatizada, por isso há necessidade de investimento na formação docente direcionada para as literacias digitais e integração pedagógica da tecnologia. Com esta formação pretendemos oferecer oportunidades para fomentar nos participantes o desenvolvimento profissional e aproximá-los de metodologias emergentes para trabalho interdisciplinar e inovação pedagógica. Serão apresentados projetos de aprendizagem para ambientes colaborativos e aplicáveis a diferentes modalidades, facilitadores da transformação digital da educação. O PNL2027 apoia e fomenta esta formação, que se alinha com as suas prioridades de capacitação para a leitura, a escrita e as literacias digitais, enquanto base transversal de competências comum a todas as áreas do conhecimento.

Objetivos

• Melhorar a formação dos participantes através da conceção de projetos de aprendizagem para trabalho interdisciplinar ou por áreas; • Fomentar as competências digitais e metodológicas dos participantes; • Promover dinâmicas de reflexão através de análises críticas de práticas educacionais e desenho de ações educativas inovadoras; • Favorecer a utilização crítica das TIC como ferramentas transversais ao currículo; • Interagir com outros docentes através da construção de uma comunidade de prática em torno das literacias digitais; • Fomentar a leitura do currículo partindo da lógica da ação e não apenas do conteúdo; • Divulgar o trabalho dos participantes e das suas instituições no Website e nas redes sociais do PNL2027.

Conteúdos

Módulo 1: Mobile Learning: desafios e oportunidades (5h síncronas + 1h assíncrona para reflexão e interação em Fórum) Metodologia - Utilização do método expositivo na apresentação da estrutura dos conteúdos Sessão 1 - 3 horas (2 teóricas + 1 prática) Apresentação da ação de formação O Mobile Learning e a educação na era digital Criação de apresentações interativas mediadas por dispositivos móveis Sessão 2 - 3 horas (3 práticas) Ferramentas e recursos digitais para aprendizagem e conhecimento Conceção de recursos interativos de aprendizagem e avaliação de conhecimentos Módulo 2: Aprendizagem Baseada em Projetos e/ou Problemas: benefícios e recursos (4h síncronas + 2 assíncronas para conceber e estruturar uma Webquest) Metodologia: Discussão e debate sobre as principais diferenças e desafios das abordagens metodológicas emergentes Sessão 3 - 3 horas (3 práticas) Modalidades de ensino e aprendizagem para a era digital Aprendizagem baseada em projetos e/ou problemas: o que os distingue? Projetos curriculares para aprendizagem interdisciplinar presencial e on-line Do paradigma do conteúdo ao paradigma da ação através de Aventuras na Web ( Webquest) Sessão 4 - 3 horas (3 práticas) Canvas para desenho de projeto de aprendizagem Ciclo e avaliação da Aprendizagem Baseada em Projetos Ferramentas digitais colaborativas Edição e criação multimédia para projetos de trabalho cooperativo Módulo 3: Aprendizagem Baseada em Jogos e Gamificação (4h síncronas + 2h assíncronas para experimentar e melhorar uma atividade gamificada) Metodologia: Intervenção permanente dos participantes, com questões pertinentes relativas às matérias teóricas ou práticas Sessão 5 - 3 horas (3 práticas) Gestão da aula e situações de aprendizagem memoráveis Aprendizagem baseada em jogos e gamificação para desafiar os alunos Mecânicas e técnicas de jogo aplicadas à educação Sessão 6 - 3 horas (3 práticas) Como desenvolver um ambiente de aprendizagem gamificado Exploração de ferramentas digitais para gamificação Criação de uma atividade curricular gamificada Módulo 4: Aprendizagem Invertida para aumentar o envolvimento dos alunos (4h síncronas + 3h assíncronas para realizar atividades práticas (vídeo e áudio) e redigir relatório crítico) Metodologia: Utilização do método interrogativo na avaliação de questões/problemas e troca de experiências e construção de saberes teórico-práticos em grupo Sessão 7 - 3h30 horas ( 3h30 práticas) Aprendizagem Invertida: um modelo para a personalização e autonomia Abordagem teórico-prática de caráter reflexivo: os pilares da Aprendizagem Invertida Estratégias e recursos para implementar a Aprendizagem Invertida Publicação dos conteúdos criados e comentários e avaliação das mesmas pelos formandos Sessão 8 - 3h30 horas ( 3h30 práticas) - Apresentação/discussão e avaliação do Diário de Aprendizagem, com os trabalhos produzidos pelos formandos e partilha de saberes - Avaliação dos formandos e da formação e sugestões de melhoria

Metodologias

A ação tem 25 horas (17h síncronas e 8h assíncronas). Sessões síncronas: Apresentação dos ambientes de apoio; Exploração dos conteúdos da ação; Análise/discussão/reflexão dos recursos criados e das estratégias e metodologias implementadas e avaliação dos resultados. Sessões assíncronas: M1. Realizar as leituras sugeridas, refletir sobre elas e partilhá-las nos fóruns criados; (1h) M2. Planificar atividade e construir conteúdos pedagógico-didáticos em formatos variados; (2h) M3. Experimentar as atividades planificadas e construídas; (2h) M4. Avaliar e reformular as atividades criadas e refletir sobre possível melhoria; (3h) A participação nas sessões síncronas será por videoconferência na plataforma Google Meet, o trabalho assíncrono de debate e criação de recursos é nas plataformas (Edmodo e Moodle) e com apoio à distância. As reflexões serão feitas em grande grupo. A avaliação incide sobre a participação nas sessões, nos fóruns e trabalho final.

Avaliação

A avaliação traduz-se numa classificação final quantitativa, na escala de 1 a 10, expressa através do referencial de menções qualitativas previstas na legislação em vigor. A aprovação no curso dependerá da obtenção de classificação igual ou superior a 5 valores e da frequência mínima de 2/3 do total de horas síncronas e assíncronas da ação. Cada formando terá de elaborar um Diário de Aprendizagem com todos os recursos produzidos e um documento escrito individual sobre a ação, com opinião crítica sobre o valor da formação e a aplicação das aprendizagens em sala de aula. A avaliação final será contínua baseada nos seguintes itens gerais: - Participação nas sessões síncronas (atitudes, qualidade das intervenções e contributos) e sessões assíncronas reflexões nos fóruns e conceção de recursos (30%); - Diário de Aprendizagem e recursos pedagógicos produzidos e aplicação dos conteúdos (50%); - Relatório de reflexão crítica sobre a própria dinâmica de participação na formação (20%).

Bibliografia

Many, E., Guimarães, S. (2006). A Metodologia de Trabalho de Projecto. Areal Editores. Mattar, J. (2017). Metodologias ativas: para uma educação presencial, blended e a distância. São Paulo: Artesanato Educacional. Moura A. (2019). Estratégias de gamificação para envolver os alunos na aprendizagem de obras literárias. In Dias, Paulo; Moreira, Darlinda; Quintas-Mendes, António (Coord.), Inovar para a qualidade na educação digital. Lisboa: Universidade Aberta, pp. 63-76. Shengquan, Y., Mohamed, A., Avgoustos, T. (2017). Mobile and Ubiquitous Learning: An International Handbook. Singapore: Springer. Tourón, J., Santiago, R. (2015). El modelo Flipped Learning y el desarrollo del talento en la escuela. Revista de Educación, 368, pp. 196-231.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 08-09-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 15-09-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Online síncrona
3 22-09-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Online síncrona
4 26-09-2022 (Segunda-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Online síncrona
5 06-10-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Online síncrona

Ref. 142ACD2 Concluída

Registo de acreditação: ACD2

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 12-09-2022

Fim: 12-09-2022

Regime: Presencial

Local: ES Tondela

Formador

Paula Gracinda Arnaud Monteiro Dias

Destinatários

Docentes que exercem funções de avaliadores internos no AET Tomaz Ribeiro; Elementos da SADD; Diretor/Direção.

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão /AET Tomaz Ribeiro

Razões

No presente ano letivo foram elaborados novos documentos internos referentes ao processo de avaliação de desempenho docente. Nesse sentido considerou-se que seria importante contribuir para o alinhamento e objetivação do desempenho dos avaliadores internos nomeadamente através da apropriação desses documentos numa lógica de utilização e de recolha de informação. Esta necessidade foi também sentida pelos elementos do conselho pedagógico e consubstanciada nesta ação de formação. Pretende-se que os avaliadores internos se sintam capacitados e confiantes para desenvolver a atividade de ADD, partindo de um referencial e base de trabalho comuns.

Objetivos

• Dar a conhecer o enquadramento legal que suporta a Avaliação de Desempenho Docente; • Enquadrar a dimensão da Avaliação Interna no processo de Avaliação de Desempenho Docente; • Refletir sobre a importância/ação do Avaliador Interno; • Apropriação/utilização dos documentos internos em uso no AE no âmbito da ADD; • Refletir sobre o processo avaliativo, com enfoque na dimensão interna da ADD; • Analisar/inferir sobre as dimensões e parâmetros avaliativos e indicadores de desempenho em uso no AE; • Debater, em grande grupo, aspetos referentes à operacionalização do processo de ADD, dimensão interna.

Conteúdos

• A Avaliação Interna no processo de Avaliação de Desempenho do Docente; • Processo de recolha de informação referente à ADD, dimensão interna: Como fazer? Porque fazer?; • Documentos internos em uso no AE; • Dimensões e parâmetros avaliativos e indicadores de desempenho internos; • Transferência de informação/evidências processuais para os documentos em uso interno; • Análise de simulações/cenários percetíveis da sua utilização/preenchimento; • Da recolha de informação à classificação: processo de implementação acompanhamento e monitorização.

Metodologias

Apresentação/Reflexão/Partilha/Debate em torno dos conteúdos a abordar/explorar.

Avaliação

Frequência

Modelo

Preenchimento de questionário de grau de satisfação.

Bibliografia

Decreto Regulamentar no26/2012 de 21 fevereiro (Regime Jurídico ADD) Alarcão, I., Tavares, J. (2003). Supervisão da Prática Pedagógica –Uma Perspectiva de Desenvolvimento e Aprendizagem. Coimbra: Livraria Almedina. De Ketele, J-M. (2010). A avaliação do desenvolvimento profissional dos professores: postura de controlo ou postura de reconhecimento?. In M. P. Alves & E. A. Machado, O Pólo de Excelência (pp). Porto: Areal Editores. Graça, A., Duarte, A.P., Lagartixa, C., Tching, D., Tomás, I., Almeida, J., Diogo, J., Neves, P., Santos, R. (2011). Avaliação do desempenho docente: Um guia para a acção. Lisboa: Lisboa Editora. Hadji, C. (1994). Avaliação, Regras do Jogo. Porto: Porto Editora. Mialaret, G. (1991). A formação de professores. Coimbra. Livraria Almedina.


Observações

Docentes indicados pelo Diretor do AE Tomaz Ribeiro.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 12-09-2022 (Segunda-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial

Ref. 105Palestrantes Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-110290/20

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 30-04-2022

Fim: 07-05-2022

Regime: e-learning

Local: A distância

Formador

Carlos Dinis Pinheiro

José Carlos Duarte Marques

Sara Dias-Trindade

José António Marques Moreira

Ana Paula Sousa Pinto Almeida e Silva

Adelina Maria Carreiro Moura

Destinatários

Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 17 de fevereiro/21, a ação de formação releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Entidade Formadora - Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão

Razões

O Estado Português estabeleceu como uma prioridade o desenvolvimento de um Plano de Ação para a Transição Digital, aprovado pela Resolução do Conselho de Ministros nº 30/20, de 21/04. Este plano tem como objetivo estratégico colocar Portugal entre os países europeus mais proeminentes na modernização e na capacitação tecnológica, assumindo-se como o motor de transformação do país e tendo como principais áreas de foco a capacitação digital das pessoas, a transformação digital das empresas e escolas e a digitalização do Estado. A capacitação e a inclusão digital das pessoas surgem como imperativos de resposta ao impacto que a digitalização pode ter na vida de cada indivíduo, implicando uma abordagem integrada que assegure medidas diferenciadas em função do ciclo de vida dos cidadãos. Na educação, assenta em pilares diversos, onde se pretende a integração transversal das tecnologias nas diferentes áreas curriculares dos ensinos básico e secundário, visando a melhoria contínua da qualidade das aprendizagens e a inovação e o desenvolvimento do sistema educativo. É neste contexto desafiador que se insere a temática deste nosso colóquio, fundamentalmente pela urgência da reflexão acerca destas matérias, da prática concertada de medidas na escola, na formação e capacitação de docentes e na passagem deste testemunho às gerações futuras. Tendo como base a temática a Educação e a Escola Digital, cruzando as necessidades dos 5 AE associados com esta linha de política educativa, pretendemos que o colóquio seja perspetivado como um espaço privilegiado de debate, suscitando e apoiando a reflexão dos participantes sobre os fundamentos e operacionalização de ações concretas, para conseguirem prosseguir na promoção de uma educação inovadora e inclusiva.

Objetivos

Compreender a abrangência e o impacto do Plano de Transição Digital para as escolas e os seus diferentes atores; • Contribuir para o debate em torno do papel das organizações educativas e dos seus professores, no âmbito do digital, em articulação próxima com o currículo; • Conhecer práticas pedagógicas inovadoras, diferenciadas e centradas no aluno e capacitadoras da utilização do digital; • Utilizar e potencializar novas formas de ensinar e aprender, utilizando estratégias e metodologias pedagógicas inovadoras, conetadas com o digital; • Inferir sobre a construção e implementação de equipas tecnológicas educativas de professores, numa lógica de trabalho colaborativo e interdisciplinar; • Capacitar os docentes de estratégias/dinâmicas de construção e de implementação do digital na sala de aula, na construção de RED e utilização de novas metodologias; • Incrementar a utilização de novos e diferentes processos digitais de avaliação das aprendizagens, assentes numa metodologia conetada com práticas digitais docentes; • Compreender a educação digital e os benefícios da integração das novas formas de ensinar e aprender no currículo.

Conteúdos

Neste Colóquio serão abordados os seguintes conteúdos: • Plano de Ação para a Transição Digital: principais desafios. • Programa de Digitalização para as Escolas: estratégias de ação. • Novo Referencial para o Plano de Capacitação Digital dos Docentes. • infoinclusão, exfoinclusão e literacia digital. • O digital como promotor de uma educação inclusiva, assente na equidade. • Gestão curricular e novas formas de atuação na escola: o papel e a ação das equipas tecnológicas educativas de professores, numa lógica de trabalho colaborativo e interdisciplinar. • Aplicações digitais que favorecem a utilização de modelos cooperativos. • O contributo dos ambientes digitais inovadores para a articulação entre o Perfil do Aluno à Saída da Escolaridade Obrigatória e o desenvolvimento das Aprendizagens Essenciais. • Aplicações digitais a utilizar em contexto educativo. • Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) nos currículos, ao longo da escolaridade obrigatória. • O contributo das TIC para a diferenciação pedagógica. • Pedagogias inovadoras: utilização de dispositivos móveis em contexto educativo promovendo a aprendizagem ativa e interativa da comunidade educativa. • Ambientes digitais inovadores: abordagens pedagógicas com recurso às TIC. • Apresentação e experimentação de aplicações digitais interativas (e.g., quizzes, mapas mentais, animação). • Recursos educativos digitais de qualidade ao serviço da educação, da aprendizagem e da avaliação. • Soluções tecnológicas potenciadoras do feedback aos alunos saberem o que têm de aprender, onde se encontram em relação à aprendizagem e o que têm de fazer para aprender. • Potencialidades da programação e da robótica. • Aplicações digitais potenciadoras de uma aprendizagem invertida. • Potencialidades de trabalho com a aprendizagem invertida em modelos E@D. • Potencialidades e características da gamificação em contexto educativo. • Inteligência artificial: realidade ou utopia, promotora da inovação pedagógica e do sucesso educativo? Os conteúdos referenciados serão desenvolvidos em conferências/painéis com a presença/testemunho de conferencistas do mundo académico e científico, bem como Diretores de Agrupamentos de Escolas com práticas/dinâmicas de referência, que partilham o seu elevado know-how e suscitam a reflexão em torno da qualidade das aprendizagens na era digital. Os workshops serão dinamizados por docentes e/ou equipas de professores que partilham e dão a conhecer as suas boas práticas, com a aplicação de ecossistemas de aprendizagem digitais e inovadores.

Metodologias

O Colóquio realizar-se-á em dois sábados, de acordo com a seguinte estrutura: Primeiro dia: Manhã- Conferências/painéis Tarde - Conferências/painéis Segundo dia: Manhã - Conferências/painéis Tarde - Workshops temáticos. As conferências/painéis realizar-se-ão em Plenário, com a totalidade dos formandos (até 270). Os Workshops focar-se-ão em subtemáticas complementares, de caráter predominantemente prático e promotor do trabalho colaborativo entre formandos e formandos e formador. Decorrerão em simultâneo, em salas, com um número reduzido de formandos (máximo 30). Sob o ponto de vista dos formandos, e de forma a garantir o número de horas necessárias para a acreditação (15 horas), frequentarão: - As sessões plenárias (Conferências) num total de 11 horas de formação; - Os Workshops num total de 4 horas de formação.

Avaliação

A avaliação dos formandos será formalizada numa escala de 1 a 10, de acordo com o ECD, Regime Jurídico da Formação Contínua e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC. O instrumento de avaliação utilizado será uma reflexão individual com número limitado de carateres. A reflexão individual, deverá contemplar uma visão global e reflexiva do Colóquio, focalizando-se, numa segunda fase, nos workshops frequentados. Deverão ser anexados os trabalhos produzidos nos workshops. A avaliação dos formandos alicerça-se na qualidade da reflexão evidenciada na elaboração do Relatório Individual (grau de clareza, postura crítica, grau de profundidade, rigor científico, pertinência, expressão escrita) – 100%. O referencial da escala de avaliação é o previsto no nº 2 do artigo 46º do ECD, aprovado pelo DL nº 75/10, de 23 de Junho: Menção qualitativa Menção quantitativa Excelente entre 9 e 10 valores Muito Bom entre 8 e 8,9 valores Bom entre 6,5 e 7,9 valores Regular entre 5,0 e 6,4 valores Insuficiente entre 1,0 e 4,9 valores No primeiro dia, na sessão plenária, haverá um espaço de apresentação do processo de avaliação dos formandos e sua participação na avaliação do Colóquio.

Bibliografia

Attewell, J., Savill-Smith, C. (Ed.). (2014). Learning with mobile devices: research and development. London: Learning and Skills Development Agency. Lencastre, J. A., Bento, M., & Magalhães, C. (2016). MOBILE LEARNING: potencial de inovação pedagógica. In Tânia Maria Hetkowski & Maria Altina Ramos (orgs.), Tecnologias e processos inovadores na educação (pp. 159-176). Curitiba: Editora CRV. Disponível em: https://www.editoracrv.com.br/produtos/detalhes/31939-tecnologias-e-processos-inovadores-na-educacao item: http://hdl.handle.net/1822/43462 Mascheroni, G.; Ólafsson, K. (2014). Net children go mobile. Risks and opportunities. Second edition. Milano: Educatt OCDE (2020). Education responses to covid-19: Embracing digital learning and online collaboration. [Disponível em https://oecd.dam-broadcast.com/pm_7379_120_120544-8ksud7oaj2.pdf] Simões, J. A. et al. (2014). Crianças e meios digitais móveis em Portugal: Resultados nacionais do projeto Net Children Go Mobile. Lisboa: CESNOVA.

Anexo(s)

Programa